Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



segunda-feira, novembro 30, 2009  

O COMBOIO MISTÉRIO:

Título: Mystery Train
Realizador: Jim Jarmusch
Ano: 1989


Jim Jarmusch é, claramente, um tipo do rock. É um tipo do rock pela forma como se exprime artisticamente, mantendo-se fiel aos seus pontos de vista sem se comprometer perante terceiros, e é um tipo do rock pela forma como o seu cinema está relacionado com a música. E nem sequer falo do seu quase-documentário do Neil Young (olá Year Of The Horse) ou do exercício de estilo cheio de gente do rock famosa (olá Café E Cigarros), falo antes da forma como vasculha a música de Mulatu Astatke, em Flores Partidas, ou colabora com RZA, em Ghost Dog - O Método Do Samurai. Resumidamente, aqui explicam muito melhor o que quero dizer (apesar de sucinto e de todo o esplendor do brasileirês).

O Comboio Mistério é o memorial de Jarmusch ao rock'n'roll e o melhor filme do Elvis Presley sem ser sobre Elvis Presley. Ele está lá, como âncora e como elo condutor (seja o seu fantasma, as suas músicas ou, simplesmente, o seu espírito omnipresente em Memphis) de um filme dividido em três histórias, todas passadas no mesmo período de tempo e na mesma cidade, que apesar de nunca se cruzarem, têm um ponto em comum: uma espelunca de hotel, propriedade de (vénia, vénia, vénia) Screamin' Jay Hawkins. Temos então um casal de rockabillies japoneses em interail pelos pontos famosos da história do rock'n'roll, uma italiana a fazer uma escala forçada na cidade e Joe Strummer (vénia) e Steve Buscemi com uma piela, um desgosto amoroso e uma arma carregada.

O hotel como ponto comum do filme-mosaico remete, automaticamente, para Quatro Quartos, mas as semelhanças com esse filme são muito mais profundas, principalmente na forma de contar as histórias. Apesar de uma tendência para o drama realista (Jarmusch é o realizador americano mais europeu de sempre), O Comboio Mistério brinca com os estilos cinematográficos, pondo japoneses com profundidade amorosa e inclinação romântica, enquanto são os italianos que vêem fantasmas. Esta espécie de mistura de estilos pouco convencional transforma-se levemente numa comédia, mas onde rimos daquilo que é a estupidez humana.

Depois há a outra personagem, que no fundo é a protagonista de O Comboio Mistério: falo da própria cidade de Memphis. Jarmusch mergulha o filme numa cidade-fantasma, que mais não é que uma sombra daquilo que foi nos anos 50, vivendo dos ecos do passado e sobrevivendo das memórias carcomidas pelo tempo. O Comboio Mistério está para Memphis assim como Uma Canção De Amor está para Nova Orleães. E depois, Jarmusch consegue assimilar toda o espírito da cidade.

Há quem defenda que para conhecer realmente uma cidade temos que viver lá durante uns tempos e não só visita-la. E é isso que Jarmusch faz em Memphis. Em O Comboio Mistéiro, Jarmusch não filma a cidade, deixa-a antes ser filmada. Não são os planos que enquadram as personagens, são estas que caminhas pela câmara, em simples planos fixos ou lentos travellings reveladores, não há cá espaço para os grandes planos. E fica feito o requiem a Memphis.

Além disso, há ainda a banda-sonora, o cameo de Rufus Thomas (vénia), a voz-off de Tom Waits (vénias), as referências a Carl Perkins e as últimas filmagens do edifício da Stax antes de ser demolido. É impossível ver O Comboio Mistério e não ficar com uma estranha vontade romântica de visitar Memphis. Como uma coisa tão simples, pode significar um McRoyal Deluxe tão grande.

Posted by: dermot @ 4:41 da tarde
|  




sábado, novembro 28, 2009  

INFILTRADO:

Título: Inside Man
Realizador: Spike Lee
Ano: 2006


Só há um único realizador no mundo que eu consigo dizer que não gosto. Não, não é o Manoel de Oliveira, é o Spike Lee. É certo que apenas vi um par de filmes dele, mas o meu corpo reage tão fortemente às más vibrações que os seus dvds libertam que eu mal os consigo arrumar na prateleira. Dos poucos que vi não lhes identifico nada demais além de um irritante hábito de tudo rimar com segregação racial e com a posição discriminatória dos afro-americanos nas terras do Tio Sam. Spike Lee é tão aborrecido quanto um judeu que só faça filmes sobre o Holocausto.

Em Infiltrado as coisas não são diferentes. Apesar de ser um filme sobre um assalto ao banco, o leitmotiv escondido é - surpresa - a discriminação racial. Tudo porque Christopher Plummer, desta vez, fez negócios com os nazis há 60 anos atrás, recusando tudo o que aprendemos com o seu capitão Von Trapp, em Música No Coração. Mas não é só isso: há um polícia preto (Denzel Washington) suspeito de ter palmado o dinheiro que falta de uma rusga; há um refém arábe que é confundido com um terrorista; há um polícia branco chateado com os marginais porque um preto e um latino lhe deram um tiro... Enfim, no mundo de Spike Lee, tudo serve para falar de racismo e de ser bonzinho para com o próximo. E, em Infiltrado, chega ao cúmulo de mandar fazer um jogo de computador de propósito para alertar para os efeitos nefastos sobre os miúdos dos videojogos e do gangsta-rap, numa cena que parece um institucional encomendado pelo Estado.

Por entre esta capa de moralismo paternal, esconde-se então um grande heist movie. Clive Owen é Dalton Russell, uum tipo bastante cool, que planeia o assalto perfeito a um banco: quatro assaltantes vestidos com máscaras e fatos-macaco, vestem os reféns da mesma forma e misturam-se com eles à saída. Para tentar pôr cobro a esta falcatrua está o tal polícia-negociador interpretado por Denzel Washington e a participação secundária do sargento Willem Dafoe. E, como não poderia deixar de ser, há um sub-enredo que nos mostra que afinal aquele assalto a um banco não é bem um assalto a um banco. Lembram-se de Die Hard - A Vingança? O princípio é o mesmo, mas com a Jodie Foster ao barulho.

Como realizador de acção, Spike Lee é um mimo, utilizando as ferramentas certas: um protagonista que tem o seu qb de anti-herói (Denzel Washington é todo super smooth, mas por baixo da capa esconde um bad-muthafucka), cujo pouco ortodoxismo pela aceitação das forças da lei fazem lembrar Serpico; um plano quase perfeito e que, sem tentar a surpresa do twist final, consegue fazer uma gracinha; e uma estilização de todo o filme que o aproximam dos thrillers urbanos de Michael Mann, por exemplo.

O problema é que tem toda aquela necessidade de ser moralmente correcto. E isso leva-o a sofrer do mesmo síndrome que sofre Resgate: um filme bom, mas que não resiste ao final feliz, arrastando-se por mais meia-hora de sofrimento desnecessário, que só servem para o estragar. É que Infiltrado vive de toda a sua ideia do assalto e o facto de ele correr bem é o que dá piada ao filme; e a tentação de Spike Lee em contar os pormenores e pôr tudo a pratos limpos estendem-no para lá do razoável. Mas uma coisa é certa: fossem todos os filmes de Spike Lee como este McBacon e eu até considerava repensar a minha opinião sobre ele.

Posted by: dermot @ 3:58 da tarde
|  




quinta-feira, novembro 26, 2009  

O DELATOR!

Título: The Informant!
Realizador: Steven Soderbergh
Ano: 2009


Steven Soderbergh devia ser mais falado, mais ovacionado, mais estudado, mais tudo. Um realizador que consegue fazer tanta coisa, sempre de forma tão vivida e experimentando técnicas novas merece tudo de bom. Infelizmente, falta-lhe um grande filme na sua filmografia. Nestas coisas da genialidade não basta ser sempre muito bom, há quer ser, pelo menos uma vez, mesmo muito bom. É uma introdução esquisita, eu sei, mas às vezes parece que nos esquecemos de um realizador que nos consegue dar com igual interesse e atenção um remake de um heist movie do frat pack, uma interpretação de um filme do Tarkovsky ou uma incursão experimental pelo HD.

O Delator! é uma história baseada em factos verídicos sobre um (aparente) pacato norte-americano dos subúrbios (um Matt Damon transfigurado, de bigode e gordalhucho) que trabalha numa grande empresa de milho. Tudo parece muito inofensivo, mas o que pouca gente sabe é que o milho faz girar muita coisa no mundo. E, por isso, está propenso à corrupção, à intriga e aos grandes esquemas internacionais.

Mergulhamos então no thriller corporativista internacional (e cosmopolita). Nada que nunca tivessemos visto em filmes como A Firma ou Sol Nascente, não é? Não, não é! Porque Soderbergh filma-o como se fosse um melodrama retirado das entranhas dos Estados Unidos. A história até se pode passar nos anos 90, mas tudo é colorido e saturado, como os seriados dos anos 50. E cada personagem tem a sua própria theme song, alegre e feliz. É como se Douglas Sirk adaptasse um romance do Michael Crichton.

Mas o grande dínamo de O Delator! é o próprio Matt Damon, especialmente porque é uma personagem única. Sem querer desvendar muito, podemos referir que é um aldrabão compulsivo. Mas não como o expansivo Leonardo DiCaprio, de Apanha-me Se Puderes, é mais uma mistura do Edward Norton, de A Raíz Do Medo, e o Jim Carrey, de O Mentiroso Compulsivo. E como o exterior não corresponde ao interior, a ideia que lhe tiramos ao início é completamente distinta da que o decorrer da história vai revelando.

Mas O Delator! não é apenas um filme de um actor. Por exemplo, a forma como Steven Soderbergh desenrola o fio da meada vai funcionando como pequenos twists, que nos deixam sempre uma surpresa ao virar da esquina. Além disso, o filme permite-nos mergulhar na cabeça do próprio Damon, que faz de narrador para alguns pensamentos pontuais, entre a trivialidade e a espiritualidade de um Woody Allen e um Quentin Tarantino. No entanto, à medida que nos vamos dando conta da complexidade da intriga, apercebemo-nos que aqueles pensamentos à Confúcio não são inocentes e todos eles dão uma importante e simbólica pista para o que vamos ver a seguir.

O Delator! podia ser o novo O Informador, mas Soderbergh inunda este thriller urbano de humor e pequenos tiques do cinema cool de espionagem dos anos 60 (onde nem sequer falta o cartaz à Saul Bass), aproveitando-se à grande do tour de force de Matt Damon. No final, passam-se quase três horas da mais aborrecida intriga internacional, com japoneses, europeus e americanos a combinarem o preço do trigo, mas nós nem damos por isso. Ficamos com a barriga cheia e o McRoyal Deluxe arruina-nos a dieta. Se o caso Freeport fosse contado assim nos Telejornais aposto que ainda ninguém estava farto de ouvir falar do Sócrates, do Charles Smith, do segredo de justiça ou das escutas.

Posted by: dermot @ 10:57 da manhã
|  




quarta-feira, novembro 25, 2009  

Publicado originalmente na Take

Título: This Is It
Realizador: Kenny Ortega
Ano: 2009


Quando o Michael Jackson morreu aqui há uns meses, de forma (mais ou menos) inesperada, criou-se uma onda mediática só comparada, nas últimas décadas, com a da princesa Diana. Claro que toda a gente começou logo a rentabilizar o facto, seja o pai Jackson a explorar os netos, sejam os chineses a venderem merchandising falso nas suas lojas. O que interessa é encher o bolsos. E, por isso, quase que consigo ver os responsáveis da Sony a escravizarem uma equipa de técnicos no estúdio deles e a só os deixarem sair depois de montarem em tempo recorde o documentário This Is It, para aproveitarem o balanço antes que se esgote.

This Is It reconstitui os ensaios da derradeira digressão que Jackson andava a planear - seriam 50 concertos em Londres, já todos eles esgotados há bastante tempo e que marcariam o regresso do rei da pop aos palcos uma década depois. E seria a sua derradeira apresentação ao vivo. Tudo isto é descrito numa mensagem inicial, que passa em scroll up e em que só falta começar por a long time ago in a galaxy far, far away.

A mim não me espanta que as pessoas tenham ocorrido em massa para ver This Is It. Desde que toda a gente foi ver A Paixão De Cristo e o Titanic mesmo sabendo que ele ia ser pregado a dois pedaços de pau e que o barco ia afundar, que eu já não me admiro de as pessoas não se importem de irem ver filmes em que sabem como acaba. Por isso, caso tenha vivido num buraco nos últimos tempos aqui vai um spoiler: Michael Jackson morre no fim. E até lá, o que acontece? Não muito, apenas (muita) cantoria e dançaria.

Se estava à espera de ver um documentário sobre o que seria a última digressão de Michael Jackson, uma espécie de por trás dos bastidores, então pode tirar o cavalinho da chuva. This Is It limita-se a ser uma espécie de filme-concerto do check sound, com uma sequência intervalada de todos os grandes êxitos do rei da pop: dos clássicos dos Jackson 5 (I Want You Back e Stop! The Love You Save) aos clássicos a solo (Bily Jean ou Thriller), passando pelo injustamente subvalorizado The Way You Make Me Feel ou pelo (super)irritante Earth Song.

Com This Is It ficamos com uma ideia do que teria sido aquela digressão, é certo. E podia ter sigo algo gigantesco: há pirotecnia e elevadores, arraiais de dançarinos e dançarinas, solos à guitar-hero, filmes épicos nos ecrãs gigantes e coreografias megalómanas. Mas... e o resto? Há umas espécies de entrevistas aos restantes intervenientes, mas que parecem as introduções dos Ídolos, em que eles apresentam-se e dizem frases de conveniência e há umas entrevistas de início aos dançarinos que têm fake escrito por todo o lado. E quanto aos bastidores e aos ensaios? Meia dúzia de relampejos, que pouco ou nada dizem. A excepção é com The Way You Make Me Feel, que é claramente a melhor parte do filme, em que vemos Jackson a discutir a música com a banda, a dar dicas e ouvir sugestões.

Com This Is It sentamo-nos e limitamo-nos a ver hora e meia de muita música (e muita dela boa, é um facto), de um entertainer de excepção. De cinema tem muito pouco, mas como objecto para os admiradores deve valer bastante. È por isso que só vai estar nos cinemas durante quinze dias. Porque senão abria-se um precedente e tudo o que é dvd musical tinha que começar a passar nas salas de cinema. Evidentemente, This Is It não é um filme convencional, logo não recebe uma cotação convencional: se for um fã acérrimo de Jackson, um big thumbs up; caso seja um apreciador ferrenho de cinema, então um thumbs down.

PS - não sei se aconteceu a vocês, mas na sala de cinema onde fui aconteceu-me algo nunca visto. Quando acabou o filme, as senhoras da bilhetera puseram-se à frente da porta e não deixaram a malta sair até que víssemos a cena escondida final. E por pouco que não furei os olhos com um pau! Por isso, deixo o alerta: se vos obrigarem a ficar até ao fim, não fiquem e corram como o vento. Se isso não for mesmo possível, então tapem os olhos e fiquem quietinhos no lugar. Caso contrário, terão que ver um clip que parece uma publicidade ridícula a Bollywood com mau CGI.

Posted by: dermot @ 9:50 da manhã
|  




terça-feira, novembro 24, 2009  

WATCHMEN - OS GUARDIÕES:

Título: Watchmen
Realizador: Zack Snyder
Ano: 2009


Alan Moore já foi várias vezes mencionados aqui neste tasco cinéfilo, a quem eu costumo chamar de Maradona da banda-desenhada. Apesar de ser um tipo estranho como o raio que o parta, Moore revolucionou o mundo da BD, tornando-o mais adulto e transformando os super-heróis sem ser humanos, com profundidade metafísica. As suas graphic novels (designação que forçosamente surgiu para apelidar esses verdadeiros romances aos quadradinhos) têm sido adaptadas ao cinema que nem castanhas quentes no Outuno, mas o seu ex-libris, Watchmen, esteve anos e anos num impasse, passando de mão em mão e trocando de argumento vezes sem conta. Até que Terry Gilliam, habituado a demandas intermináveis destas, rematou: o livro era impossível de adaptar em filme, apenas em mini-série televisiva, tal era a sua complexidade.

Até que surgiu em cena o jovem Zack Snyder, que, depois de ter adaptado com (grande) sucesso a graphic novel de Frank Miller, 300, acolheu o deafio de filmar Watchmen - Os Guardiões. Snyder é um geek como J.J. Abrams, que sabe conciliar o entretenimento e a máquina de pipocas de Hollywood com os universos muito específicos da banda-desenhada, dos videojogos e da ficção-científica. Basicamente, consegue agradar ao grande público e às minorias mais exigentes. E, para fazer Watchmen - Os Guardiões, seguiu o mesmo truque de 300 - aproveitar os storyboards e manter-se o mais fiél possível ao livro.

Devia ser tão fácil adaptar banda-desenhada ao cinema. Tudo está já condensado em quadradinhos - o ritmo, as personagens, os diálogos... Devia ser só fazer uma espécie de exercício de bricolage. E Snyder prova que isso é fácil. Basta ver a cena de abertura de Watchmen - Os Guardiões, que abre a cem à hora, com um duelo mano a mano entre dois super-heróis, o Comediante (genial Jeffrey Dean Morgan, a fazer lembrar Robert Downey Jr.) e um mascarado incógnito, tirado a papel químico do livro, com umas câmaras-lentas muito cool e o Nat King Cole a cantar o Unforgettable por cima. De facto, cena inesquecível. E o espectador fica ganho para o resto do filme, que é longo.

De facto, apesar de ser um filme de super-heróis, Watchmen - Os Guardiões não é um filme fácil. Há porrada de meia-noite, tipos que voam, gajos alterados radiactivamente e miúdas giras em fatos apertados de licra, mas há uma forte componente existencial. No fundo, parece um noir: um narrador atormentado, Rorschach (Jackie Earle Haley), que vai unindo as pontas, várias personagens moralmente dúbias (apesar de serem super-heróis) e um mundo em ocaso como pano de fundo, simbolizando uma época de transição, reflexo daquelas personagens e reflexo do que Watchmen fez pelo mundo da BD.

Tal como V De Vingança, Watchmen - Os Guardiões passa-se numa realidade do "e se?". E se não tivesse havido caso Watergate e Nixon continuasse à frente dos destinos dos Estados Unidos? E se União Soviética continuasse unida? E se, e se? Estamos então nos anos 80, a Guerra Fria está no auge, a terceira guerra mundial está à porta e a ameaça atómica é bem real. O mundo está em colapso, assim como um grupo de antigos vigilantes, uma segunda geração de super-heróis que defenderam a pátria no Vietname, mas que agora foram proibidos por Nixon. São então homens num limbo existencial, enquanto vêem as suas vidas desfragmentarem-se, ao mesmo tempo que o mundo se desfragmenta ao seu redor.

É uma época de mudança. E não é por acaso que o genérico (genial, demasiado genial para não o dizer) se faz ao som de The Times They Are A-Changin', de Bob Dylan, numa montagem que faz o resumo de duas décadas daquela realidade alternativa: desde os anos 50 e o surgir dos primeiros super-heróis (com toda a imagética das pulps daquela altura) até ao apogeu e queda da nova geração de super-heróis, em plena década de 80. E há heróis para todos os gostos: dos que voam, dos que dizem piadas, dos que são quase imortais, dos que têm engenhocas que nunca mais acabam. Mas todos eles têm um dilema moral e é preciso uma catarse final para que eles descansem, o mundo se liberte e o filme termine.

Watchmen - Os Guardiões é assim esse ritual de transição, numa realidade alternativa mas que podia ser real e ecoa a actualidade por todos os lados. É sobre tipos que voam e têm força sobre-humana, mas são mais parecidos connosco do que os filmes do Pedro Costa. E apanha-nos desprevenidos, por entre uma paleta de condimentos que não estavamos à espera, misturando o suspense, a acção e a intriga misteriosa de um filme de acção com o drama, a introspecção colectiva e a racionalidade do chamado cinema sério.

Alan Moore tem renegado todos os filmes que têm sido feitos a partir de obras suas (na maior parte dos casos com razão), mas aposto que se visse Watchmen - Os Guardiões ia achar que, sim senhor, finalmente alguém quase lhe tinha feito justiça. E agora, caso ainda não tenha lido o livro, espero que este texto e o Royale With Cheese final o façam ir comprar.

Posted by: dermot @ 5:25 da tarde
|  




segunda-feira, novembro 23, 2009  

TAKE - CINEMA MAGAZINE:

Número 19, Outubro de 2009


Página Oficial

Posted by: dermot @ 10:31 da manhã
|  




quinta-feira, novembro 19, 2009  

2012:

Título: 2012
Realizador: Roland Emmerich
Ano: 2009


Há dias passei os olhos pela lista de filmes estreados em Portugal durante este ano e fiquei chocado com a quantidade ínfima dos que vi, comparativamente com os anos anteriores. É a maldita vida profissional... quem me mandou crescer? Por isso, fico espantado comigo mesmo quando, tendo em conta essa falta de tempo, consigo arranjar um tempinho para ir ao cinema e escolho ir ver bobagens como o 2012.

Quanto a vocês não sei, mas eu pensava que os filmes-catástrofe já estavam mortos e enterrados. Roland Emmerich criou-os em Dia Da Independência, matou-os em Godzilla e enterrou-os em O Dia Depois De Amanhã. É o verdadeiro homem da festa, que lança os foguetes e apanha as canas. Por isso, se há alguém que tinha legitimidade para ressuscitar o género era ele.

O pretexto desta vez foi o calendário maia, que alguns defendem profetizar o fim do mundo em 2012, depois de um alinhamento cósmico qualquer. No entanto, vê-se que já nem Emmerich tem paciência para isto. Em 2012 não há espaço para as mensagens paternalistas a alertar para o aquecimento global ou as tretas patrióticas pró-americanas (se bem que, hoje em dia, é inevitável pelo menos uma evocação ao 11 de Setembro – aqui com os americanos, liderados pelo seu presidente, a ficarem cobertos de uma nuvem de cinza, qual poeira do World Trade Center). Em 2012 há a destruição do mundo. Ponto. Grande e gigantesca, com muita masturbação digital, que é para isso que as pessoas vão agora aos cinemas.

Emmerich recicla a fórmula que já tinha usado nos filmes anteriores: uma família fragmentada entre pai, mãe, os filhos e o marido novo da mãe; um cientista bom coração que descobre antecipadamente que o mundo vai acabar; o seu superior, mas com mau feitio; o presidente dos Estados Unidos; e uns representantes das minorias étnicas. Todos relacionados entre si pelas razões menos plausíveis possíveis, a fugirem da catástrofe final até ao fim apaziguador, prontos para um recomeçar de novo. Exacto, é como uma sequela do Dia Da Independência. Só que desta vez o protagonista é branco e o cientista preto.

E, adivinhem: o presidente dos Estados Unidos também é preto. Que surpresa, um presidente americano preto, onde é que já vi isto? A novidade é não ser o Morgan Freeman. Mas Freeman já foi promovido a Deus. Por isso, convocou-se Danny Glover, que quanto mais velho mais sem chama fica. Quanto ao protagonista, John Cusack, tem um problema: é um daqueles actores que toda a gente conhece, já vimos centenas de filmes com ele, mas quando tentamos pensar qual o seu melhor trabalho não conseguimos, porque não tem nada digno de realce. E não, o Alta Fidelidade só se destaca num público muito específico de geeks e nerds da música e da cultura popular.

Não sou daqueles pseudo-intelectuais que vai ver um filme destes e depois vem de lá indignado porque nem sequer houve uma abordagem metafísica dos receios do protagonista perante a morte, tendo em conta os recalcamentos da sua infância oprimida pela mãe autoritária. Quando vou ver um filme do Emmerich sei o que me espera. Também não estou a criticar aquelas gaffes geográficas ou o facto de haver sempre rede de telemóvel em pleno holocausto, porque sei que tudo vale neste tipo de entretenimento brainless.

Além disso, há que confessar que a primeira meia-hora é extremamente agradável: as personagens desenvolem-se escorreitamente, o mundo começa a desaparecer e os actores a fugir, por entre destruição maciça e efeitos especiais megalómanos. No entanto, o que é demais cansa. E cansa tanta fugida, de limusina, caravana, avião, avioneta, antonov, a pé, a correr... E cansa tanto prédio a cair, tanta continente a afundar, tanto maremoto, tanto tremor de terra... E cansa que, de dez em dez minutos, as personages párem para chorar enquanto outra personagem secundária escapa por um triz à morte. E tudo isto, que eu contava em quinze minutos, demora quase três horas a acontecer. E no fim morrem as personagens moralmente más e os bons sobrevivem todos (e fazem as pazes ou acasalam).

Há ainda aquela divertida questão em que, num filme em que a raça humana é praticamente aniquilada, uma das cenas mais dramáticas é quando um cão - nem chega a ser um cão, é um chiuahua - tem que atravessar um cabo de aço para chegar até à dona. Também é divertido as caricaturas do Schwarzenneger ou da raínha de Inglaterra, assim como as referências forçadas a tragédias que facilmente identificamos, como a morte da princesa Diana. Tudo fait-divers num filme inóquo de tanta fantochada e abuso de clichets. Lá vão três horas da minha vida e cinco euros que nunca vou recuperar e que davam para comprar um Double Cheeseburger e ter jantar condigno.

Posted by: dermot @ 3:53 da tarde
|  




quarta-feira, novembro 18, 2009  

CHÉRI:

Título: Chéri
Realizador: Stephen Frears
Ano: 2009


Desde que iniciei este imodesto tasco cinéfilo que sempre quis fazer uma lista com as melhores prostitutas do cinema, algo que, em cinco anos, nunca tive pachorra para fazer, tantos os filmes por onde escolher. Por isso, enquanto continuo por concretizar este objectivo, vou escrever sobre a mais recente prostituta cinematográfica de realce. Falo de Michelle Pfeiffer e do seu novo filme, Chéri.

São muitas as actrizes conceituadas que já fizeram de pegas no cinema, de Marlene Dietrich a Elizabeth Taylor. Se estivesse aqui o Freud, dizia já que esse é o inconsciente da mulher ao trazer ao de cima o seu desejo secreto e recalcado de serem pegas pelo menos uma vez na vida. Pode-se concordar ou não com isso, mas o que não se consegue é ficar indiferente perante o regresso (a sério) de Michelle Pfeiffer (que continua em grande forma física, realce-se) so grande ecrã. Mesmo que ainda um pouco distante do melhor que já a vimos fazer.

Michelle Pfeiffer é assim Lea de Lonval, uma das belas prostitutas da alta-roda francesa da belle époque, uma cortesã especialista em desposar homens ricos durante o tempo suficiente para lhes sugar o máximo de dinheiro possível e depois saltar para outro amante. O jogo só tem uma regra: não se apaixonar nunca – deixar os sentimentos de fora é fundamental.

Pfeiffer vai então “tomar conta” do filho rico e bem parecido de outra colega de profissão: Chéri (Rupert Friend). Ambos são solitários, cada um à sua maneira e, em conjunto, vão-se complementar como as duas faces da mesma moeda. No entanto, como não estão habituados a ter aquela coisa que as pessoas normais chamam de sentimentos, os dois vão enveredar numa espécie de jogo cruel e trágico de ciúmes, que faz a guerra dos sexos de A Guerra Das Rosas parecer uma brincadeirinha de adolescentes com as hormonas aos saltos.

Stephen Frears gosta destes filmes de época e, desta vez, joga-se à cosmopolita e barroca França do século XIX com o mesmo protocolo de outros seus filmes anteriores (A Rainha, por exemplo). No entanto, a banda-sonora e o seu tom pouco sério no papel de narrador dá-lhe uma aura descomprometida. Enquanto Sofia Coppola fez de Maria Antonieta uma tragédia punk, Stephen Frears faz de Chéri uma tragédia algures entre Eduardo Mãos-de-tesoura e o kitsch de 8 Mulheres.

Para além da batalha psicológica entre os protagonistas, em Chéri interessa também muito a abordagem pouco convencional de um universo que estamos habituados a ver de outro prisma no cinema. Nos filmes sobre prostituição, o costume são as pegas conseguirem ultrapassar essa condição e estabelecerem-se na vida como princesas (uma variação da história da Gata Borralheira, vide Pretty Woman - Um Sonho De Mulher), em vez de pegas convictas e com um papel social bem vincado. Infelizmente, Frears não resiste a alguns tiques de romance televisivo. E nem falo da presença do narrador (a eterna discussão se o narrador é ou não desnecessário), mas antes de um flashback aqui ou um gesto de cabeça mais revelador a rematar uma cena acolá.

Menção fugaz ainda à aparição da saudosa Anita Pallenberg, a modelo e actriz wannabe que se tornou conhecida nos loucos anos 60 por ter andado com três Rolling Stones (You Got The Silver, Wild Horses e, alegadamente, Angie foram temas escritos sobre si). Menção já não tanto fugaz é ao menu McBacon, refeição que serve para qualificar esta crítica opinativa em relação a Chéri.

Posted by: dermot @ 9:50 da manhã
|  




sábado, novembro 14, 2009  

VESTIDA PARA MATAR:

Título: Dressed To Kill
Realizador: Brian De Palma
Ano: 1980


Uma das especialidades de Brian De Palma, realizador mui respeitado aqui no tasco, é o filme de gangsters. No entanto, se há coisa que o norte-americano sempre gostou foi de nunca ficar confinado a um estilo. Por isso, não é de espantar que, na década de 80, tenha experimentado o thriller-erótico por duas vezes (primeiro este Vestida Para Matar e depois Testemunha De Um Crime). Até porque é um estilo que lhe permite usar as duas ferramentas onde é exímio: o (neo)noir e o suspense.

A abertura de Vestida Para Matar é um mimo. Após passar o genérico, um travelling em câmara-lenta (para além de mestre do suspense, De Palma é também o rei dos travellings) leva-nos de um quarto para uma casa de banho, com uma luz recortada e uma espécie de névoa na lente, a evocar de alguma forma o patine da época dourada de Hollywood. Nela está um homem a barbear-se e a escultural Angie Dickinson (em grande forma física, diga-se) em pleno banho. O travelling continua e entra no poliban com Angie, que enquanto observa o marido, vai-se acariciando até acabar em alta masturbação, à medida que a banda-sonora de Pino Donaggio ganha volume, com uns gemidos dissimulados entre os violinos.

A cena é fantástica e dá-nos logo a perceber ao que vamos: Angie Dickinson está carente e a atitude passiva do seu marido enquanto fazem amor não ajuda. Por isso, como o psicólogo (Michael Caine) não a ajuda, Angie está desesperada por contacto humano. Por isso, mal um tipo num museu lhe dá um olhar mais insinuador, a sua líbido dispara a mil (em mais uma cena brutalmente bem filmada, em sete minutos de ausência de diálogo, apenas com olhares, movimentos de câmara e, lá está, travellings), acabando por ser comida à bruta num taxi e, logo a seguir, no apartamento desse desconhecido.

A coisa corre nestes moldes até que Brian De Palma arma-se em Alfred Hitchcock e mata a protagonista a meio do filme. Afinal, a estrela aqui é Michael Caine, um psicólogo a quem um paciente transexual pretende tramar: rouba-lhe a navalha da barba e decide matar as suas pacientes até que ele dê autorização para a sua mudança de sexo. Nisto entra em cena mais uma candidata a vítima, a prostituta Nancy Allen, o filho metade geek metade MacGyver de Angie Dickinson, Keith Gordon (assustadoramente parecido ao puto que faz de Harry Potter), e um polícia fanfarrão, arrogante e com a mania que é engraçado, um muito novinho Dennis Franz.

A sinopse não é famosa: um misterioso transexual que mata senhoras até ao twist final tremendamente previsível e uma tipa que o tenta apanhar com a ajuda de um miúdo. Já vi episódios de Uma Aventura mais imaginativos. No entanto, a genialidade de Vestida Para Matar está em Brian De Palma, que mostra como um realizador pode fazer um filme, para o bem e para o mal, seja na forma como filma, como manipula o suspense, ou como não tem medo de experimentar, utilizando aqui aquela sua imagem de marca que são os split-screens, que servem tanto para flashbacks como para a história decorrer simultaneamente em dois sítios diferentes.

No fim, existe ainda um momento wikipédia, em que os intervenientes explicam o que é ser transexual, que dá ao filme uma aura camp, o que pode ser facilmente confundida com mau filme (talvez isso tenha valido a Vestida Para Matar uma nomeação aos Razzies), algo que me leva a pensar que Brian De Palma tem assuntos mal resolvidos com a sua sexualidade. E existe ainda um travelling a acompanhar uma enfermeira boazona que, se não foi ali que Tarantino foi beber para a cena semelhante de Darryl Hannah no Kill Bill 2, então é uma grande coincidência. Vestida Para Matar é um verdadeiro filme de culto, daqueles que se amam ou odeiam com igual facilidade, na ordem do Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 7:15 da tarde
|  


 

DIAS DE FUTEBOL:

Título: Días De Fútbol
Realizador: David Serrano
Ano: 2003


O futebol é um tema complicado no cinema. Apesar de continuar a ser explorado, de forma mais ou menos regular, as tentativas continuam a sair quase todas furadas, excepcionando alguns honrados esforços. No entanto, este ano até nem nos podemos queixar, com dois filmes de futebol que parecem bem interessantes (alguém mencionou Maldito United ou Matem O Árbitro?). Mas como ainda não vi nenhum dos dois, decidi pegar em Dias De Futebol, que estava aqui na pilha de dvds na minha secretária. E se, por um lado, me lembrava de ler alguma coisa vagamente positiva sobre ele quando estreou, por outro, o facto de ter vindo como oferta num jornal desportivo não me dava muitas expectativas.

Dias De Futebol é uma comédia ligeira e descomprometida, na tradição do cinema espanhol de humor, com muita identidade e paixão na guelra. Dias De Futebol é um filme sobre a vida de sete amigos, todos eles espertalhões e fura-vidas às suas maneiras e todos eles a braços com uma disfuncionalidade qualquer, desde o tipo que está há dez anos para acabar o curso de Direito e que se masturba a telefonar para as linhas de informação dos bancos, até ao tipo com problemas de comunicação com a esposa, grávida e ávida por voltar a ter sexo (e uma relação a sério). De entre este grupo destacam-se os dois líderes do filme: Antonio (Ernesto Alterio), um rufia com problemas em controlar o seu mau feitio, que sai da prisão com umas teorias manhosas de psicologia; e Jorge (Alberto San Juan), um executivo com vida de cão e um desgosto de amor.

É Antonio o dínamo do filme, apesar de Dias De Futebol viver de uma forte personagem colectiva, e é ele que faz as pontes entre todas as pontas desse grupo. E é ele que decide ajudar os seus amigos com uma sessão muito própria de psicanálise, que envolve a participação num torneio de futebol de sete. E esses jogos vão ser o reflexo da evolução psicológica daquela gente, em que começam por ser goleados nos primeiros jogos e, no fim, apesar de continuarem a perder, já vão arranjando forças para subornar os árbitros e contornarem o sistema, ou não fossem todos eles espertalhões (dignos de qualquer Filme Da Treta).

Esta é a parte divertida do filme, com diálogos escorreitos, que fazem lembrar os chick flicks para gajos de Judd Apatow e o caos de Woody Allen, e com uma vertente screwball cheia de piadas sexuais (ou não fosse este um filme para gajos, com futebol e tipas giras), com alguns gags a lembrar Doidos Por Mary. A outra parte do filme é a de Jorge, que traz a mensagem moral e o tom mais sério a Dias De Futebol, com o seu dilema amoroso e outras questões metafísicas.

O balanço é razoavelmente equilibrado, apesar de algumas coisas não coserem bem entre si - como, por exemplo, aquela necessidade do realizador dar uma componente romântica a Antonio, com uma relação amorosa que cai do céu por não ter unhas. No entanto, por entre meia dúzia de cenas bem conseguidas, um argumento esforçado e um par de inspiradas situações, Dias De Futebol não ofende ninguém. E quanto ao seu valor nutricional, estamos a falar de algo na ordem do menu McChicken.

Posted by: dermot @ 3:13 da tarde
|  




terça-feira, novembro 10, 2009  

ASSASSINOS NATOS:

Título: Natural Born Killers
Realizador: Oliver Stone
Ano: 1994


Assassinos Natos é um daqueles filmes cuja primeira visualização é uma experiência sem igual. Assistir pela primeira vez a Assassinos Natos é como assitir pela primeira vez a uma filme do Godard, onde, de repente, novos caminhos são de novo abertos e todas as convensões cinematográficas tomadas até então como certas e garantidas são estilhaçadas e caem por terra. A partir daí o filme até pode não ser grande coisa e as restantes visualizações podem ser sempre a descer, mas pelo menos o primeiro impacto é ímpar e irrepetitível.

Para começar, um pouco de história: depois de Amor À Queima-roupa, Quentin Tarantino escreveu o argumento deste Assassinos Natos. Contudo, depois de ver o que Oliver Stone lhe fez, Tarantino renegou completamente a criação. Aliás, a melhor descrição do filme é sua: é como a Disneylândia nos ácidos! Quanto a Stone, começou por tentar fazer um filme de acção daqueles de que Arnold Schwarzenegger se orgulhasse de ter feito, mas não resistiu à tentação de se imiscuir na identidade norte-americana mais uma vez.

A base de Assassinos Natos é uma fábula romântica sobre a mais pura história amorosa de um casal de psicopatas homicidas, Mickey (Woody Harrelson) e Mallory (Juliette Lewis), de regresso à forma mais primitiva de ser e sentir do ser humano, em completa errância pela route 66(6). Com contornos surreais e devidamente malignos (olá David Lynch perturbador, de Veludo Azul), Assassinos Natos é um banho de sangue em road movie que emula, primeiro, Os Noivos Sagrentos (aliás, em ambos as personagens são baseadas nos serial killers Charles Starkweather e Caril Fugate), e depois Coração Selvagem (olá novamente David Lynch). No entanto, aquilo que pode ser facilmente confundido com uma apologia à violência, é muito mais um Dr. Estranho Amor do que um Laranja Mecânica. Ou seja, uma farsa subversiva, neste caso ao poder dos media, à massificação da informação e ao estrelato fugaz da televisão.

Tudo isto, dito assim, até parece ser um filme normal. O pior é depois, em que Assassinos Natos é verdadeiramente retalhado. Começa logo por ser filmado com planos que nunca estão quietos e com enquadramentos igualmente esgrouviados. Depois, Stone edita a mesma cena duas vezes e cola-as uma por cima da outra, muda as cores, mete a preto e branco, satura os verdes ou usa filtros manhosos. Além disso, usa constantemente projecções nas fachadas dos prédios, nas janelas e nas paredes, que surgem como um símbolo poderosíssimo à omnipresença da televisão, objecto comum em qualquer distopia que se preze. Tudo isto misturado com imagens de filmes antigos, frames de sonhos surreais à la Jodorowsky, cenas de sexo animal da BBC ou anúncios à Coca-cola.

Evidentemente, isto produz o tal efeito de Disneylândia nos ácidos. Por um lado faz lembrar um pouco a demência das drogas de Delírio Em Las Vegas - é sempre curioso ver Robert Downey Jr. em filmes que fazem apologia às drogas -, mas com uma história coerente, uma vez que é orquestrada por trás a tal farsa ao poder dos media. Claro que a parte mais interessante é o descontrolo homicida do casal Mickey e Mallory, potenciado pelos truques de Oliver Stone (que podem levar ao enjoo se não se habituar a eles), numa espécie de Bonnie e Clyde da geração fast food, com Woody Harrelson a descolar-se automaticamente do seu papel em Cheers, Aquele Bar, e com Juliette Lewis a fazer o que sabe fazer melhor: gaja-trash, qual Iggy Pop de saias.

Concluindo: o primeiro impacto de Assassinos Natos é avassalador e vale um Royale With Cheese de caras. Depois, das duas uma: ou aquela espécie de cinema em movimento o seduz e continua a venerar o filme ou habitua-se e começa a ficar cansado de tanto artifício desnecessário, perdendo a cada visualização o interesse pelo filme. Depois, há uma última opção: analisar Assassinos Natos sem o fogo-de-artífico. E aí, não é nada de especial, apenas um McChicken (nos dias mais simpáticos).

Posted by: dermot @ 11:10 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014