Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



domingo, dezembro 30, 2007  

EXTERMINADOR IMPLACÁVEL 3 - ASCENSÃO DAS MÁQUINAS:

Título: Terminator 3 - Rise Of The Machines
Realizador: Jonathan Mostow
Ano: 2003


Temos que dar o braço a torcer, porque se nesta vaga de prequelas, sequelas e remakes que tem assolado a indústria cinematográfica havia alguma que fazia sentido, esta era a de Exterminador Implacável 3. Porque John Connor continua vivo e porque, obviamente, ninguém acreditava em James Cameron quando ele dizia que o dia do julgamento final tinha sido prevenido. Por isso, era apenas uma questão de tempo até Arnold Schwarzenegger ceder e aceitar voltar ao papel. E nós sabíamos que ele iria ceder. Afinal de contas, Arnie é político...

Por um lado até faz sentido. Schwarzenegger ia-se despedir do cinema, enverdando pelo seu novo futuro como governador da Califórnia, e não havia melhor de dizer adeus do que um regresso ao título que lhe deu a maior projecção de todas. Por isso, é impossível assistir a Exterminador Implacável 3 sem sermos atacados por uma ponta de nostalgia.

Todos sabíamos que seria praticamente impossível voltar a igualar um Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final, uma obra que roça a perfeição. No entanto, nós, admiradores confessos da série, até nem somos muito exigentes. Apenas pedíamos que o bom nome dos filmes não fosse arrastado pela lama. E a verdade é que não faltou muito para isso acontecer.

John Connor tem agora vinte e poucos anos e é Nick Stahl; e pela terceira vez, é enviado um robot do futuro para o exterminar, de forma a impedir que ele se venha a tornar o líder da resistência na guerra dos humanos contra as máquinas. E depois do poderoso T-1000, agora temos T-X. Principais inovações? T-X é um transmorfo e é uma mulher, numa espécie de mistura entre Espécie Mortal e Robocop - a bela Kristanna Loken, que confunde falta de jeito para representar com inexpressividade. Depois, a história repete-se: Arnold Schwarzenegger regressa também do futuro para proteger John Connor e, desta vez já não há Sarah Connor, mas há Kate Brewster (Claire Danes), a futura senhora Connor.

O anterior filme tinha como subtítulo O Dia Do Julgamento Final, mas é aqui, em Ascenção Das Máquinas, que estamos no limiar deste iminente Holocausto. E posso adiantar que até ao final do filme muita coisa vai mudar, inclusive um final em aberto que deixa adivinhar que a triologia não vai ficar por aqui. Contudo, um fim tão arrojado merecia outro filme; assim como a despedida do saudoso Arnie, o último grande herói de acção (Jack Bauer é ainda um aprendiz).

Exterminador Implacável 3 limita-se a ser uma enorme perseguição de hora e meia, um jogo do gato e do rato em que só interessa a destruição - e quanto maior for, melhor. O argumento é linear e só tem olhos para andar para a frente. Parece ter sido escrito por um miúdo de 13 anos e os principais acontecimentos regem-se todos pelas leis da coincidência: é aquilo que se chama de unidade dos opostos e que, quando são demais, cheiram a barrete. Infelizmente, nem as cenas de acção convencem neste Exterminador Implacável 3; os efeitos-especiais são demasiado artificiais e até os confrontos mano-a-mano entre os exterminadores quedam-se pela falta de reacção dos intervenientes.

Exterminador Implacável 3 vale então pela nostalgia em ver recriados os míticos momentos dos anteriores filmes. Não temos o lendário I'll be back, mas temos um I'm back; temos um igual massacre de polícias; uma divertida variação da cena inicial do I want your boots, your clothes and your motorcycle; e até temos um spin-off de Comando, com Arnie a carregar um caixão em vez do tronco da árvore.

Infelizmente, Exterminador Implacável 3 não é digno da sua série. Resta-nos aguardar por melhores momentos futuros, ou deliciar-nos com os dois filmes anteriores. Porque daqui só retiramos um mísero Cheeseburger. Maldito sejas, Jonathan Mostow, arruinaste um dos marcos da minha adolescência.

Posted by: dermot @ 9:08 da tarde
|  


 

TOP 10:

Escusam de me mandar mais mails, sms e postais da Cáritas. Não, eu não me esqueci de mostrar quais foram os melhores filmes do ano. Eu sei que a ansiedade é uma coisa tramada e vocês estão todos à espera, por isso cá vai: eis o TOP 10 DOS MELHORES FILMES DE 2007:

10º Lugar:
A Maldição Da Flor Dourada

Yimou Zhang é uma espécie de fusão a frio entre Shakespeare e Kurosawa. Depois do~s assombrosos O Herói e O Segredo Dos Punhais Voadores, o realizador chinês regressou com esta tragédia épica em formato kitsch-barroco, como um 300 vestido de lantejoulas.
..::..crítica opinativa aqui..::..

9º Lugar
Missão Solar

Há muito tempo que não surgia nas nossas salas de cinema um bom filme de ficção-científica. Este ano isso aconteceu e trouxe consigo um certo cheiro à boa xungaria da ficção-científica de segunda categoria. Missão Solar é uma caldeirada de influências, que tem o bom gosto de misturar 2001: Odisseia No Espaço e Armagedon, Alien - O Oitavo Passageiro e O Enigma Do Horizonte. Marquem nas vossas agendas: filme de culto para daqui a uma década.
..::..crítica opinativa aqui..::..

8º Lugar
À Prova De Morte

Oh diacho, um filme do Tarantino em 8º lugar? Que se passa, pergunta o incrédulo leitor. Nada, respondo eu. Apenas que 2007 foi um belo ano para o cinema de acção. E como tal, À Prova De Morte ressente-se disso. Mesmo sendo um filme ao nível do mestre - e que evoca Russ Meyer, Bullit e os exploitations dos anos 70 -, À Prova De Morte acaba por ser uma reutilização dos truques de Tarantino, em que se preocupa demasiado consigo próprio em ser cool. É muito bom; só que houve melhor este ano.
..::..crítica opinativa aqui..::..

7º Lugar
The Fountain - O Último Capítulo

Num ano em que muitos previam ser de David Lynch (afinal INLAND EMPIRE foi uma das desilusões de 2007), Darren Aronofsky acabou por levar para casa o prémio de surrealista do ano, provando que não basta ser esquisito só por ser; há que ter um sentido, por mais obscuro e distorcido que seja.
..::..crítica opinativa aqui..::..

6º Lugar
Taxidermia

Há filmes assim, imprevisíveis. Filmes pílulas, com um parafuso a menos, que juntam com sucesso os mais improváveis temas. È assim Taxidermia, uma filme visualmente superior, que cruza com precisão o cinema comunista de Eisenstein, a pornografia gráfica de Pasolini, o burlesco ocre de Jeunet e o surrealismo moral de Buñuel. E tudo isto de forma irónica, original e muito - mas mesmo muito - bem filmada.
..::..crítica opinativa aqui..::..

5º Lugar
Hot Fuzz - Esquadrão De Província

Actuais figuras de peso do humor britânico da actualidade, Edgar Wright e Simon Pegg voltaram ao cinema depois da obra-prima Zombies Party - Uma Noite... De Morte com um filme que parecia condenado a não ver a luz das salas de cinema nacionais. Contudo, contra todas as previsões, Hot Fuzz - Esquadrão De Província acabou mesmo por estrear cá para nossa felicidade: uma comédia britânica que satiriza o género blockbuster americano, de jerry Bruckheimer e Michael Bay, ao transportar um super-polícia para a parvónia.
..::..crítica opinativa aqui..::..

4º Lugar
Mysterious Skin

Para já, não é Mysterious Skin que é a revelação do ano. É antes Joseph Gordon-Levitt. Pelo menos para mim, que não estava nada à espera que o miúdo da família de extraterrestres que veio estudar os humanos em O 3º Calhau A Contar Do Sol se conseguisse soltar da imagem imbecil que tinha para se tornar no próximo Marlon Brando (não, não é exagero). Para além disso, Mysterious Skin é do caraças, um filme indie que segue a linha da homossexualidade (como tem sido tradição dentro do género nos últimos tempos) de forma pouco ortodoxa.
..::..crítica opinativa aqui..::..

3º Lugar
300

Hollywood descobriu o filão Frank Miller e, por isso, podemos esperar um futuro próximo bem risonho para o cinema de acção e de entretenimento. Mesmo que isso não venha a acontecer, pelo menos ficámos já com Sin City - Cidade Do Pecado e 300. Este é o sucessor directo do primeiro, mas preocupando-se muito mais com a palavra entretenimento e muito menos com a palavra épico. 300 é o filme de acção: 300 super-guerreiros contra um arsenal infinito de soldados, batalhões, máquinas de guerra e bestas ferozes, apenas com uma pausa pelo meio para enfiar a martelo um mini-romance.
..::..crítica opinativa aqui..::..

2º Lugar
O Livro Negro

Paul Verhooven foi um dos tipos mais subversivos de Hollywood. No entanto, como os americanos não gostam de filmes de acção em que têm que pensar muito, o realizador holandês foi escorraçado para a sua terra natal. Felizmente, ainda foi bem a tempo para realizar este O Livro Negro, um filme inesperadamente fresco sobre o (já muito batido) Holocausto, com informação, contra-informação, espionagem, conspirações e... Adolf Hitler, obviamente.
..::..crítica opinativa aqui..::..

1º Lugar
Planeta Terror

O projecto Grindhouse chegou à Europa dividido em dois, numa opcção dos produtores de rentabilizar ao máximo o peixe. No entanto, enquanto que À Prova De Morte estreou cheio de pompa e circunstância, Planeta Terror ficou para segundo plano como um género de filho menor. Puro engano: Planeta Terror é o verdadeiro entretenimento xunga, que ceuza zombies, gore, sexo gratuito, one liners espirituosas, gajas com metralhadoras em vez de pernas, carros velozes e estilo, muito estilo. E para não falar da trailer falsa de Machete, que abre todo este festim doentio.
..::..crítica opinativa aqui..::..

Posted by: dermot @ 3:41 da tarde
|  




sábado, dezembro 29, 2007  

HAIRSPRAY:

Título: Hairspray
Realizador: Adam Shankman
Ano: 2007


Sejamos sinceros: ter o John Travolta a fazer de dona-de-casa obesa não é o melhor chamariz para um filme. No entanto, era impossível não ficar com a pulga atrás da orelha, ou não fosse Hairspray o regresso de Travolta ao musical, género no qual alcançou o Olimpo cinematográfico.

Hairspray é a segunda adaptação do homónimo musical de sucesso da Broadway, depois de uma pouco feliz adaptação nos anos 80: uma espécie de fábula adolescente musical, que repesca o cenário do american way of living dos melodramas de Hollywood dos anos 50 (alô alô, Douglas Sirk chamado à recepção) - as casas nos subúrbios com um pedaço de terreno e uma cerca branca -, para o reconstruir em forma de caricatura, aproveitando a música (o rock'n'roll mais especificamente, resgatando o espírito jovem e rebelde dos rock'n'roll-movies patetas dos anos 60) como metáfora para atacar a segregação racial e social. Hairspray é a versão feminina de Brilhantina - e daí o trocadilho com o título, a laca dos hair-dos femininos em oposição ao gel dos penteados masculinos.

Mais especificamente, Hairspray é a estória de Tracy (a debutante Nikki Blonsky), uma adolescente com peso a mais e altura a menos, que sonha ser famosa. Contra todas as previsões, Tracy vai vencer os preconceitos sociais e vai tornar-se na estrela do espectáculo televisivo de variedades de Corny Collins (James Marsden), lutando contra os lobbies televisivos (com uma replandescente Michelle Pfeiffer à cabeça) e lutando pela integração dos negros na sociedade.

Hairspray é realizado por um praticamente desconhecido Adam Shankman, mas quem precisa de um realizador famoso quando temos uma parada de estrelas em vez de elenco - John Travolta, Michelle Pfeiffer, Cristophen Walken (num reprise da sua personagem de Romance E Cigarros), Queen Latifah, Zac Efron e, at last but not least, Jerry Stiller (vénia encarpada com saída à rectaguarda) - e uma paleta de super-canções? A jukebox de Hairspray é uma compilação do melhor countrygrass, das girlgroups e do rock'n'roll negro de Detroit dos anos 60, em versão familiar, coreografada em sequências cheias de cor e alegria.

Hairspray tem apenas a espessura dramática necessária para não quebrar o seu espírito feelgood, mas perde muita vitalidade da primeira meia-hora de filme quando começa a entrar em demasiados sub-argumentos românticos (e estou a esquecer, propositadamente, a cena metida a martelo em que Pfeiffer (quase que) canta). É certo que estes são indispensáveis num filme deste género, mas caso tivesse mantido a inteligência humorística e subliminar durante todo o filme, Hairspray poderia ser um caso sério desta temporada cinematográfica.

Assim, é apenas um grande feelgood movie, um fantástico filme para toda a família, um tímido guilty pleasure, um saboroso Le Big Mac e, sobretudo, um soberbo filme-pastilha-elástica, que se cola facilmente ao cérebro, mas que também satura com igual facilidade se não tomado com moderação.

Posted by: dermot @ 5:01 da tarde
|  




quarta-feira, dezembro 26, 2007  

A HISTÓRIA DE UMA ABELHA:

Título: Bee Movie
Realizador: Steve Hickner & Simon J. Smith
Ano: 2007


Jerry Seinfeld criou uma verdadeira instituição humorística com a sua série de sucesso, Seinfeld, apenas comparável ao dos Monty Python's, originando verdadeiras legiões de fãs fiéis, onde todos conhecem um nazi das sopas ou festejam o Festivus em vez do Natal. Por isso, Jerry Seinfeld é um dos mais seguidos vultos do humor internacional. Mas, exceptuando os seus (geniais) espectáculos de stand-up comedy e alguns esporádicos anúncios, nunca mais fez nada de relevo.

É por isto que este A História De Uma Abelha era aguardado com grande ansiedade. Mesmo que Seinfeld diga que este não é um comeback, uma vez que sempre esteve presente. Nós sabemos que não é bem assim... Por isso, A História De Uma Abelha traz consigo, automaticamente, prós e contras, que o vão fazer com que seja muito difícil analisar imparcialmente. Talvez com uma distância temporal maior resulte melhor. É que se por um lado toda a gente vai querer ver este filme - é o regresso de Seinfeld, ora que porra -, por outro todos vão compará-lo com a série. E como sabemos, isso poderá ser fatal para o filme. Assim, das duas uma: ou as pessoas vão adorá-lo porque é do Seinfeld e, por este prisma, ele até poderia cuspir para o chão que iria ser aplaudido; ou então vai ser massacrado, porque mesmo que tenha algumas valências, as pessoas vão acusa-lo de já ter esgotado o seu stock de boas piadas.

Sendo um admirador ferrenho de Seinfeld, era óbvio que a minha curiosidade por A História De Uma Abelha era muita. No entanto, acho que consigo ser imparcial analisando um e outro. Porque ambos são objectos de entretenimento distintos. O primeiro era um formato com um impacto mais imediato, para um público mais velho e mais sofisticado. O segundo é um objecto de entretenimento familiar, mais ingénuo e descontraído. Melhor ou pior? Diferente, obviamente. Provavelmente, não estou a dizer nada de novo. Antes pelo contrário.

A História De Uma Abelha nasceu, supostamente, de uma piada de Jerry Seinfeld, que disse a Spielberg que era giro fazer um b-movie com abelhas (estão a ver o trocadilho?). Daí até fazer uma animação com abelhas falantes, na boa tradição familiar Disney, foi um pulo de quatro anos - quatro anos a aprimorar piadas e a tecnologia. E se a animação digital está cada vez mais fluída e perfeita, as piadas muitas vezes pecaram pelo óbvio e pela chalaça algo fácil. Nada de preocupante, porque também existem os momentos Seinfeld: pedaços de diálogo sobre os momentos corriqueiros do nosso dia-a-dia, no qual Jerry Seinfeld é ás.

A História De Uma Abelha é um filme que tenta agradar aos mais novos e aos mais velhos, mas que não faz um grande esforço por isso, uma vez que o argumento não é muito inteligente e é demasiado básico para as histórias infantis - nada que nunca se tivesse visto. Há uma abelha que decide colocar em causa o seu destino trabalhador e trava contacto com os humanos, acabando por os processar por consumirem e lucrarem com o mel que as abelhas produzem. A premissa até é gira, mas o resultado é o normal: uma abelha, um relacionamento amoroso, bla bla bla e o final feliz.

Pelo meio há uma tentativa de fazer o primeiro filme de animação de tribunal, mas o flick esgota-se rapidamente. As intenções também ficam curtas na tentativa de criar um divertido mundo-de-abelhas, com poucos momentos de verdadeira imaginação, para lá dos primeiros 15 minutos. E, claramente, misturam-se demasiados tipos de humor, desde o mais fácil ao mais adulto.

A História De Uma Abelha é, então, um filme limpinho e asseado, sem grandes golpes de asa e que vale, sobretudo, pelo regresso de Jerry Seinfeld às grandes produções. Peca, sobretudo, pela falta de experiência do seu mentor. Se tivesse uma máquina oleada por trás que tivesse esprimido as ideias de forma correcta, o resultado teria sido outro. Mas viu-se que também não foi essa a intenção (nem sequer existe uma theme song interpretada por um famoso qualquer), o pessoal queria antes divertir-se. Por isso, vá ao cinema para se divertir também e esqueça Jerry Seinfeld. Lembrem-se antes de um McBacon e do Joe, de Family Guy.

E já agora: fui ver a versão original, legendada em português, e fiquei espantado com aquela tradução tão livre e imaginativa. Uma coisa é traduzirem os trocadilhos que não resultam em português para qualquer coisa divertida, mas outra é inventarem piadas que não existem. Porque raio transformar um oh my num valha-me o favo? É mesquinhice minha ou nem por isso?

Posted by: dermot @ 11:26 da tarde
|  




segunda-feira, dezembro 24, 2007  

TOP 5:

Hoje é véspera de Natal e, por isso, decidi dar um presente aos fiéis leitores desta humilde tasca cinéfila. E não é uma prenda qualquer. É a prenda que todos aguardam ansiosamente deste escriba: o famoso TOP 5 DOS PIORES FILMES DE 2007.

(In)felizmente, este ano vi muito poucos maus filmes. Ainda nem sequer vi Corrupção, vejam lá como anda a minha vida. Por isso, tenham em consideração nesta lista o universo de filmes tomados como amostra.

5º Lugar
Capitão Alatrisre

É até há data o filme mais caro da estória da indústria cinematográfica espanhola e é a adaptação ao grande ecrã de um dos mais fmaosos heróis da literatura espanhola, o Capitão Alatriste, um espadachim do império espanhol, primo afastado de Dom Quixote e Blueberry.
Capitão Alatriste está cheio de boas intenções: tenta recuperar o espírito das matinés domingueiras de Errol Flynn, tem um Viggo Mortensen a falar espanhol irrepreensivelmente e tem influências negras do western spaghetti. O problema é a sua ambição desmedida, uma vez que tenta adaptar de uma só vez, todas as aventuras do valente herói.
Não é o pior, mas é a desilusão do ano.
..::..crítica opinativa aqui..::..

4º Lugar
Dominó

Tony Scott é como uma acidente de viação: ao passarmos por um, é impossível resistirmos à curiosidade e abrandamos para ver. Scott é tudo aquilo que abominamos no universo de plástico de Hollywood, um tipo que pensou que criar um estilo próprio era só usar uns filtros de cores saturadas e tremer um pouco a câmara.
Dominó é apenas uma desculpa para Scott mostrar este seu "virtuosismo", mas nem nisso consegue acertar aqui. Mesmo que haja Mickey Rourke, os Eagles Of Death Metal na banda-sonora e Tom Waits a fazer de si próprio, ou seja, de Deus.
..::..crítica opinativa aqui..::..

3º Lugar
Shortbus

Sim, é verdade: eu tenho um problema com o sexo explícito no cinema. Então que me fez ir ver Shortbus? O facto de haver: 1) sexo heterossexual 2) ménages à trois 3) sexo lésbico 4) masturbação feminina.
Shortbus é um filme indie que arrasa com qualquer tabu sexual. No entanto, perde demasiado tempo em sexo explícito, abafando qualquer aprofundamento dramático.
..::..crítica opinativa aqui..::..

2º Lugar
Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol

O ano passado tivemos Stoned - Anos Loucos e este tivemos Factory Girl: biografias em forma de caricatura de antigas estrelas da cultura pop, que mais se poderiam chamar Biografias para Totós. Mas este tem o agravante de ter um elenco péssimo (Sienna Miller continua a ser mais conhecida pelo seu par de cornos famoso do que pelos seus atributos representativos, Hayden Christensen é o pior actor da sua geração e uma gémea Olsen é... bem, é uma gémea Olsen) e uma ofensa indesculpável a Bob Dylan.
..::..crítica opinativa aqui..::..

1º Lugar
O Capacete Dourado

2007 não foi um ano feliz para o cinema nacional. Mas O Capacete Dourado parecia querer vir salvar o cenário, rotulado quase como o salvador do cinema português. Pelo menos não tinha diálogos teatrais. Mas tinha personagens esteriotipadas confragedoras, cenas residuais gigantes, uma tentativa de pôr motas a bailar ao som de Danúbio Azul e um rebelde sem causa em cima duma 125 e com um capacete fechado prateado.
..::..crítica opinativa aqui..::..

Posted by: dermot @ 12:49 da tarde
|  




domingo, dezembro 23, 2007  

PROMESSAS PERIGOSAS:

Título: Eastern Promises
Realizador: David Cronenberg
Ano: 2007


Os admiradores mais fiéis de David Cronenberg não ficaram muito satisfeitos com o incaracterístico thriller Uma História De Violência, acusando o realizador de se ter rendido ao maistream. O que não deixava de ser irónico, tendo em conta que Uma História De Violência era o seu melhor filme em muitos (dez?) anos. E, visto bem as coisas, até era um filme bem próximo da temática preferida de Cronenberg: a projecção do eunoutro corpo.

Se não gostou de Uma História De Violência, o mais certo é não gostar deste Promessas Perigosas, filme que segue as pisadas do seu antecessor, quer temática quer formalmente: um thriller que se sobrepõe ao próprio género, Viggo Mortensen num papel algo semelhante e uma espécie de ideia de que a violência é como um gene que se transmite.

Promessas Perigosas debruça-se sob o submundo da máfia russa nas ruas de Londres, que nos vai fazer começar a ir ao LIDL com muito mais cuidado. Naomi Watts é Anna, uma parteira que se vai ver envolvida numa rede de lenocídio, tráfico humano e prostituição, orientada pelo rei do crime e cozinheiro Semyon (Armin Mueller-Stahl), o seu filho Kirill (Vincent Cassel) e o motorista deste, Nikolai (Viggo Mortensen).

Promessas Perigosas é um filme gelado e sem coração, feito com uma precisão milimétrica, como se Cronenberg quisesse captar a cristalização da violência, enquanto sentimento absurdo e sem sentido. E, talvez devido a isto, a realização do realizador canandiano é totalmente absorvida pelo trabalho dos actores, todos eles capazes de verdadeiros tours de force (com excepção de Naomi Watts, claramente o elo mais fraco). Obviamente que se nota o dedo de Cronenberg nas alturas mais explcítas, naquele seu tradicional gore realista, seco e cru - aqui personificado em muitos pescoços cortados.

O filme mergulha de cabeça na realidade da máfica russa, estando para esta como O Padrinho está para a italiana. Mas é Viggo Mortensen quem acaba por subir ao pedestral, tendo vindo a tornar-se num dos actores mais ímpares dos últimos anos. Um dos últimos verdadeiros seguidores do método Stanislavski, Mortensen isolou-se incognitamente durante semanas a fio na Sibéria e nos Montes Urais, assimilando os sotaques de leste, a história das gangues russas e as tradições das suas prisões, criando um papél fantástico na pele de Nikolai, um duro motorista e guarda-costas, mas com um misterioso segredo no bolso de trás da sua vida.

Se tivesse sido pegado por outro realizador qualquer, Promessas Perigosas teria sido, provavelmente, mais um daqueles filmes banais que tanto passam na TVI às quintas à noite. Mas, mesmo com Cronenberg ao leme, se Viggo Mortensen não estivesse lá naquele papel, seguramente Promessas Perigosas não teriam o mesmo brilho. E tal como Uma História De Violência tinha uma daquelas cenas que ficou para os anais da filmografia do realizador canadiano (a tal violação consentida numa escadas), Promessas Perigosas tem uma cena que ficará inscrita nos anais do próprio cinema: um arrepiante combate mano-a-mano entre um Mortensen nu e dois tchetchenos armados com facas afiadas, nuns banhos turcos.

Promessas Perigosas fica ali no limbo entre o McRoyal Deluxe e o Le Big Mac, pendendo ligeiramente para este último.

Posted by: dermot @ 4:41 da tarde
|  




domingo, dezembro 16, 2007  

MURDERBALL - ESPÍRITO DE COMBATE:

Título: Murderbarll
Realizador: Henry Alex Rubin & Dana Adam Shapiro
Ano: 2005


A grande maioria de nós tem a ideia de que os deficientes motores são pessoas infelizes, frágeis, passivos e totalmente dependentes de outros. Por isso é que quando os vêem na rua pensam de si para si coitadinhos. Mas claro que não é bem assim; existem muitos deficientes motores activos, independetes e, completamente, autónomos. E depois existem ainda outros, que se degladiam sem tréguas em cadeiras de rodas blindadas.

Murderball - Espírito De Combate é um documentário que se fixa sobre este último grupo: o do universo do rugby para paraplégicos, uma mistura do rugby convencional com cadeiras-de-rodas artilhadas, que parecem saídas directamente de Mad Max - As Motos Da Morte. A coisa é bem agressiva e até envolve muitas fracturas de pescoço e escoriações.

O filme centra-se na grande rivalidade que há entre as selecções dos Estados Unidos e a do Canadá, durante o período compreendido entre o Mundial da Suécia e os Jogos Olímpicos de Atenas. O documentário acompanha os jogadores de ambos os lados, mas dá preferência a dois deles: o norte-americano Mark Zupan, que é tipo o Petit do rugby para paraplégicos; e o treinador da selecção do Canadá, o também norte-americano e o maior jogador de murderball de sempre, o descendente português Joe Soares, um tipo assustadoramente parecido ao Woody Harrelson e com igual mau feitio que a personagem deste em Assassinos Natos.

Contudo, Murderball - Espírito De Combate preocupa-se muito pouco com o mundo do desporto em si. Aliás, as regras do rugby para tetraplégicos são despachadas mal e procamente e as filmagens do jogo são apenas resumos manhosos, montados segundo a escola MTV. O verdadeiro de intuito de Murderball - Espírito De Combate é a parte humana destes jogadores, pintando um quadro de grande vontade, querer e motivação, que pode servir de inspiração a muitos de nós.

Murderball - Espírito De Combate é um documentário certinho e bem estruturado, que sabe pegar no essencial e contextualiza-lo: apresenta os jogadores, documenta a forma como eles vivem no seu dia-a-dia, descreve os seus treinos, repesca os motivos das suas deficiências e entrevista os seus amigos e familiares, rematando tudo com o tal jogo decisivo - e que termina de forma bem irónica.

No entanto, há ali qualquer coisa no filme que soa a falso. Sem querer adiantar spoilers (não, ninguém morre no fim), surpreende um pouco a facilidade das imagens captadas no hospital durante uma emergência e tem um ar um pouco a fraude o boneco que faz de Joe Soares, do género eu tinha mau feitio, mas agora com as adversidades, mudei de dia para a noite. Mas como eu sou um gajo de bom coração e que acredita nas pessoas, eu vou crer que tudo aquilo se passou assim e que não nenhuma manipulação e descontextualizaçãod as imagens, e vou rematar esta prosa com um McRoyalDeluxe e, claro, um ponto final.

Posted by: dermot @ 7:20 da tarde
|  




quinta-feira, dezembro 13, 2007  

ACROSS THE UNIVERSE:

Título: Across The Universe
Realizador: Julie Taymor
Ano: 2007


Com a prestação discreta que tem tido nas salas de cinema de todo o Mundo, Across The Universe prestava-se a passar despercebido pelo meu entendimento, quando alguém me disse as palavras mágicas: isto é tipo o Moulin Rouge, mas com as músicas dos Beatles. Num ápice, Across The Universe passou de dispensável a must see, ou não fossem os Beatles quase a melhor banda de sempre e Moulin Rouge o melher que aconteceu ao musical desde... sempre (ou pelo menos, desde Brilhantina).

De facto, Across The Universe é um musical baseado no cancioneiro dos Beatles - Jude (Jim Sturgess) é a personagem principal, um jovem de Liverpool (deonde mais poderia ser?) que se muda para os Estados Unidos de Kerouac e Bukowski. Aí conhece Max (Joe Anderson) e o amor da sua vida, Lucy (a senhora Marylin Manson, Evan Rachel Wood), para além de Sadie, uma Janis Joplin look-alike (Dana Fuchs), e Jojo (Martin Luther), um Jimi Hendrix wannabe.

Across The Universe não tem grande história: tudo se passa ao sabor das músicas e o argumento voa à velocidade da luz até se deter em algum momentos em que haja uma letra de uma canção adequada. Aliás, existem personagens que só lá estão para poderem meter algumas músicas a martelo, como a de Prudence (T.V. Carpio). O que é estranho é que este filme já foi feito nos anos 70, só que em mais pateta e com menos músicas - o mítico Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band. Só que enquanto toda a gente quer esquecer que isto existe, Across The Universe tem sido muito bem recebido.

Atenção para o facto deste ser um filme sobre as músicas dos Beatles e não sobre os Beatles (mesmo que haja lá uma espécie de Yoko Ono em versão masculina, activista político e destruidor de famílias). Tudo começa com a fase pop solarenga dos fab four, em que o rock tinha tudo a ver com ser rebelde, festivo e feliz, lembrando aqueles vídeos patetas e inconsequentes do Help! e do Os Quatro Cabeleiras Do Após-Calipso (esta tradução provoca-me um ataque de risos incontrolável); depois há um pulo para os anos 60 psicadélicos, a era da paz e amor e a fase do Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band e da Magical Mistery Tour (com direito a magical mistery bus e tudo), onde o filme é filtrado por um caleidoscópio e LSD; e por fim, aterra na contra-cultura norte-americana, no Vietname e na fase da depressão dos anos 70.

Existe algo de irrepreensível e digno de nota em Across The Universe e não, não é o facto de Bono ter um cameo divertido; é antes a banda-sonora. Esqueçam o Love - esta banda-sonora traz os melhores arranjos que se poderiam dar às músicas dos Beatles. Exstem excepções, obviamente, mas versões como a de Come Together, soam tão bem quanto as originais.

Uma primeira parte maçadora que sobrevive à custa das canções dos Beatles e uma recta final verdadeiramente inequecível, Across The Universe arrisca-se a ser extremamente chato e algo insignificante para quem não gosta/conhece os Beatles. Para quem é fã da banda de Liverpool então o filme é uma autêntica pastilha elástica que se cola ao cérebro (os McRoyal Deluxes não se colam ao cérebro). Mas atenção, porque este tem a mesma facilidade de saturação do que de vicío.

Posted by: dermot @ 12:38 da manhã
|  




segunda-feira, dezembro 10, 2007  

PIRATES OF THE CARIBBEAN: AT WORLD'S END:

Título: Piratas Das Caraíbas Nos Confins Do Mundo
Realizador: Gore Verbinski
Ano: 2007


Depois do sucesso estrondoso e igualmente inesperado de Piratas Das Caraíbas: A Maldição Do Pérola Negra, era indispensável uma triologia - porque a Disney não é conhecida por desaproveitar galinhas de ovos de ouro. No entanto, entre esse tomo inaugural e o seu sucessor, Piratas Das Caraíbas: O Cofre Do Homem Morto, as diferenças eram abismais. Enquanto que o primeiro deveu o seu sucesso ao seu despretensionismo, uma história que recuperava as aventuras de piratas de forma simples e concisa, o segundo tentava arrastar o filme para os territórios da imortalidade, transformando-o num épico gigantesco, de várias horas de duração, argumentos e sub-argumentos ao pontapé, personagens secundárias infinitas e muita - muita mesmo - masturbação digital.

No entanto, O Cofre Do Homem Morto até nem era um mau filme. Apesar de ser quase preciso um curso intensivo para o compreender, acabava por entreter o suficiente e toda aquele aparato visual enganava-nos a mente ao deliciar-nos a vista. E claro, depois havia Jack Sparrow, a fantástica personagem de Johnny Depp, que apesar de aparecer já muito menos, não deixa de ser um dos mais divertidos bonecos da história do cinema.

Vimos então A Maldição Do Pérola Negra e gostámos muito; depois vimos O Cofre Do Homem Morto e já não gostamos tanto; por isso, não íamos deixar de ver Nos Confins Do Mundo, o (aparente?) final destra triologia que voltou a colocar os piratas no local em que eles merecem.

O Cofre Do Homem Morto tinha acabado num cliffhanger gigante e nós sabíamos como Nos Confins Do Mundo ia começar. E esa primeira parte é, evidentemente, a mais feliz do filme. Voltamos a reencontrar as personagens que tinhamos deixado no último a meio - agora com o regresso do Capitão Barbossa (Geoffrey Rush) e da assustadora e nova-orleana Tia Dalma (Naomie Harris) - e voltamos a relembrar toda aquela demanda épica.

A coisa está agora mais simplificada, uma vez que já foi colocada a carne toda no assador em O Cofre Do Homem Morto. No entanto, após o reaparecimento de Jack Sparrow, Nos Confins Do Mundo volta a querer ser eloquente - e Gore Verbinski e megalomania nunca foram duas palavras que tiveram grande associação de sucesso. Por isso, voltamos a assistir a mais voltas e reviravoltas no argumento, o que nos faz começar a tirar apontamentos e anotações, para às tantas perceber tanta informação.

Apesar do seu tom bem mais negro do que os anteriores, Nos Confins Do Mundo não se esquece do que é: um blockbuster do Verão, ideal para o deleite dos nossos olhos e ouvidos em detrimento do cérebro. E, por isso, voltam a existir peripécias visualmente arrebatadoras, que culminam com uma batalha gigante em alto mar, que em nada deve à de O Senhor Dos Anéis: O Regresso Do Rei. Pelo meio há ainda uma confrontação mano-a-mano entre todas as personagens do filme remeniscente de Leone e de Era Uma Vez No Oeste e uma incursão visualmente superior por uma Singapura influenciada por Miyazaki.

É ainda em Os Confins Do Mundo que Gore Verbinski perde, verdadeiramente, a mão aos acontecimentos, uma vez que nem sempre consegue manusear as ferramentas do entretenimento: o humor raramente funciona, apesar das várias anedotas de piratas, e o comic relief a cargo da dupla Ragetti/Pintel, que tão bem tinha resultado no filme anterior, deixa muito a desejar. Quem está claramente melhor é Orlando Bloom, já mais longe daquele dramatismo de cartilha de quem está sempre a interpretar as peças de Shakespeare lá da escola secundária, ao contrário da bela Keira Knightley, sempre demasiado maquilhada para ser credível.

Menção honrosa ainda para a (finalmente) estreia de Keith Richards, no papel de pai de Johnny Depp. E, inesperadamente ou não, Richards (vénia, vénia, vénia) faz o papel de si próprio: um pirata que sobrevive a tudo, de guitarra na mão e muito romantismo e estilo na outra.

Se~não ficou desiludido com O Cofre Do Homem Morto, então irá adorar Nos Confins Do Mundo. Se é fã da série Piratas Das Caraíbas, então não ficará mais ofendido com Nos Confins Do Mundo do que ficou no tomo anterior. E se é fã incondicional de piratas e sabe os diálogos todos do Monkey Island de cor, então este é o filme certo para si. Eu cá por mim continua a ser um McBacon, mas com muito mais batatas fritas que o seu antecessor.
Avast, me proud beauty! Wanna know why my Roger is so Jolly?


Recupere aqui A Maldição Do Pérola Negra.
Ou então aqui O Cofre Do Homem Morto.


Posted by: dermot @ 6:00 da tarde
|  




quarta-feira, dezembro 05, 2007  

CHOCOLATE:

Título: Chocolat
Realizador: Lasse Hallström
Ano: 2000


Existem dois tipos de filmes de gaja: as comédias românticas, normalmente com o Hugh Grant no principal papel a sacar a tipa mais improvável da estória; e os chick flicks, dramas românticos agridoces, com final feliz e nenhum sangue derramado. Ambos servem para uma coisa: para levarmos a namorada ao cinema.

Chocolate é o filme de gaja ideal: uma fábula romântica, com doses iguais de tristezas e alegrias, que termina no final feliz previsível - todos são felizes, os velhos morrem e os protagonistas casam-se. Pelo meio, há ainda habitual cena drmática - aqui é um incêncio -, a morte do ancião da história, o caso romântico e o viveram felizes para sempre. Se já sabemos como o filme vai terminar, o que podemos pedir então a um filme como este? Que seja sincero e que esprema ao máximo os seus trunfos - e é por isto que Titanic é o tearjerker perfeito.

Chocolate é a adaptação cinematográfica do romance homónio pela mão do sueco Lasse Hallström, com um elenco recheado de estrelas - uma bela Juliette Binoche, uma magistral Judi Dench, Alfred Molina, Carrie Ann-Moss e um fugaz Johnny Depp, a fazer de si próprio. Ambientada numa aldeia francesa no final da década de 50, Chocolate é a estória de uma mulher (Juliette Binoche, obviamente) de ideias um pouco invulgares para a época e, ainda para mais - pasme-se -, ateia, que vai abrir uma chocolataria na mais rígida e conservadora aldeia de França - conservadorismo este, encarnado na personagem de Alfred Molina.

Com o seu dom especial para os doces de chocolate, Binoche (ou melhor, Vianne Rocher) vai despertar aquela aldeia da letargia cristã em que se encontrava mergulhada, fazendo com que os seus habitantes aprendam a viver a vida em vez de se preocuparem em demasia com a vida dos vizinhos.

Chocolate tem uma fotografia castiça e apaixonante da sociedade rural e rústica, uma divertida aura de fábula (que o faz parecer, por vezes, num parente distante de Eduardo Mãos-De-Tesoura), com piratas e cangurus imaginários, e uma mensagem bonita e cor-de-rosa. No entanto, o argumento alimenta-se de forma automática, o que o faz parecer o pinóquio: um corpo de madeira bem bonito por fora, mas muito pouca alma por dentro. Falta-lhe uma entrega total por parte do realizador ao filme e não o limitar-se a adaptar uma boa estória.

Chocolate é, então, o habitual chick flick, que não vem reinventar o estilo, nem tão-pouco elevá-lo a um patamar acima. Serve apenas para ver com companhia feminina ou em tardes familiares, de espírito natalício. Imaginem um McBacon na ceia de Natal.

Posted by: dermot @ 5:50 da tarde
|  




terça-feira, dezembro 04, 2007  

PLANETA TERROR:

Título: Planet Terror
Realizador: Robert Rodriguez
Ano: 2007


Eu sei que já toda a gente falou nisto e que já foram derramados litros de tinta para discutir sobre isto, mas é mais forte do que eu e não consigo evitar: a decisão de dividir À Prova De Morte e Planeta Terror foi a decisão cinematográfica mais estúpida do ano. Planeta Terror e À Prova De Morte são as duas faces do projecto Grindhouse, um filme conjunto entre Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, que pretende recriar as quase já extintas double features, ou seja, sessões duplas de filmes duvidosos. Por isso, dividir isto em dois filmes distintos é como se chegasse um tipo e dissesse ao Soderbergh ah e tal, afinal vamos lançar O Bom Alemão a cores, e ele contrapunha mas aquilo é uma recriação do film noir, assim vai perder toda a identidade, e o outro explicava sim, eu sei, mas os americanos não perceberam o conceito e nós vamos partir do pressuposto que os europeus são tão estúpidos quanto nós.

Agora que já desabafei, vamos ao que interessa: meses depois da sua estreia, eis que Planeta Terror chegou finalmente aos cinemas de Setúbal. E em boa hora o fez; porque se se tivesse atrasado mais um mês, não o poderia pôr na minha lista dos melhores filmes do ano como o número um.

Planeta Terror recupera na perfeição a essência do cinema xunga, tão propelado nas tais sessões duplas, que no fundo se pode resumir a isto: muitas mulheres bonitas, com muita pele à mostra e muitos planos de rabos e mamas gratuitos (é bom ver que o espírito de Russ Meyer continua bem vivo); muita violência gráfica e estilizada, porque o gore nunca é demais; muitas armas e quanto maiores, melhor; muitos carros velozes; e muitas mulheres bonitas armadas, a andar em carros velozes e a matar indiscriminadamente.

Planeta Terror é um típico filme de zombies, mas que não se esgota no género: Bruce Willis é o Tenente Muldoon, no habitual papel de badass muthafucka (Bruce Willis é o Samuel L. Jackson dos brancos), que para além de ter morto Bin Laden com as próprias mãos(!), quer transformar toda a população do Mundo em zombies por uma qualquer razão que para aqui agora não importa - não por ser um spoiler, mas por ser insignificativa, como todo o enredo do filme. Por isso, convém que existam uns heróis que o tentem parar. E eles são, a saber: El Wray (Freddy Rodríguez), um tipo misterioso com especiais habilidades nas artes marciais e no tiro; Cherry Darling, uma go-go dancer com uma metralhadora em vez de perna (how cool is that?); Dakota Block (Marley Shelton), uma anestesista com uma pistola de seringas; e JT (Jeff Fahey), um cozinheiro reputado e dono da maior espelunca da estória dos restaurantes.

Completamente série b, Planeta Terror é muita aparência e pouca essência. No entanto, nestes casos de entretenimento para se ver com o cérebro desligado, o que se pede não são personagens tridimensionais: são antes bonecos cheios de estilos, que compensem essa falta de espessura dramática. E estilo é com Robert Rodriguez, ou já se esqueceram de Desperado? Em Planeta Terror há camiões tir carregados de estilo até acima, que fazem À Prova De Morte parecer uma coisa de crianças.

Como é sabido, Planeta Terror (tal como À Prova De Morte) tenta recriar em absoluto a experiência das grindhouses. Isto é o mesmo que dizer que toda a fita é, propositadamente, riscada até à exaustão (dando-lhe o nostálgico aspecto dos exploitation movies da década de 70), são perdidos frames e danificadas bobines, entre outros percalços de projecção. Mas Planeta Terror não precisava de tudo isto, uma vez que já é visualmente apelativo. Principalmente a parte gráfica, onde o gore é levado ao extremo: os zombies são verdadeiros sacos de sangue, que explodem em cascatas vermelhas, como no saudoso House Of The Dead.

Vamos então conferir a lista de coisas necessárias para um bom filme xunga:
Gajas boas - confirmado
Explosões regulares - confirmado
Armas grandes e carros velozes - confirmado
Sangue, muito sangue e algumas vísceras - confirmado
Violência gráfica e exacerbada - confirmado
One liners espirituosas - confirmado
Sensacionalismo barato - confirmado

Planeta Terror é o melhor entretenimento dos últimos tempos (anos, décadas, de sempre?), feito apenas e só para divertir o espectador. Por isso, não espere que tudo faça sentido na linearidade narrativa: se for necessário usar um camião que foi capotado há duas cenas atrás, utiliza-se e pronto. E se a personagem que na cena anterior estava a quilómetros de distância, desse agora um jeitão do caraças, vai-se buscá-la e pronto.

Além de filme de zombies, Planeta Terror é ainda um filme catástrofe-survivor, descendente directo de Nova Iorque 1997. E mesmo que a banda-sonora de Carpenter ficasse ali que nem uma luva, não nos podemos em nada queixar do trabalho de Rodriguez enquanto compositor, principalmente no que diz respeito à theme song, num surf-rock sujo e áspero, com um saxofone rachado.

Antecipo-me à minha lista de melhores do ano e digo já que este é o Royale With Cheese de 2007. E para não pensarem que ainda estou extasiado com o filme e que não digo mal de nada, vou terminar estas linhas com uma queixa: não gostei nada da personagem de Quentin Tarantino. Era dispensável tanta palhaçada forçada, no meio de já tanta palhaçada.

Posted by: dermot @ 12:16 da manhã
|  




segunda-feira, dezembro 03, 2007  

PAPILLON:

Título: Papillon
Realizador: Franklin J. Schaffner
Ano: 1973


Dez anos depois de ter protagonizado A Grande Evasão, Steve McQueen regressou ao tema para experimentar a maior evasão de todos os temos: a de Papillon, o mítico prisioneiro francês, que depois de várias tentativas, lá conseguiu escapar da infame colónia penal da Guiana Francesa, para escrever um dos mais famosos best-sellers de todo o tempo.

Henri Charriere (aqui interpretado por Steve McQueen), mais conhecido por Papillon, foi condenado à prisão por, alegadamente, ter morto um chulo (acusação que este sempre negou). Talvez por este sentimento de injustiça, Papillon nunca se resignou à sua condição de presidiário e, por isso, decidiu que iria evadir-se. Mesmo que a colónia penal da Guiana Francesa fosse uma ilha expugnável. Bastava-lhe apenas desenvolver os contactos certos. E é assim que nasce a relação com outro prisioneiro, o falsificador Louis Dega (fantástico secundário Dustin Hoffman, num pateta cheio de maneirismos).

Apesar da alcunha efeminada e da tatuagem no peito algo amaricada de uma borboleta, não se deixem enganar: a personagem de Steve McQueen é um belo exemplar dos heróis duros e inquebráveis que o mítico actor norte-americano nos habituou durante a sua carreira. Por isso, se ele diz no princípio do filme que vai fugir, nós só podemos acreditar. Mesmo que haja uma ilha rochosa, guardas corruptos, barcos podres, águas com tubarões, freiras desonestas, polícias hondurenhos, batedores indígenas e muitos polícias armados e de mau feitio.

Papillon é assim uma espécie de O Presidiário meets Eu Sou Evadido meets Desaparecido Em Combate, cujas proporções que a empresa ganha e a duração do filme transformam num épico que é um verdadeiro hino à preserverança e determinação do Homem livre. Mas aliado a isto, Papillon é ainda uma excelente demonstração dos laços de amizade e fidelidade entre dois homens, cuja relação começa por ser de interesse, mas que acaba por se tornar numa amizade verdadeira e duradoura.

Com uma banda-sonora assinalável do mestre Jerry Goldsmith e uma realização competente de Franklin J. Schaffner, sempre a tirar grande proveito da escala desumana da colónia penal, Papillon consegue nunca ser maçador (apesar de uma parte final algo molenga), mesmo quando tem que repisar a mesma tecla. Além do mais, tem uma sequência asfixiante com Papillon a passar cinco anos numa solitária, comendo insectos, falando com as paredes e a apanhar água da chuva com a testa.

Papillon é um dos mais inesquecíveis McRoyal Deluxes de Steve McQueen, que apesar de não ser o melhor, é o último bom filme do lendário actor.

Posted by: dermot @ 12:58 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014