Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



terça-feira, agosto 28, 2007  

CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL - SETEMBRO:

Adivinhem quem voltou.
O Clube de Cinema de Setúbal, depois das merecidas pausas, volta ao activo. E para celebrar o final do Verão - e da silly season -, nada melhor do que um ciclo de cinema ao ar livre, sobre férias, viagens e praia.

Durante todos os domingos de Setembro, pelas 21h30, as instalações do IPJ de Setúbal transformam-se num cinema ao ar livre, sob o céu estrelado da noite (isto se as condições atmosféricas permitirem, obviamente). Como habitualmente, a entrada faz-se a troco de 1 singelo euro, com desconto de 50% para estudantes.

Quanto à programação destaque ainda ao tributo ao mestre Michelangelo Antonioni, o cineasta italiano que nos deixou recentemente, com a projecção de uma das suas mais conceituadas obras: História de Um Fotógrafo. Apareçam, divulguem e convidem um amigo. Bom cinema.




Dia 2 – História de Um Fotógrafo, de Michelangelo Antonioni, 1966 (111m) M/12
Dia 16 – Tubarão, de Steven Spielberg, 1975 (124 m) M/12
Dia 23 – Fim-de-Semana Alucinante, de John Boorman, 1972 (102 m) M/15
Dia 30 – O Fabuloso Destino de Amélie, de Jean-Pierre Jeunet, 2001 (122m) M/12

Posted by: dermot @ 4:25 da tarde
|  




segunda-feira, agosto 27, 2007  

O 5º ELEMENTO:

Título: The Fifth Element
Realizador: Luc Besson
Ano: 1997


Depois de ter conquistado Hollywood com um par de filmes assombrosos (alguém mencionou León, O Profissional?), Luc Besson decidiu provar que era superior aos tecnocratas do meio e que não precisava deles para nada. Assim, voltou para a sua França natal e realizou a maior produção europeia de sempre, um blockbuster futurista chamada O 5º Elemento.

A ficção-científica faliu desde que nos apercebemos que os cenários futuristas que nos eram prometidos no início do século XX não iriam ser bem assim - em pleno século XXI continuamos sem ter carros voadores, teletransporte, a conquista do espaço e outras utopias semelhantes. Por isso, os grandes sucessos do género dos últimos tempos têm sido aventuras mais ou menos realistas. Mas Luc Besson não quis saber nada disso e, pegando numa ideia que tivera no liceu, criou um novo universo futurista, um primo não muito afastado de Star Wars, com planetas, galáxias, naves e criaturas esquistas.

A premissa é a mais antiga de sempre no campo da acção: o Bem versus o Mal. De 5000 em 5000 anos, o Mal (assim mesmo, em formato artigo definido com letra maiúscula) tem uma nova chance para destruir a galáxia; e a única arma contra isso, são os cinco elementos terrestres: água, terra, fogo, ar e um ente supremo e perfeito - Leeloo (uma igualmente perfeita Milla Jovovich). Estamos então em 2263 e o Mal tem nova tentativa para destruir o Universo. E Korben Dallas (Bruce Willis), um taxista com pouca sorte na vida, vai ter que salvar o dia.

Antes de continuar, convém fazer aqui uma ressalva que me parece muito interessante. Normalmente, os filmes que abordam tentativas de armagedão costumam colá-lo à tradição bíblica. Mas Lub Besson afasta-se desta hipótese e abraça uma tese mais esóterica, em que o comando da vida está a cargo de uma força cósmica e não de uma força divina.

Desde que George Lucas criou o universo Star Wars que ninguém criava um mundo fantástico tão completo e detalhado. E para isso, Besson recorreu-se da ajuda dos melhores: de Moebius (vénia) e Jean-Claude Mézières para desenharem as cidades, criaturas e ambientes; e Jean-Paul Gaultier para criar os fatos. O resultado é a Nova Iorque mais interessante desde Blade Runner - Perigo Iminente, com claras influências do futurismo de Metropolis e da Cittá Nuova de Sant'elia (os arranha-céus a perder de vista e as ruas suspensas).

Mas não só de crituras se faz O 5º Elemento; também existem um sem-número de personagens geniais: o vilão Zorg (Gary Oldman) ou, principalmente, Ruby Rod (Chris Tucker), uma estrela de rádio andrógena e irritante, metade Prince metade Lenny Kravitz. E depois há o último herói de acção, o anti-herói Bruce Willis, que após Assalto Ao Arranha-Ceús, volta a ter que salvar o Mundo por estar no lugar errado há hora errada.

Quanto ao filme em si, O 5º Elemento é uma aventura pipoqueira com doses iguais de acção non-stop e humor. Besson conhece o mercado como poucos e sabe agradar ao público e, por isso, o filme sabe carregar ainda no romance e no tearjerker quando o tem que fazer, sem que saiba muito a plástico. Há ainda as habituais sequências trepidantes de acção, com muitas armas em que não acabam as munições, e explosões qb. Ou seja, o blockbuster habitual, mas bem feito.

O 5º Elemento é um enorme saco daquelo a que os americanos chama de eurotrash. Eu digo que é o nosso Armageddon. E tal como este, também gosto. E de McBacons também.

Posted by: dermot @ 8:21 da tarde
|  




sexta-feira, agosto 24, 2007  

O COURAÇADO POTEMKIN:

Título: Bronenosets Potyomkin
Realizador: Sergei Eisenstein
Ano: 1925


Diz a sabedoria popular, muito sabiamente, que a pena (leia-se caneta) é mais forte que a espada. Obviamente que é verdade, mas no século XX o progresso pariu algo ainda mais poderoso: o cinema. De facto, uma imagem vale mais do que mil palavras (outra vez a sabedoria popular) e, desde cedo, que os grandes líderes políticos se aproveitaram disso. António Ferro, o infame ministro da cultura de Salazar, disse um dia que "a sua magia, o seu poder de sedução, a sua força de penetração, são incalculáveis. Mais do que a leitura, mais do que a música, mais do que a linguagem radiofónica, a imagem penetra, insinua-se, quase sem dar por isso, na alma do homem(...) O espectador é um ser passivo, mais desarmado do que o leitor(...)".

Mussolini tinha a Cinecittá, uma verdadeira cidade do cinema, a trabalhar para si; Hitler tinha Leni Riefenstahl; Salazar tinha António Ferro a controlar um cinema à sua imagem ideológica; e a União Soviética comunista tinha Sergei Eisenstein.

Mas Eisenstein não foi apenas um resultado do comunismo; foi também um cineasta visionário e um dos mais vanguardistas realizadores da história da sétima arte, que redefiniu muitas das convenções de fazer cinema, especialmente na sala de montagens, onde foi um verdadeiro inovador. E a sua obra mais aclamada foi O Couraçado Potemkin.

Vamos então por partes: O Couraçado Potemkin é um dos mais propagandistas folhetos do regime comunista soviético, ou não tivesse sido Eisenstein peça activa na revolução contra o czarismo. O filme baseia-se então nuam tentativa de revolta revolucionária verídica de 1905, onde os marinheiros de um barco de guerra - o Potemkin - rebelaram-se contra a precaridade das suas condições, deflagrando uma revolta em terra. Eisenstein recria este capítulo da estória soviética elevando-a a níveis heróicos de grande monumentalidade, com banda-sonora triunfal a condizer, vincando os valores do comunismo e da utopia trabalhista que na altura ainda era tida como certa.

Anos mais tarde, Eisenstein iria abandonar o realismo soviético, abraçando cada vez mais um experimentalismo que não se enquadrava aos olhos do regime, que o acabou por ignorar. Mas O Couraçado Potemkin, obra-prima dessa primeira fase de Eisenstein, respira propaganda por todos os poros. Não uma propaganda que limita a compreensão do espectador, mas como referiu o próprio realizador, uma "propaganda ligada à revolução que promovesse o diálogo crítico entre as pessoas".

O Couraçado Potemkin divide-se, formalmente, em cinco parte, na boa tradição teatral, ou não fosse Eisenstein um discípulo do teatro do povo. E se nas primeiras partes o filme se centra a bordo do couraçado e Einsenstein se ressente do espaço limitado, quando o filme passa para terra, o realizador ganha toda a liberdade para explanar as suas ideias. E é por isso, que o filme vale quase por inteiro pela mítica cena da escadaria de Odessa, cujas influências encontramos em inúmeros filmes posteriores, especialmente em Os Intocáveis e na hilariante abertura de Aonde Pára A Polícia 33 1/3.

O Couraçado Potemkin é um filme que se ressente da passagem do tempo, um filme muito mais datado do que o dos seus colegas expressionistas da Alemanha, por exemplo. No entanto, não deixa de ser um documento fundamental, sobretudo para todos os estudantes de cinema e cinéfilos apaixonados. Um sério McBacon e viva la revolucion (final de prosa babaca, eu sei).

Posted by: dermot @ 10:27 da manhã
|  




quinta-feira, agosto 23, 2007  

TOP 5:

Ultimamente, tenho falado muito de arquitectura neste humildeantro cinéfilo e na sua relação com os filmes. Claro que não tem sido por acaso nem tão-pouco inocente; obrigações académicas assim me obrigam. Por isso, decidi aproveitar a embalagem e canalizar esse acumular de informação inútil para estabelecer mais uma lista. Desta vez, eis o TOP 5 DOS ARQUITECTOS:

5ºLugar
Kirk Douglas, em Strangers When We Meet

Confesso que nunca vi o filme, mas é famosa a história de que a casa que o arquitecto Kirk Douglas constrói durante o filme, ficou mesmo construída na vida real. E ainda permance.

4º Lugar
Gary Cooper, em Verdade Indómita

É o filme mais sério sobre arquitectura. Mas apesar disso, depois do arquitecto Gary Cooper passar todo o filme à espera da oportunidade perfeita para projectar o edifício da sua vida, é impossível não soltar uma gargalhada ao vermos o mamarracho que dali sai. Mas Cooper safa-se com muita pinta ao implodi-lo.

3º Lugar
Boris Karloff, em O Gato Negro

O arquitecto Boris Karloff é um arquitecto solitário que mata a mulher do seu rival (interpretado por Bela Lugosi), preserva-a num caixão de vidro e depois casa-se e mata também a filha de Lugosi. Ah, e nos tempos livres também lidera um culto satânico.
Até para mim isto é demais.

2º Lugar
Paul Newman, em A Torre Do Inferno

Perdoem-me a redundância, mas o filem-catástrofe A Torre Do Inferno é uma verdadeira catástrofe. É pena, porque nele debate-se a mais antiga rivalidade do mundo da arquitectura: a dos arquitectos e a dos engenheiros civis. O engenheiro William Holdern é quem construiu o arranha-céus com materiais defecientes e o arquitecto Paul "blue eyes" Newman é quem salva três centenas pessoas de morrerem queimadas.

1º Lugar
Charles Bronson, em O Justiceiro Da Noite

De dia, o arquitecto Charles Bronson é um profissional respeitável, que faz umas maquetes, esboça uns riscos, vai a obras e debita uns conceitos pseudo-qualquer-coisa. De noite, o arquitecto Charles Bronson é um vigilante noturno nas ruas de LA, que faz justiça pelas próprias mãos.


CONCLUSÃO:
Desta lista, pode-se tirar duas conclusões: a primeira é que os arquitectos nunca são pessoas normais; e a segunda, é que são sempre tipos muito bem parecidos (pronto, está bem, o Charles Bronson era bem parecido à sua maneira...).

Posted by: dermot @ 12:08 da manhã
|  




sexta-feira, agosto 17, 2007  

BLADE RUNNER - PERIGO IMINENTE:

Título: Blade Runner
Realizador: Ridley Scott
Ano: 1982


Confesso que hesitei duas ou três vezes antes de escrever estas linhas. Aliás, hesito sempre antes de escrever sobre os meus filmes favoritos (não é por acaso que nunca apareceu aqui um texto sobre Pulp Fiction). Não é por recear não conseguir fazer justiça ao filme, mas antes recear não conseguir transmitir a quem lê um pouco do meu entusiasmo.

Como já devem ter percebido, Blade Runner - Perigo Iminente é um dos meus filmes favoritos, uma daquelas obras que não me canso de ver, mesmo quando a apanho pela milésima vez na televisão. E como eu existem outros milhentos fãs, que fazem de Blade Runner - Perigo Iminente um dos objectos de culto mais iconográficos da sétima arte e que, este ano, vai ter uma edição em dvd toda pipi a comemorar os vinte e cinco anos de vida.

Blade Runner - Perigo Iminente é uma adaptação livre de um conto de Philip K. Dick, o Pelé dos livros de ficção-científica, em formato cyber-punk meets film noir. Numa Los Angeles futurista e distópica, Rick Deckard é um blade runner semi-aposentado que, relutantemente, vai aceitar uma última missão: eleminar cinco replicantes fugitivos. Para quem não está ambientado à história, um replicante é um tipo de andróide semelhante aos humanos, construído para combate ou para actividades arriscadas e que foi proibido na Terra após começarem a ganhar demasiada independência. E os blade runners são agentes especiais treinados para os eleminar.

Apesar de ser um filme de ficção-científica, Blade Runner - Perigo Iminente tem muito pouco de filme de acção e muito mais de ensaio metafísico. O filme é uma espécie de ripoff do mito de Pinóquio e uma abordagem à problemática da biogenética. Em suma, é aquilo a quem chamo carinhosamente de Síndroma Exterminador Implacável, um mandamento que reza assim: nunca na puta da tua vida, dês intelegência artifical a uma máquina. Ridley Scott faz um interessante cruzamento entre os replicantes que tentam, a todo custo, ultrapassar a data de validade, com as massas humanas que inundam as ruas de Los Angeles de forma automática e insensível. Afinal, quem é que são mesmo os seres humanos na história?

Uma coisa que me tem feito espécie ao longo dos anos é como é que um canastrão como Ridley Scott consegue fazer filmes como Alien - O Oitavo Passageiro e outros como Até Ao Limite Da Honra. Não é aqui que vou especular sobre as minhas ideias; mas achei que seria uma boa forma de inserir na conversa Alien - O Oitavo Passageiro. É que como neste, Scott cria para Blade Runner - Perigo Iminente uma atmosfera única e muito particular, que dá ao filme outra riqueza.

Mas a atmosfera criada não resulta só a nível estético; é ela própria uma personagem. Num cruzamento entre o cyberpunk e o estilo retro do cinema noir, a Los Angeles distópica de 2019 poderia muito bem ser a que vamos encontrar daqui a doze anos (com excepção dos carros voadores): uma cidade cada vez mais alta, perdida em neóns e publicidade gigante (os anúncios à Atari são impagáveis), dominada pela produção oriental, pela impessoabilidade e pelas massas humanas.

Blade Runner - Perigo Iminente tem vindo a ter várias versões ao longo dos anos e, por isso, urge fazer um parágrafo final bem claro: se tem o dvd da versão original, então tem em mãos um delicioso Royale With Cheese. Se por sua vez, ostenta antes o director's cut, então tem que se contentar apenas com um não tão delicioso Le Big Mac. Afinal de contas, um narrador faz muita diferença...

Posted by: dermot @ 4:21 da tarde
|  




quinta-feira, agosto 16, 2007  

CUBO:

Título: Cube
Realizador: Vincenzo Natali
Ano: 1997


O flick da casa assombrada é um dos mais antigos e eficazes truques do cinema de suspense e terror. Desde para aí o Haunted Hause de Walt Disney que assistimos a mil e um rip-offs do género, sendo o mais sublime A Casa Maldita. Em 1997, um desconhecido chamado Vincenzo Natali apresentou ao mundo uma surpresa chamada Cubo, onde com uma variação desse flick, assinou um dos mais impressionantes filmes dos últimos anos.

Não temos uma casa assombrada (e sitiada), mas temos antes um cubo. Sim, leu bem, um cubo, um cubo gigante, com cento e trinta e dois metros de aresta, dividido no interior por milhares de outros cubos. É uma espécie de Cubo de Rubik, mas com uma particularidade: algumas desses cubos estão armadilhados. Ninguém sabe quem o mandou construir, qual é o seu objectivo ou qual deixa de ser. A única coisa que sabemos é que sete pessoas inocentes (e, aparentemente, escolhidas aleatoriamente) foram atiradas lá para dentro. E agora têm que se desenrascar sozinhas.

Desde o início que Cubo provoca logo uma enorme desorientação. Os cubos são todos iguais e aquela repetição de salas começam desde logo a fazer-nos entrar em paranóia. Mas apesar de ser um filme fantástico, com um travo de ficção-científica high-tech, Cubo é um filme de actores (afinal, só existe um cenário...) e o argumento de excepção faz com que este seja um excelente ensaio de psicologia humana, imprevisível, desconfortável e asfixiante. Contra todas as previsões, o fiilme que faz lembrar é 12 Homens Em Fúria.

O filme é, claramente, uma primeira obra. Existe uma coleção infindável de planos arriscados e experimentais, uns que funcionam outros nem por isso, habituais em realizadores em início de carreira, que querem pôr na prática de uma só vez anos e anos de ideias acumuladas. Cubo não tem um equilíbrio formal, mas não é isso que lhe retira o mínimo de interesse.

Para além de todas estas virtudes, Cubo tem ainda outras duas. O facto de não ceder à tentação de uma explicação final que estragasse tudo, deixando o final em aberto, à mercê da interpretação de cada um; e o impacto que causa a sua primeira visualização, comparável áqueles filmes com twists finais reveladores e inesperados. Cubo coleccionou os principais prémios de vários festivais internacionais, incluindo o nosso Fantasporto e o tão desejado de todos, o Royale With Cheese.

Posted by: dermot @ 11:23 da tarde
|  


 

O TRIUNFO DA VONTADE:

Título: Triumph Des Willens
Realizador: Leni Riefenstahl
Ano: 1935


Leni Riefenstahl tem, provavelmente, o mais ingrato legado artístico da nossa era. Numa mão tem dois dos mais inovadores pedaços cinematográficos da história da sétima arte, dois documentos fundamentais no desenvolvimento e na evolução do cinema contemporâneo; e na outra, tem os mais terríveis panfletos de propaganda nazi jamais feitos, testamento de exaltação do regime de Hitler.

Para quem não sabe do que estou a falar, Leni Riefenstahl foi a realizadora oficial do Terceiro Reich, ou não fosse ela a cineasta favorita de Adolph Hitler. Sob a alçada do Führer, Riefenstahl realizou vários filmes sobre o regime fascista alemão, sendo o mais famoso O Triunfo Da Vontade, documento fundamental da ideologia nazi, ao qual Hitler disponibilizou liberdade artística total e um orçamento bastante generoso. Por isso, Rienfenstahl é censurada e odiada por todos aqueles que no fundo a admiram pela sua qualidade cinematográfica.

Mas tal como o díptico Ídolos Do Estádio, um documentário em duas partes sobre os Jogos Olímpicos de Berlim e com forte travo de propaganda, viria a marcar a forma de se fazer televisão (estabelecendo regras na filmagem de eventos desportivos, a que hoje estamos tão habituados a ver diariamente no pequeno ecrã), O Triunfo Da Vontade estabeleceria uma nova forma de se fazer cinema. Tecnicamente, é um documento fundamental para a sétima arte, cuja importância é comparável a obras como O Homem da Câmara De Filmar ou O Nascimento De Uma Nação.

Leni Riefenstahl revolucionou o cinema com as suas inovadoras câmaras móveis, o uso de lentes especiais para distorcer perspectivas, imagens aéreas e uma abordagem vanguardista da fotografia e da música. Leni Riefenstahl filmou Hitler como este nunca tinha sido filmado, transformando-o numa figura quase transcendental (com a câmara colocada sempre em níveis inferiores, de forma a capta-lo de baixo para cima em poses heróicas), utilizando a arquitectura imperialista a favor dos ideais do império (uma arquitectura clássica e monumental), recorrendo à música clássica para exaltar os momentos exactos das situações exactas.

Encontramos em vários momentos do cinema contemporâneo influências deste O Triunfo Da Vontade - quando vemos em Apocalypse Now um batalhão de helicópteros carregar os inimigos ao som de A Marcha Das Valquírias, estamos a ver a influência de O Triunfo Da Vontade; quando vemos na série A Guerra Das Estrelas os batalhões gigantescos de Darth Vader alinhados em imponentes imagens aéreas, estamos a ver a influência de O Triunfo Da Vontade; e quando vemos os planos heróicos de Charles Foster Kane em O Mundo A Seus Pés, estamos a ver a influência de O Triunfo Da Vontade

Então se O Triunfo Da Vontade é um documento tão fundamental do cinema, qual é o seu problema? O problema é o facto de ser um panfleto de propaganda nazi, que exalta um dos mais doentios regimes da nossa história recente. O Triunfo Da Vontade capta os discursos de Hitler e dos seus ministros, fazendo a apologia dos ideais nacionalistas. Não acredito que, nos dias de hoje, eles ainda consigam lavar o cérebro a alguém (sim, eu sou um optimista ingénuo), mas não deixa de ser assustador ver personagens que sabemos terem executado actos tão maléficos em poses e discursos tão nobres e empenhados.

O Triunfo Da Vontade é mais um daqueles objectos fílmicos que não consigo quantificar qualitivamente segundo o sistema de classificação deste humilde antro. Mas obviamente que é um documento obrigatório para todos os cinéfilos interessados, ávidos consumidores de história e estudiosos da arte de fazer bom cinema.

Posted by: dermot @ 4:33 da tarde
|  




quarta-feira, agosto 15, 2007  

A TORRE DO INFERNO:

Título: The Towering Inferno
Realizador: John Guillermin & Irwin Allen
Ano: 1974


Quando era mais gaiato, durante as minhas visitas à Feira da Ladra e outras feiras de velharias, encontrava sempre um livro de capa dura, com uma torre a arder, chamado A Torre Do Inferno. Sempre que lhe agarrava duas coisas marcavam-me: primeiro, era o lettering do título, com muito estilo e muito apelativo; e o segundo era o pensamento porque raio é que será que toda a gente tem este livro? Anos depois, descobri que A Torre Do Inferno afinal tinha sido um super-blockbuster dos anos 70, o que explicava o porquê de todos terem um exemplar do romance; e depois de o ver, descobri finalmente porque é que toda a gente queria ver-se livre do livro...

A Torre Do Inferno foi um filme catástrofe que surgiu atrelado ao sucesso de A Aventura Do Poseidon, baseado na construção do World Trade Center. Aqui, um gigantesco arranha-céus, chamado Glass Tower, vai ver-se em chamas, encurralando no seu topo três centenas de pessoas famosas, que celebravam a sua inauguração.

Convocou-se um leque de estrelas da altura, tudo nomes que ficavam bem no cartaz de apresentação do filme: um Paul Newman em grande forma física; um Steve McQueen em grande forma interpretativa; uma escultural Faye Dunaway; um saudoso Fred Astaire que ainda se atreveu a dar um passo de dança; e um OJ Simpson que ainda não tinha sujado as mãos de sangue. Só se esqueceram mesmo de contratar um realizador. Em vez disso, chamaram um tipo cuja carreira ficou conhecida pelo remake de 1976 de King Kong (vómito) e... a sua sequela (super vómito).

A Torre Do Inferno é uma mega-épico familiar de duas horas e meia que, com um bom editor, teria tido apenas sessenta/setenta minutos de duração. E chamo-lhe familiar porquê? Porque no filme todas as posições são extremadas: as relações amorosas boas são todas sonhos felizes e cor-de-rosa, enquanto que as relações más adivinham, invariavelmente, divórcio. Além disso, os vilões são todos patéticos e interesseiros, enquanto que os heróis são todos super-salvadores. Ou seja, não há meio-termos.

Temos então um filme catástrofe numa torre sitiada, feito para toda a família. Isto lembra-me qualquer cosia... Exacto: uma fusão a frio entre Assalto Ao Arranha-Céus e Titanic. Só que com um trabalho de realização desastrado.

No entanto, o que realmente interessava era a mensagem moral e social, porque apesar de ser um blockbuster, A Torre Do Inferno queria ser um filme sério e respeitável; mas essa premissa fica reduziada a algumas de diálogo por lá espalhadas. A Torre Do Inferno deveria ser algo que fizesse os arquitectos pensar na responsabilidade que têm nas mãos ao construir mamarrachos e taveiradas, que fizesse os construtores civis pensarem nos outros e não no lucro fácil; e que fizesse o público em geral pensar no quão nobre é o trabalho dos bombeiros. Mas no final, apenas fica a ideia de que os arquitectos salvam sempre a situação (e salvam) e a piada de que os construtores civis são todos vilões (e são).

A Torre Do Inferno vale como documento nostálgico datado, uma vez que não é todos os dias que podemos ver na mesma cena dois actores do gabarito de McQueen e Newman. Só me faz espécie é não ter sido recuperado pelo horário nobre da TVI por alturas do 11 de Setembro. Tinha-se ajeitado que nem uma luva. Aqui, ajeita-se que nem ginjas a um Double Cheeseburger.

Posted by: dermot @ 6:25 da tarde
|  




terça-feira, agosto 14, 2007  

ATRAVÉS DA NOITE:

Título: Sweet And Lowdown
Realizador: Woody Allen
Ano: 1999


O mockumentário rock (documentários fictícios sobre músicos e/ou bandas que não existem) é um género que me agrada particularmente e que costuma dar bons resultados. O caso mais flagrante é, obivamente, o de This Is Spinal Tap, mas são vários os exemplos de bons mockumentários: Tudo Por Um Sonho, The Rutles, ou claro, Através Da Noite.

Através Da Noite é um dos raros filmes de Woody Allen cuja personagem principal não é o próprio Woody Allen (apesar de ele também lá estar) ou a sua personalidade projectada noutro actor. Aqui, a personagem central é Emmet Ray (Sean Penn), um músico jazz que nada tem a ver com o boneco psicótico, hipocondríaco e obsessivo que estamos habituados nos filmes de Allen.

Emmet Ray foi então um grande músico jazz, o segundo maior guitarrista de sempre, só ultrapassado por aquele cigano em França (Django Reinhardt, obviamente). Apesar do seu talento, Ray quase que não ficou inscrito nos anais da história por duas razões: primeiro, porque gravou pouquíssimo material em estúdio (não via necessidade em o fazer, até porque depois, e passo a citar, viria um idiota qualquer roubar-lhe as ideias); e segundo, porque este nada tem a ver com o perfil que costumamos traçar aos génios: Ray era um escroque, um chulo em part-time, viciado em snooker, amante de comboios, adorava alvejar ratos nas lixeiras, era um boca de trapos e, sobretudo, um pelintra.

A lembrança que há de Emmet Ray são então meia dúzia de episódios mais ou menos surreais, mais ou menos exagerados (porque quem conta um conto, acrescenta sempre um ponto), todos saídos da habitual imaginação caótica e felliniana de Woody Allen. Através Da Noite é um mockumentário com reconsituições, uma espécie de manta de retalhos, onde alguns entusiastas de jazz (o próprio Allen ou Ben Duncan, por exemplo), narram algumas histórias conhecidas do tal segundo maior guitarristas de sempre. E apesar da aparente desconexidade, Através Da Noite acaba por conseguir traçar (com algumas limitações, como é óbvio) um retrato do músico com cabeça, tronco e membros.

Uma das vantagens em Allen fazer um filme por ano, é que lhe dá a possibilidade de trabalhar com muitos actores. Allen já trabalhou com os melhores e em Através Da Noite fê-lo com dois grandes nomes do firmamento internacional: Sean Penn, cuja habilidade para tocar guitarra é, curiosamente (e infelizmente), inversamente proporcional à sua habilidade para representar; e Uma Thurman. Também há Samantha Morton, que recebeu inclusive uma nomeação ao Oscar sem dizer uma única palavra, mas cujo trabalho se adequa na perfeição com a sua personagem: pateta.

Através Da Noite é um dos filmes de amor de Allen (um tributo ao seu jazz, como Balas Sobre A Broadway, por exemplo) e, por isso, um dos mais pessoais. É certo que lhe falta alguma da vitalidade e energia habituais nos melhores trabalhos do realizador, mas não deixa de ser um Allen ligeiro e agradável. Aliás, acho (ou melhor, quero achar) que Woody Allen nem sabe fazer nada abaixo do McBacon.

Posted by: dermot @ 10:07 da manhã
|  




segunda-feira, agosto 13, 2007  

ALPHAVILLE:

Título: Alphaville, Une Ètrange Aventure De Lemmy Caution
Realizador: Jean-Luc Godard
Ano: 1965


Ainda custa a acreditar que perdemos no mesmo dia os dois mestres Ingmar Bergman e Michelangelo Antonioni. O cinema fica mais pobre e agora, dos chamados autores, só nos resta Godard e Oliveira. E como este último parece ir-nos atormentar por mais umas décadas valentes, apetece-me hoje relembrar o francês e um dos seus mais emblematicos filmes: Alphaville.

Certa vez, li algures um texto do Bénard da Costa, em que ele dizia que Solaris era o 2001: Odisseia No Espaço dos pobres. Por este fio de raciocínio, só me resta argumentar que Alphaville é o Blade Runner: Perigo Iminente dos pobres. E antes que me atulem a caixa de email com mensagens de ódio a dizer que Alphaville foi feito 20 anos antes e coisas parecidas, deixam-me acrescentar que gostaria muito de saber a opinião do Bénard da Costa acerca do filme. Se alguém lhe puder transmitir isso, agradecia.

Alphaville é então uma distopia futurista em tons de film noir, onde Godard recicla Lemmy Caution, a personagem mitificada por Eddie Constantine em vários pulp movies. No entanto, apesar de ser um filme de ficção-científica, não existem efeitos especiais ou cenários vanguardistas. Alphaville (a cidade) não é mais do que os edifícios modernistas de Paris à noite, com os seus renaults e os seus fords corriqueiros. É o que eu costumo chamar de "distopias realistas" e, normalmente, são as que resultam melhor (Brazil - O Outro Lado Do Sonho é um excelente exemplo e um filme com grande influência).

Bem-vindos então à cidade de Alphaville, uma metrópole governada por um super-computador chamado Alpha 60 (olá Orwell), que manieta a sociedade com a sua lógica, impondo leis rígidas e métodos ordinários que proibem as reacções ilógicas e os instintos naturais, coisas como o choro, a raiva e o amor. Alphaville é então uma cidade monótona, onde tudo é chato e controlado: as ruas, a arquitectura, as mulheres (treinadas como gueishas sexuais, que apenas abrem a boca para agradar aos homens), o Alpha 60 e o próprio filme...

Oa primeiros vinte minutos são completamente alienados e deixam-nos totalmente à nora, sem um pingo de contextualização onde nos agarrarmos. No entanto, à medida que vamos colectando pistas sobre o que se passa e começamos a compreender o filme, Alphaville começa-se a tornar gradualmente interessante. Existem momentos verdadeiramente fantásticos - como a cena da execução na piscina, onde todos os que têm comportamentos ilógicos (como chorar após a morte da esposa) são fuzilados -, mas a ligá-los estão alturas verdadeiramente bocejantes.

Godard segue, como de costume, o principal ensinamento que Bergman nos deixou - faz cada filme como se fosse o teu último -, e presenteia-nos com mais uma colecção de planos memoráveis, travellings audaciosos e momentos artísticos de excepção. Além disso, faz ainda o habitual jogo de tributos às suas referências (Godard era o Tarantino dos anos 60, não se esqueçam), onde o mais divertido é a recriação das lutas teatrais dos film noirs.

Tenho uma relação paradoxal e muito extremada com Alphaville. Por um lado acho-o aborrecido de morte em certas alturas, não suporto os primeiros quinze/vinte minutos e acho o Alpha 60 um vilão muito fraquinho (especialmente, quando comparado com o seu primo Big Brother); mas por outro, fico deliciado com o trabalho de câmara, venero aquela distopia matemática e racional e divirto-me bastante com o copy paste do francês. Assim, para não haver chatices, eis o meio-termo do Double Cheeseburger.

PS - fiquei ainda fascinado ao descobrir que a pirralha da Kelly Osborne andou a pilhar o filme.

Posted by: dermot @ 4:57 da tarde
|  




domingo, agosto 12, 2007  

SHREK, O TERCEIRO:

Título: Shrek The Third
Realizador: Chris Miller e Raman Hui
Ano: 2007


Apesar de serem duas fantasticas comédias, Shrek 2 é claramente inferior a Shrek. Enquanto o primeiro é um filme que se fez a si próprio - nasceu de uma ideia original e, graças a um argumento imaginativo e despretensioso, conseguiu vingar e ter sucesso -, o segundo é um filme que vive sobretudo dos vários gags a parodiar outros filmes. Não é que isso seja mau, mas depois disto confesso que estava um pouco assustado para Shrek, O Terceiro.

Comecemos então pelo início. Shrek (Mike Myers) e Fiona (Cameron Diaz) continuam casados, felizes e bem de saúde. Ao contrário do Rei Harold (John Cleese), que acaba por falecer. Mas Shrek, o herdeiro directo do trono do Reino Bué Bué Longe, não está muito interessado em ser rei e, por isso, decide ir buscar ao liceu o outro herdeiro: Artur (Justin Timberlake), um adolescente inadaptado e de bom coração (uma espécie de Shrek, mas sem ser em ogre). Entretanto, o Príncipe Charmoso (Rupert Everett) decide reunir toda a vilanagem dos contos de fada e tomar o trono do Reino Bué Bué Longe à força.

Mais uma vez voltam a ser inseridas novas personagens - Artur, Merlin (um genial Eric Idle, na melhor novidade deste tomo) e ou as várias princesas -, que, juntas às restantes, começam a ser demais. E se com tanta personagem a precisar de atenção, gente como o Burro (Eddie Murphy) ou o Gato das Botas (Antonio Banderas) já saem claramente prejudicados, com o seu tempo de antena a ser drasticamente reduzido, então nem quero imaginar o que vai acontecer nos próximos episódios da série.

Shrek, O Terceiro continua a sua escalada de ambição; o argumento tenta ser mais complexo, tenta inserir mais personagens e tenta criar sub-enredos que dêem maior riqueza à trama. Mas tudo o que é demais enjoa e, se a ideia principal é boa (juntar todos os vilões dos contos de fadas para tomar o poder), a ideia do liceu de Artur, por exemplo, é tão óbvia e vulgar que cheira a banalidade à distância.

Para quem estava habituado à energia e vitalidade de Shrek e Shrek 2, Shrek O Terceiro pode causar sérios bocejos. Obviamente que também faz soltar valentes gargalhadas e tem sérios momentos de humor - apesar deste episódio ser ligeiramente mais cor-de-rosa e menos ácido que os antecessores -, mas não podemos deixar de nos sentir um pouco desiludidos por nos deixar, por vezes, tanto tempo sem esboçar um sorriso.

Onde Shrek, O Terceiro acerta em cheio é na parte musical. Finalmente, são banidas as theme songs de bandas rock-fm e faz-se cinema a sério com música a sério. É muito boa a homenagem a Paul McCartney, com um belo momento sentido ao som de Live And Let Die, onde se presta tributo ao ex-Beatle com um coro de sapos; há Wolfmother (vénia) na banda-sonora para nossa surpresa; e a Branca de Neve executa um ataque terrível ao som da Immigrant Song, dos Led Zeppelin (vénias até à exaustão), naquele que é o melhor momento no cinema de 2007. Tenho dito!

São mais olhos que barriga, mas mesmo assim vou dar mais uma chance ao ogre verde, com este McChicken. Mas no próximo prometo que não vou ser tão condescendente.

Para relembrar o tomo antecessor, clique aqui.

Posted by: dermot @ 10:55 da tarde
|  




sábado, agosto 11, 2007  

UNDEFEATABLE:

Título: Cui Hua Kuang Mo
Realizador: Godfrey Ho
Ano: 1994


Já por aqui mencionei anteriormente o mítico filme Undefeatable, por alturas da discussão sobre a pior luta de sempre no cinema. Pois bem, chegou a altura de colmatar uma flagrante lacuna deste antro cinéfilo e falar-vos um pouco mais a sério desta lenda da sétima arte. Maldita silly season e desta tarde com demasiado tempo livre...

Undefeatable tornou-se num fenómeno quando, em 2005, uma alma com ainda mais tempo livre do que eu colocou no fantástico mundo do youtube, a mítica cena de luta. A partir daí o culto foi instantâneo: Undefeatable era o novo mau filme que todos queriam ver e venerar. No entanto, por mais que pensássemos que estivessemos prontos, nada nos podia preparar para algo assim.

Não é tão mau como pensamos. É pior ainda. E acreditem, eu já vi muita coisa má. Undefeatable é tão mau, tão mau, que a própria palavra do título não existe. A tradução de undefeatable dá qualquer coisa como inderrotável. Ou então talvez seja o contrário: Undefeatable é bom demais até para o vocabulário... Para compreender o quão mau é o filme, basta atentarmos à sua origem: Undefeatable é uma produção chinesa, realizada nos Estados Unidos, pela lenda do cinema de série Z de Hong Kong, Godfrey Ho, realizador que ficou sobejamente conhecido pela sua técnica de copy-paste - Ho fazia uma semana de filmagens aleatórias e depois montava-as em dez ou quinze filmes dobrados, de baixo orçamento e de baixa qualidade. Não admira que tivesse feito mais de cem filmes...

O grande trunfo de Undefeatable são os seus actores. A estrela é, claramente, Cynthia Rothrock, a campeã feminina norte-americana de artes-marciais, que os mais atentos conhecem dos filmes straight-to-video da década de 80, que enchiam as prateleiras do clube-de-vídeo dos nossos bairros. Depois há John Miller, com atributos igualmente proporcionais na arte de lutar e de representar, cujo segredo da sua força está escondido no mesmo local que o de Chuck Norris: numa pelugem farta no peito. E por fim, Don Niam; se Don Niam tivesse feito mais filmes, de certeza que teria criado um mito mais forte que o de Chuck Norris. Niam destaca-se pela intensidade com que encara cada cena, de olhos esbugalhados, gritos pujantes e uma capacidade de não conseguir dizer nada sem nos provocar uma gargalhada. E depois tem a melhor mullet de sempre: uma mistura entre o Marco Paulo e o Paulo Futre dos velhos tempos, mas num bad hair day. E o mais assustador, é que já nem estávamos nos anos 80.

Fora isto, Undefeatable até tem um argumento razoável e sem buracos de maior, o suficiente para um filme desta categoria. Kristi Jones (Cynthia Rothrock) luta em rixas de rua por dinheiro, de forma a pagar a universidade da irmã, mas quando esta é assassinada pelo serial killer Stingray (Don Niam), Kristi vai jurar vingança. E vai contar com o apoio do polícia Nick DiMarco (John Miller) para o apanhar.

Podia aqui fazer uma lista das coisas más do filme, mas não o vou fazer para não me tornar irritante. Resumo tudo numa linha: esteriótipos, gore gratuito, intensidade dramática levada ao extremo do razoável e muitas outras coisas que não consigo precisar. Só há algo que não consigo contornar. Eu sei que a sensibilidade oriental é diferente da ocidental, mas em nenhuma parte do mundo filmar um bife a grelhar e colocá-lo numa cena de violação funciona como muleta dramática! Em nenhuma parte do mundo!!

De bom, só me consigo mesmo lembrar de uma sequência de acção sobre vários bidons. Isso foi giro. Fora isso, se apanharem alguma vez uma edição do dvd do filme, passem imediatamente para o confronto final; tudo o que justifica a Hamburga de Choco está aí. E mais uma vez, despeço-me com amizade e com essa famosa cena.

Posted by: dermot @ 6:35 da tarde
|  




quinta-feira, agosto 09, 2007  

UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:

Com a estreia de À Prova De Morte, encontrei em alguns locais do vasto mundo da blogosfera meia dúzia de pessoas fascinada com o facto de a bela canção que encerra o filme, Chick Habit (vénia com muito respeito a April March), ser na verdade uma versão de uma chanson francesa. Mais especificamente Laisse Tomber Les Filles, de France Gall (e letra do mestre Serge Gainsbourg). Presumo que nem todos tiveram uma infância ao som do Festival da Eurovisão...

Este episódio recordou-me aquele outro fenómeno recente, que assolou a blogosfera nacional há uns meses: o do genérico do Gato Fedorento. Nessa altura, começou a surgir em vários lados muita gente indignada com o clássico francês Petite Mèche de Cheveux, de Claude François, como se tivessem descoberto a pólvora. Mais uma vez, presumo que nem todos puderam ter uma infância ao som do ye-ye francês...

Não, não vos quero (apenas) trazer aqui o (catita) teledisco de François. Quero antes recuar até às raízes e mostrar a essas pessoas indignadas que afinal ainda havia mais pólvora a descobrir. Ora bem, o que muito boa gente não sabe (ou nunca associou), é que Petite Mèche de Cheveux (e, consequentemente, o genérico do Gato Fedorento) não é mais do que uma apropriação de uma tradicional cantilena infantil inglesa, chamada Three Blind Mice.

De certeza que já a ouviram por aí, nem que seja uma das suas milhentas variações. Além disso, está tão enraizada na cultura popular, que até já se tornou calão desportivo. Para além de ter dado azo a várias canções, Three Blind Mice também já deu lugar a várias adaptações cinematográficas. E agora posso estar a cometer uma grande argolada, mas se não me engano, esta que vos apresento - assinada por George Dunning em 1945 - é a mais antiga conhecida. Se não for, pelo menos a mais interessante é.

PS - E enquanto isto continuo à espera que rebente o escândalo, quando alguma alma iluminada descobrir o "plágio" do Gato Fedorento aos Amigos.

Posted by: dermot @ 3:28 da tarde
|  




segunda-feira, agosto 06, 2007  

OS HOMENS PREFEREM AS LOIRAS:

Título: Gentlemen Prefer Blondes
Realizador: Howard Hawks
Ano: 1953


Marilyn Monroe, o maior ícone feminino da nossa era, raramente é recordado pelos seus atributos interpretativos. E de quem é a culpa? Dos filmes mais ou menos patetas como Os Homens Preferem As Loiras, exemplo perfeito que cristalizou a imagem de Marilyn como a típica loira burra e supérflua.

Eis então Marilyn a fazer de si própria: uma loira materialista e interesseira, a influência directa da material girl de Madonna, que tem como melhores amigos os diamantes (toda a gente conhece o lendário número musical de Diamonds Are A Girl's Best Friend). Marilyn é então a bela Lorelei Lee, uma loira à procura de um solteiro rico com quem se casar. E Gus Esmond (Tommy Noonan) preenche os requisitos para este matrimónio. É um casamento de interesse ou de amor? De amor, claro, porque não tenho interesse nenhum nele.

A antítese de Lorelei é a sua melhor amiga, Dorothy Shaw (Jane Russell), companheira dos palcos dos cabarets e que vai acompanha-la numa viagem de barco até à Europa. Dorothy é morena, usa mais os neurónios e o seu interesse não são homens ricos. São antes, os homens... E para bem dos seus sonhos, a equipa olímpica norte-americana vai acompanha-las na travessia do Atlântico.

Os Homens Preferem As Loiras é uma comédia ligeira, uma fantasia que irrompe em números musicais burlescos e sofisticados, típico do que o cinema clássico de Hollywood criava para combater a grande depressão. Basicamente, é o exemplo máximo das comédias como tantas outras que Marilyn Monroe participou, mas com um grau de sofisticação maior.

Até ser feito Doidos Por May, o homem nunca tinha sido tão satirizado como em Os Homens Preferem As Loiras: caricaturado como um cachorrinho indefeso nas mãos das mulheres, que nos manipulam a seu bel-prazer.

Os Homens Preferem As Loiras tem Howard Hawks, um dos maiores realizadores da época de ouro de Hollywood, por trás das câmaras, e isso reflecte-se nos números musicais. Apesar de longos demais, essas sequências, verdadeiros números de cabaret, tornam-se intemporais graças aos seus traços de teledisco que seriam fortalecidos nas décadas seguintes.

Fora isto, podemos dizer que Os Homens Preferem As Loiras é mais um dos filmes patetas de Marilyn Monroe que, curiosamente, é ofuscada pela sua companheira morena. Um McChicken que não ofende ninguém.

Posted by: dermot @ 10:59 da manhã
|  




domingo, agosto 05, 2007  

DEMOLIDOR - O HOMEM SEM MEDO:

Título: Daredevil
Realizador: Mark Steven Johnson
Ano: 2003


Nos últimos anos, graças à evolução sem precedentes do CGI e, sobretudo, ao êxito de Homem-Aranha, que se tem assistido a uma enorme vaga de adaptações de super-heróis da banda-desenhada ao grande ecrã. A praga tem sido tão grande que tem atingido todos os heróis: os mais conhecidos, os menos conhecidos, os principais e os secundários. E no meio de tanta quantidade, obviamente que a qualidade é inversamente proporcional.

Demolidor - O Homem Sem Medo é uma das adaptações que pertence à família dos pobres. E o próprio herói não o merecia. Primeiro, porque é um tipo honesto: um advogado que nasceu num bairro problemático e que tenta fazer justiça à sua maneira. E segundo, porque os heróis cegos dão sempre filmes porreiraços, basta ver o caso de Zatoichi, Fúria Cega ou o Van Damme em Força Destruidora.

Para quem não sabe, o Demolidor (Ben Affleck) é, provavelmente, o único super-herói defeciente da Marvel: um acidente na infância levou-lhe a visão, mas em contrapartida apurou-lhe os restantes sentidos, desenvolvendo um verdadeiro radar interno. Demolidor - O Homem Sem Medo presta-se então ao essencial: começa por abordar a origem do herói, introduz Elektra (Jennifer Garner), a heroína namorada, e coloca-o a lutar contra os seus dois principais némesis: o Mercenário (Colin Farrell) e o inesperadamente preto Rei do Crime (Michael Clarke Duncan). Tudo o resto é por demais óbvio e não se furta a pisar todos os clichets do género.

Uma coisa assustadora em Demolidor - O Homem Sem Medo são os pequenos apontamentos de cinema série Z que encontramos espalhados pelo filme (como o facto das pessoas quando são internados nos hospitais, apesar de estarem rodeados de máquinas, não se encontram ligados a nenhumas). No entanto, o que é verdadeiramente preocupante é o carácter ingénuo do realizador a forma pouco subtil que ele tem de nos mostrar as coisas. Como se não bastasse o filme todo ser um gigante clichet, Mark Steven Johnson ainda acha por bem esfregar-nos tudo na cara, não vá escapar-nos alguma informação essencial...

Claro que quem vai ver um filme como este, não vai à espera de sofisticação e desenvolvimento dramático existencial e metafísico. Por isso, resta-nos relaxar, desligar o cérebro e assistir ao fogo-de-artífico e às coreografias wi-fi. No entanto, nem nisto Demolidor - O Homem Sem Medo é bom; tudo demasiado artifical, uma montagem vertiginosa que nos deixa confusos e muito show-off ridículo.

Mas há uma coisa em Demolidor - O Homem Sem Medo que me faz muita espécie e que não consigo evitar. Não, não é o facto de todo o elenco não saber representar. É antes a cena em que o Demolidor conhece a Elektra. Em que raio estaria o realizador a pensar quando escreveu um primeiro encontro em que termina num combate de kung fu no meio de um parque infantil? Será que ele pensou, sinceramente, que seria uma boa cena?

É então o filme cem por cento inútil? Concerteza que não, Demolidor - O Homem Sem Medo servirá sempre de mau exemplo. Que miserável Hamburga de Choco, meus amigos...

Posted by: dermot @ 5:11 da tarde
|  




sexta-feira, agosto 03, 2007  

MOTELx:

Não sei se já ouviram falar do MOTELx, mas se não é esse o caso, então já é mais que tempo de o saberem. O MOTELx é o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa e vai debutar no próximo mês de Setembro, nos respectivos dias 5 a 9.

Festivais de cinema de terror nunca são demais e já era altura de Lisboa ter um. E internacional. Para que nós, cinéfilos de mente distorcida, possa ter uma semana exclusiva de sangue, tripas e gritos em grande formato.

Lá mais para a frente falarei mais em pormenor do festival. Para já, posso adiantar que me agrada o facto de ir haver ovelhas zombies, faunos secretos e uma retrospectiva de terrir.

Posted by: dermot @ 5:10 da tarde
|  




quarta-feira, agosto 01, 2007  

A VIDA EM DIRECTO:

Título: The Truman Show
Realizador: Peter Weir
Ano: 1998


Apesar do que possa parecer à primeira vista, Jim Carrey não é um mau actor e já o provou várias vezes; tantas vezes quantas as que teve mesmo que representar. E a primeira vez que tal aconteceu foi em A Vida Em Directo, o primeiro filme sério de Carrey, chamemos-lhe assim.

A Vida Em Directo surgiu numa altura em que os reality shows estavam na ordem do dia e surgiu quase como um lembrete de Peter Weir à sociedade: Lembrem-se que os big brothers nunca foram uma coisa boa nas distopias. Pouca gente o levou a sério, mas quem viu o filme não mais o esqueceu.

A Vida Em Directo é então, simultaneamente, um filme e um reality show que acompanha a vida de Truman Burbank (Jim Carrey) desde que nasceu: um tipo que vive num mundo à parte, a ilha de Seaheaven, um gigantesco estúdio de televisão que mais não é que uma prisão de proporções épicas. Tudo é criado artificialmente em Seaheaven e Truman é a única coisa real naquela encenação. E é seguido 24 horas por dia, em directo, por todo o mundo, no programa de televisão mais visto de sempre. E tudo isto sem desconfiar de nada. Até que a ordem natural das coisas o vai fazer questionar a sua existência naquele local e vai desejar alargar os seus horizontes e procurar novas paragens.

A Vida Em Directo é um filme prodigioso que funciona a vários níveis. Começando logo pelo registo metafísico. A Vida Em Directo subverte a própria condição humana, colocando pela primeira vez um homem como o centro do universo e manipulando o seu destino a seu bel-prazer. De repente, deixa de haver coincidências, destino, ou simplesmente, a providência. Tudo é artifical e há um homem que faz de Deus: Cristof (Ed Harris), o criador do programa. Sartre e Nietzsche teriam adorado o filme...

Depois, é também um excelente documento arquitectónico. Truman vive num mundo cem por cento artificial: a cidade Seaheaven, adoptada dos ideias do sonho americano, o tradicional subúrbio modernista norte-americano, das casas todas iguais, com um pedaço de terreno à frente, em alamedas levemente curvilíneas. No fundo, não passam de guetos de luxo. E o que é assustador é que Seaheaven existe mesmo e há pessoas se pagam para viver lá.

Por fim, e quiçá o mais óbvio, A Vida Em Directo é um acutilante e pertinente crítica social ao alheamento provocado pela televisão, uma paródia à programação televisiva, um apontar do dedo à estupidez que são os reality shows e o product placement e um arreganhar de dentes à manipulação que a caixinha mágica provoca na sociedade. E como a realidade é sempre mais estranha que a ficção, um ano antes vimos quase em directo como os paparazis conseguiram matar uma (ex)raínha.

Para além de tudo isto, A Vida Em Directo é ainda um objecto artístico bastante razoável, que passa com distinção a difícil de tarefa de ser filmado como se fosse ele próprio um programa televisivo. É para mim um dos mais completos Royales With Cheeses que conheço.

Posted by: dermot @ 11:08 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014