Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



sábado, outubro 31, 2009  

ALBERT, O GORDO:

Título: Fat Albert
Realizador: Joel Zwick
Ano: 2004


Às vezes assusto-me comigo próprio. Depois de uma semana e tal sem tempo para me coçar, dou por mim com um tepinho livre para relaxar. Evidentemente, decidi ir ver um filme. E não é que, do molho de dvds comprados recentemente que estão aqui a apanhar pó em cima da secretária (Voando Sobre Um Ninho De Cucos, Vestida Para Matar ou Assassinos Natos, só para citar os primeiros da pilha), escolho uma coisa chamada Albert, O Gordo, que deve ter aqui vindo parar em alguma compra por atacado. Mas isto faz algum sentido?

Obviamente que também não me pus a ver o filme, assim se mais nem menos. Preparei-me para o que podia dali vir e fui buscar um pau para furar os olhos, se necessário. Homem prevenido vale por dois. É que, ao olhar para a contracapa da caixa do filme, percebi que a minha noite tinha tudo para correr mal. Albert, O Gordo é a adaptação cinematográfica de uns desenhos-animados criados por Billy Cosby, em que a gangue benfeitora de Fat Albert - um tipo gordo que ajuda toda a gente que tem problemas - atravessa a televisão para o mundo real para ajudar a Dania Ramirez, a Callisto dos X-men 3 - O Confronto Final, e a sua irmã (Kyla Pratt).

Urge aqui fazer uma pausa para falar de Billy Cosby. Se ainda se lembram do Cosby Show, que dava nos primórdios da SIC (ou seria da TVI?), ou se costumam ver as paródias regulares que o Family Guy lhe faz, podem saltar a leitura deste parágrafo. Caso contrário, deixem-me explicar-lhes que o Billy Cosby é o representante para toda a famíliada comédia afro-americana. Um Richard Pryor que não diz asneiras e que as troca por caretas, muitas caretas, todas elas dignas de uns Malucos Do Riso. Comparando com a realidade portuguesa, se o Richard Pryor é o Fernando Rocha (pelas asneiras que diz, não pela capacidade humorística), então Billy Cosby é o Badaró.

Não podemos então esperar mais de Albert, O Gordo do que um filme juvenil. O problema é que, se vem da cabeça do Blly Cosby, é porque é mais infantil do que juvenil. Todas as oportunidades são boas para dizer não às drogas e louvar os princípios da amizade e do companheirismo. O problema é que o filme parte do pressuposto que todas as crianças, para além de ingénuas, são burras, e vê-se tentado a explicar todas as suas próprias piadas, que já são orientadas para putos com 5 anos - mais explícito que isso era impossível!

Além disso, tenho um problema com o Fat Albert. Que personagem mais irritante! Arrogante e com a mania que sabe mais que os outros, sempre a dizer "vou-te ajudar e não saio daqui até te ajudar". Mas quem raio é aquele puto gordo para vir dar-me ajuda? Se queres mesmo ajudar, não estavas sempre a repetir a mais irritante catchfrase de sempre - hey, hey, hey - que: a) não tem piada b) é irritante c) não tem piada e) é irritante.

Para filme juvenil, Albert, O Gordo até tem o ritmo certo, é colorido e ruidoso. No entanto, para um filme de pretos para pretos, que devia ser o Blues Brothers - O Dueto Da Corda do hip-hop, ter só a música do genérico repetida até à exaustão em ligeiras variações é uma desilusão. Mas estamos a falar de um filme do Cosby Show, estar à espera de mais é ser demasiado optimista. Um Happy Meal não é nada mau, digo-vos já.

Posted by: dermot @ 11:34 da manhã
|  




quinta-feira, outubro 22, 2009  

TOP 5:

Há uns dias atrás, estava eu a discutir bandas-sonoras com a Jubylee na página do Royale With Cheese no Facebook (que, afinal, sempre serve para alguma coisa), quando disse que o Ennio Morricone era o Pelé das bandas-sonoras. Não é novidade eu dizer isso e, aliás, aposto que a maioria das pessoas concorda comigo: é senso comum concordar com a qualidade do maestro italiano na feitura de bandas-sonoras. No entanto, nós dizemos isto quase da boca para fora, uma vez que o homem tem mais de 500 filmes e nós não conhecemos nem metade (metade? nem um terço sequer). Pois bem, o Royale With Cheese decidiu dar uma ajudinha com o seu TOP 5 DAS MÚSICAS DE ENNIO MORRICONE (o que é manifestamente pouco, mas não estou com paciência nem tempo para elaborar uma lista mais longa):

5º Lugar
Main Theme, de Veio Do Outro Mundo (1982)

Sim, eu confesso. Esta não é um dos melhores temas do maestro (custou-me tanto deixar de fora o Man With Harmonica), mas resolvi pô-la aqui, no último lugar desta lista, para ilustrar uma das faceta de Morricone: a versatilidade. O homem não se limita a fazer músicas; olha para o filme, entende-o e entende o próprio realizador. Em Veio Do Outro Mundo, Morricone não só fez aquilo que se esperava de um thriller de ficção-científica com monstros, como absorveu a própria identidade do realizador. De tal forma, que se não soubessemos, pensávamos que esta banda-sonora também tinha sido assinada pelo Carpenter.

4º Lugar
Love Theme, em Cinema Paraíso (1988)

Este é um dos temas mais famosos de Ennio Morricone e aparece em tudo o que é colectânea dos melhores hits do senhor e é alvo de cover por parte de tudo o que são músicos eruditos wannabe. É uma grande música, é certo, mas é sobrevalorizada pelo próprio filme em si. É que, ouvir isto, é como estar literalmente a ver Cinema Paraíso e todo aquela nostalgia invade-nos e deixa-nos amaricadamente comovidos. É a única música orquestral da lista e isso quer dizer muito.

3º Lugar
Matto, Caldo, Soldi, Morto... Girototondo, em Vergogna Schifosi (1969)

O filme é uma beca obscuro, mas dizem os entendidos na obra do senhor que é um dos seus melhores trabalhos. Não sei se é assim, mas que gosto dele à brava, gosto. Este é o tema principal, que depois tem ainda mais um par de variações, mas no essencial é uma espécie de música ambiente, que mistura o tropicalismo de uns Mutantes, por exemplo, com os Oompa Loompas da fábrica do Willy Wonka. Meio psicadélico, meio onírico, é uma música que serve para viajar, serve de música ambiente e até de música de elevador, sempre com igual eficácia. E tem uma das imagens de marca de Morricone: uma voz feminina meio sussurrada.

2º Lugar
L'estasi Dell'oro, em O Bom, O Mau E O Vilão (1966)

É um dos casamentos mais felizes da história do cinema. E não estou a falar do casamento de Ennio Morricone com Sergio Leone em geral, mas sim desta cena em particular: o duelo decisivo que é o clímax de toda a triologia dos dólares do homem sem nome. A cena é extremamente bem filmada, com Leone a cristalizar aquela sua forma fantástica de moldar o tempo, abrandando o passar dos minutos de forma a aumentar a tensão e o suspense até à catarse final; e Morricone compõe uma música genial, sempre em crescendo, emulando os uivos dos coiotes do deserto com outra marca da música do maestro: a melodia assobiada. Ambas são fantásticas e misturadas fazem uma mistura explosiva!

1º Lugar
Magic & Ecstasy, em O Exorcista 2 - O Herége (1977)

E eis que, chegados ao topo da lista, fica provado o quão eclético é o maestro. Ennio Morricone adapta-se a tudo, sejam western spaghetti, giallos, dramas, épicos familiares de quatro horas ou mesmo sequelas manhosas de filmes de terror que tentam descaradamente capitalizar (leia-se espremer) o sucesso do filme original. Falo, obviamente, dao segundo Exorcista, uma xungaria non-sense, com um padre a pôr a Linda Blair a fazer regressão hipnótica ligada ao cérebro de outra pessoa. E descobrirmos que o demónio que a possui no filme anterior se chamava... Pazuzu(!). Enfim, a única coisa que se safa nesta coisa a que se atreveram de chamar filme foi esta theme-song brutalíssima, uma malha de surf-rock possuída por ecos de doom-metal e pelo fantasma do Alice Cooper. Psycho-surf que faz parte habitual da playlist da grande dupla de djs, Travelling Circus.

Para ouvir as músicas, clicar em cima das imagens


Conclusão: Ennio Morricone é como o Tarantino na forma como utiliza a música nos filmes: utilizando a faixa sonora não só para dar profundidade estética à cena, mas para fazer parte integrante da própria, dialogando inclusive com os actores. É por isso que temos associadas todas as cenas marcantes dos filmes do Tarantino a uma música: o Michael Madsen a cortar uma orelha a Stuck In The Middle With You, a Uma Thurman e o John Travolta a dançarem o twist a You Never Can Tell ou a Darryl Hannah a ir espetar uma injecção mortal a Uma Thurman muito calmamente a Twisted Nerve. Assim como também não conseguimos ouvir uma música do Morricone sem criarmos, automaticamente, uma imagem mental da cena do filme em causa. Admito que possam não ser casos únicos no cinema, mas agora não me recordo de mais nenhum. No entanto, a diferença entre ambos está em que, enquanto Tarantino utiliza músicas de outros, Morricone cria os seus próprios temas.

Posted by: dermot @ 4:32 da tarde
|  




terça-feira, outubro 20, 2009  

FINAL CUT - A ÚLTIMA MEMÓRIA:

Título: The Final Cut
Realizador: Omar Naim
Ano; 2004


Robin Williams é, injustamente, um actor esquecido, que acaba por ficar refém das comédias que maioritariamente faz. E a culpa nem é só do facto desse ser um género normalmente subvalorizado; é também sua, porque, na maior parte das vezes, salta de erro de casting em erro de casting, em preguiçosos papéis em que só tem que fazer aquilo que faz melhor: imitações e contar piadas, com o seu ar de pai de família bem disposto.

Depois, de tempos a tempos, joga-se a um filme mais ou menos sério e dá-nos excelentes prestações. Filmes como Bom-dia Vietname, Despertares ou O Clube Dos Poetas Mortos (vénia) são prova disso. No entanto, foi Final Cut - A Última Memória que chegou com o rótulo de que este é que vai ser o filme (repararam no itálico do artigo definido?). Um filme sério, um realizador debutante de um país exótico e um elenco mais ou menos valioso, com Mira Sorvino e Jim Caviezel.

Final Cut - A Última Memória é um filme espartalhão, que tenta parecer mais profundo e pseudo-qualquer-coisa do que realmente é. E aqui faz lembrar Efeito Borboleta, só que em vez de começar com uma citação conhecida que depois não interessa nada para a história, começa com as leis do código dos editores, que faz lembrar as leis da robótica de Isaac Asimov (e, por consequência, a adaptação infeliz de Eu, Robô). Os editores são então os tipos responsáveis por fazerem os filmes para os rememoriais, cerimónias fúnebres em que passam um vídeo do falecido com as suas melhores memórias, retiradas de um chip implantado no seu cérebro à nascença.

A premissa é muito boa e é daquelas que vale um filme. Tem o seu quê de Philip K. Dick e comporta as tais questões morais e existenciais de que a ficção-científica tanto gosta de debater, através das suas metáforas e analogias espaciais. Por isso, em Final Cut - A Última Memória existe um sub-enredo que tenta explorar esta questão, personificado por um Jim Caviezel com uma barba postiça que parece um bicho atropelado espalmado na cara. E, pelo facto de existir uma teoria da conspiração em modo thriller futurista, a coisa recorda (injustamente) 12 Macacos.

Omar Naim tenta criar um universo muito próprio, ou não estivessemos a falar de um futuro hipotético, e volta a ser demasiado espartalhão. Por exemplo, porque raio é que os dados retirados do chip são apresentados em placas transparentes de acrílico e convertidos em discos brilhantes e com ranhuras? Que mal têm os cds?? Tudo isto são pormenores, mas quando chegamos ao fim do filme e isto continua a aborrecer-nos, é porque algo correu mal em Final Cut - A Última Memória.

O filme tenta criar assim uma atmosfera asséptica e hermética, com um Robin Williams em modo contido, mas isso transborda para o próprio filme, que se move em modo maquinal, sem chama e sem alma. No meio de tanto movimento de câmara mais do que previsível e uma relação entre personagens do mais aborrecido que há, não conseguimos deixar de pensar porque raio insistiram naquela barba falsa do Caviezel. E, depois, no meio, sharam... nova espertalhice: o grande momento-charneira do filme acontece quando Robin Williams reconhece uma pessoa, uns quarenta anos depois, pelo facto de ela... limpar os óculos à camisa(!). Sim, porque ninguém limpa os óculos à camisa(!!). Especialmente as pessoas que usam óculos(!!!).

Final Cut - A Última Memória faz então eco da questão metafísica da privacidade e do big brother, mas de uma forma demasiado forçada. E, além disso, a história parece sempre ir em contraciclo, terminando num twist que é um autêntico anti-climax. Tão desinteressante, que não paramos de nos lembrar da barba falsa de Jim Caviezel. Será que o dinheiro gasto num Chesseburger não dá para comprar uma barba melhorzinha?

Posted by: dermot @ 12:14 da tarde
|  




quinta-feira, outubro 15, 2009  

Publicado originalmente na Take

TAKING WOODSTOCK:

Título: Taking Woodstock
Realizador: Ang Lee
Ano: 2009


Ang Lee é o David Bowie do cinema. È que não é apenas um realizador versátil, capaz de mudar de género ou estilo a cada filme; é um verdadeiro realizador camaleão, que muda de pele de trabalho para trabalho, que por sua vez são cada vez mais improváveis e que, no fim, consegue safar-se em todos com igual destreza. Duvido que alguém conseguisse fazer tão bem um filme de wi-fu, um de super-heróis, um sobre cowboys gays e um sobre Woodstock.

Depois de ter revisitado uma das impressões digitais do cinema norte-americano, em O Segredo De Brokeback Mountain, Ang Lee voltou a mergulhar na América profunda para fazer um filme sobre o mítico festival de Woodstock, que, em 1969, marcou uma década de paz e amor, contra-cultura, hippies, rock'n'roll e drogas. E mais uma vez, fá-lo como se fosse um americano de gema, absorvendo a sua identidade como se fosse um Douglas Sirk hippie.

O filme até faz sentido, uma vez que celebrámos recentemente 30 anos de festival, mas Taking Woodstock não é nem um documentário, nem uma reconstituição. Então o que é? È uma espécie de fábula, sobre Jake Teichberg (Henry Goodman), um adolescente que, ao tentar salvar da bancarrota o resort caquético da sua família, contacta Michael Lang (Jonathan Groff), o mentor de Woodstock, para que ele instale o festival no quintal da sua casa. Depois, o resto é história: o festival recebe, durante três dias, o número astronómico de 500 mil espectadores, a organização vê-se obrigada a abrir as portas a tanta gente, os autócnes de Bethel rendem-se às evidências e acolhem aqueles jovens todos e, de repente, a história do rock'n'roll e de toda uma geração fica irremediavelmente marcada.

Mais do que um filme sobre Woodstock (que está lá, omnipresente, mas nunca o vemos, é sempre um som de fundo ou um mar de gente que nos impede de alcançar o palco), Taking Woodstock é uma fábula familiar, sobre um jovem, a sua família disfuncional (fantástica Imelda Staunton, em modo velha rabugenta) e os seus problemas tabus (homossexualidade ao de cima), numa espécie de Quase Famosos, mas sem a componente on the road. No entanto, onde Taking Woodstock é verdadeiramente feliz, é ao captar o espírito do festival, da geração hippi e da contracultura. E no meio disto, tem a mais realista cena de tripar com ácido que o cinema já viu!

Filme mais de bonecos do que de personagens (Michael Lang, por exemplo, que nós conhecemos bem, é uma caricatura), Taking Woodstock é divertido porque tem bonecos bastante engraçados. No final, há ainda tempo para o feelgood movie e nós recordamos Uma Família À Beira De Um Ataque De Nervos, na forma como aquela família se reencontra consigo mesma. O filme entretém, faz-nos rir, comove-nos e transporta-nos para o interior de Woodstock, algo que, às vezes, até é mais difícil acontecer com o documentário de quatro horas e planos truncados. Vale, na boa, um Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 7:31 da tarde
|  




quarta-feira, outubro 14, 2009  

TAKE - CINEMA MAGAZINE:

Número 19, Outubro de 2009


Página Oficial

Posted by: dermot @ 4:26 da tarde
|  




sábado, outubro 10, 2009  

A SANGUE FRIO:

Título: In Cold Blood
Realizador: Richard Brooks
Ano: 1967


Quando aí há um par de anos Truman Capote voltou a estar na ordem do dia, com dois biopics num ano, Oscares à mistura e muitas reedições especiais de A Sangue Frio, só me espantou que ninguém se tivesse lembrado a fazer nova adaptação cinemtográfica desse livro. Claro que não vale a pena dissertar muito sobre o livro; o que dizer quando já foi tudo dito? Apenas que é um romance não-ficcional que narra um homicídio quádruplo no Kansas, é uma obra-prima e inaugurou o género do jornalismo literário.

A Sangue Frio inicia-se com uma frieza exemplar: durante uma viagem noctura de autocarro, é-nos apresentado um homem mergulhado nas sombras, a tocar viola. De repente, a luz de um fósforo ilumina apenas o suficiente para introduzir o olhar de Perry Smith (Robert Blake). Este ex-presidiário vai-se encontrar com o falinhas mansas e cheio de estilo Dick Hickcock (Scott Wilson) e ambos vão fazer mil quilómetros para um trabalhinho fácil: assaltar uma quinta perdida de um rancheiro rico, numa aldeia no meio de nenhures. No entanto, a informação que tinham recolhido era errada: Herbert Clutter podia ser rico, mas tinha o dinheiro todo no banco. E, assim, aquela foi uma viagem em vão, que acabou com quatro mortes a sangue frio apenas e só para não deixarem testemunhas. O que se seguiu foi uma caça ao homem e Truman Capote a travar confiança com os assassinos para escrever um grande livro.

Como seria de esperar, A Sangue Frio respira por entre o fumo e as sombras do film noir, lebrando sempre que, ao contrário daquelas imagens, a vida (e, neste caso, a justiça também) não é apenas a preto e branco. No entanto, ao contrário dos policiais semelhantes, A Sangue Frio tem muito mais parecenças com o noir impressionista que é A Sombra Do Caçador. E a Scott Wilson só lhe só lhe falta um bocadinho assim para ser um Robert Mitchum.

O realizador Richard Brooks dedicou-se ao filme com grande empenho e perfeição e A Sangue Frio vive desses pormenores. E não falo do facto de ter sido filmado na própria casa da família Clutter, nos exactos sítios onde foram cometidos os crimes: falo na atenção que Brooks dá aos detalhes, fazendo lembrar Hirokazu Koreeda (que tem um filme novo estreado entre a gente), que em Ninguém Sabe, por exemplo, ia-nos dando estímulos sensoriais através de planos rápidos de manchas no chão ou de um napron desarrumado. Aqui, o exemplo mais flagrante será porventura o grande-plano de Blake, que prestes a ser enforcado, dedica-se a um monólogo com o reflexo da chuva na janela na sua cara, quais lágrimas imaginárias. No entanto, o grande truque de A Sangue Frio é a edição. Todas as cenas dialogam entre si, demonstrando uma planificação sem espinhas e um filme pensado ao pormenor. A única vez que vi algo assim foi em A Vítima Do Medo.

Além disso, o filme vai contra todas as convenções do que é a estrutura de um thriller policial. Faz-me lembrar o caso do clássico Dr. Jekyll e Mr. Hyde, uma história de monstros e suspense, em que, ao contrário das outras histórias do mesmo estilo, sabemos quem é o monstro/assassino e, mesmo assim, não deixamos de nos assustar e sentir subjugados. Aqui acontece o mesmo: sabemos quem são os assassinos e, apesar de só vermos o crime no final em modo flashback, passamos o filme a acompanhar as diligências da polícia para capturar os bandidos. A diferença é que, enquanto estamos habituados a ir recolhendo as informações ao mesmo tempo que os detectives, aqui já sabemos tudo e limitamo-nos a ser apenas observadores de todo o processo.

Por fim, palavra de apreço aos dois actores. Perto do final, ouve-se o narrador (que, supostamente, é uma referência ao próprio Capote e que aparece apenas nos últimos quinze minutos, o que dá ar de solução de recurso algo preguiçosa) a dizer que os dois criminosos apenas cometeram aquele crime porque as suas personalidades se complementaram, criando uma terceira personagem. É o mesmo que se passou no filme: Robert Blake e Scott Wilson são as duas faces da mesma moeda e têm um trabalho abismal, o primeiro como assassino perturbado e sensível e o segundo como trafulha consciente e desembaraçado.

A Sangue Frio foi uma obra-prima que inovou a literatura, mas A Sangue Frio conseguiu adapta-lo sem desprimor, porque não se limitou a adaptar a história; adaptou também todas as suas características inovadoras: a estrutura não convencional, o drama não-ficcionado e a mesma minúcia aos detalhes da escrita de Capote. A Sangue Frio é um filme que não só envelheceu bem, como cristalizou tudo o que de melhor teve o cinema daquela era. Vale um McRoyal Deluxe, no mínimo.

Posted by: dermot @ 6:17 da tarde
|  




quinta-feira, outubro 08, 2009  

ABRAÇOS DESFEITOS:

Título: Los Abrazos Rotos
Realizador: Pedro Almodóvar
Ano: 2009


A temática da duplicidade sempre me fascinou e o cinema tem-nos oferecido excelentes exemplares: O Homem Duplo não conseguiu espremer toda a genialidade do livro original, mas Polanski, por exemplo, fê-lo muito bem no início da sua carreira (vénia encarpada a O Inquilino). E eu nunca me canso de referir este fantástico texto do Flávio.

Corriam os primeiros minutos de Abraços Desfeitos e eu comecei a salivar. Afinal de contas, parecia que ia ter o tema da duplicidade by Pedro Almodóvar. Um homem (Lluís Homar) apresentava-se: o realizador Mateo Blanco que criou o pseudónimo Harry Caine para dar vida a um aventureiro escritor cego. E, ao longo dos anos, acabou encarcerado no segundo, matando o primeiro - um homem preso no corpo de outro. No entanto, como devem ter reparado, no início deste parágrafo eu escrevi "parecia que". E não foi por acaso. É que Abraços Desfeitos não é bem sobre este homem-duplo. Quer dizer, é, mas também é sobre milhentas outras coisas.

Abraços Desfeitos é, generalizando, um filme de dicotomias, sendo as mais fortes essa, a desse homem que é o seu pseudónimo e vice-versa (e que traz sempre ambiguidade no bico); e a do filme que este realiza com Lena (Penélope Cruz), num filme dentro do filme (e que evoca Mulheres À Beira De Um Ataque De Nervos), que nunca está acabado e que é rematado com a frase que encerra o filme, que tem tanto de cliché como de presunçoso - devemos terminar sempre um filme, nem que seja às cegas.

O filme dá a ideia que Pedro Almodóvar não sabia muito bem o que fazer e que foi escrevendo o argumento à medida que ia tendo várias ideias. Começa com essa temática da duplicidade, a meio transforma-se num neo-noir (que são os melhores momentos do filme), evoca as marcas de autor do realizador (personagens femininas, melodrama e paixão exacerbada, homossexualidade reprimida e tragédia passional) e até tem um cunho pessoal, que faz lembrar o bloqueio criativo de Fellini em 8 1/2, aqui sob a personagem de um realizador que fica cego (que, como um dos críticos da nossa praça gosta de dizer, é uma pescadinha de rabo na boca; até em Hollywood Ending o vimos).

Filme um pouco estranho, apesar de não ser confuso é um pouco salganhada. Segundo dizem os entendidos, Almodóvar amadureceu nos últimso filmes e tornou-se num realizador sério, mas eu acho-lhe muito mais piada quando era o tipo descontraído de Ata-me, por exemplo. Talvez por isso, a parte mais gira de Abraços Desfeitos é o tal filme que ele filma dentro do filme, com todos os sinais desse tempo (como eu disse, evoca Mulheres À Beira De Um Ataque De Nervos) e que serve para o realizador continuar a transformar Penélope Cruz em diva: depois de Sophia Loren em Voltar, aqui Penélope transforma-se em Audrey Hepburn.

Chamem-lhe o que quiser: um Almodóvar ligeiro ou um Almodóvar menor. Eu, como de costume, trato-o por menus de hamburgas. Neste caso, um Double Cheeseburger.

Posted by: dermot @ 10:31 da manhã
|  


 

Fiz uma loucura. Aderi este imodesto tasco cinematográfico às redes sociais. Sim, é verdade: o Royale With Cheese também já está no facebook.

Posted by: dermot @ 9:53 da manhã
|  




quarta-feira, outubro 07, 2009  

OS OLHOS SEM ROSTO:

Título: Les Yeux Sans Visage
Realizador: George Franciús
Ano: 1969


Sempre me interroguei porque é que o Billy Idol, representante insuspeito do mau gosto dos anos 80, percursor do flagelo que é o punk-pop e guilty pleasure assumido, tinha uma balada com uma parte em francês. A música chama-se Eyes Without a Face e, sempre que chega ao refrão, um coro feminino entoa les yeaux sans visage. Isto sempre me intrigou, até que o próprio Billy Idol o explicou naquele belo momento musical que foi o seu Storytellers: certo dia, ao apanhar uma sessão nocturna de cinema num qualquer canal de televisão refundido, ficou tão fascinado com a história de uma rapariga sem rosto, que teve que escrever uma canção sobre ela.

O filme é Os Olhos Sem Rosto, clássico do cinema fantástico francês (António Pascoalinho, outro nome insuspeito, mas desta vez do cinema fantástico de bom gosto, classifica-o em vigésimo nono da sua lista dos melhores de sempre do género), que conta a história de um médico (Pierre Brasseur) que não consegue livrar-se do sentimento de culpa por ter provocado um acidente de viação que desfigurou a sua filha (Edith Scob). Uma vez que também tem uma faceta de cientista louco, o doutor Génessier inventa uma forma inovadora de fazer transplantes de rosto e a obsessão leva-o a raptar e matar jovens semelhantes à sua filha para lhes roubar a cara até conseguir ter êxito na sua demanda.

Os Olhos Sem Rosto move-se em terrenos hitchcockianos, na forma como joga com o suspense, mas a maneira como George Franciús molda o tempo emula o francês Jean-Pierre Melville. Os Olhos Sem Rosto é aidna um filme sobre a obsessão e, por isso, desenrola-se a um ritmo de uma paciência de elefante, com todos os seus movimentos calculados com uma frieza atroz, que se torna psicologicamente cansativo e opressivo.

Aliado a isto, está uma atmosfera meio romântica meio impressionista, que cria alguns quadros de uma beleza mórbida, evocando a poesia fascinantemente perturbadora do expressionismo (talvez por isto o filme tenha recebido, nos Estados Unidos, a idiota tradução de The Horror Chamber Of Dr. Faustus). Neste campo, o contributo de Edith Scob é decisivo. Ela é a melhor actriz de sempre com uma máscara (nunca vemos o seu rosto verdadeiro, ao contrário de outros filmes do género, que caem na tentação de revelar as deformações dos seus protagonistas – olá Vanilla Sky) e a sua voz afectada conferem-lhe uma existência perturbada, de quem está para fazer uma estupidez não tarda.

Os Olhos Sem Rosto é um filme que teve ainda o condão de saber envelhecer muito bem, não sendo, por isso, um simples filme de culto para meia dúzia de maluquinhos dos filmes antigos que só eles é que conhecem. É antes um grande trabalho que, ainda por cima, influenciou a criação de uma grande canção. Por isso, encomendamos um McBacon para encerrar esta questão.

Posted by: dermot @ 6:14 da tarde
|  




segunda-feira, outubro 05, 2009  

JULGAMENTO:

Título: Julgamento
Realizador: Leonel Vieira
Ano: 2007


Confesso que até simpatizo com o Leonel Vieira. Aliás, eu também simpatizo com o Tony Scott (é como um acidente de viação, por mais que não queiramos não conseguimos abrandar para ver ao passar por um) e o Leonel Vieira é o Tony Scorr português. E, naquela tentativa constante em que o cinema português anseia por ser um cinema feito como se faz lá fora (e em lá fora, leia-se a Hollywood dos blockbusters), Leonel Vieira é o que se safa melhor, conseguindo manter os pés na terra, longe das insanidades do Alexandre Valente, por exemplo.

Julgamento tem uma premissa fantástica, daquelas que quase valem o filme por si só: três antigos combatentes anti-fascistas (Júlio César, José Eduardo e Henrique Viana, este último no seu derradeiro papel) descobrem o inspector da Pide (excelente Carlos Santos) que os prendeu e torturou trinta e tal anos antes. Mais coisa menos coisa e os três decidem vingar-se da morte do companheiro Marcelino (Joaquim Nicolau), que não sobreviveu a essas torturas.

No fundo, é o cinema português a aproveitar a nossa riquíssima história, que tão mal explorada é. Como eu costumo dizer, se um dia Hollywood descobre um livro sobre a história de Portugal, nunca mais os americanos saem de cá. E, especialmente, o Ultramar - o nosso Vietname - continua a ser um território por explorar, salvo raras excepções, como o apatetado Monsanto (porque ninguém me disse que isto ia ficar para sempre?) ou o algo injustamento esquecido Preto E Branco. Não mencionei Os Imortais, porque vou referir-me a ele agora: é a ele que Julgamento mais se assemelha, com um conjunto de velhotes atormentados por fantasmas passados. Se bem que aqui, com actores piores.

São esses fantasmas que fazem a ponte entre o passado e o presente, que são o ponto essencial de Julgamento. Porque preenchem os buracos vazios, porque dão profundidade às personagens e porque servem para que o filme não seja apenas um filme de vingança. O que poderia ser, porque potencial não falta (até há um aurinha ténue a Peckinpah): três homens encarceram um outro, sem saberem muito bem no que aquilo vai dar, lutando contra o passado reprimido e ideais que sempre defenderam e que agora estão colocados em causa por desejos animalescos de vingança. Julgamento é como uma panela de pressão, que cresce até níveis insuportáveis e, claro, ao inevitável final previsível. Leonel Vieira sabe filmar essa tensão e se calhar nem necessitava do resto.

É que o resto são as relações familiares de cada um dos protagonistas e, aqui, Leonel Vieira não tem sensibilidade suficiente. Ora vejamos: Júlio César anda a comer Alexandra Lencastre, a filha do tal colega morto pela Pide trinta anos antes, e ambos discutem por tudo e por nada (drama queen alert); José Eduardo tem problemas em fazer bebés, mas só percebemos que ele anda a ignorar a esposa; e Henrique Viana anda a safar-se com um avião chamada Raquel Henriques, que só está lá para que alguém mostre as mamas no filme. A ideia seria mostrar como aqueles fantasmas do passado necessitavam de ser resolvidos para que houvesse uma vida familiar pacífica, mas é sempre daquelas coisas que funciona melhor na sinopse do que no filme.

Mesmo assim, Julgamento não é nada de se deitar fora. Tem uma excelente fotografia, entre o urbano lisboeta e o rural alentejano mais deserto, mesmo apesar de Leonel Veira não se conter com os seus maneirismos a la Tony Scott - de cinco em cinco minutos, lá há um plano na diagonal sem qualquer motivo aparente, tem muitas caras conhecidas em aparições fugazes (Marta Leite de Castro é tão credível a chorar quanto a Amy Winehouse a mostrar que não se mete na droga) e tem uns flashbacks pré-25 de Abril bem catitas. Vale um McBacon, mas tendo em conta a inflação do mercado nacional, claro.

Posted by: dermot @ 11:26 da manhã
|  




sexta-feira, outubro 02, 2009  

AS NOITES LOUCAS DO DR. JERRYLL:

Título: The Nutty Professor
Realizador: Jerry Lewis
Ano: 1962


Há uns tempos, em conversa com o meu amigo José Soares (só para dizer que sou amigo do editor de uma revista importante), falávamos do quão esquecido é Jerry Lewis. Quer queiramos quer não, Jerry Lewis é um dos grandes nomes da comédia; teve foi o azar das pessoas se fartarem de ver sempre as suas palhaçadas. No fundo, aconteceu-lhe aquilo que tem vindo a acontecer ao Jim Carrey: o primeiro impacto foi devastador, mas depois o aproveitamento da fama e do sucesso não foi o melhor, optando por fabricar vezes sem conta as mesmas caretas e as mesmas acrobacias patetas, em filmes imbecis para público pouco exigente over ando over again. E, enquanto na Europa ainda há umas quantas pessoas com boa memória que o recorda, nos Estados Unidos Jerry Lewis caiu no esquecimento, deonde nem o Oscar de carreira do ano passado o conseguiu tirar.

Assim, como este imodesto antro cinematográfico não gosta de esperar que as pessoas morram para se tornarem em nomes de cultos, nada como falar de um dos seus filmes. As Noites Loucas Do Dr. Jerryll (amo a tradução) pode não ser o melhor ou mais famoso, mas será, certamente, um dos mais conhecidos, uma vez que valeu um recente remake com relativo sucesso do Eddie Murphy, outro comediante que, se não se mete a pau, qualquer dia já ninguém se lembra do seu génio – O Professor Chanfrado.

É um truque fácil de se fazer neste tipo de comédias slapstick: agarra-se numa história famosa e parodia-se. É o que se chama matar dois coelhos com uma cajadada: ganha-se uma história de humor, mas no fundo mantém-se subjacente a mensagem moral do conteúdo original. Neste caso, Jerry Lewis foi buscar o conhecido caso do Dr. Jeckyll e do Mr. Hyde e adaptou-o ao seu professor Kemp, cientista desajeitado e trapalhão, metade Pateta, metade Charlie Chaplin, com cabelo à escovinha e dentuças de fora, um look que Jim Carrey aproveitou para Doidos À Solta.

Numa universidade cheia de cor e música (há uma theme song interpretada pelo próprio Jerry Lewis, como era da praxe nestes casos), As Noites Loucas Do Dr. Jerryll é o típico filme de adolescentes, todos sorrisos e bem-parecidos, ideais para animarem um povo em grande depressão nas matinés de domingo. É neste cenário, por entre sketches de humor anárquico a la Looney Tunes e gags de humor físico (se é que podemos chamar também humor físico às caretas e à voz esquisita de Lewis), que o professor Kemp vai inventar uma poção que o transforma num galã cheio de estilo, ágil de língua e hábil ao piano, ideal para se insurgir contra aqueles que o maltratam no dia-a-dia, para se tornar popular e, claro, para conquistar a rapariga dos seus sonhos, a sua aluna Stella.

O Mr. Hyde do professor Kemp é então Buddy Love (excelente trocadilho), oportunidade de ouro para Jerry Lewis brilhar numa mistura de todo o Fat Pack com a beatlemania que estava para chegar. No entanto, a sua faceta mais interessante é a de arrogante imodesto e insubordinado, ideal para o registo da comédia afro-americana sem papas na língua que iria surgir décadas depois (é por isso que Eddie Murphy teve tanto sucesso em O Professor Chanfrado). É esta faceta que vai levar Stella a preferir o Jerry Lewis original, introvertido e trapalhão, mas sincero, honesto e bom coração. E no meio de tanta ingenuidade, nem nos apercebemos quão esquisito é o professor acabar o filme a comer uma aluna à descarada e toda a gente achar bem.

Curiosamente, As Noites Loucas Do Dr. Jerryll é um filme menos conseguido que O Professor Chanfrado a nível de argumento. E isto para não falar da família do professor Kemp, em que a de Eddie Murphy é mil vezes mais hilariante. No entanto, se for para colocar os dois em comparação, num despique por um menu de hamburgas, o resultado seria semelhante para os dois: um McChicken.

Posted by: dermot @ 8:13 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014