Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



quarta-feira, janeiro 30, 2013  

O CHARME DISCRETO DA BURGUESIA:

Título: Le Charme Discret De La Bourgeoisie
Realizador: Luis Buñuel
Ano: 1972


O mestre do cinema espanhol, Luis Buñuel, teve uma carreira dividida em várias fases, algumas até com alguns paradoxos, dividida entre Espanha, México e França, o que também contribuiu para alguma fragmentação. No entanto, este nome máximo do Surrealismo na Sétima Arte (autor do manifesto do movimento que foi Um Cão Andaluz), teve nas últimas três obras da sua filmografia o ponto onde conseguiu um melhor equilíbrio entre surrealismo e linearidade, a saber: O Charme Discreto da Burguesia, em 1972, O Fantasma da Liberdade, em 1974, e Esse Obscuro Objeto de Desejo, em 1977.

O Charme Discreto da Burguesia é uma crónica de costumes e uma crítica social acutilante aquela classe muito curiosa que é... a burguesia. O que não deixa de ser curioso que surja durante a sua fase francesa, terra da liberté, égalité, fraternité. É aqui que Buñuel desmonta uma das instituições sagradas da Família, que é a hora da refeição, ao montar um filme com uma série de personagens que nunca conseguem terminar um jantar ou um almoço. As razões são as mais variadas: ou porque estão a velar um corpo no restaurante, ou porque o exército chega para uma noite de manobras ou por outra razão ainda mais estapafúrdia.

A forma como estes incidentes são aceites com normalidade pelas personagens levam ao absurdo da situação que, por sua vez, levam ao humor. E por trás desse humor está escondida a alfinetada que Buñuel dá à burguesia. Mas não só, uma vez que a crítica estende-se a outras instituições que o mestre espanhol despreza por igual, nomeadamente a igreja e a classe política. E as duas cruzam-se num momento impagável, em que o padre local coloca um chapéu que pertencera a Napoleão.

Luis Buñuel antecipa ainda os mil quinhentos e trinta e sete filmes que, desde então, apareceram a reciclar o cliché da história que, afinal de contas, chega ao final e não passa tudo de um sonho. No entanto, fá-lo sem margens. Nunca vemos ninguém a adormecer, mas vemos muita gente a acordar, deixando-nos constantemente na dúvida: o que é realidade? O que é o mundo dos sonhos? Será que foi tudo um sonho? Ou será que nada daquilo foi o que pareceu? No entanto, o único momento surrealista a sério que nos lembra o Buñuel do início, o de Um Cão Andaluz e A Idade Do Ouro, é uma cena de tortura num piano com baratas.

É com O Charme Discreto da Burguesia que o Surrealismo é engolido definitivamente pelo mainstream e deixa de ser o Surrealismo dos surrealistas iniciais, aqueles que defendiam que este género só cumpria a sua função quando provocava e causava repulsa. Ao ser menos intuitivo e a dar às pessoas o que queriam ver, Buñuel fez do Surrealismo um movimento apaixonante e fez de O Charme Discreto da Burguesia um vencedor de Oscares inclusive. E de um McRoyal Deluxe, que tem muito mais prestígio que qualquer estatueta dourada.

Posted by: dermot @ 5:37 da manhã
|  




segunda-feira, janeiro 28, 2013  

ESPECIAL JUDGE DREDD:

A LEI DE DREDD:


Título: Judge Dredd
Realizador: Danny Cannon
Ano: 1995


A personagem de Judge Dredd foi apresentada ao mundo, pela primeira vez, em 1977, assumindo-se logo como um ícone da contracultura britânica, no mesmo ano em que o punk atingiu o ponto caramelo. Nos Estados Unidos nunca foi muito popular, já que os norte-americanos nunca perceberam muito bem coisas subversivas. Aconteceu o mesmo com Paul Verhoeven, com Hollywood a demorar 10 anos a perceber o que o holandês andava mesmo a fazer antes de o mandar para casa (aliás, o Robocop de Verhoeven é um primo afastado deste juiz Dredd). Por isso, quando decidiram adaptar o (anti)herói ao cinema, em 1995, assistiu-se a um desastre quase épico.

Comecemos pela contextualização. A Lei De Dredd passa-se em 2139, num futuro em que a moral e sociedade democrática como a conhecemos hoje faliu. A solução foi então reformular a lei, num mundo dividido entre o ermo do deserto e as mega-cidades sobrepovoadas. A justiça deixou de ser cega e a figura do polícia, do juiz e do carrasco foram fundidas numa só. Os Juízes passaram a patrulhar as ruas altamente violentas, com o poder de deter, julgar e executar a sangue frio qualquer meliante.

Joseph Dredd (Sylvester Stallone) é então o mais implacável desses juízes, uma lenda viva com uns métodos um pouco ortodoxos. No fundo, é uma espécie de Harry Callahan a defender a bandeira e a pátria a qualquer custo, mas que funciona como de forma inversa: uma crítica pouco disfarçada aos regimes totalitários, ao perigo da falência da moral e da democracia e um grito anti-sistema. No entanto, o realizador Danny Cannon só viu a primeira metade e interpretou Judge Dredd como um herói de direita - o Dirty Harry do futuro.

Ao contrário do recente Dredd (como podem ler imediatamente abaixo), A Lei De Dredd pinta o século XXII não como uma distopia pós-apocalíptia tipo John Carpenter ou Mad Max - As Motos Da Morte, mas como uma sociedade futurista hi-tech, muito O Quinto Elemento. O que também demonstra um bocadinho a intenção e a interpretação deste filme. Claro que já desconfiávamos quando vemos um muito novinho Rob Schneider a fazer de sideckick cómico - é este o nível de credibilidade de A Lei De Dredd.

Mas A Lei De Dredd até podia ser o filme ideal para o universo Dredd, quando este é confrontado com os seus próprios princípios. A Lei, que segue escrupulosamente, erra ao condena-lo por um crime forjado. No entanto, desde que dê uns tiros e mate os maus responsáveis por tal descaramento, Danny Cannon não quer saber de mais nada, nem tão pouco reflectir sobre estas questões.

Mesmo assim, o primeiro acto de A Lei De Dredd é bem respeitável. No entanto, assim que Dredd é condenado e tira o capacete (algo que nunca aconteceu na banda-desenhada, mas quem é que faria um filme em que Sly passasse o tempo todo irreconhecível), A Lei De Dredd passa a ser apenas um mau filme de acção de Sylvester Stallone. E onde está mau, deve-se ler xunga na pior acepção do termo.

Digam o que disserem, ninguém me tira a ideia de que foi A Lei De Dredd o grande culpado da travessia no deserto de Stallone durante os anos 00. Além disso, arruinou também o franchise de Judge Dredd durante vinte anos. Quem é que queria ter alguma coisa a ver com isto depois de um Happy Meal? Felizmente que um grupo de ingleses sensatos resolveu reanimar a coisa o ano passado.


DREDD:

Título: Dredd
Realizador: Pete Travis
Ano: 2012


Depois do desastre de A Lei De Dredd, não havia muito a fazer pelo mais duro juíz de Mega City 1. Sem ser os indefectíveis da banda-desenhada, mais ninguém queria ver mais filmes do (anti)herói punk da contracultura britânica circa 1977. Até que um grupo de ingleses irredutíveis. liderados por Pete Travis (realizador do mui recomendado Ponto De Mira), pega no franchise e, com este pequeno filme independente, dá um safanão nos filmes de acção.

O impacto de Dredd teria sido maior se não tivesse havido também este ano The Raid - Redemption. Os filmes são praticamente iguais e deixa no ar a questão: quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha? Terá sido coincidência ou alguém copiou alguém? Não vale a pena pensar muito nisso, até porque são ambos muito bons e complementam-se. Além disso, a história do cinema está cheia de casos que provam que os filmes vêm aos pares: Braveheart - O Desafio Do Guerreiro e Rob Roy, Capote e Infame, etc etc e tal.

Temos então o juiz Dredd (Karl Urban, com voz de Harry Callahan, mas sem o queixo de Stallone) em modo Dia De Treino, que leva para a sua ronda diária uma novata (Olivia Thirlby) que compensa o pouco jeito para a profissão com dons psíquicos. No entanto, o que parecia ser mais um dia normal, acaba por se tornar num épico, quando ficam fechados num arranha-céus controlado por uma cruel rainha do crime, Ma-ma (uma excelente e desfigurada Lena Headey), que mete todos os habitantes à caça da cabeça dos dois juízes.

Dredd mantém-se fiel ao espírito da banda-desenhada original. Aqui não há heróis patetas, Dredd mantém sempre o capacete e a violência e brutal, com umas sequências em super-slow-motion, como aquelas repetições das transmissões do último Mundial de futebol. Dredd é politicamente incorrecto, com um ritmo vertiginoso e sem tempo para merdas, com um bodycount assustador - afinal de conta, estes polícias são juízes e carrascos ao mesmo tempo, o que faz com que abatam os inimigos a sangue frio com grande à-vontade -, que não foge ao gore nem à violência mais explícita. E ao assumir este lado xunga, escapa ao rótulo de sensacionalista ou gratuito. Quer dizer, é gratuito, mas não tenta enganar ninguém.

Além disso, a atmosfera de Dredd também é a certa. A distopia pós-apocalíptica de Mega City 1 é captada numa (a)cidade (assim mesmo, com um "a" antes para lhe transmitir uma ideia de impessoabilidade) de betão cinzentona, cheia de carros, poluição, arranha-céus e subúrbios, que rima na perfeição com o tom amoral de Dredd, nascido em plena contracultura britânica da década de 70. Em comparação com A Lei De Dredd, Dredd ganha por capote; mas em comparação com The Raid - Redemption, sai a perder, com um McRoyal Deluxe que peca por um acto final fracote e sem chama.

Posted by: dermot @ 5:37 da manhã
|  




sábado, janeiro 26, 2013  

ENQUANTO DORMES:

Título: Mientras Duermes
Realizador: Jaume Balagueró
Ano: 2011


O Jaume Balagueró pode agora sentar-se e observar calmamente enquanto [Rec] se reproduz em sequelas, prequelas, spin-offs e remakes sem fim. E enquanto a sua conta bancária vai engordando, o realizador espanhol pode dedicar-se a outras coisas. Como, por exemplo, provar-nos que é um nome a ter em conta no futuro próximo no que diz respeito ao fantástico e ao horror. Pelo menos, a ter em conta por Enquanto Dormes, é isso que nos parece dizer.

A obsessão não é uma coisa boa e o cinema está farto de nos dizer (alguém mencionou A Mulher Que Viveu Duas Vezes ou Misery - O Capítulo Final?). No entanto, César (Luis Tosar) parece estar, mesmo assim, obcecado pela bonita e jovem Clara (Marta Etura). E o facto de ser porteiro no prédio onde vive permite-lhe tirar vantagens disso. Primeiro porque observa todos os seus passos e a sua rotina; e depois porque tem acesso às chaves do seu apartamento. Conjugando isso tudo, César pode desenvolver uns jogos marados à Amelie Poulain, mas bem mais macabros e sinistros.

Alfred Hitchcock teria adorado as possibilidades de um filme assim. E Balagueró também não se faz rogado. Sem se apressar, vai desenvolvendo a estranha fixação de César, à medida que os contornos do seu elaborado plano se vão tornando cada vez mais claros para nós. Ao mesmo tempo, percebemos o quão desequilibrado aquele homem é, vingando-se cruelmente dos seus vizinhos ou cedendo a chantagens da pirralha de uma das vizinhas, de forma a não ser apanhado. E a forma como consegue improvisar, enganando uns e incriminando outros, quando está prestes a ser desmascarado, deixa Enquanto Dormes com uma tensão de se cortar à faca, cujo peso quase sentimos no nosso colo.

No final, quando a intriga remata e dá o nó, ficamos nas mãos com um filme sobre a solidão e sobre um homem extremamente só. E, apesar de tudo, não conseguimos sentir piedade de César, porque os seus actos são tão perturbados que nos deixam atarantados por segundos. Enquanto Dormes é mais um excelente exemplo do cinema fantástico espanhol, que de tempos a tempos nos dá estes Le Big Macs tão saborosos quanto inesperados.

Posted by: dermot @ 6:54 da manhã
|  




sexta-feira, janeiro 25, 2013  

PROMETHEUS:

Título: Prometheus
Realizador: Ridley Scott
Ano: 2012


Tenho ideia de que já aqui o disse, mas vou repetir. Acho que Ridley Scott é a maior fraude se sempre do cinema. Teve a sorte de começar a carreira com duas obras-primas, Alien - O Oitavo Passageiro e Blade Runner - Perigo Iminente, e depois só fez treta até agora (com alguns filmes simpáticos pelo meio). E mesmo esses dois foram acidentes de percurso. Alien - O Oitavo Passageiro foi o encontro feliz de uma série de gente com talento e Blade Runner - Perigo Iminente foi um erro que saiu bem. Basta olhar para o director's cut e para a versão do realizador para ver como teria sido um filme totalmente diferente se Scott tivesse levado as suas opções adiante.

Por isso, Prometheus não me dizia nada. Não me despertou qualquer expectativa, nem quando se falava que poderia vir a ser uma prequela de Alien - O Oitavo Passageiro. Depois Quentin Tarantino cascou-lhe em cima, dizendo que tinha muita coisa pateta, e se há gajo que sabe da poda é Quentin Tarantino. Mas até que, aqui há dias, vi que o Cinema Xunga tinha-o considerado um dos filmes do ano. E isso, para mim, chega para lhe dar uma chance.

Comecemos então pelo mais importante de Prometheus, ou seja, a sua relação com o franchise Alien. Ridley Scott está farto de dizer que não tem nada a ver, mas que partilha a mesma mitologia. É estúpido, esse argumento. Se entra um alien em Prometheus (e sim, entra mesmo, para quem ainda não viu), então alguma coisa terá a ver com o resto das séries. No entanto, o que é que isto interessa para este filme em particular? Nada. E era isso que Scott quis dizer, tentando que o pessoal não se distraísse à procura de outras coisas, quando o que aqui realmente interessa é outra premissa.

E essa premissa é a fé e a busca de um sentido para a vida. Prometheus está para a ficção-científica assim como Sinais está para os filmes de invasões de extraterrestres. Tudo se passa num planeta longínquo, onde um ricaço à beira da morte (será que não poderiam ter contratado um actor velho, tinham mesmo que mascarar Guy Pearce com as mesmas próteses que puseram no Diogo Morgado em A Vida Privada de Salazar?) banca uma expedição espacial secreta, para tentar encontrar sinais de uma vida superior que pode ter criado a raça humana. Claro que, depois lá, encontram muito mais do que esperavam.

Com uma tripulação eclética qb, Prometheus assume-se com um épico sci-fi, altamente estilizado e de grade fôlego, rimando com o orçamento gigantesco do filme. Ridley Scott monta tudo com precisão clínica, quase como que a querer fazer pendant com o papelão de Michael Fassbender, na pele de um andróide mais na onda do de Jude Law, em Inteligência Artificial, do que na do seu antecessor, Bishop. Depois desembarcam numa espécie de montanha artificial e... o caldo entorna-se e começam as coisas patetas que Tarantino dizia.

Se nos conseguirmos abstrair de certas (muitas) coisas, desligando o cérebro em determinados momentos, Prometheus não é propriamente mau. Por exemplo, se conseguirmos acreditar que Noomi Rapace consegue operar-se a si própria, só fazendo um corte de lado a lado no ventre e depois agrafar tudo em poucos minutos, e logo a seguir sair para fazer um pentatlo, então temos uma cena brutal, em que a sueca se entrega de corpo e alma a uma espécie e chestburster em trajes menores (e, por falar nisso, Prometheus volta à temática matriarcal que é transversal a toda a série Alien, o que não deixa de ser curioso). Contudo, quando começamos a fazer perguntas, o filme entra em curto-circuito.

Por um lado, Prometheus é um filme visualmente apelativo, com momentos realmente bons e que mantém-nos entretidos. Isto até certo ponto, porque depois começam os twists dramáticos desnecessários, rip-offs do Guerra Das Estrelas e monstros e monstrinhos com atitudes parvas. Ridley Scott é uma fraude e este Double Cheeseburger prova-o mais uma vez.

Posted by: dermot @ 5:35 da manhã
|  




quarta-feira, janeiro 23, 2013  

AMOR:

Título: Amour
Realizador: Michael Haneke
Ano: 2012


E, de repente, aquele que todos acusavam de ser ter um cubo de gelo no lugar do coração apresenta-nos o seu filme mais humanista de sempre. Amor, de Michael Haneke, é o austríaco a provar-nos que é humano, mas através da sua própria linguagem. Portanto, Amor é um filme clínico, quase cirúrgico, de um hiper-realismo directo e sem sequer banda-sonora, exceptuando a diegética, que nos possa aquecer o coração por mais fugaz que seja.

Amor é a historia de um casal de anciões, Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva). Apesar de velhos, ambos são bastante independentes e levam uma vida normal. Aliás, quando os conhecemos, estão num concerto, a ver um jovem pianista que aprendeu tudo o que sabe com Hanne. Mas, lembrando-nos que a nossa condição neste mundo é efémera, Haneke logo a seguir baralha os trunfos e torna-se trágico. Hanne tem um ataque, uma operação corre mal e fica paralisada do lado direito. A partir daí, Amor é uma viagem em tons de agonia, lenta e cruel, em que acompanhamos Georges a tratar Anne, cada vez mais debilitada até falecer.

Não me chamem nomes por vos dizer como acaba o filme, já que é mesmo assim que ele começa. O que interessa a Haneke não é o destino da viagem, mas o próprio percurso em si. Como uma reflexão da vida e da condição humana, tão insignificante quanto arbitrária, que num dia pode estar tudo bem e no seguinte tudo mal. Encarcerados naquele apartamento com Georges, temos com ele uma relação tão emocional quanto física, que só é quebrada com as visitas da filha Eva (Isabelle Huppert), uma âncora com o mundo real lá fora daquelas quatro paredes.

Amor é ainda o filme que é devido a Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva, dois senhores actores, que se entregam de corpo e alma a um filme extremamente exigente e físico. E isso também nos faz sofrer. Lembramo-nos de Mar Adentro, pensamos na eutanásia e em todas aquelas coisas que o sofrimento nos faz ver por outro prisma, mas o tratamento de Haneke é mais visceral, mais verídico e mais real. E sentimo-nos mais pequenos quando o filme chega ao fim. Se o tivesse visto na altura em que estreou, certamente que este McRoyal Deluxe estaria na minha lista dos melhores do ano.

Posted by: dermot @ 5:11 da manhã
|  




segunda-feira, janeiro 21, 2013  

MAVERICK:

Título: Maverick
Realizador: Richard Donner
Ano: 1994


A vida e a obra de Mel Gibson e Richard Dooner cruza-se nos anos 90 e está intimamente ligada. Ambos já tinham uma carreira antes dos 90s - e continuaram a ter depois, mais Gibson do que Donner -, mas foi nos anos 90 que atingiram o ponto caramelo. Tudo devido à quadrilogia Arma Mortífera, onde foi cristalizado o conceito do buddy movie de acção, transformando Mel Gibson num dos actores mais requisitados de Hollywood. Na ressaca disso, ainda arranjaram tempo para fazer Maverick.

Maverick é a adaptação ao grande ecrã do jogador de póquer que estrelava na série favorita do antigo faroeste nos anos 50. O próprio James Garner, que vestia o chapéu de cáuboi na televisão, entra no filme, mas dá o protagonismo a Mel Gibson, que compila em duas horas e pouco uma série de referências a vários dos episódios, numa espécie de aventura concentrada, em que o jovem Maverick - insolente, sempre com uma one liner na ponta da língua, e ás nas cartas e na pistola - vai participar no maior torneio de póquer do Oeste.

Donner é um tipo que tem bem noção do conceito de entretenimento e sabe importa-lo a cada situação, adaptando os códigos do cinema de género a seu bel-prazer. Isso significa que Maverick não é um western convencional, mas antes uma comédia de acção divertida qb. Sinal dessa mestria de Donner é a forma como molda os sinais da comédia screwball, na química entre Gibson e a femme fatale Jodie Foster (particularmente brilhante aqui), ou o buddy movie entre Gibson e o seu rival, o xerife James Garner.

Depois, Maverick é pontuado por pequenos pormenores, que fazem a diferença entre um filme simpático e um filme como deve ser. E se os cameos de cantores country era esperado, o easter egg de Danny Glover, a emular Arma Mortífera - estou a ficar velho para esta merda, desabafa ao som da theme song do filme - é completamente impagável. Com truques como este, Maverick é um dos outsiders da filmografia de Mel Gibson que mais gosto dá rever, ao sabor de um McBacon.

Posted by: dermot @ 5:08 da manhã
|  




sexta-feira, janeiro 18, 2013  

CLOUD ATLAS:

Título: Cloud Atlas
Realizador: Tom Tykwer, Andy Wachowski & Lana Wachowski
Ano: 2012


Se me obrigassem a apostar em Cloud Atlas (e nao seria preciso muito, bastava pedirem-me), eu apostaria tudo contra sem qualquer hesitação. É que as odds estavam todas do meu lado. Os manos Wachowski, depois de terem revolucionado o mundo com o primeiro Matrix, só fizeram lixo; e Tom Tykwer, depois de se ter tornado no realizador alemão vivo mais promissor com Corre Lola Corre, só lixo fez. Por isto é que eu não costumo jogar (e, quando jogo, perco).

Realizado a três mãos, Cloud Atlas é um enorme filme mosaico, passado em diferentes realidades temporais e com geografias bem distintas, mas sempre com os mesmos actores (usando e abusando das próteses). Temos então histórias no presente de um editor de um escritor violento, que atira um crítico pela janela; temos um thriller político nos anos 70, em que uma jornalista parece saída de um filme do John Frankenheimer; há uma aventura em alto mar nos Estados Unidos sulista, com escravos e esclavagistas; há uma distopia futurista numa Seul do século XXIV; e há uma revolução latente, num futuro indefinido, entre selvagens tipo Apocalypto e seres mais evoluídos.

Esta salgalhada de histórias, cenários e personagens, aliado ao facto de ter três cabeças a pensarem o filme, fazia antever o pior. No entanto, Cloud Atlas tem uma coerência inesperada e, acima de tudo, uma economia narrativa que não esperávamos ver associada aos Wachowski. É certo que há também guerras e tiroteios e algumas cenas mais gráficas, não há sequer um mínimo resquício da masturbação digital que era Speed Racer.

Apesar de aparentemente as histórias não terem nada a ver entre si, começamos a identificar pequenos sinais que ecoam de uma realidade para a outra: primeiro um sinal de nascença, depois um nome e depois um gesto mais vincado. E, no final, damos de caras com um épico de grande fôlego, sobre o destino, a reencarnação, a predestinação e o poder do amor através dos tempos. Obviamente que, como todos os épicos, Cloud Atlas chega a uma altura em que parece que nunca mais acaba. Mas vem com tanto embalo de trás, que se percebe os efeitos da inércia.

Apesar das diferenças de registo, Cloud Atlas mantém uma uniformização de estilo e forma coerente, com os seus actores a multiplicarem-se em registos bem distintos. E se Tom Hanks é o que parece que mais aparece no ecrã, Halle Berry ganha o prémio da mais deslumbrante, enquanto que Hugo Weaving tem a personagem mais assustadora: Georgie, um demónio maléfico que atormenta Hanks. Mas é Hugh Grant que sai vencedor na noite, completamente irreconhecível na maior parte das vezes. O que é bom para si e para o seu aborrecido ar encantador britânico.

Contra todas as previsões, Cloud Atlas tem mais interesse que a maioria da filmografia dos Wachowski e de Tykwer junta. Um McRoyal Deluxe que tem culto escrito por todo o lado.

Posted by: dermot @ 6:01 da manhã
|  




quarta-feira, janeiro 16, 2013  

MONSTROS VS ALIENS:

Título: Monsters vs Aliens
Realizador: Rob Letterman & Conrad Vernon
Ano: 2009


Talvez antecipando a esperada sequela da Pixar para Monstros E Companhia, a Dreamworks antecipou-se com Monstros vs Aliens. O objectivo era dos dois um: fazer um filme com monstros tão bons que, quando saísse o da Pixar, toda a gente o iria comparar a este; ou fazer um filme tão mau que, quando saísse o da Pixar, ninguém o iria querer por se lembrar deste. Aparentemente, parece que esta última é a resposta certa.

Como o próprio título indica, Monstros vs Aliens foi o pretexto para juntar na mesma história monstros e, adivinhem, aliens. Arranjou-se uma premissa, um pouco forçada é certo (mas hey, é um desenho-animado, logo vale tudo), mas que tem a sua piada: um grupo de mutantes presos na Área 51, liderados por Susan (Reese Witherspoon), uma noiva transformada em gigante depois de ser atingida por um meteorito no dia do seu casamento, são recrutados pelo Governo para impedir uma invasão alienígena. Se forem bem sucedidos, receberão em troca a sua própria liberdade.

Parece ser aqui que assenta a premissa moral de Monstros vs Aliens. Ao serem postos em liberdade, os monstros iriam ter tempo para se aperceberem de que, cá fora, são apenas isso, monstros, julgados pelo aspecto exterior. No entanto, tal como tudo o mais no filme (como a emancipação de Susan, abandonada pelo noivo depois de ficar gigante), também isto é apenas um apontamento num filme que se limita a estender a sua premissa sem se preocupar muito com o argumento, que se mantém propositadamente infantilizado demais. Para as crianças, basta ter muitas coisas brilhantes, outras tantas a explodir e bonecos esquisitos e grandes...

Também o lado série b importado dos filmes de invasão de extraterrestres dos anos 50 não é convenientemente explorado. Meia dúzia de piscadelas de olho, um par de gags para (so)rir e apenas um momento para a posterioridade, quando faz a ponte para o filme catástrofe e os monstros e aliens destroem a Golden Gate, em São Francisco. Tudo o resto é demasiado anónimo, tão inconsequente que nem aproveita algumas das vozes dos seus actores, como Seth Rogen ou Stephen Colbert, por exemplo.

Quanto a vocês não sei, mas eu cá vou acabar este Double Cheeseburger e vou continuar à espera, na mesma, da sequela de Monstros E Companhia.

Posted by: dermot @ 5:24 da manhã
|  




segunda-feira, janeiro 14, 2013  

4:44 ÚLTIMO DIA NA TERRA:

Título: 4:44 Last Day On Earth
Realizador: Abel Ferrara
Ano: 2011


Depois de ter realizado o documentário Chelsea Hotel, para tentar salvar o histórico hotel nova-iorquino cuja futuro estava, na altura, mergulhado num ponto de interrogação, Abel Ferrara parece ter ficado afectado pela memória, pela passagem do tempo e pelo envelhecimento. Ou então é uma crise de meia-idade.

Pelo menos é essa a ideia que fica depois de 4:44 Último Dia Na Terra, filme-catástrofe que muitos teimam em ver também como uma metáfora ao final de um tempo específico: o de um cinema orgânico e analógico, do qual Ferrara é um dos bastiões. Ou então é simplesmente um requiem, uma espécie de fim do mundo em modo zen, muito mais Melancolia do que Michael Bay o Roland Emmerich.

É tão sereno, que 4:44 Último Dia Na Terra passa-se quase exclusivamente no interior de um apartamento. A excepção é quando William Defoe dá um último passeio pelas ruas da sua Nova Iorque. Tudo o resto são os momentos de Dafoe consigo próprio, com a sua mais que tudo (Shanyn Leigh) ou com os seus amigos e familiares, no skype. E são muitas cenas no skype, acreditem. Mas tudo de uma forma muito relaxada. O mundo vai acabar às 4h44 do título, mas lá fora parece a banda do Titanic: o barco pode ir afundar, mas todos continuam a tocar.

Mais do que um sinal do fim de um género de cinema, 4:44 Último Dia Na Terra parece uma forma autobiográfica de expiar qualquer coisa. O lado zen-budista do filme (e ate há Dalai Lama a discursar na televisão) ou a relação de Dafoe com a ex-mulher enquanto vive com uma tipa mais nova, parece mais ser Abel Ferrara a desabafar do que a própria personagem do seu filme. Por isso, 4:44 Último Dia Na Terra tem um lado auto-indulgente(!) e metafísico. E, claro, também sobranceiro. Como as sequências editadas a partir de found footage, que não trazem nada ao filme.

Filme aborrecido, 4:44 Último Dia Na Terra esgota-se ao fim de um quarto de hora. E damos por nós a querer ir buscar um Cheeseburger e rever o Melancolia. WTF?

Posted by: dermot @ 6:53 da manhã
|  




sexta-feira, janeiro 11, 2013  

INSIDE JOB - A VERDADE DA CRISE:

Título: Inside Job
Realizador: Charles Ferguson
Ano: 2010


Os documentários com agenda política tornaram-se mais visíveis com Michael Moore, especialmente após Bowling For Columbine. A fórmula foi simples: pegar em assuntos sérios e mostra-los com linguagem acessível, misturando humor e provocação, e enrola-los num embrulho pop suficientemente apelativo. E, claro, se for necessário manipular as coisas um bocadinho, também não faz mal nenhum. O que interessa é denunciar e colocar as pessoas a pensar.

A seguir a Bowling For Columbine (e aos restantes filmes de Moore), surgiram uns quantos documentários do género que, se fosse há uns anos atrás, ninguém teria ligado nenhuma. Uma Verdade Inconveniente, por exemplo, é um deles e até ganhou um Oscar. E este Inside Job - A Verdade Da Crise é outro dos casos. Se bem que este tem outro factor que leva a despertar o interesse do público: ao denunciar a actual crise económica, cujos efeitos tão bem conhecemos em Portugal, Inside Job - A Verdade Da Crise assume-se como um tema actual, que interessa a todos directamente, nem que seja por osmose.

Inside Job - A Verdade Da Crise propõe então uma viagem ao passado ao mundo financeiros norte-americano para explicar, com uma linguagem para totós, como nasceu esta crise económica. E, apesar de se situar apenas nos Estados Unidos, uma pequena introdução sobre a Islândia prova que esta bolha que rebentou com a falência da Lehman Brothers e da AIG, teve repercussões em todo o lado. E quando antevê o mesmo efeito para a China, ficamos a ponderar quando é que esse momento chegará. E se chegar, as consequências podem ser (ainda mais) devastadoras. Brrr, medo!

Charles Ferguson convida para o seu documentários as principais figuras deste jogo financeiro, que começou com Reagan e a sua desregulação dos mercados, teve o boom na década de 80 com os yuppies da Bolsa e chegou à ruptura nesta entrada de século. Do lado dos que denunciam o sistema, Inside Job - A Verdade Da Crise entrevista jornalistas notáveis, economistas respeitáveis e outros agentes que não têm vergonha de pôr o dedo na ferida; do lado dos que são atacados, a maioria recusou dar a cara, mas aqueles que vão a jogo recebem o mesmo tratamento: ao serem confrontados com perguntas difíceis e directas, gaguejam, hesitam e espalham-se ao comprido, antes de a imagem ser cortada e ficarmos sempre sem saber até que ponto aquilo foi manipulado pelo realizador.

No entanto, contra factos não há argumentos Inside Job - A Verdade Da Crise expõe-nos a todos com grande clarividência. Apesar de ser um tema complicado, qualquer pessoa sai do filme esclarecida com as trafulhices feitas e que continuam a ser feitas. Ah, e há também Dominique Strauss-Kahn e Christine Lagarde (na altura ainda na qualidade de ministra das Finanças francesa), a cascarem nos Estados Unidos. E a partir daqui ficamos convencidos que o ex-director do FMI foi mesmo tramado por um caso de violação mal explicado, aonde?, nos Estados Unidos(!).

Ficamos ainda a perceber que não é com Obama que isto vai mudar, porque os mesmos tipos que encavaram isto tudo continuam no topo da pirâmide. É por isso que Inside Job - A Verdade Da Crise é revoltante e nos deixa ainda mais indignados nestes jogos sem vergonha, onde todos nos comem por parvos. Por isso, há duas formas de reagir a isto: ou comemos um McRoyal Deluxe e continuamos com o paleio indignado no facebook; ou levamos o McRoyal Deluxe para as ruas e fazemo-lo acompanhar de cocktails molotovs. Cabe a cada um decidir.

Posted by: dermot @ 6:53 da manhã
|  




quarta-feira, janeiro 09, 2013  

APOLLO 18 - MISSÃO PROIBIDA:

Título: Apollo 18
Realizador: Gonzalo López-Gallego
Ano: 2011


O found footage continua na moda. Desta vez, em Apollo 18 - Missão Proibida, serviu para ilustrar uma das mais antigas teorias da conspiração de sempre: as das viagens à lua. Se em três anos os americanos foram 6 vezes à lua, porque é que nunca mais lá voltaram em quarenta anos? Podemos responder "propaganda política em plena guerra fria", mas é muito mais interessante acreditar nos caminhos mais sinuosos.

Apollo 18 - Missão Proibida explica que, afinal, a Apollo 17 não foi a última missão lunar. Anos depois, a Apollo 18 foi uma missão super secreta, tão secreta que ninguém a viu partir do cabo Canaveral, que levou três astronautas a pousar no lado negro da lua, onde o sol nunca brilha. Agora, vários minutos de vídeo em bruto apareceram na net e este é o filme resultante da edição deste material.

Esta fórmula de tentar tornar verídico found footage não é novo, existe desde Holocausto Canibal, mas mesmo assim continua a funcionar. Isto se desligarmos o cérebro a alguns pormenores técnicos e outros menos credíveis de Apollo 18 - Missão Proibida. Temos então três homens no espaço, completamente isolados, e de repente começam a acontecer coisas estranhas. Onde é que já vimos isto? A diferença é que aqui Houston consegue ouvi-los gritar.

Apollo 18 - Missão Proibida cria convincentemente um ambiente de tensão e mistério, mas depois desperdiça tudo à boca da baliza, ao oferecer-nos uns monstrinhos inofensivos e sem piada nenhuma. Preferíamos maior e melhor. Bem mais interessante é a possibilidade soviética que o filme dá na corrida ao espaço, que ilustra um bocadinho melhor a tal parte da propaganda política em plena Guerra Fria que falava mais acima. No final, Apollo 18 - Missão Proibida é um entretenimento curto e divertido, para não se levar muito a sério, nem pensar muito nele. Já vimos coisas do género bem piores. E a pagar! Por isso, este McChicken não é nada de se deitar fora.

Posted by: dermot @ 6:11 da manhã
|  




segunda-feira, janeiro 07, 2013  

OS IMORTAIS:

Título: Os Imortais
Realizador: António-Pedro Vasconcelos
Ano: 2003


Ai os imortais, os imortais...
António Pedro-Vasconcelos é o que de mais próximo o cinema português tem de um realizador comercial. Sem descurar um certo cinema de autor, o realizador e paineleiro benfiquista sabe como apelar ao público, seja na constituição do elenco, seja na construção dos diálogos, longe dos textos teatrais que afastam o público português do seu próprio cinema.

Os Imortais foi o filme em que António Pedro-Vasconcelos alcançou melhores resultados com essa fórmula. Primeiro que tudo, convocou toda a fina-flor da representação em Portugal - Rogério Samora (vénia), Nicolau Breyner (vénia), Joaquim de Almeida, Ana Padrão, Alexandra Lencastre... -, adicionou-lhe um toque internacional (Emmanuelle Seigner) e acrescentou-lhe nomes reconhecidos dos mais novos (Rui Unas, uma supresa, e Maria Rueff, por exemplo, mas também lá anda o... Hodji, lembram-se?). E depois montou um filme de polícias e ladrões, inspirado na fórmula hollywoodesca, suportado em diálogos escorreitos e com sexo, tiros e palavrões bem colocados, sem serem sensacionalistas (se bem que a relação lésbica de Alexandra Lencastre e Maria Rueff é apenas e só sensacionalismo barato).

Nicolau Breyner é então o polícia a uma semana da reforma (onde é que já vi isto), sempre a fumar, que parece o Humphrey Bogart, e que vai ver-lhe cair nos braços um caso mais esquisito do que parece à partida. Um grupo de ex-comandos do Ultramar (Samora, Almeida, Unas e Joaquim Nicolau) junta-se todos os anos no Algarve, com putas, álcool e drogas, para lembrar os velhos tempos e fazer uns disparates. Neste ano decidiram assaltar um banco. Mas como o mundo é pequeno, os destinos de todos vão-se cruzar numa teia algo exagerada por vezes, que envolve a francesa Seigner e o seu marido com negócios obscuros em África, uma casa de fado em Alfama, Alexandra Lencastre novamente abandonada depois de O Delfim e, claro, muita intriga.

Apesar de tudo indicar vir a ser um heist movie, a forma como conduz o filme é o prato forte de Os Imortais. António Pedro-Vasconcelos começa por evocar outro clássico do noir norte-americano, O Crepúsculo Dos Deuses, ao começar o filme de trás para a frente, e depois leva-nos com Nicolau Breyner de descoberta em descoberta, atando as pontas do novelo lentamente e, por vezes, da forma mais inesperada. No entanto, o tamanho da teia faz com que esta se estenda um pouco demasiado, mas nada que belisque o resultado final.

Com um leque de representações brilhante (Samora é um marialva do caraças e Nicolau Breyner está melhor do que nunca), Os Imortais tem ainda a Carla Lupi a cantar o fado ou a Emmanuelle Seigner a mostrar muita pele, o que lhe dá pontos extras. Falta-lhe uma theme song de uma banda portuguesa a sério para se tornar épico.
Ai os imortais, os imortais... Um McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 5:11 da manhã
|  




sexta-feira, janeiro 04, 2013  

MORTINHO POR CHEGAR A CASA:

Título: Mortinho Por Chegar A Casa
Realizador: Carlos da Silva & George Sluizer
Ano: 1996


Existe um mito urbano bastante popular que, partindo do facto de existirem números residuais de cidadãos chineses enterrados no nosso país quando são aos milhares os imigrantes que por cá abrem lojas e restaurantes, fabulam uma série de possibilidades, que vai desde o canibalismo até sabe-se lá o quê. No entanto, a explicação é simples: quando envelhecem, os chineses voltam para casa para morrerem e serem enterrados lá. Se vissem Mortinho Por Chegar A Casa sabiam. É que uma pessoa quando é enterrada num país estranho não consegue ter paz e o seu fantasma fica condenado a andar a vaguear por entre os vivos eternamente.

É isso que acontece a Manuel Espírito Santo (Diogo Infante) logo no início de Mortinho Por Chegar A Casa. Em Amesterdão, leva com uma mota desgovernada em cima - em momento Looney Tunes - e é enterrado pelos amigos no cemitério local. Felizmente há um chinês na mesma situação lá no cemitério que lhe explica tudo. Manuel vai então até à sua Minas de São Domingos local e convence a irmã (Maria d'Aires), em sonhos, a ir resgatar-lhe os ossos. Mal sabia ele que essa viagem ia alterar a vida de toda a sua família e a dos seus compinchas holandeses.

Sucesso de bilheteira nos anos 90, Mortinho Por Chegar A Casa ainda sobrevive nos dias de hoje à indiferença do passar do tempo graças a uma fala mítica de Maria d'Aires - Estás a olhar p'ra quê? Os mortos nã bebem! - e a um cameo especial de Herman José, a fazer de fantasma do Vasco da Gama, patriota colado à frente da televisão a ver a selecção nacional conquistar por terra o que em tempos ele havia conquistado pelos mares. Além disso, SHSHSHS é uma comedia agridoce, com qualquer coisa de Aki Kaurismaki: as personagens pobres, mas honradas, e uma cinematografia algo artesanal, com uma pitada burlesca.

Mortinho Por Chegar A Casa rima ainda com temas conhecidos aos portugueses: a imigração e as saudades de casa. Tudo isso - e um toque sobrenatural, pouco habitual no cinema nacional - fizeram de Mortinho Por Chegar A Casa um dos maiores êxitos de sempre das nossas bilheteiras e um McBacon bem jeitoso, que não se estragou com o tempo.

Posted by: dermot @ 5:10 da manhã
|  




quarta-feira, janeiro 02, 2013  

NÃO OLHES PARA TRÁS:

Título: Ne Te Retourne Pas
Realizador: Marina de Van
Ano: 2009


Um escritor - assim como qualquer artista/criador - inspira-se na sua própria vida e alimenta-se da sua experiência (ainda que empiricamente). Por isso, para Sophie Marceau era difícil escrever ficção, apesar de ser muito boa escritora de investigação, porque estava amnésica de qualquer memória até aos 8 anos de idade. Daí sentir necessidade de escrever sobre essa infância que não se lembra, mas que vê nas fotografias e ouve no relatos da mãe, porque se estiver no papel é como se fosse mais prova de que existiu.

A premissa é boa e, apesar de nos agarrar logo aqui, ainda melhora, quando Sophie Marceau acorda de manhã e apercebe-se que as coisas estão a mudar. Primeiro é a mobília da sua casa que troca de sítio, depois é a própria casa que se altera e no fim o seu marido e filhos começam a trocar de feições, numa caracterização algo atabalhoada, de inchaços e más próteses. Até a própria Sophie Marceau se está a transformar na Monica Bellucci. Será Não Olhes Para Trás uma pequena pérola perdida entre as estreias semanais de cinema ou é apenas uma variação má do David Lynch de Estrada Perdida ou de David Cronenberg de, bem, de toda a sua filmografia?

Infelizmente a resposta certa é a segunda e ficamos a sabe-lo da pior forma, porque a partir daqui, Não Olhes Para Trás é sempre a descer. Os primeiros instantes, enquanto a fórmula não esgota, é interessante, apesar de alguns tropeções no acumular da tensão. Faltou à realizadora, Marina de Van, ver mais a trilogia dos apartamentos de Roman Polanski. Depois entra Monica Bellucci em cena e a intriga tenta resolver-se. E aqui é só uma panóplia de lugares-comuns e outras muletas previsíveis, que no fundo é um rip-off de O Sexto Sentido.

O filme termina de forma tão anónima, que nem sequer Monica Bellucci está particularmente fulgurante. E apenas uma maminha de fora é muito pouco para salvar o que quer que seja. A questão aqui não é perceber porque é que Não Olhes Para Trás estreou em Portugal com três anos de atraso; é antes entender porque sequer estreou. Há por aí Happy Meal bem melhores e com brinquedos mais funcionais.

Posted by: dermot @ 5:09 da manhã
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014