Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



quarta-feira, março 30, 2011  

CHEMICAL WEDDING:

Título: Chemical Wedding
Realizador: Julian Doyle
Ano: 2008


Aleister Crowley é um tipo complexo e, por isso, tudo o que digamos sobre ele poderá ser redutor. No entanto, vou tentar resumir-me ao essencial: Crowley é um dos mais influentes ocultistas da história, um tipo claramente nascido fora de época, igualmente conhecido pelo seu feitio excêntrico, sem papas na língua e drogado. É por isso que tanta gente o menciona como referência, especialmente no mundo do rock'n'roll (haverá indústria mais hedonista que esta?). Só é estranho é que não se faça mais filmes sobre ele.

Chemical Wedding é uma das excepções - um filme série b, claramente amador, assinado por um tipo, cujo ponto alto na sua curta carreira como realizador foi ao fazer um teledisco da Kate Bush, e com o argumento assinado por Bruce Dickinson, o vocalista dos Iron Maiden. No entanto, nem essa possível manobra de marketing salvou o filme, que nem chegou ao circuito comercial. Por isso, os produtores mudaram-lhe o título para Crowley, quando o filme chegou às prateleiras das lojas de dvds.

Chemical Wedding é uma espécie de Aleister Crowley (e ocultismo) para totós. Tal como em O Código Da Vinci, Chemical Wedding faz um apanhado livre de várias coisas relacionadas mais ou menos vagamente com o tema e constrói um argumento pouco claro e com mais buracos do que o cadáver do Carlos Castro.

A história passa-se torno do professor Haddo (Simon Callow), um universitário que é possuído pelo espírito de Aleister Crowley depois de entrar numa máquina de realidade virtual(!). Provavelmente não havia dinheiro para um filme de época (ou para contratar actores a sério) e, por isso, recorreu-se à ciência. No entanto, os autores do filme nem se deram ao trabalho de arranjar uma explicação minimamente plausível ou sequer lógica. O nível científico de Chemical Wedding resume-se a uma máquina que faz uma cena qualquer. Whatever, também ninguém quer saber.

O professor Haddo fica então possuído, numa espécie de releitura de Jekyll e Hyde. Ou será que a este nível de seriedade o factor de comparação deve ser O Professor Chanfrado? Para que a gente os consiga distingui, o Haddo original é um professor com uma gaguez ridícula, enquanto que o Haddo possuído é um fluente orador vernacular. Depois, o regressado Aleister Crowley tenta pôr em prática os seus rituais e gerar uma criança da lua, tudo muito mal explicado e com pouco sentido.

Apenas Simon Callow se parece divertir em Chemical Wedding, uma vez que tudo o resto é de um sofrimento atroz. Por isso, a única parte engraçada do filme é quando se processa a transformação do professor Haddo para Aleister Crowley, enquanto ele insulta tudo e todos como um Cyrano de Bergerac mal-educado. Depois há ainda a componente sexual que tem os seus momentos divertidos, apesar de não ter tomates para enveredar pela exploração gratuita como qualquer filme de segunda categoria.

Quando chega ao final, já Chemical Wedding está farto de chover no molhado. Mas como se isso ainda não fosse suficiente, Julian Doyle e Bruce Dickinson tentam ainda uma manobra espertalhona, com umas bicadas socio-políticas à então actual presidência do Bush filho. Um Happy Meal e uma volta no túmulo para Aleister Crowley.

Posted by: dermot @ 12:34 da manhã
|  




segunda-feira, março 28, 2011  

BACKBEAT, GERAÇÃO INQUIETA:

Título: Backbeat
Realizador: Iain Softley
Ano: 1994


É quase unânime que os Beatles são uma das maiores bandas do Mundo. Quem não o achar é porque é parvo. No entanto, tirando aquelas patetadas com os próprios fab four como protagonistas, não existe nada digno de nota no campo da ficção. O que é estranho, diga-se, tendo em conta que estamos a falar de uma banda que, um dia, foi mais famosa que Jesus Cristo. Mas toda a regra necessita de uma excepção. E a desta chama-se Backbeat, Geração Inquieta (subtítulo em português medonho).

Em rigor, Backbeat, Geração Inquieta não é propriamente sobre os Beatles, mas é o que de mais próximo encontramos. É antes um filme sobre o período pré-Beatles, aquele em que cinco jovens de Liverpool viajaram para Hamburgo, na Alemanha, para tocarem como banda residente de um bar manhoso. Contudo, o realizador não se centra na história do conjunto, nem sequer procura iconografar o momento decisivo em que aqueles jovens deixaram o skiffle e o amadorismo para se tornarem profissionais e visionários da música popular anglo-saxónica. Backbeat, Geração Inquieta é antes sobre dois jovens e a sua relação: John Lennon (Ian Hart) e Stu Sutcliffe (Stephen Dorff).

Stu é considerado o quinto Beatle. Foi com ele e Lennon, amigos de longa data, que a banda começou. No entanto, enquanto que o rock'n'roll sempre foi o sonho de Lennon, Stu apreciava mais a parte de fazer parte de uma banda do que propriamente a música. A sua paixão era mais a pintura. E, hoje em dia, os seus quadros valem uma fortuna. Por isso, essa relação estava destinada a colapsar. O que ninguém esperava é que fosse devido a uma mulher, a alemã Astrid Kirchherr (Sheryl Lee). Irónico que John Lennon não tenha aprendido a lição, já que, anos mais tarde, outra mulher - a maléfica Yoko Ono - iria colocar-se entre ele e o resto da banda, levando ao fim dos Beatles.

Backbeat, Geração Inquieta é um filme sobre relações humanas, primeiro entre os dois amigos e depois entre o triângulo no qual este se desenvolve. No entanto, enquanto que o subtítulo da tradução portuguesa tenta reduzir a história a um drama juvenil sobre a rebeldia e a fúria do crescimento (como um Fúria De Viver do rock, por exemplo), Backbeat, Geração Inquieta é muito mais profundo que isso. Irmãos, amantes, homoeroticidade, ciúmes, inveja, lealdade... Uma paleta de sentimentos aflorados de forma mais ou menos objectiva.

Backbeat, Geração Inquieta poderia assim ser um grande filme se tivesse verdadeiramente personagens. Mas não tem. A culpa não é dos actores; Sheryl Lee é um pouco erro de casting, é certo, mas apesar do Lennon um pouco canastrão de Hart, tanto ele como Dorff dão dois Beatles bastante razoáveis. O problema é o argumento esquemático, que não lhes dá profundidade nem tempo para se desenvovlerem, apostando em vários momentos de actuações ao vivo para entremear uma série de episódios por ordem cronológica.

Antes de terminar, não podemos falar de um filme sobre os Beatles sem falar da música. Apesar de não ter nenhuma composição Lennon/McCartney (problemas com os direitos autorais, provavelmente), Backbeat, Geração Inquieta é uma excelente jukebox de oldies do rock'n'roll, alguns dos quais que se tornaram, inclusive, singles dos Beatles (Twist and Shout e Long Tal sally, por exemplo), tocados com sangue na guelra e atitude punk. Porque os Beatles eram os punks do seu tempo.

Enquanto filme dos Beatles, Backbeat, Geração Inquieta é fraquinho e serve mais para curiosos e fãs da banda. No entanto, se o encararmos como o drama humano que no fundo é, o seu Cheeseburger torna-se ligeiramente mais delicioso.

Posted by: dermot @ 10:53 da manhã
|  




sexta-feira, março 25, 2011  

TROPA DE ELITE 2 - O INIMIGO AGORA É OUTRO:

Título: Tropa De Elite 2
Realizador: José Padilha
Ano: 2010


Existem filmes que, mesmo que não queiram, são praticamente obrigados a terem sequelas. Não sei se José Padilha já tinha isso na mente quando realizou o primeiro filme, mas depois do fenómeno que foi Tropa De Elite - filme brasileiro mais visto de sempre ainda antes de estrear(!), viva a pirataria! -, não haver um segundo era falhar uma oportunidade de ouro para fazer dinheiro.

José Padilha sabia que sem uma boa razão para uma sequela, Tropa De Elite 2 corria o risco de se tornar num filme de acção mais do mesmo. Por isso, teve o bom-senso de mudar a estratégia. Assim, dispensou o realismo de favela e o baile-funk, que desde Cidade De Deus que pôs o Brasil nos mapas do cinema internacional, e trocou o filme de acção gráfico e non-stop por uma intriga política, mantendo as personagens, mas mudando-lhes o campo de batalha. Daí o subtítulo Agora O Inimigo É Outro, uma vez que a batalha agora se trava no circo da política.

Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro começa com uma intervenção do BOPE (a SWAT brasileira) na principal prisão de alta segurança brasileira, onde Seu Jorge lidera um motim que ameaça tornar-se num novo Carandiru. O capitão Matias (André Ramiro) assume a responsabilidade da operação e faz com que o tenente-coronel Nascimento (Wagner Moura) seja promovido para um cargo administrativo, longe do campo de acção do BOPE, e com que ele próprio seja despromovido para a polícia militar.

Exceptuando meia dúzia de sequências de acção, não existe em Tropa De Elite 2 a adrenalina e a acção gráfica, cheia de fogo-de-artifício do primeiro filme (a excepção é uma cena fortíssima, em que os bandidos queimam um cadáver, enquanto lhe arrancam calmamente os dentes, entre dois dedos de conversa, para que se torne irreconhecível). Este é antes um thriller político, situado nos corredores da política brasileira que se confundem, inevitavelmente, com a corrupção, ou não fosse este um cromossoma do ADN do Brasil.

Sem perder o ritmo e com um argumento inteligente e intrincado o suficiente para ser aflorado até estarmos a escarafunchar no osso, José Padilha transforma aqui Nascimento num herói moralmente mais aceitável. Se em Tropa De Elite este era visto como um fascista que via no gatilho uma forma de resolver os problemas do Brasil, em Tropa De Elite 2 - Agora O Inimigo É Outro ele é a voz do povo canarinho, com coragem suficiente para atacar os alicerces da elite brasileiro, onde as classes subalternas não têm possibilidade de alcançar. No fundo, é a forma de José Padilha mostrar aquilo que havia mostrado com acutilância no documentário Ônibus 174: no Brasil, todos são vítimas de políticas erradas, de segregação e ostracização, que duram desde sempre.

Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro é a sequela natural de Tropa De Elite, mas é um filme totalmente diferente, como se fossem filhos da mesma mãe, mas de pais diferentes. Falta-lhe a testosterona do primeiro, mas em compensação tem mais miolos. Mas como eu não gosto de pensar muito, fico-me pelo McBacon.

Relembre aqui o primeiro filme

Posted by: dermot @ 11:01 da manhã
|  




quinta-feira, março 24, 2011  

MONSTERS - ZONA INTERDITA:

Título: Monsters
Realizador: Gareth Edwards
Ano: 2010


Imagine este filme: Julien Delpy e Ethan Hawke reencontram-se pela terceira vez, desta vez em Nova Iorque, para a sequela de Antes Do Anoitecer, e, enquanto passeiam pela cidade, o monstro de Missão De Código: Cloverfield irrompe do nada e desata a destruir todo. Devia ser giro ver isto, não é? Pois bem, e se lhe disser que isso é possível? Não, não é nenhum mashup no youtube, é antes o mote de Monsters - Zona Interdita.

Monsters - Zona Interdita, filme inglês de baixo orçamento, é então um romance de monstros(!), ambientado na fronteira entre o México e os Estados Unidos. Num futuro hipotético, lulas gigantes provenientes de uma das luas de Júpiter vão parar à Terra, deixando sob o controle do exército norte-americano uma grande área da América Central. É por aí que Kaulder (Scoot McNairy), um fotógrafo em missão no México, tem que passar para levar para a casa, sã e salva, a rebelde filha do seu chefe, Sam (Whitney Able).

Monsters - Zona Interdita podia muito bem ser acusado de falsa publicidade. Apesar de se chamar Monsters - Zona Interdita, poucos ou nenhuns monstros há no filme. A explicação deve-se ao facto de este não ter nada a ver com os habituais filmes de destruição maciça de monstros, reminiscentes dos Godzillas, sendo antes uma história circunstancial, entre duas pessoas que se conhecem e que têm que ultrapassar juntos uma série de adversidades, indo apaixonando-se pelo percurso. No entanto, tal como a ameaça atómica estava para o Godzilla, também Monsters - Zona Interdita tem uma mensagem anexa. Aqui é a questão da imigração entre o México e os Estados Unidos, demasiado presente quando há duas pessoas a tentar dar o salto de um país para o outro, mas igualmente pertinente no enorme muro levantado pelos norte-americanos ao longo da fronteira para que os mexicanos, perdão, os monstros, não penetrem no seu território.

Portanto, Monsters - Zona Interdita é o novo Sinais. Só que, apesar de ser também muito bem filmado - Gareth Edwards aproveita muito bem a sua escola de documentarista para filmar o filme de forma subjectiva, mas bastante cinematográfica -, Monsters - Zona Interdita tem dois graves problemas. O primeiro tem a ver com os actores, que não conseguem despertar a mínima química entre eles, o que é um tiro no pé quando um filme apenas tem dois actores; e o segundo problema, que está directamente relacionado com o primeiro, prende-se com o argumento, que por não se passar nada, acaba por se tornar pointless. Por isso, não sei muito bem o que pensar de Monsters - Zona Interdita. Por um lado, vi-o de uma assentada, tendo passado por mim como uma brise fresquinha; mas ao acabar, ficou uma espécie de sensação de vazio. Como não me consigo dcidir entre carne e peixe, que siga um Double Cheeseburger de tofu.

Posted by: dermot @ 1:31 da tarde
|  




quarta-feira, março 23, 2011  

RIP:


1932-2011

Posted by: dermot @ 1:47 da tarde
|  




terça-feira, março 22, 2011  

UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:

Se não leu o texto anterior sobre o Rare Exports, de Jalmari Helander, vá lá lê-lo que nós esperamos.
Se não lhe apetecer, fazemos um resumo. Rare Exports, o filme deste Natal, em que o Pai Natal é um demónio que chicoteia até à morte as crianças que se portaram mal durante o ano, é uma espécie de prequela para estas duas curtas que formaram um pequeno culto na internet.
A Rare Exports Inc. é uma empresa que caça, treina e exporta para todo o Mundo Pais Natais originais da Lapónia de alta qualidade. Tanto Rare Exports Inc. como The Official Rare Exports Inc: Safety Instructions 2005 relatam a actividade desta empresa, em modo documentário-BBC Vida Selvagem, onde só falta o David Attenborough, numa subversão inteligente e acutilante ao espírito natalício que já ninguém consegue distinguir do consumismo e do capitalismo.



Posted by: dermot @ 10:19 da manhã
|  




segunda-feira, março 21, 2011  

RARE EXPORTS:

Título: Rare Exports
Realizador: Jalmari Helander
Ano: 2010


Todos os Natais são cometidos incontáveis malefícios, como o consumismo, a hipocrisia ou a demagogia, em nome do espírito natalício. E são dois os rostos dessa campanha que denigre cada vez mais o verdadeiro espírito do Natal: o Pai Natal, criado pela terrível máquina corporativista da Coca-Cola, e o Tim Allen, manipulado pela omnipotente Disney. Mas de quando em vez lá vão surgindo um ou outro filme parvo, que furam por entre nichos e mostram que o Natal não é um conceito estanque e sem esperança. Aqui há uns anos surgiu Matança De Natal, em que o Pai Natal era um demónio carniceiro condenado por Deus a cem anos de boas acções perante as crianças, prazo esse que terminava precisamente agora. E era payback time! E este ano há Rare Exports, filme finlandês sobre um Pai Natal demoníaco que chicoteia até à morte as crianças que se portaram mal durante o ano.

A diferença entre Matança De Natal e Rare Exports é que este não é só um filme parvo, é também o muito aguardado filme de estreia de Jalmari Helander, realizador que conseguiu formar um pequeno culto na internet, graças a duas curtas no youtube. Em Rare Exports Inc. e em The Official Rare Exports Inc: Safety Instructions 2005, Helander contava em modo documentário BBC Vida Selvagem, onde só faltava mesmo o David Attenborough, a história de uma empresa que caçava, treinava e exportava Pais Natais da Lapónia.

Rare Exports pode ser visto sem se conhecer as curtas, para as quais funciona como uma prequela. É aqui que se explica como é que foi criada a tal empresa de produtos únicos e de alta qualidade, depois de uns americanos terem desenterrado de uma montanha sagrada da Lapónia o encarcerado demónio do Pai Natal. Se nunca ouviu falar destas curtas, então Rare Exports vai soar a um filme de monstros sem monstro. O Pai Natal demoníaco nunca chega a aparecer e, apesar de algumas mortes, não há nada de gráfico para lá de meia dúzia de poças de sangue no chão.

Rare Exports desenrola-se com aquela precisão característica do cinema nórdico, onde as coisas se desenvolvem apenas com o ritmo necessário para o acumular de tensão e do terror psicológico. No entanto, nunca nada chega a acontecer verdadeiramente, porque o que realmente importa são os últimos cinco minutos do filme, onde a empresa é criada. Tudo o resto é um mau filme de terror.

Inconscientemente ou não, Rare Exports acaba por valer mais pela subversão e pela crítica que faz ao sistema capitalista e consumista com o qual se confunde hoje em dia o espírito de Natal. E os Estados Unidos, país da Coca-Cola, são o principal alvo, ou não fossem eles os intrusos daquela paradisíaca Lapónia, onde vão desenterrar o Pai Natal, encarcerado há centenas de anos pelos esquimós Saami. E agora têm que ser novamente os finlandeses a salvarem o Mundo...

Assim, das duas uma. Se vir as curtas primeiro, Rare Exports vai ser girote, vai ser um Cheeseburger, mas as curtas vão ser bem melhores; se não vir as curtas, Rare Exports vai ser apenas um triste Happy Meal.

Posted by: dermot @ 10:43 da manhã
|  




quarta-feira, março 16, 2011  

INTERVENÇÃO DIVINA:

Título: Yadon Ilaheyya
Realizador: Elia Suleiman
Ano: 2002


Um Pai Natal perseguido e esfaqueado por um bando de rufias num jardim em Nazaré. Um velhote que destrói, sistematicamente, um muro em frente à sua casa. Um cromo que não consegue ter uma conversa sem usar, compulsivamente, o número seis. Um tipo que, diariamente, despeja o lixo para o quintal da vizinha...

Intervenção Divina é assim: uma série de episódios bizarros sequenciados, com personagens que estão apenas de passagem, mas com que nos podemos vir a cruzar mais adiante no filme em outra situação, que têm tando de humor seco e absurdo (olá Monty Phytons), como de caos felliniano, su(i)rrealismo wtf (como a sequência a la Matrix em que atiradores coreografados numa carreira de tiro são dizimados por uma lutadora sobrenatural) ou humor físico e mudo (e crítico) à Jacques Tati (aliás, o momento mais inspirado do filme, em que pacientes de um hospital se levantam a meio da noite para fumar no corredor, enquanto caminham para a frente e para trás, respeitando um código de normas de cedências de passagem intuitivo e silencioso, deve muito às peripécias do senhor Hulot no mundo moderno).

Toda esta loucura instalada entre Jerusalém e Ramalah - o checkpoint fronteiriço é o ponto-charneira simbólico desta encenação, onde se encontra romanticamente o casal de protagonistas - serve para rimar, inevitavelmente, com a violência e a estupidez do conflito armado israelo-palestino. Mas serve também de metáfora (e muleta, diga-se) para a falta de diálogo entre Israel e a Palestina.

Supostamente, por entre isto, move-se a história de E.S. (o próprio Elia Suleiman), dividido entre a namorada que vive do outro lado da fronteira e com quem se encontra, romântica e silenciosamente, num abandonado parque de estacionamento do tal checkpoint fronteiriço, e o pai recentemente doente. Disse supostamente, porque esta história só a encontrei mesmo na sinopse escrita na parte de trás da caixa do dvd. No próprio filme, apanhei apenas farrapos do que poderá ser esta história, mas também outra qualquer. Apenas depende da interpretação.

Intervenção Divina é, assim, um filme demasiado esquemático, que vale mais pelo poder simbólico e pela forma como critica o conflito israelo-palestino (original e mordaz), do que, propriamente, como objecto cinematográfico. É assim que justifico o Cheeseburger final.

Posted by: dermot @ 5:52 da tarde
|  




segunda-feira, março 14, 2011  

HOMENS QUE MATAM CABRAS SÓ COM O OLHAR:

Título: The Men Who Stare At Goats
Realizador: Grant Heslov
Ano: 2009


Imagine um exército de soldados com poderes paranormais. Soldados com o dom de se tornarem invisíveis, com poderes psíquicos capazes de entrar na mente do atacante e obrigá-lo a render-se sem terem de mexer uma palha ou com uma capacidade de intuição apurada que lhes permitissem antecipar qualquer decisão do inimigo. Um exército desse seria invencível e seria mais importante do que qualquer arma bélica ou atómica. Por isso, tornou-se óbvio para o governo norte-americano a aposta neste campo. Super-soldados para uma super-potência. Parece tão irreal que só pode ser verdade.

Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar baseia-se livremente nas buscas de John Sergeant e Jon Ronson sobre as pesquisas do exército norte-americano na área psíquica e paranormal, explorando conceitos new age. Por isso, o filme aproxima-se, inevitavelmente, da sátira. E, mesmo que não queiramos ceder a preconceitos fáceis e esteriotipados, é impossível não ficarmos convencidos de que os norte-americanos são mesmo burros. Quem é que gasta dinheiro numa unidade de pesquisa de treino de médiums, através da meditação, de experiências transcendentais e outras tretas psíquicas, para criar uma unidade especial de militares super-treinados para missões secretas?

Mas dizia eu que, apesar de se aproximar vertiginosamente disso, Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar (será só a mim que o título desperta segundas interpretações?) não é uma sátira ao exército e à política norte-americana. Até porque, paa isso, existe Michael Moore. Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar é um filme sobre a fé e sobre a crença, sobre de como o ser humano necessita de algo em que acreditar para que se sinta completo, mesmo que seja do mais estapafúrdio. Por isso, o agente central da trama é o jornalista de Ewan McGregor, desfeito por dentro depois da namorada o trocar pelo editor e que, em desespero, decide viajar para o Iraque para cobrir a recém-despoletada guerra, na tentativa de descobrir um motivo que o faça feliz.

Numa coincidência do caraças, Ewan McGregor cruza-se no Iraque com George Clooney, o último e o maior soldado do Exército da Nova Era, a secreta unidade psíquica do exército americano. Com ele, McGregor vai conhecer um novo mundo, tão estúpido que se sente tentado em acreditar, de auto-intitulados guerreiros jedis (que se torna ainda mais surreal quando o próprio Ewan McGregor foi, ele próprio, um guerreiro jedi na triologia-prequela de Guerra Das Estrelas) capazes de fazer parar o coração de uma cabra só com o olhar(!), que treinam danças de salão no quartel(!!), içam pesos com o escroto(!!!) e que têm um olhar clínico especial, em que ao levantarem uma sobrancelha conseguem dominar a mente do inimigo(!!!!).

Apesar de ser mais profundo do que parece, Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar é uma comédia potenciada pelo grupo de actores acima da média, que se nota que se estão a divertir à brava com isto. Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar é um filme de amigos, onde o bigodinho ridículo é um atestado de patetice, com um George Clooney a repescar os seus idiotas dos filmes dos irmãos Coen (aliás, uma das principais referências neste filme), Jeff Bridges a construir uma versão 2.0 do seu Dude na pele do soldado hippie/new-age que criou o Exército da Nova Era, Kevin Spacey e ainda Robert Patrick, com uma passagem tão fugaz quanto frugal.

Claramente influenciado pelo cinema independente dos Coen, o realizador Grant Heslov, mais conhecido pelos seus papéis secundários de mau em filmes de acção para públicos pouco exigentes, constrói um filme corajoso fora dos limites do cinema formatado de Hollywood. No entanto, a sua inexperiência reflecte-se até ao final do filme, que vai perdendo força, mas que nem por isso deixa de ser um dos mais interessantes e desconcertantes filmes do mainstream americano dos últimos anos. E, se ignorarmos aquela cena final que não lembra ao menino Jesus, Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar sai daqui com um belo Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 12:03 da tarde
|  


 

O ÚLTIMO AIRBENDER:

Título: The Last Airbender
Realizador: M. Night Shyamalan
Ano: 2010


Ainda não me consegui habituar a este M. Night Shyamalan, o Shyamalan-mau-realizador. Estou tão acostumado a escrever louvores a O Sexto Sentido, Sinais ou A Vila, que acho que ainda não me apercebi realmente que o realizador destes filmes é o mesmo dos desastre de A Senhora Da Água e O Acontecimento. Mas, pelos vistos, tenho mesmo de fazer um esforço, até porque o seu mais recente O Último Airbender é mais um prego no caixão. E, mais uma vez, é o principal favorito à framboesa dourada deste ano.

O Último Airbender é a adaptação para grande ecrã e para imagem real de uns desenhos-animados com sucesso lá fora. É a história de um mundo povoado pelas tribos do Ar, da Água, da Terra e do Fogo, que vivem em guerra desde que o Avatar desapareceu. Este não tem nada a ver com os humanóides azuis de James Cameron; é antes o ser todo-poderoso que consegue controlar os quatro elementos primordiais, contactar com o mundo dos espíritos e trazer paz e equilíbrio aquele mundo. E agora ele vai voltar: chama-se Aang (Noah Ringer), é ainda um miúdo e traz consigo um cão felpudo voador parecido com o bicho do História Interminável.

Aliás, todos os protagonistas são miúdos - desde os jovens heróis (Nicola Peltz e Jackson Rathbone) que acompanham o Avatar, até ao vilão pouco convincente de Dev Patel, num claro erro de casting -, o que faz de O Último Airbender um filme de aventuras de fantasia para crianças. Não há mal nenhum nisso, porque esse é o campeonato daquele filme fantástico que se chama A Lenda Da Floresta. Infelizmente, M. Night Shyamalan opta por um filme bidimensional, sem qualquer profundidade dramática ou aquela ambiguidade negra que nos fazia eriçar os pêlos do braço, em criança, quando víamos filmes verdadeiramente bons sem nos apercebemos disso, preocupado em criar a metro mais um franchise para rivalizar com As Crónicas De Nárnia. Mas, ainda por cima, condenado a sair derrotado desta luta logo à partida. Que saudades daqueles filmes de fantasia dos anos 80, tão ingénuos quanto nostálgicos e exóticos, como o Willow Na Terra Da Magia ou mesmo O Menino De Ouro.

A trama de O Último Airbender tem a complexidade de uma história para crianças, dirigido a miúdos ou mentes pouco exigentes, com o enredo a avançar de forma episodiocal, limitando-se a empilhar acontecimento em cima de acontecimentos sem grande contextualização possível. M. Night Shyamalan volta a abordar as temáticas ecológicas, numa realidade de fantasia new-age meets oriente, mas esta criação de um Novo Mundo é completamente abafada pela incompetência do realizador. Sim, incompetência é a única coisa que se pode chamar a O Último Airbender, porque nós já vimos Shyamalan a escrever O Sexto Sentido ou Sinais e sabemos que o sabe fazer bem.

A única coisa minimamente interessante (mas apenas a nível visual) são as coreografias das batalhas entre os mestres dos elementos, potenciadas pelo CGI. Mesmo assim, o cinema de Shyamalan é obeso e espalhafatoso, com algumas das lutas a custarem a mexer-se. Parecem os últimos tempos do Miguel Veloso no Sporting, a correrem em câmara lenta e sem poderem com o cu.

Desde que quis escrever fábulas, em A Senhora Da Água, que Shyamalan tem vindo a enterrar-se à grande. Se calhar, está na altura de ver que esse não é o seu lugar. Eu, pelo menos, já me convenci que o Hitchcock não vai mesmo ressuscitar, mas o mistério e o suspense é mais o território do realizador indiano. Basta ver O Demónio, pequeno filme de série b, que escreveu o ano passado e que, sem sair de um elevador, é mil vezes mais estimulante que este O Último Airbender. A mim já não me apanham nas sequelas deste franchise, escrevam o que vos digo. Um Cheeseburger é suficiente para mim.

Posted by: dermot @ 10:21 da manhã
|  




sexta-feira, março 11, 2011  

O TURISTA:

Título: The Tourist
Realizador: Florian Henckel von Donnersmarck
Ano: 2010


Durante a sua infame apresentação da gala dos Globos de Ouro deste ano, Rick Gervais gracejou que, a única razão porque O Turista tinha recebido nomeações, era porque a imprensa estrangeira de Hollywood queria ter a possibilidade de estar junto a Angelina Joli e Johnny Depp. Eu ri-me. It's funny 'cause it's true, right?

De facto, não há muito mais que possa justificar a existência de O Turista, o remake de um filme francês de há cinco anos (!), que nem sequer teve muito sucesso(!!), que não seja o juntar de dois sex symbols em Veneza. Aliás, a própria Angelina Jolie confessou que a única razão que a levou a aceitar fazer o filme foi a possibilidade de passar uns dias em Veneza.

E, afinal de contas, que tal é a prestação do protagonista do filme, Veneza? Miserável e digna de uma framboesa dourada. O realizador, Florian Henckel von Donnersmarck, filma O Turista em Vezena, mas tanto poderia ser lá como em Freixo de Espada à Cinta, em que, exceptuando uns passeios pelos canais a cidade italiana, tudo é demasiado anónimo.

Aliás, este é o adjectivo perfeito para descrever O Turista: anónimo. Para von Doonersmarck, chapa feita é chapa ganha, nunca conseguindo criar texturas num filme sem qualquer chama, que se limita a consumir a si próprios. Mas que filme é este? É um thriller de espionagem, em que a Interpol e um mafioso russo tentam apanhar um tipo que é mais procurdo que a Carmen San Diego. O isco é a sua namorada, Angelina Jolie, mas Johnny Depp, um ordinário turista americano, vai ser confundido com o tal tipo e vai envolver-se na intriga contra a sua vontade.

O Turista podia ser duas coisas: ou um thriller de espiões à antiga, com classe e glamour; ou um thriller de espiões high tech, à Jason Bourne ou James Bond. Mas O Turista não é nenhum dos doias, porque von Donnersmarck pensa que glamour é aquilo que viu em O Sexo E A Cidade e limita-se a pôr Angelina Jolie a desfilar com vestidos de alta costura e a manecionar grandes marcas; e porque von Donnersmarck não consegue criar nenhuma amiguidade nem suspense naquelas dúvidas em relação à identidade dos personagens, caminhando a passos largos para um final previsível.

A única justificação para O Turista existir é, portanto, ver no mesmo ecrã Jolie e Depp- É mais ou menos como Mr & Mrs Smith. Só que nesse, enquanto havia química entre o casal, servindo-se da tradição screwball. aqui isso é nulo e apenas Depp dá um ar da sua graça. E de quando em vez. Ou melhor, quando consegue disfarçar o frete. Filmes como O Turista existem às centenas e, normalmente, vêm acamaradados a Cheeseburgers.

Posted by: dermot @ 11:11 da manhã
|  




quarta-feira, março 09, 2011  

ESPECIAL "SOU RELIGIOSO E SOU PARVO"

JONESTOWN: THE LIFE AND DEATH OF PEOPLES TEMPLE:


Título: Jonestown: The Life And Death Of Peoples Temple
Realizador: Stanley Nelson
Ano: 2006


Jonestown era o nome informal pelo qual era conhecido o projecto comunitário e religioso, liderado por Jim Jones na Guiana, que em 1978 se tornou mundialmente famoso pelos piores motivos: depois de assassinarem 9 pessoas ao tiro, entre eles um senador norte-americano, os seus 900 e tal seguidores tomaram cianeto, naquele que é o maior suicídio em massa da história e uma das maiores tragédias humanas dos Estados Unidos. A única coisa boa resultante daqui foi apenas e só a inspiração para o nome de uma excelente banda rock, os Brian Jonestwon Massacre.

Jonestown é um premiado documentário demasiado próximo do formato televisivo que relata a história da seita Peoples Temple desde o seu início até ao tal episódio fatídico, servindo-se de imagens de arquivo (algumas delas inéditas), gravações áudio (que incluem a mítica "death tape", o discurso de Jim Jones enquanto as pessoas se suicidavam, num dos momentos mais arrepiantes jamais registados em fita) e, sobretudo, entrevistas de sobreviventes e familiares. Só fica mesmo a faltar algo mais sobre o passado de Jim Jones, o criador e líder da seita, além dos factos biográficos e pouco mais.

Na teoria, o Peoples Temple era uma boa ideia. Nascido em plena década de 60, época do flower power, da contracultura e do sexo livre, defendia uma comunidade igualitária, assente numa base de valores cristãos e num sistema socialista não-hierárquico, onde todos seriam iguais. Se tirarmos as partes dos milagres forjados por Jones para reforçar a crença das pessoas no seu "poder" (remetendo logo para aquelas cenas dos evangélicos para enganar otários que vemos nas igrejas que agora abundam em cada esquina da nossa cidade) ou as contribuições (extorsões?) monetárias, até se pode dizer que a coisa até teve alguns resultados positivos, como a integração racial. Mas daqui até se transformar num campo de concentração foi um pequeno passo.

Mas Jonestown é um documentário limitado, que apenas compila por ordem cronológica os factos relatados, nunca se preocupando em aprofundar a questão. É que até mesmo para quem nunca ouviu falar do caso, fica a sensação de que muita coisa ficou por abordar. Pelo menos contesta, de forma neutral, até que ponto se pode considerar o que se passou em Jonestown como um suicídio em massa. Mas o que é certo é que nunca chegamos a perceber as motivações de Jim Jones para lá do seu passado algo disfuncional. Além disso, ficam outras partes por explorar, como a manipulação propagandística que a seita exercia, ou a parte sexual - no Peoples Temple defendia-se o celibato, mas Jim Jones oferecia sexo no rabo a toda a gente e ninguém achava estranho. Yeah, right...

Jonestwon serve apenas para aqueles que não conhecem o caso e se querem familiarizar com ele. Como objecto cinematográfico vale um Double Cheeseburger, mais um ponto extra pela força da sua história, que nos mostra como é assustador o nível de alienação a que algumas pessoas se sujeitam, ideal para iniciar este especial "Sou religioso e sou parvo". Mas mesmo assim, o mais perturbador do filme é aquela senhora que conheceu Jim Jones através de um anúncio no jornal. O seu macaco(!) tinha-se enforcado(!!), ela queria comprar um novo(!!!) e Jones tinha um anúncio nos classificados(!!!!) a vender macacos.



JESUS CAMP:

Título: Jesus Camp
Realizador: Heidi Ewing & Rachel Grady
Ano: 2006


Imagine um campo de férias onde pudesse inscrever os seus filhos para que eles, durante o verão, conhecessem novos amigos, praticassem actividades ao ar livre e fossem doutrinados com os princípios cristãos para se tornarem em melhores pessoas, aceitando Jesus como seu salvador e renegando a todos os pecados da carne e do espírito, quer sejam as tentações de Satã, quer sejam os desenhos-animados na televisão ou as hamburgas do MacDonalds. Imaginem um campo de treino para filhos do Ned Flanders. Assustador, não é? E se eu vos disser que esse campo existe mesmo? Sabem o que é mais perturbador que isso? Absolutamente nada :(

Jesus Camp é o documentário que nos apresenta esse campo de férias, dirigido por Becky Fischer, ministra infantil cristã evangélica. Apesar de tirar uma radiografia geral ao campo e ao cristianismo evangélico, Jesus Camp segue mais ao pormenor três crianças na casa dos 10 anos, que podiam ser miúdos iguais a tantos outros, curiosos em descobrir o que o mundo lhes tem para oferecer, se não fosse um fervor descontrolado em Jesus, em Deus, no Paraíso e nessas tretas todas que começaram com uma cobra que fala.

Jesus Camp podia debruçar-se apenas sobre o campo de férias, o cristiano evangélico e essas crianças que deixaram de ter capacidade de escolha após tantas lavagens cerebrais, que, provavelmente, isso seria suficiente. As sequências de dezenas e dezenas de crianças em transe, falando outras línguas, chorando pelo fervor a Deus e abrindo os braços ao Espírito Santo são mais perturbadoras do que qualquer filme de terror. Esqueçam O Exorcista, Holocausto Canibal ou qualquer exploitation movie mais gráfico. Isto é muito mais assustador. E real, até porque está a acontecer hoje e agora. E quando uma pessoa como Becky Fischer assume sem problemas que o que está a fazer é doutrinar as crianças americanas, porque os islâmicos também o fazem e é preciso derrota-los com as suas armas, porque detêm a verdade, então é impossível não ficarmos com os pêlos dos braços arrepiados de medo. Esconde-te Hannibal Lecter, sai da frente Freddy Krueger. Nem tu, Chuck Norris, podes parar este vilão.

Mas as realizadoras Heidi Ewing e Rachel Grady acharam que este seria um exercício preguiçoso e procuraram ir mais longe. Assim, partindo da demissão da primeira mulher a presidir ao Tribunal Supremo norte-americano, a liberal Sandra Day O'Connor, e a sua substituição pelo conservador Samuel Alito, Jesus Camp contextualiza o panorama socio-político da América circa George W. Bush, em que o Estado e a Igreja se imiscuíram em jogos de poder duvidosos, especialmente para justificarem uma guerra santa sem sentido no Médio Oriente. Já dizia José Saramago que, por e em nome de Deus, já se matou muita gente.

Além disso, as realizadoras sentiram ainda necessidade de incluir no filme um elemento de conflito mais explícito e, por isso, convocaram Mike Papantonio, um empenhado e contestatário radialista. Este, apesar de não vir acrescentar nada de novo a Jesus Camp, acaba por ocupar o papel do contraditório, fazendo deste um documentário extremamente bem estruturado e rico em conteúdo.

Mas pronto, verdade seja dita, que o que aqui é realmente assustador é ver os miúdos a serem completamente alienados, num retrato duro e cru da América interior de classe média. Sessões como a do criacionismo ou a da manifestação pró-vida deixa-nos de mãos na cabeça de tão absurdas que são. Felizmente, o campo foi descontinuado ao fim do seu primeiro ano de existência, depois dos seus responsáveis terem sido inundados de mensagens insultuosas de pessoas indignadas depois de terem visto o filme. Mais uma vez, o povo a mostrar que a união faz a força. E eu, sem conseguir esconder o meu desconforto, termino este especial "Sou religioso e sou parvo" com o melhor Le Big Mac possível.

Posted by: dermot @ 10:43 da manhã
|  




segunda-feira, março 07, 2011  

PRÍNCIPE DA PÉRSIA - AS AREIAS DO TEMPO:

Título: Prince of Persia - The Sands of Time
Realizador: Mike Newell
Ano: 2010


A primeira vez que vi o jogo Prince of Persia fiquei fascinado. Lembro-me como se fosse ontem daquela tarde na casa do meu vizinho do fundo d rua, o primeiro dos meus amigos a ter PC, em que a rotoscopia fluída do jogo obliteraram por completo a minha mente formatada aos 8 bits do meu Commodore C14. Prince of Persia foi um vício na altura. Depois ainda cheguei a hogar ao 2, mas os restantes já são da altura em que não tinha dinheiro para comprar uma placa gráfica decente para jogar jogos de jeito.

O criador de Prince of Persia, Jordan Mechner, confessou que Os Salteadores Da Arca Perdida o influenciou decisivamente. E agora, 11 anos depois, vemos a adaptação cinematográfica do jogo e não conseguimos deixar de pensar nas aventuras do arqueólogo de chapéu de abas. Vemos o artefacto místico que faz Dastan (Jake Gyllenhaal) recuar no tempo - as tais areias do destino do subtítulo - e lembramo-nos da Arca das Almas; vemos os cenários das mil e uma noites e recordamo-nos do Templo Maldito; e vemos as aventuras de Dastan e asociamo-las à quadrilogia de Steven Spileberg.

Depois do inesperado sucesso de Piratas Das Caraíbas, a Disney não tinha nada a perder e decidiu repetir a fórmula. Desta vez, nos místicos e encantados cenários da Pérsia antiga, desenhou um filme de aventuras reminiscente das matinés domingueiras de Errol Flynn, montado por um dos seus mais hábeis (e experiente) tarefeiro, Mike Newell. A isto juntou um elenco de estrelas reconhecíveis do grande público (Jake Gyllenhaal no inesperado papel de action hero, Genna Arterton e Sir Ben Kingsley), pôs o protagonista a saltar de telhado em telhado durante metade do filme como se fosse um jogo de plataformas e fez figas para que aquilo pegasse.

A verdade é que, sem ser propriamente bom, já vimos bem pior e a pagar. Mesmo sendo uma versão reciclada de Indiana Jones e outros seriais do género, como A Guerra Das Estrelas. Para isso ajuda ter actores a sério, com uma curiosa química entre o casal de protagonistas, muito screwball, lembrando Michael Douglas e Kathleen Turner nos clássicos Em Busca Da Esmeralda Perdida e A Jóia Do Nilo. Além disso, não cede à tentação fácil de fazer uma metáfora à actualidade, onde um império dominante ataca um país arábico em busca de armas que afinal não existem.

Príncipe Da Pérsia está agora aberto ao flagelo das sequelas que, certamente, primarão por se transformarem cada vez mais em pastelões sensaborões e inchados pela masturbação digital. Começa aqui pelo McChicken e quase que aposto o meu dinheiro todo que tenho investido no Bwin em como vai ser sempre a descer.

Posted by: dermot @ 11:28 da manhã
|  




sexta-feira, março 04, 2011  

SOMEWHERE - ALGURES:

Título: Somewhere
Realizador: Sofia Coppola
Ano: 2010


E lá continua Sofia Coppola na sua série de filmes sobre jovens perdidos e desencontrados consigo próprios. No entanto, mais do que uma repetição da temática, o seu novo Somewhere - Algures é uma imitação da fórmula por si própria criada e aprimorada no (sobrevalorizado) Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho.

Em Somewhere - Algures, esse jovem é Johnny Marco (Stephen Dorff), um actor de sucesso, cansado da sua vida à Charlie Sheen - viver em hotéis entre conferências de imprensa enfadonhas e estreias pomposas onde as pessoas estão mais interessadas no que as estrelas levam vestido do que no filme em si, festas à noite dia sim dia sim e sexo, muito sexo em casos de uma noite só, com strippers, estranhas e recém-conhecidas. A sua âncora com uma vida mais realizada e com algum sentido é a sua filha de 11 anos, a despreocupada Cleo (Elle Fanning, que é uma versão exacta e mais nova da sua irmã, Dakota), com quem passa alguns dias.

Diz-se por aí que Somewhere - Algures é baseado na própria vida de Sofia Coppola, cuja infância se habituou a passar de hotel em hotel, acompanhando o pai em estreias de filmes, produções cinematográficas e entregas de prémios. Contudo, se estão à espera de um filme autobiográfico então podem tirar o cavalinho da chuva. Somewhere - Algures é do mais generalista e anónimo de que a temática poderia conseguir.

Este é o filme mais europeu de Sofia Coppola (sempre Antonioni como influência predominante nesta coisa do cinema alheado), com uma filmagem reflexiva de planos imóveis que se prolongam para lá do tempo necessário e que não se preocupam em manter a acção em campo. No entanto, as referências estendem-se ainda ao cinema de Vicent Gallo (Somewhere - Algures abre como The Brown Bunny, com uma sequência interminável de um carro a dar voltas numa pista circular), sendo assim igualmente pedante e presunçoso.

Mas o principal problema de Somewhere - Algures é repisar as suas próprias pegadas, nomeadamente as deixadas por Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho. Encontramos, por exemplo, as personagens em situações absurdas de cerimónias públicas numa língua diferente, perdidas em hotéis sem nada para fazer e até numa cena de um banho desajeitado. Tudo isto afunilado para um final pointless e sem grande coisa a acrescentar ao que já tinha sido dito (ou deixado por dizer). Tão pointless quanto o cameo anónimo de Benicio Del Toro, por exemplo.

Por isso, Somewhere - Algures é um Cheeseburger que serve para se ir ver se não tivermos nenhuma parede recentemente pintada em casa para a vermos a secar ou para, simplesmente, nos limitarmos a ouvir uma boa banda-sonora indie.

Posted by: dermot @ 8:41 da manhã
|  




quinta-feira, março 03, 2011  

100 VOLTA:

Título: 100 Volta
Realizador: Daniel Souza
Ano: 2009


Aquele dia fatídico de um ano qualquer que eu já não consigo precisar qual (bendita memória selectiva) poderia ter sido decisivo para o cinema português. Falo do dia em que O Ninja Das Caldas passou na Sic Radical. Nesse dia, abriu-se um precedente: um canal de televisão dava tempo de antena a um filme de amadores, que tinham feito uma parvoíce qualquer por terem tempo livre a mais. No entanto, salvo raras excepções (como as de Fernando Fragata, Telmo Martins ou os tipos do Balas E Bolinhos), ninguém aproveitou essa nova janela de oportunidades. Toda a gente continua refém dos subsídio estatais para fazer filmes, queixando-se que não arranjam trabalho no audiovisual, enquanto cortam fiambre no Jumbo, em vez de jogarem mãos à massa e fazerem uma merda qualquer.

Por isso, 100 Volta merece algum louvor. Agora, se alguém tiver que pagar para ver isto, então meus amigos, preparem-se para cometer harakiri. Se bem que eu acho que ninguém que não sofra de algum atraso mental (ou que seja azeiteiro, se bem que é a mesma coisa) conseguirá ver o filme até ao fim sem ser em fast forward. 100 Volta é uma tentativa medíocre de fazer uma coisa a que o realizador (e actor, editor, operador de câmara e bebedor de minis), Daniel Souza, se atreveu a chamar de filme, que tenta ser o 60 Segundos português, mas que depois envolve uns russos (ou melhor, uns tipos a mexer a boca e dobrados por cima com mau sotaque e legendas em português cheias de pontapés na gramática(!)), um software que permite comprar tudo o que é ilegal no mundo de graça (oi?) e mais qualquer coisa sem o mínimo de coerência ou lineariedade de argumento.

Nem sequer me vou dar ao trabalho de falar do amadorismo dos actores e do filme, filmado com uma DV manhosa (até o meu telemóvel, comprado no chinês, tem melhor definição), iluminação deficiente, o som todo estragado e uma edição feita no movie maker do Windows a martelo. Só não percebo é como alguém banca a distribuição disto, incluindo o ICA, que o pôs em mais salas que A Corte Do Norte, por exemplo. Mas o mais fascinante é que 100 Volta foi o exto filme português mais visto no cinema, em 2009. Como disse?

Bem, 100 Volta é só uma triste desculpa para Daniel Souza, com um mau sotaque brasileiro, andar a conduzir uns carros de alta cilindrada e apalpar umas gajas que teimam em aparecer mais vezes em pelota do que vestidas, todas elas com um ar assustadoramente rasca. Aliás, todo o filme tenta passar um ar de sofisticação e classe, mas as ruas de Ovar não são propriamente o cenário ideal para isso. Vê-se que o realizador já deve ter visto todos os filmes parolos de carros que saiem como brinde nos jornais e tenta repetir uns planos que já viu e tal. Mas, de certeza, que só deve ver essas partes e que passa à frente as partes da história, porque tudo o resto é um desastre. Não há continuidade na edição das cenas, os enquadramentos são todos ao lado e... enfim, não vale a pena continuar.

Como se isto não bastasse, ainda entra lá para o meio aqueles bastiões do mau gosto que são o Quim Roscas e o Zeca Estacionâncio. Felizmente, nessa altura já temos a televisão no mute há muito tempo, porque é impossível ouvir os palavrões e o sotaque nortenho. Aliás, há para aí junto dos azeiteiros uma noção de humor que me transcende e que se prende com o facto de, tudo o que tenha piada para este tipo de gente, tem que ser falado à moda do Porto, muito alto e com o máximo de palavrões possível. Alguém me quer elucidar porquê?

Isto até podia ser daquele género do tão mau que se torna bom, como quando eles vão de Portugal a França num ultraleve, mas 100 Volta leva-se tanto a sério que só o podemos arrasar. E dizer que é um Pão com Manteiga é já um elogio. Mas pronto, o que se havia de pensar de alguém que diz que o Second Life foi um grane filme português?

Posted by: dermot @ 11:56 da manhã
|  




terça-feira, março 01, 2011  

HARRY BROWN:

Título: Harry Brown
Realizador: Daniel Barber
Ano: 2009


Esta juventude está perdida, estamos nós fartos de ouvir os nossos avós a dizer. Sabemos que isso é cíclico, que já os romanos se queixavam dos seus jovens sem valores e ambições, num claro sinal dquilo a que se chama conflito de gerações, mas se isto continuar assim, qualquer dia damos por nos a acreditar mesmo nos nossos avós. E não é por ser a geração Y ou X, é porque cada vez vemos mais notícias sobre o aumento da criminalidade juvenil, do abandono escolar e de outras coisas menos dignas.

É este tipo de jovens arruaceiros, que normalmente associamos aos bairros sociais, mas que na verdade os há em praticamente todo o lado, com que um mui respeitável Michael Caine se cruza todos os dias. Estão por todo o lado e Michael Caine, coincidência ou não, apanha-os empre a traficarem armas e droga, a prostituirem o rabinho, a assaltar idosos indefesos ou a agredirem transeuntes de forma gratuita. Esta juventude está perdida, dizemos nós.

Michael Caine vai aguentando serenamente essa escalada de violência, até porque esta não lhe diz directamente respeito. Mas quando fica viúvo e o seu último amigo é assassinado, Caine deixa de ter ninguém a quem prestar contas e, especialmente, ninguém com quem jogar xadrez. Por isso, decide pôr em prática o que aprendera nos fuzileiros nos seus idos tempos de juventude e limpar a cidade daquela escumalha, armando-se em vigilante.

Harry Brown é um rip-off descarado de A Estranha Em Mim que, por sua vez, era um rip-off igualmente descarado de O Justiceiro Da Noite, mas com um velho em vez de uma mulher (ou de um badass, como Charles Bronson). Além disso, lembra ainda Gran Torino, apesar das motivações de Clint Eastwood serem ligeiramente diferentes. Mas o cinema do estreante Daniel Barber rima mais com o deste último. Harry Brown é um filme formal, de planos fixos e demorados, privilegiando a contemplação e prestando atenção aos pormenores. A excepção é a dispensável cena de abertura, que acompanha os delinquentes num registo choque, próprio da televisão de hoje.

Harry Brown só não é melhor porque, ao aproximar-se do fim, Daniel Barber não consegue csar a história principal, a do vigilante Caine, com a da polícia à beira da reforma que o tenta capturar (Emily Mortimer), descambando em tiros e exagero a mais, longe do filme contido e certinho que tinha sido até então. No entanto, um respeitável Sir com Michael Caine a fazer justiça com as próprias mãos pelas ruas vale qualquer McRoyal Deluxe em qualquer parte do Mundo.

Posted by: dermot @ 10:08 da manhã
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014