Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



quinta-feira, março 29, 2007  

CARTAS DE IWO JIMA:

Título: Letters From Iwo Jima
Realizador: Clint Eastwood
Ano: 2006


As obras feitas aos pares exercem sobre nós um estranho fascínio, até porque costumam dar bons resultados. Lembro-me recentemente do caso específico da obra-prima de Quentin Tarantino, Kill Bill, e lembro-me da obra-prima dos Guns N' Roses no início dos anos 90, com os álbuns Use Your Illusion. Por isso, a opção de Clint Eastwood em fazer dois filmes sobre o conflito de Iwo Jima, cada um deles sob o ponto de vista de uma das facções, era uma ideia ganha logo à partida.

As Bandeiras Dos Nossos Pais, primeiro tomo deste projecto duplo, era um filme sobre a batalha de Iwo Jima vista pelo lado norte-americano: o lado dos vencedores. Era ainda um filme sobre as deformações que a guerra inflinge no ser humano, como o é Apocalipse Now, por exemplo. Quanto a este Cartas De Iwo Jima, é um filme que aborda o mesmo conflito, mas sobre o ponto de vista japonês: o lado dos vencidos. E este sim, é um filme de guerra, daqueles puros e crus, que se ambientam ao campo de batalha e se escondem numa trincheira durante o conflito. Assim como Tora! Tora! Tora! por exemplo.

Costuma-se dizer que dos vencidos não reza a história. Clint Eastwood decidiu mandar a sabedoria popular às malgas e decidiu concentrar os seus esforços na facção japonesa. Que, no fundo, apesar das diferenças ideológicas (coisas de imperialistas...), são como os americanos no campo de batalha. Pelo menos morrem da mesma maneira. Só é estranho é ser um norte-americano a fazer um filme tão nostálgico sobre os japoneses.

Em Cartas De Iwo Jima, o general Kuribayashi (magistral Ken Watanabe) é a peça central da engrenagem que faz mover o filme. Ele é o sensato e ponderado oficial que vai liderar os japoneses na sangrenta batalha contra os americanos pelo controle da ilha de Iwo Jima. No entanto, as suas ligações com os Estados Unidos e as suas ideias ocidentais vão fazer com que tenha também de enfrentar a oposição interna. À volta desta história desenrolam-se outras quantas, não em formato mosaico, mas de forma paralela (e até perpendicular). O que elas têm em comum, para além dos mesmos medos, são as cartas que os soldados escrevem para casa: pedaços de nostalgia, que funcionam como escape aquele inferno e que são, ao mesmo tempo, requiems aos próprios soldados.

Resumindo, Cartas De Iwo Jima é um Eastwood de regresso às suas personagens desafortunadas, depois da pobre Hillary Swank em Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos.

Toda a gente sabe como vai acabar o filme. É como A Paixão De Cristo: ninguém vai ver o filme à espera de uma surpresa no final. E até as próprias personagens sabem como vai terminar o filme. Por isso, Cartas De Iwo Jima não é um filme de guerra; é antes um filme sobre os japoneses a morrerem na guerra. São duas horas e meia de suplício, que chega a uma altura em que já não aguentamos tanto martírio. É como um noticiário da TVI, pejado de desgraças. E quando pensamos que já nada daquilo nos incomoda, eis que Clint Eastwood nos presenteia com cenas como a de um suicídio colectivo e nós voltamos a sentir-nos muito mal.

Cartas De Iwo Jima é um grande filme, muito melhor mesmo que As Bandeiras Dos Nossos Pais - é inevitável fazer a comparação. Enquanto que este era um McBacon, Cartas De Iwo Jima é, sem dúvida, um Le Big Mac. Até porque é um filme mais à medida de Eastwood; não estamos habituados a vê-lo envolvido em grandes produções. No entanto, o seu grande objectivo era o projecto duplo, deonde sai claramente vencedor. Porque conegue retratar a mesma guerra dos dois lados das barricadas e consegue fazer de ambos vítimas - tanto temos pena dos americanos como dos japoneses. O que só prova que a guerra é uma estupidez que não faz sentido.

PS - pode recordas As Bandeiras Dos Nossos Pais aqui.

Posted by: dermot @ 10:20 da manhã
|  




quarta-feira, março 28, 2007  

ENCONTRO DE BLOGUES DE CINEMA:

Dois motivos impediram-me de acompanhar esta iniciativa da forma como eu gostaria de ter feito. O primeiro foram motivos de saúde, que nºao me deixaram estar presente no Famafest como eu planeava. E o segundo foi o clássico falta de tempo, que não me deixou escrever algo mais pessoal aqui no blogue.

Posto isto e passado o acontecimento, resta-me duas coisas: primeiro, agradecer a Menção Honrosa que foi atribuída ao Royale With Cheese e às pessoas que votaram nele (e juro que não paguei a ninguém); e segundo, congratular o Lauro António pela excelente iniciativa que promoveu e o Famafest pela decisão pioneira de pôr os blogues de cinema em discussão pública.

Para o ano, se a coisa se repetir, prometo que vou tentar compensar a minha falha deste ano.

Posted by: dermot @ 12:13 da manhã
|  




terça-feira, março 27, 2007  

O AGENTE DA BROADWAY:

Título: Broadway Danny Rose
Realizador: Woody Allen
Ano: 1984


Woody Allen é um realizador espantoso, que todos os anos consegue fazer um filme. E segundo o próprio garante, ainda tem tempo para ir a concertos, peças teatros e ter uma vida social.

Um dos seus segredos para essa hiperactividade é o seu dom para contar estórias. É que Allen consegue pegar numa premissa que dá para uma anedota engraçada e estica-la o suficiente até fazer um filme, sem perder o interesse. E isto usando sempre os mesmos ingredientes (O Agente Da Brodway tem, por exemplo, a mesma estrutura de Melinda E Melinda - vários amigos reunidos na mesa de um café a contarem uma estória). Por isso, quem viu um dos seus filmes já viu (quase) todos. Mas todos eles são únicos e extremamente singulares. Paradoxal, eu sei.

O Agente Da Broadway é um desses típicos casos. Allen pega numa premissa bastante gira - Danny Rose é um agente da Broadway neurótico (ou seja, o próprio Woody Allen), cujos artistas que gere são personagens tão ímpares quanto um xilofonista cego ou um malabarista maneta - e transforma-a numa aventura caótica, tendo como pano de fundo a oportunidade única do cantor Lou Canova (Nick Apollo Forte) de relançar a sua carreira. E afinal, no fim, tudo não passa de uma espécie de romance tocante.

O Agente Da Broadway é o típico filme de Allen, que actualmente se convencionou apelidar de ligeiro: os diálogos inteligentes, as situações caóticas, o humor burlesco, a personagem de Woody Allen a fazer de Woody Allen. No entanto, este é um dos casos em que a interpretação de Allen enquanto actor se destaca, tudo por causa de uma pitada de melodrama comovente que o autor despeja na história.

Se Woody Allen é uma metade do filme, a outra metade é Mia Farrow, a femme fatale de O Agente Da Broadway. Permanentemente de óculos escuros e uma pose a lembrar Sophia Loren, Mia Farrow acaba por ser um paralelismo bem menos subtil de que Woody Allen querria por certo para o seu filme. No fundo, o que Allen quer dizer com O Agente Da Broadway é que um tipo como ele também consegue arranjar uma mulher como Mia Farrow. E estava-o provando na vida real.

O Agente Da Broadway é um filme algo esquecido da filmografia de Woody Allen. Provavelmente, o meu McChicken não vos fará irem comprá-lo à loja virtual mais próxima, mas se forem admiradores do mestre norte-americano, então acreditem que já o deveriam ter visto há muito tempo.

Posted by: dermot @ 11:01 da tarde
|  




segunda-feira, março 26, 2007  

CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL - ABRIL:

Não sei porquê, mas estou com um pressentimento que este mês vai dar molho ainda. Cheira-me que há gente que vai levar a mal misturar a Páscoa com o budismo...

Mas de que raio está ele a falar?, perguntam vocês. Falo, obviamente, da programação do próximo mês de Abril do Clube de Cinema de Setúbal, subordinada ao tema "A Religião E A Morte". A escolha deste tema justifica-se pela grande festa cristã que se celebra neste mês - a vitória de Jesus sobre a Morte, ou melhor, a Ressurreição.

Assim, com uma abordagem livre e descomplexada sobre o tema, o Clube de Cinema de Setúbal dará em Abril uma vista de olhos pelas religiões (assim mesmo, no plurarl) e pela condição humana perante a morte. Destaco deste grupo dois filmes: Samsara, o equivalente budista de A Última Tentação De Cristo (também presente), que terá a apresentação de Paulo Borges, presidente da União Budista Portuguesa; e Morrer, filme de Diogo Camões, que foi a grande revelação nacional do IMAGO passado.

Depois, há ainda a ressalva da sessão especial de dia 28, dedicado a José Barahona, o realizador português responsável pelas curtas-metragens Quem É Ricardo? e Pastoral, que fizeram sucesso no Caminhos de 2005.

As sessões são sempre às sextas e ao sábado, no auditório do IPJ de Setúbal (no Largo José Afonso) e os preços continuam estupidamente parvos - 1€ ou 0,5€ se apresentar cartão de estudante ou Cartão Jovem.


Dia 6 - A Vida de Brian, de Terry Jones
Dia 7 - A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorcese
Dia 13 - Samsara, de Pan Nalin - apresentação por Paulo Borges, presidente da União Budista Portuguesa
Dia 20 - No More Souls, de Gary J. Tunnicliffe + Dogma, de Kevin Smith
Dia 27 - Morrer, de Diogo Camões - com a presença do realizador + O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman
Dia 28 - Sessão Especial: Homenagem a José Barahona - Quem É Ricardo? + Pastoral - com a presença do realizador

Posted by: dermot @ 11:37 da tarde
|  




quinta-feira, março 22, 2007  

FACTORY GIRL:

Título: Factory Girl
Realizador: George Hickenlooper
Ano: 2006


Waiting for a girl who's got curlers in her hair
Waiting for a girl she has no money anywhere
We get buses everywhere
Waiting for a factory girl

Factory Girl - The Rolling Stones

Sempre que leio algures o título deste Factory Girl, a minha mente associa-o automaticamente à música dos Rolling Stones com o mesmo nome. O que é que isto tem a ver? Absolutamente nada. Mas por alguma razão obscura, esta pareceu-me uma boa introdução para as linhas seguintes.

A factory girl a que se refere o filme é Edie Sedgwick, uma das mais iconográficas Warhol girls. Andy Warhol foi, quiçá, o mais importante artista da arte contemporânea, que definiu todos os conceitos sociais da sociedade actual: as super-estrelas, os 15 minutos de fama e o amor pelo plástico (no sentido figurado e literal). Por isso, o seu universo já foi explorado mais do que uma vez no cinema e com resultados bem satisfatórios: I Shot Andy Warhol ou The Doors - O Mito De Uma Geração, por exemplo. Assim, qualquer filme que surja sobre o mesmo tema, tem logo à partida uma fasquia demasiado alta com que se debater...

Factory Girl parece ter logo antes de começar um grande factor simbólico com o elenco escolhido pelo realizador George Hickenlooper, começando logo pela protagonista: Sienna Miller, que continua a ser descrita por toda a gente como uma promissora e bonita actriz, quando na verdade toda a gente a conhece por ter um par de cornos famosos, cortesia de Jude Law. Depois, até há para lá perdida uma das gémeas Olsen (a primeira vez que uma delas aparece no grande ecrã sem a outra ao lado), símbolo máximo do estrelato artificial que os Estados Unidos fabricam.

Com duas actrizes desta craveira, Hickenlooper parece que se viu na obrigação de não as ofuscar e por isso chamou para o papel de Bob Dylan (aqui rebaptizado de Billy Quinn), o pior actor da sua geração - Hayden Christensen. Uma heresia, portanto. Hayden Christensen está tão mal, que até Jimmy Fallon (sim, também por lá anda) parece merecer um Oscar. O único que se safa é Guy Pearce, que assim prolonga dignamente a dinastia de Andy Warhols, depois de Crispin Glover, David Bowie e Jared Harris.

Edie Sedgwick foi então a Warhol girl que melhor espelhou a essência da arte de Warhol: a futilidade, o glamour, a superficialidade e os tais 15 minutos de fama. Depois disso, definhou numa espiral de drogas, ostracizismo e irrelevância, até à overdose fatal. No entanto, George Hickenlooper escusava de se ter esforçado em manter Factory Girl tão oco quanto possível.

Assim, Factory Girl limita-se a retratar Edie Sedgwick como um fantasma unidimensional, uma miúda mimada sem grande personalidade. Uma espécie de Stoned - Anos Loucos, sem qualquer respeito por quem quer que seja. Bob Dylan então, sai mesmo muito mal da fotografia. E Factory Girl limita-se a vogar pela Nova Iorque dos anos 70 sem uma única âncora nem tão-pouco um porto que lhe desse guarida.

Além disso, para quem está familiarizado com a história (é que a cena warholiana sempre exerceu sobre mim um especial fascínio), Factory Girl é uma enorme manta de incongruências. Normalmente, os bio-pics dão-se à liberdade de alterar factos reais a favor da dramatização do filme; mas aqui, os factos são adulterados apenas por que sim...

Factory Girl é uma enorme desilusão, que limita a pobre Edie Sedgwick a uma miúda com azar no amor. Segundo o filme de Hickenlooper, se ela tivesse ficado com o Bob Dylan em vez do Warhol nada disso tinha acontecido. Demasiado redutor para uma personagem com tanto para contar. Agora percebo porque é que Bob Dylan obrigou a que o seu nome não aparecesse envolvido e porque é que Lou Reed disse que o filme era uma remessa de imbecilidades.

Gostava de conseguir resumir toda a minha opinião a uma feliz tirada espirituosa como o fez o Village Voice (escreveu este jornal que Factory Girl era um biopic of Edie Sedgwick for dummies). Mas como não o consigo e, habitualmente, apenas me limito a associa-los a menus de hamburgas, não vou tentar nenhuma analogia mirabolante e vou rematar o texto com duas palavras apenas: Double Cheeseburger.

Posted by: dermot @ 3:51 da tarde
|  




terça-feira, março 20, 2007  

O LABIRINTO DO FAUNO:

Título: El Laberinto Del Fauno
Realizador: Guillermo Del Toro
Ano: 2006


A estreia internacional de O Labirinto Do Fauno trouxe-nos uma boa notícia: afinal, os americanos conseguem ser piores do que nós no que diz respeito às traduções dos filmes. É que conseguiram transformar um literal O Labirinto Do Fauno num O Labirinto De Pan, quando Pan é uma figura mitológica completamente diferente do Fauno e sem qualquer referência no filme. Americanices...

O cinema mexicano anda na ordem do dia - está bom de saúde e recomenda-se. E ao contrário da sua vizinha Argentina, por exemplo, o cinema do México consiste mesmo em grandes produções, ambiciosas e arrojadas, sem medo de apostar na sofisticação e modernidade. Alfonso Cuarón e Guillermo Del Toro são os dois pontas-de-lança desta nova equipa e só quem nunca viu Nas Costas Do Diabo, por exemplo, é que pode ficar surpreendido com este O Labirinto Do Fauno e com os dotes de Del Toro.

O Labirinto Do Fauno é uma alegoria fantástica, que tem a Guerra Civil Espanhola como pano de fundo (tal como em Nas Costas Do Diabo). No final do regime franquista, o impiedoso Capitão Vidal (Sergi López) combate a Resistência num cerrado bosque espanhol, ao mesmo tempo que espera um filho de Carmen Vidal (Ariadna Gil). E durante isto, a filha desta, Ofelia (Ivana Baquero), vai descobrir um mundo novo de fantasia, um reino de criaturas fantásticas e mitológicas, do qual é a princesa há muito fugida.

Del Toro confessa regularmente o seu fascínio pelos filmes de zombies de Fulci, mas O Labirinto Do Fauno tem muito mais influência dos zombies de Romero - esta é uma alegoria política, que funciona como uma crítica social acutilante, humanizando os monstros e bestificando os humanos. Del Toro volta a mostrar um fascínio sobre as figuras fantásticas e os inadaptados e, por isso, O Labirinto Do Fauno é uma espécie de Alice, que em vez de ir para o País das Maravilhas, vai para o circo de Parada De Monstros.

O filme faz esquecer completamente o universo da Terra Média ou qualquer coisa relacionada com As Crónicas De Nárnia: o universo fantástico não recebia uma injecção de originalidade e vitalidade desde Willow Na Terra Da Magia, por exemplo (com a triologia d'O Senhor Dos Anéis aparte, obviamente). Mas O Labirinto Do Fauno tem muito pouco de filme juvenil e é mesmo pouco recomendável aos mais novos. Cenas que fazem lembrar o espancamento com o extintor de Irreversível ou a laceração do Capitão Vidal à la Joker não são as mais indicadas para estômagos mais fracos.

Mas tudo isto é filmado com grande sobriedade e uma habilidade acima da média. Não são só os decors fantásticos e as personagens mirabolantes que valem o fascínio pelo filme. São sobretudo os travellings de Del Toro, a edição e o encadeamento das cenas ou o aprofundamento da trama secundária - a Guerra Civil Espanhola - que fazem de O Labirinto Do Fauno um grande filme. Só faltava mesmo um pingo a mais de talento a Ivana Baquero...

Para já, O Labirinto Do Fauno é um dos filmes do ano aqui para o tasco. E por isso, esta prosa termina com o respectivo Royale With Cheese.

Posted by: dermot @ 7:12 da tarde
|  




segunda-feira, março 19, 2007  

O ÚLTIMO REI DA ESCÓCIA:

Título: The Last King Of Scotland
Realizador: Kevin Macdonald
Ano: 2006


Confesso que tinha um preconceito para com Forest Whitaker. Talvez habituado a vê-lo em papéis secundários inconsequentes e em filmes insonsos (alguém mencionou Chuva De Fogo?), nunca consegui perceber como é que ele tinha conseguido trabalhar com Jim Jarmusch ou Abel Ferrara. No entanto, como já devem ter percebido pelo tempo verbal que usei no início deste parágrafo, esse meu preconceito já desapareceu. O tour de force que é a interpretação de Whitaker em O Último Rei Da Escócia convenceu-me absolutamente das suas capacidades representativas.

O Último Rei Da Escócia é uma adaptação livre do déspota Idi Amin Dada (a tal interpretação magistral de Forest Whutaker, galardoada com o respectivo Oscar) e da situação política no Uganda nos anos 70. Quer dizer, a história é real e aconteceu mesmo, mas é dramatizada sob a figura do médico escocês Nicholas Garrigan (James McAvoy, a mostrar que existia mesmo um bom actor por baixo do fauno de As Crónicas De Narnia), personagem livremente baseada em Bob Astles. No filme, Garrigan vai tornar-se amigo do tirano e numa espécie de seu conselheiro especial, acabando manipulado e enganado por este. A relação de amizade e de confiança entre ambos acaba por assemelhar-se à de James Caan e Kathy Bates, em Misery - Último Capitulo.

O filme é então metade biopic, metade thriller palpitante, nunca conseguindo atingir o ponto de equilíbrio ideal. Enquanto biografia, apesar de boneco genial que tira ao ditador do Uganda, nunca consegue sebruçar-se a sério sobre a situação política do país e sobre as suas acções e massacres. Fica tudo subentendido, até porque nós já sabemos que elas aconteceram. Porque quando o filme tenta abordar este assunto, parece dar um passo maior que a própria perna e coxeia durante uns momentos. Felizmente que consegue recompor-se a tempo...

Enquanto thriller vibrante, O Último Rei Da Escócia é bem melhor. Apesar de alguma ansiedade de Kevin Macdonald em querer manter o suspense e a excitação do filme (era escusada tanta tremideira na câmara), o ritmo é suficientemente interessante e envolvente. E até mesmo o fugaz relacionamento entre James McAvoy e uma subnutrida Gillian Anderson funciona. Para a posterioridade ficam, contudo, as cenas mais perturbadoras: a tortura final do pobre escocês e a mutilação de uma das esposas de Idi Amin.

Decididamente, Fernando Meirelles fez escola em Hollywood. Desde que levou a sua Cidade De Deus para África, em O Fiél Jardineiro, que parece ter-se convencionado que o continente africano deve ser representado com cores saturadas, como se fosse um filme de Tony Scott se tratasse. O que é certo é que dá um efeito giro e eu gosto. Além disso, O Último Rei Da Escócia ainda tem outros dois trunfos: o tratamento da "corte" de Idi Amin e a banda-sonora, feita dos ritmos quentes africanos, que nos fazem mergulhar a fundo no Uganda.

O Último Rei Da Escócia não é um bom filme histórico, mas também não é um mau filme de acção. Antes pelo contrário - é um McBacon.

Posted by: dermot @ 6:57 da tarde
|  




quinta-feira, março 15, 2007  

O ENIGMA DO HORIZONTE:

Título: Event Horizon
Realizador: Paul W. S. Anderson
Ano: 1997


Se você costuma perguntar de si para si porque raio é que continuam a dar dinheiro a Paul W.S. Anderson para estragar filmes, então a resposta que procura é esta: O Enigma Do Horizonte.

O Enigma Do Horizonte foi a primeira grande produção de Paul W.S. Anderson, visto pela indústria como alguém que poderia ser mais do que simples tarefeiro. Nada mais acertado: Paul W.S. Anderson situa-se num limbo algures entre o simples tarefeiro e o mau realizador.

A estória em ambiente sci-fi algo cyberpunk, é uma mistura de viagens no tempo com descidas ao inferno, com muito sangue, matança do porco e assombrações. O filme é ainda um exercício semelhante ao de Matrix: um copy paste de situações que já vimos em outros filmes sob novos moldes, que quase dá a impressão de que tudo aquilo é original. Se em Matrix tínhamos Ghost In The Shell ou Um Amanhã Melhor, em O Enigma Do Horizonte temos Shining ou A Casa Maldita, ou não fosse este uma variação espacial do tema "casa assombrada".

Realmente, a premissa de uma casa assombrada no espaço até tinha bastante interesse. O ambiente claustrofóbico, sem sítio para fugir, é semelhante a Alien - O Oitavo Passageiro; e isso é uma coisa boa. No entanto, a ideia de a própria "casa" ser o fantasma é que pronto... Mas bem feitinho, até era capaz de dar uma coisa gira.

Mas apesar de conseguir ter os seus momentos - Paul W.S. Anderson é um tipo que até sabe usar o gore e criar ambientes cyberpunk -, O Enigma Do Espaço mete os pés pelas mãos e nos últimos vinte minutos começa a auto-destruir-se, esforçando-se por pisar todos os clichets do género. E no final, lá tem que sobreviver o casal da praxe; e se ele for afro-americano, melhor. Uma pena, porque até aí a única coisa à Paul W.S. Anderson tinha sido só aquela mensagem em latim - pois, vou morrer e então vou pedir socorro desesperadamente numa língua quase morta.

O Enigma Do Horizonte não é o único filme bom de Paul W.S. Anderson, é antes o menos mau do realizador. Até sou homem para lhe dar um Double Cheeseburger num dia de boa disposição. Mas não me lixem, porque o filme não lhe dá crédito suficiente para realizar tanto lixo...

Posted by: dermot @ 3:15 da tarde
|  




quarta-feira, março 14, 2007  

QUARTETO FANTÁSTICO:

Título: The Fantastic Four
Realizador: Oley Sassone
Ano: 1994


Sente-se confortavelmente, que eu vou contar-lhe uma história.
Na década de 80, quando a Marvel estava a atravessar uma grave crise financeira, Stan Lee vendeu ao desbarato os direitos cinematográficos da maioria dos seus heróis. No entanto, como na altura os super-heróis ainda não estavam na moda e os efeitos-especiais ainda não tinham alcançado a sofisticação dos dias de hoje, os filmes que acabaram por surgir ou foram coisas más (Fúria Silenciosa), ou coisas muito más (Capitão América). A excepção parecia ser o Quarteto Fantástico, grupo de heróis que merecia um filme como deve ser. E por isso, a produtora esperou a ocasião certa (aquela em que tivesse dinheiro suficiente). Mas esse dia nunca chegou e como estava a terminar o prazo dos direitos sobre os heróis, os produtores pensaram que se lixe, vamos lá fazer isso. Telefonaram então a Roger Corman, o rei dos filmes de série B de baixo orçamente e pediram-lhe Quarteto Fantástico em quinze dias. Corman fê-lo numa semana. E pelo meio ainda teve tempo para ir a um casamento.

Quarteto Fantástico foi então um filme tão mau que nem chegou a ir para os clubes de vídeo. Toda a gente tentou esquece-lo. Mas umas cópias piratas surgiram nos mercados alternativos e actualmente, com o advento da internet, Quarteto Fantástico tornou-se num dos filmes de culto dos geeks da banda-desenhada e dos nerds dos filmes de série B. Por isso, se tiver oportunidade de o ver, não hesite. É a experiência de uma vida.

Não vale a pena falar aqui da estória do filme, porque ela mal existe. E a que existe é tão ruim (e com tão pouco a ver com os livros), que mais vale ignora-la. Basta dizer que foca a origem do Quarteto Fantástico, confrontando-o com o seu arqui-rival Dr. Destino. Pelo meio, exstem personagens secundárias metidas a martelo com a mesma graciosidade com que um elefante se move numa loja de porcelanas (como a pobre da Alicia Masters (Kat Green)), e inimigos inventados que não se percebe muito bem que andam lá a fazer (como o Joalheiro (Ian Trigger), um tipo com ares do Toupeira e de Pinguim).

É certo que o filme foi feito numa semana e com meia dúzia de tostões, mas mesmo assim podiam ter contratado actores que soubessem represnetar minimamente. Com um leque de ilustres desconhecidos, que têm feito carreira quase exclusivamente na televisão, Quarteto Fantástico é então composto por: Sr. Fantástico (Alex Hyde-White), cujas propriedades elásticas consistem num braço extensível; a Mulher Invisível (Rebecca Staab), cujos poderes de se tornar invisível limitam-se a... desaparecer do ecrã; o Tocha Humana (Jay Underwood), cuja única vez que se transforma, literalmente, no Tocha Humana, transforma-se num desenho-animado(!); e o Coisa (Michael Bailey Smith), curiosamente o mais conseguido dos quatro, apesar de estar encerrado num fato de borracha cor-de-laranja. Do outro lado está um bem caracterizado Dr. Destino (Joseph Culp), que dá um novo sentido ao overacting e que precisa de uma oleadela na armadura, uma vez que range por todo o lado.

Quarteto Fantástico é tão cheesy e ridículo que só serve para dar umas valentes gargalhadas. Sequências de acção como a que o Senhor Fantástico imobiliza trinta soldados inimigos ao esticar o pé à frente de uma porta e fazendo-os tropeçar é, completamente, impagável. Não se percebe muito bem é a intenção de dar dois sidekicks ao Dr. Destino - e o respectivo comic relief, quando tudo o resto no filme já era comic relief. Tudo isto faz o filme ter aquele ar ingénuo da série do Homem-Aranha que dava há uns anos na TVI.

Em Quarteto Fantástico tudo é mau. Os actores são maus, os efeitos-especiais são maus, o argumento é mau. Tudo é tão mau ao nível de uma Hamburga de Choco. Então porque raio decidiram eles, há dois anos, fazer outro filme mau do Quarteto Fantástico? Não consigo entender.

Posted by: dermot @ 7:15 da tarde
|  




sábado, março 10, 2007  

O COWBOY DA MEIA-NOITE:

Título: Midnight Cowboy
Realizador:
Ano: 1969


Se aquando da sua nomeação para o Oscar, O Cowboy Da Meia-Noite já tinha levantado celeuma o suficiente, então quando o recebeu a polémica foi enorme - O Cowboy Da Meia-Noite continua a ser até há data o único filme classificado com um X (o equivalente a maiores de 18 anos) a vencer um Oscar de Melhor Filme.

Com efeito, O Cowboy Da Meia-Noite, juntamente com Bonnie E Clyde, marcaram um ponto de viragem no cinema de Hollywood, preconizado em grande parte pelos movie brats - um cinema mais descomplexado, sem medo de abordar os temas tabus, mais próximo do "cinema de autor" europeu e, claramente, mais gráfico.

Apesar de ser um survivor movie urbano, O Cowvboy Da Meia-Noite é um filme com uma forte conotação sexual, nomeadamente homossexual, com várias referências mais ou menos indirectas. Não houvesse um título como O Segredo De Brokeback Mountain e este seria, sem dúvida, o grande filme gay dos Oscares. No entanto, não se pense que este é um filme gay. Longe disso!

O Cowboy Da Meia-Noite é então a estória de Joe Buck (Jon Voight), um ingénuo cowboy da província que se muda para Nova Iorque para ganhar dinheiro como prostituto, depois de um passado com recalcamento sexuais que não são muito clarificados. É como diz a canção, se conseguires vingar lá [em Nova Iorque, claro], então conseguirás vingar em qualquer lado. Mas se vencer na cidade que nunca dorme já é complicado, mais ainda o é quando se é pelintra. E por isso, o único consolo que Joe vai encontrar durante muito tempo é ao lado de outro pelintra, o coxo Ratzo (um Dustin Hoffman com pedras no sapato, segundo rezam as crónicas), com quem vai dividir um apartamento abandonado e os pequenos saques que praticam.

Existem dois tipos de drama: os melodramas assumidos, de faca e alguidar, que apostam no martírio do coitadinho do princípio ao fim, fazendo-nos ficar agarrados ao lenço de assoar o filme todo; e os dramas que conseguem alternar de registo durante certas alturas, aventurando-se mesmo pelo humor, sem perder carga dramática. Normalmente, estes segundos demonstram mais perícia por parte do realizador e do argumentista. Coisa que se encontra claramente em O Cowboy Da Meia-Noite.

O Cowboy Da Meia-Noite é ainda um filme com forte pendor experimental, o que lhe dá ainda outra dimensão. Por exemplo, O Cowboy Da Meia-Noite tem a mais deliciosa sequência de imagens em analogia ao sexo desde Garganta Funda. E depois, claro, tem a banda-sonora incomparável do mítico Toots Thielemans, o rei da harmónica (uma das coisas mais avassaladoras que já vi ao vivo), que tem o dom de penetrar na alma e estimular os sítios certos do nosso ser.

Só não é mesmo um filme perfeito, daqueles que sai daqui com o menu mais caro, porque não acho grande piada à cena na Factory, de Andy Warhol. Tudo bem que contextualiza a cena nova iorquina da altura, mas eu riscava-a de cena. Por isso, fica apenas com o Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 12:35 da tarde
|  




quinta-feira, março 08, 2007  

THE PRESTIGE - O TERCEIRO PASSO:

Título: The Prestige
Realizador: Cristopher Nolan
Ano: 2006


Da nova vaga de realizadores que por aí anda, Cristopher Nolan tem sido não o melhor, mas o mais versátil. Porque uma coisa é fazer uma obra-prima e mais alguns bons filmes próximos do género; e outra coisa é fazer uma obra-prima (Memento, claro) e mais uma mão-cheia de bons filmes completamente distintos, incluindo revitalizações de super-heróis (Batman - O Início), ou remakes de filmes europeus (Insónia).

The Prestige - O Terceiro Passo volta a ser algo de diferente: a batalha feroz entre dois ilusionistas rivais, Robert Angier (Hugh Jackman) e Alfred Borden (Christian Bale), em pleno século XIX, quando as ilusões pareciam ainda mais formidáveis.

A disputa entre os dois profissionais é verdadeiramente aguerrida. Tudo porque o que realmente está em jogo é a vingança e não o aparente facto de ver quem é o melhor mágico dos dois. Por isso, o que poderia parecer uma simples disputa entre dois homens é, na verdade, uma guerra impiedosa a sangue-frio. Por isso, quando chega ao fim do filme, Jackman e Bale vão ter dedos a menos, pernas danificadas e familiares mortos. Uma verdadeira chacina, bem mais cruél do que alguns filmes de acção assumidos, ou não estivessem frente-a-frente o carniceiro Wolverine e o sinistro Batman.

Mas o que The Prestige - O Terceiro Passo tem de genial é a forma como Cristopher Nolan aborda a história, transformando algo razoável em algo verdadeiramente bom. Tudo devido à fragmentação da continuidade temporal, não de forma inovadora e radical como em Memento, mas de forma integrada que nos embrulha a fundo na estória, começando o filme pelo fim e recorrendo a flashbacks dentro dos próprios flashbacks.

O suspense de The Prestige - O Terceiro Passo é ainda outro trunfo de Nolan, que abraça o mundo do ilusionismo de forma realista o suficiente, para que mesmo quando revela os truques, ficarmos com a mesma sensação de fascínio pelos mesmos. Mas a grande virtude do filme é mesmo a direcção de actores, com trabalhos fenomenais de Christian Bale e Hugh Jackman. Este último, para os mais cépticos, vem provando de filme para filme que é mesmo um dos novos valores a ter em consideração,

Cristopher Nolan ainda consegue pôr Scarlett Johansson a fazer o tipo de papel que lhe fica bem: aqueles em que passa despercebida. Johansson é completamente ofuscada pela interpretação dos dois protagonistas masculinos e ninguém sente a sua falta.

The Prestige - O Terceiro Passo peca apenas pela tentativa de recorrer ao twist final para que tudo tenha sentido. Porque é que as pessoas teimam em querer que tudo tenha explicação? Às vezes, um bom mistério deixado em aberto é tudo o que um filme precisa. Seja como for, apesar de terminar de forma algo previsível, The Prestige - O Terceiro Passo é mais um excelente Le Big Mac no curto currículo de Cristophr Nolan.

Posted by: dermot @ 3:59 da tarde
|  




quarta-feira, março 07, 2007  

SUSPEITA:

Título: Suspicion
Realizador: Alfred Hitchcock
Ano: 1941


Apesar de ter realizado mais de meia centena de filmes, Alfred Hitchcock nunca venceu um Oscar de Melhor Realizador. Parece esquisito como é que aquele que é considerado unanimamente como o rei do suspense nunca recebeu tal distinção. No entanto, basta relembrar outros eternos esquecidos da Academia para esse facto não soar tão estranho: Kubrick, Chaplin, Wells, Scorcese... ah, este já não.

Mas houveram dois filmes do Mestre que se destacaram nos Oscares. O primeiro foi Rebecca, que arrecadou o Oscar de Melhor Filme; e o segundo foi Suspeita, que valeu o Oscar de Melhor Actriz a Joan Fontaine.
É sobre este último que recaiem as próximas linhas.

De facto, é algo estranho o sucesso que recebeu Suspeita na época. É certo que nessa altura Hitchcock já era uma estrela firmada - que por vezes tinha mais sucesso que os próprios actores -, mas Suspeita é uma verdadeira mante de retalhos, resultado duma eterna batalha entre realizador e estúdio. Tudo devido ao actor principal, Cary Grant, o galã que ninguém queria ver fazer de mau. Por isso, a opção de Hitchcock em o fazer assassino foi sempre negada pelos produtores que, após muitos avanços e recuos, lá levaram a sua adiante (ou não fossem eles a malta que estava a entrar com o dinheiro).

Mesmo assim, Suspeita revela-se como um filme bastante competente e prestável, que só prova como Hitchcock era bom: mesmo um filme cheio de cortes e mudanças de argumento,
Hitchcock consegue transformar numa obra superior - e aquela cena do copo de leite é mítica. Contestável só mesmo o final, claramente feito em cima do joelho (e no chão da sala de edição). São muitos os que não gostam, mas eu, pessoalmente, até prefiro esse turnback do que a ideia original do realizador. Mas já lá vamos.

Suspeita é então a estória do aldrabão Johnnie Aysgarth (Cary Grant), um indivíduo falido que gosta de viver uma boa vida, entalando-se nas dívidas, nos empréstimos e nos esquemas manhosos. Mas Johnnie vai-se apaixonar perdidamente por Lina McLaidlaw (Joan Fontaine) e o casamento torna-se inevitável. Contudo, com o passar do tempo, Lina começa a pensar se Johnnie não se terá casado consigo apenas pelo dinheiro da herança...

O filme é como um termómetro, em que a temperatura (leia-se suspeita) vai aumentando com a passagem dos minutos. E quando mais tempo passa, mais quente a intriga fica. Porque a história tanto vai dando razões a Lina, como logo a seguir inocentam o pobre Johnnie. Quererá ele mesmo matá-la? É sabida a extrema obcessão de Hitchcock pelas mulheres e em Suspeita ele faz-lhes a pior acusação: a de paranóicas, ciumentas e desconfiadas.

E depois há o final, extremamente mal feito, mas que dá algumas propriedades importantes ao filme: primeiro, dá-lhe uma imprevisibilidade total (tipo twist), uma vez que toda a gente esperava um "sim" ou um "não" e acaba por ter um "nim"; segundo, porque a possibilidade de um final aberto dá pano para mangas; e terceiro porque foge à mecânica estilística do género, o suspense britânico à la Agatha Christie. Por tudo isto e, sobretudo, por ser um bom filme feito de retalhos, Suspeita é um McBacon.

Posted by: dermot @ 10:55 da tarde
|  




terça-feira, março 06, 2007  

UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:

Foi o Público do passado sábado que o revelou: A Curva é o filme nacional mais visto no estrangeiro de sempre. Ok, não é bem assim. Quer dizer, é e não é.

A Curva foi um pequeno filme realizado por David Rebordão, cuja intenção era promover o seu projecto O Vírus. Contudo, esta pequena curta-metragem foi parar ao maravilhoso mundo do youtube e, em pouco tempo, ganhou um culto cada vez maior. Actualmente, são muitos os que conhecem A Curva. E os que conhecem O Vírus? Quase ninguém. Até porque David Rebordão ainda não conseguiu reunir o financiamento necessário...

A Curva é uma espécie de Projecto De Blair Witch, assente num dos mitos urbanos mais recorrentes de sempre. É certo que não é um filme para salvar o Mundo, mas é o suficientemente interessante para merecer uma visualização atenta. E até é capaz de o fazer saltar da cadeira no final. E David Rebordão merece com todo o mérito que o seu nome surja associado a este projecto.

Posted by: dermot @ 12:11 da manhã
|  




domingo, março 04, 2007  

PECADOS ÍNTIMOS:

Título: Little Children
Realizador: Todd Field
Ano: 2006


Quero começar esta prosa de maneira completamente diferente. Quero começa-la pela actriz principal, Kate Winslet. Pode parecer uma ideia inesperada, mas a minha opção tem razão de o ser. Com a nomeação para um Oscar em Pecados Íntimos, Winslet tornou-se na mais jovem actriz de sempre a receber cinco nomeações para o prémio máximo da Academia. E a maioria delas depois da enorme xaropada que foi Titanic. Significa isto que Kate Winslet é uma grande actriz? Sim, mas significa sobretudo que é uma profissional inteligente, que sempre soube conduzir a sua carreira e escolher os filmes certos, não se amedrontando em escolher papéis mais doidos. Tudo isto faz de Kate Winslet uma das maiores actrizes da sua geração e uma das mais subvalorizadas. Eu cá sou fã incondicional.

Pecados Íntimos é apenas o segundo filme de Todd Field, realizador que, contudo, já caiu no goto da crítica internacional, graças à sua sensibilidade e tacto na realização, dotes que tanto rimam com cinema contemporâneo. Pecados Íntimos é uma nova incursão de Todd Field no realismo, com influências de Altman, Dostoievsky e Flaubert (não é por acaso a referência decisiva a Madame Bovary).

Em Pecados Íntimos, Todd Field tira um retrato antropológico à suburbia norte-americana: a paranóia colectiva, o jogging matinal das senhoras, o conservadorismo, as intrigas e as coscuvilhices. Pecados Íntimos é como um episódio de Donas De Casa Desesperadas, mas sem gente bonita e muito mais sofisticado.

Kate Winslet é Sarah Pierce, uma mãe dona-de-casa cansada do seu casamento, opção que a privou de uma vida profissional estimulante, em detrimento de um quotidiano monótono num bairro dos subúrbios, junto de um grupo de mães de meia-idade. E o casamento vai estoirar mesmo os últimos cartuchos quando apanha o seu marido (Gregg Edelman) a masturbar-se à conta de um site porno. Por sua vez, Patrick Wilson é Brad Adamson, um pai dedicado, mas cansado da vida que leva: cansado de ter saltado a sua adolescência, cansado de ficar a cuidar do filho enquanto a mulher (Jennifer Connelly) vai trabalhar e, sobretudo, cansado da carreira de advocacia que não quer seguir. Por último, Jackie Earle Haley é Ronnie McGorvey, um pervertido ex-condenado por exposição pública indecente, ostracizado por aquela sociedade super-neurótica.

Estas são as três linhas narrativas principais de Pecados Íntimos - há ainda uma trama secundária, protagonizada pelo ex-polícia Larry (Noah Emmerich) -, orientadas por um narrador intimidador, à maneira de Barry Lyndon, que parece que era dispensável. Mas Todd Field gosta de pequenos toques de autor e são esses pormenores que dão valor aos filmes. Todas estas histórias se debruçam sobre personagens deslocados, indivíduos mortos por fora mas vivos por dentro, que fazem lembrar Os Inadaptados - e todos eles vão ter a oportunidade de agir contra isso.

O que importa em Pecados Íntimos não é as opções que estas personagens tomam, mas antes o próprio acto de as tomar - sinal que conseguiram libertarem-se das suas próprias imposições. Errar é mais importante e aliviador, do que nunca tentar. Porque todas as personagens vão acabar por errar, mas vão alcançar a tão ansiada redenção (que neste caso é alcançada com o facto de alterarem as suas vidas de forma decisiva). Na sua génese, o conceito do livre-arbítrio é muito semelhante ao de Laranja Mecânica.

Conceptualmente, Pecados Íntimos é um filme nobre, que sabe o que quer e para onde vai. Contudo, fica sempre a sensação que precisava de ser ainda mais polido, como é o caso da história de Patrick Wilson, que nunca consegue cativar verdadeiramente. Outro facto que mostra que algo podia ter sido feito de forma diferente é a duração do filme, excessiva quando no final pensamos que nem foi dito assim tanto quanto isso. E a prova decisiva do "crime" de Field é o final, que teima durante vários minutos em fechar um círculo, para terminar depois de forma desencontrada. Por isso, o McChicken final vem com um cheiro esquisito. Não, não é a estragado, é um cheiro a alguma desilusão.

Posted by: dermot @ 7:03 da tarde
|  




sábado, março 03, 2007  

CASABLANCA:

Título: Casablanca
Realizador: Michael Curtiz
Ano: 1942


Existem filmes que se confundem com o próprio cinema, obras intemporais que perduram pelo tempo e espaço de forma incontornável. São filmes que toda a gente conhece pelo menos uma cena, uma citação ou apenas uma música, mesmo sem nunca o ter visto até ao fim. E são filmes que toda a gente deveria ver, pelo menos, uma vez na vida. No restrito grupo destas obras absolutas, são dois os títulos fundamentais: E Tudo O Vento Levou e Casablanca.

Casablanca, em Marrocos, era a última paragem dos refugiados antes de chegarem a Lisboa, porto de embarque para a América livre, em plena II Guerra Mundial. Em solo neutro, reuniam-se indivíduos de todas as nacionalidades e de todas as estirpes, ansiando pelos vistos que valeriam a viagem final até à liberdade. E o centro gravitacional de Casablanca era o café do americano Rick Blaine (Humphrey Bogart), local onde conviviam franceses, alemães e italianos, judeus e arianos, traficantes de diamantes, falsificadores e contrabandistas, jogadores, bêbados e mulherengos.

O café de Rick é um microcosmos criado dentro do macrocosmos que é a própria cidade de Casablanca. E a figura central deste universo onde se desenrola Casablanca é o próprio Rick Blaines, um Humphrey Bogart a fazer o papel que sabia melhor - o de Humphrey Bogart: um cínino e egocêntrico homem de negócios, metade galã metade destruidor de corações. Claro que homens assim só o são devido a uma mulher. E no caso de Rick essa mulher é a bela Ilsa Lund (Ingrid Bergman), que, inesperadamente, vai chegar a Casablanca e reavivar uma paixão que se pensava enterrada.

Casablanca vai então funcionar em dois caminhos: o primeiro é o do thriller político, um assumido filme anti-nazi em plena II Guerra Mundial - uma verdadeira intriga internacional, com informação e contra-informação, espiões e muitos golpes sujos. E o segundo é o caminho que realmente interessa, o do melodrama, criado pelo triângulo amoroso entre Bogart, Bergman e Paul Henreid - uma relação amorosa imprivisível, cujo trabalho de actores notável mantém em suspense até à cena final decisiva.

A primeira meia-hora de Casablanca é assustadoramente perfeita: o retrato de Casablanca e do café de Rick é perspicaz e certeiro, os diálogos são precisos (tudo é dito da maneira como deveria ser, não haveria outra forma possível), o humor funciona e o preto-e-branco e a mise-en-scene revela o patine do melhor que o cinema clássico tinha. Durante a primeira meia-hora Casablanca é o melhor filme de sempre. Depois é introduzida a personagem feminina de Ingrid Bergman e toda a gente sabe que as mulheres estragam sempre tudo. Por isso, a partir dessa meia-hora Casablanca é apenas o segundo melhor filme de sempre.

Um filme pode ser um grande filme quando é bem filmado, os actores bem dirigidos e o argumento bem redigido. No entanto, aspectos técnicos à parte, os filmes atingem um novo nível de galvanização quando dão a mesma importância aos pequenos pormenores: pequenas subtilezas, simbolismos subliminares e segundas intenções apenas captadas por um olho mais atento. E é isto que faz toda a diferença em Casablanca, um filme que é, sobretudo, sobre a redenção: a redenção de Rick e Ilsa, cujo passado em comum havia ficado mal resolvido; a redenção do capitão Renault (Claude Rains), que no final dá início a uma bonita amizade; ou a redenção de Ferrari (Sydney Greenstreet), que indica a "salvação" (leia-se o café de Rick) a Victor Lazslo.

Casablanca tem ainda o maior lote de citações memoráveis, mas vou antes realçar a banda-sonora, principalmente graças a um pianista omnipresente, Sam (Dooley Wilson), que intepreta "As Time Go By" (melhor canção do cinema de sempre?) como ninguém. Vê-se na personagem de Sam a génese das figuras musicais de Kusturica, que costumam acompanhar as personagens principais dos seus filmes.

Claro que o Royale With Cheese é o único resultado possível desta prosa elogiosa. You must remember this, a kiss is still a kiss, a sigh is just a sigh, the fundamental things apply, as time goes by...

Posted by: dermot @ 12:07 da tarde
|  




quinta-feira, março 01, 2007  

7 BLOGUES, 6 ESTREIAS, 5 ESTRELAS:

Já anda no sítio do costume a tabela das classificações das estreias de Fevereiro. E como sempre, o Knoxville é o maior, claro. Passem por lá, até porque desta vez há uma novidade estrondosa: eu consegui classifciar mais do que um filme este mês.

Posted by: dermot @ 10:02 da tarde
|  


 

BABEL:

Título: Babel
Realizador: Alejandro González Iñarritu
Ano: 2006


Depois de ter realizador dois filmaços como Amor Cão e 21 Gramas, Alejandro Iñarritu decidiu voltar à carga e terminar os seus ensaios sobre a incomunicabilidade com chave de ouro - Babel, uma mega-produção distribuída por quatro continentes, que mistura estrelas mundiais consagradas (olá Brad Pitt, olá Cate Blanchett) com actores totalmente debutantes e pertinentemente baptizada com o nome da famosa torre bíblica, onde Deus semeou a confusão entre os Homens ao pô-los a falar línguas diferentes.

Mas não é só a temática que é comum aos seus anteriores filmes. Também a própria estrutura de Babel é semelhante a Amor Cão e 21 Gramas: o convencionalmente chamado filme-mosaico, truque narrativo "criado" por Robert Altman que consiste em contar várias histórias paralelamente, unidas apenas por alguns pontos comuns. Em Babel são quatro histórias, cada uma passada num canto do Mundo - Marrocos, Estados Unidos, México e Japão -, unidas entre si por uma sucessão de acontecimentos próximos do fenómeno do "efeito borboleta".

Mas em Babel o recurso ao filme-mosaico é devido à especificidade das histórias, que vão ocorrendo em simultâneao, em diferentes partes do Mundo (como em Amor Cão), e não em função do argumento e de um final em que as histórias se juntam e tudo faz sentido (como em 21 Gramas).

Tudo começa com duas crianças marroquinas, que enquanto pastam as suas cabras, decidem ver quão longe dispara a sua espingarda. Um desses tiro atinge fortuitamente uma turista norte-americana (Cate Blanchett), em férias de reconcialiação com o marido (Brad Pitt). Esse acontecimento vai despoletar uma crise internacional entre Estados Unidos e Marrocos, ou não tivesse o terrorismo na ordem do dia. O que está também na ordem do dia é a emigração ilegal entre o México e a terra do Tim Sam. E quem vai sofrer com isso é Amelia (Adriana Barraza), a ama dos filhos dos turistas americanos, que vai levar os miúdos a um casamento na sua terra natal e acabar no meio do deserto, depois de uma perseguição policial. Enquanto isso, ainda há a história de Chieko (Rinko Kikuchi), uma miúda japonesa surdo-muda, que vai embarcar numa onda de promiscuidade, cansada de tanto desprezo por parte dos rapazes.

Estas quatro histórias podem estar ligadas entre si por um elemento em comum, por mais distante que seja, mas interessam sobretudo pela temática: o problema de comunicação que todos enfrentam e, sobretudo, provocado por relações amorosas. Por exemplo, Brad Pitt e Cate Blanchett são um casal em crise, cuja tragédia vai reconciliar com a vida; a jovem Chieko não consegue encontrar alguém que goste de si devido à sua surdez, o que a deixa deprimida e transtornada; os dois rapazes marroquinos têm divergências porque um deles não gosta que o outro espie a irmã mais nova enquanto esta se despe; e até a pobre Amelia tem um caso amoroso mal resolvido com um viúvo. Ou seja, a frustração sexual causa problemas de comunicação. E se os queres resolver, então tens de saber escutar.

Iñarritu é um realizador mexicano bastante universal e prova toda a sua competência cosmopolita em Babel, ao filmar cada continente como se fosse a sua terra natal - captando os mais ínfimos pormenores com uma sensibilidade acima da média, quer seja no deserto árido de Marrocos, quer seja no super-povoado Japão. Passos em falso só mesmo quando entra um pouco no lugar-comum de querer filmar as cenas da jovem surda-muda sem som, como que pondo o espectador no seu lugar - totalmente dispensável, quando já o tinha conseguido com o alheamento da personagem.

Há quem teime em continuar a subvalorizar os filmes de Iñarritu, insistindo em ver os seus trabalhos pelo ponto de vista pessimista. Por exemplo, de Babel há quem diga que é um filme racista, porque toma os americanos como pessoas racionais e o resto do Mundo como tarados e desiquilbrados. Eu prefiro ver Babel como uma história universal, que mostra que há dramas em todo o lado. É a típica história do copo meio vazio ou meio cheio. Cada um vê-lo como acha melhor...

Babel é mesmo um dos filmes do ano e teria sido um Oscar bem justo. A consagração de Iñarritu fica para outra altura. Para já, a triologia da incomunicabilidade fica fechada com distinção. Que é o mesmo que dizer que sai daqui com um Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 12:10 da manhã
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014