Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



segunda-feira, junho 26, 2006  

NINGUÉM SABE:

Título: Dare Mo Shiranai
Realizador:
Ano: 2004


Os japoneses são doidos. E doidos é o mínimo que se pode chamar a uma gente que come com pauzinhos ou que inventou coisas tão inúteis quanto a melancia sem pevides e o karaoke. Por isso, se é possível que uma mãe abandone ao deus-dará os quatro filhos pequenos num apartamento, essa mãe tinha que ser japonesa.

Ninguém Sabe é uma adaptação livre deste episódio. Na verdade, o episódio real até é bem mais grave e chocante que o filme, mas isso agora não interessa. Ninguém Sabe é a história de quatro irmãos - Akira (Yûya Yagira), o mais velho, tem doze anos - que se mudam para um apartamento com a mãe (You). Como esta não tem dinheiro, os filhos não vão à escola nem tão pouco podem sair de casa, uma vez que o senhorio não os pode ver, de forma a não cobrar uma renda mais elevada. Se já é estranho uma mãe achar este modo de vida normal, mais estranho ainda é quando esta desaparece de vez, quando ainda nem chegámos a um terço do filme.

Ninguém Sabe poderia muito bem ser um filme sobre a negligência dos pais. Também o é, inevitavelmente, mas esta é uma mensagem colateral. Ninguém Sabe é um filme sobre o crescimento, a infância e a vida. Ninguém Sabe é um filme brutalmente belo e comovente.

Filmado num estilo voyeurista, o filme funciona quase como um documentário sobre a vida das crianças, colocadas numa situação adversa, fora do seu "habitat natural" - a vida de menino, de brincar e de não ter preocupações. Akira e os seus irmãos vêm-se a crescer de dia para dia, sobrevivendo num mundo cheio de barreiras e limitado às quatro paredes do apartamento. Lembram-se da série Adultos À Força? Pois esses adolescentes teriam vergonha de se apelidarem de adultos à força se viessem a conhecer estes quatro meninos japoneses.

Ninguém Sabe faz-se dos pequenos pormenores. Das pequenas coisas que numa situação extrema como aquela se tornam em sinais gigantes, como uma mancha de verniz para as unhas no soalho, ou a cabeça de um boneco de plasticina perdida na varanda. A evolução cronológica é subtil e, tal como a infância, desenvolve-se ao sabor do tempo, refletindo-se na sujidade dos ténis ou no esvaziar do frigorífico. Por isso, quando nos damos conta da evolução que se deu naquele apartamento entramos em choque: existe caos e lixo espalhados por cada canto, mas, pior que isso, escorre por todas as paredes uma infância roubada.

Apesar de tudo isto, felicidade não é um sentimento estranho aqueles meninos-homem, que na inocência da sua infância acabam por disfrutar de cada momento e de saborear o prazer dos limites transgredidos: primeiro a varanda e depois a rua. No entanto, a tragédia está anunciada deste início e torna-se inevitável.

Depois de O Regresso, Ninguém Sabe é o mais belo filme a chegar a uma sala de cinema portuguesa. E como o primeiro é um filme sobre crianças. Será coincidência?
Não é muito boa ideia aconselhar tantos Le Big Macs aos jovens. Ao menos bebam uma Cola Diet para equilibrar...

Posted by: dermot @ 11:51 da tarde
|  


 

RIO BRAVO:

Título: Rio Bravo
Realizador: Howard Hawks
Ano: 1959


Rio Bravo é um dos filmes mais fáceis de recomendar a alguém. Primeiro, por ser o que é: um western do mestre Howard Hawks, com um trio de de estrelas constituído por John Wayne, Dean Martin e Ricky Nelson. E segundo, por ter dado origem ao clássico de Carpenter, Assalto À Esquadra 13 (e deixar ainda remeniscências em Cães De Palha).

A premissa de Rio Bravo é simples e sucinta, sem grandes artifícios: o xerife John T. Chance (John Wayne) acaba de prender por assassinato Joe Burdette (Claude Akins), irmão de um dos mais importantes "homem de negócios" do Velho Oeste. Por isso, sabe que até este o vir tentar resgatar é uma questão de tempo. O problema é que a sua ajuda limita-se a um velho coxo, Stumpy (Walter Brennan), um alcóolico com a pior ressaca de sempre de um filme de caubóis, Dude (Dean Martin), e um jovem pistoleiro, Colorado (Ricky Nelson).

Rio Bravo é um western clássico fora do seu género, uma vez que o argumento sai fora das temáticas comuns do nascimento da nação, o confronto com os índios e os laços de sangue e compromissos de honra. Rio Bravo é apenas entretenimento: tiros e cauboiadas. Ou como alguém disse uma vez, kiss kiss bang bang.

Howard Hawks filma Rio Bravo como uma panela de pressão, onde o suspense vai crescendo ao longo do filme, mas cuja tensão se vai dissipando aos poucos devido ao optimismo do filme. É aqui que Rio Bravo se insere na métrica dos westerns clássicos; é um western violento à sua maneira, por vezes até algo cheesy, longe da violência gráfica de um western spaghetti. No final das (demasiado longas) duas horas de filme, tudo se resume a um duelo numa casa sitiada, mas que ao contrário de Assalto À Esquadra 13, se realiza de fora para dentro.

Rio Bravo vive dos seus actores. Apesar de ser a personagem com mais destaque na trama, a lenda John Wayne nunca ganha notoriedade de herói, uma vez que o glamour de Dean Martin (especialmente) e Ricky Nelson colocam todos os actores ao mesmo nível. De propósito ou não, o que é certo é que funciona na perfeição, dando um maior realismo áqueles pobres desgraçados que sabem que vão ser atacados e que a única coisa que podem fazer é esperar. Neste conjunto de protagonistas, ainda há lugar para o comic relief do genial Walter Brennan.

Mas o elo mais fraco desta cadeia de protagonistas é a personagem feminina, Plumas (Angie Dickinson). Com o objectivo de não fazer Rio Bravo um filme essencialmente masculino e de lhe dar um toque de romance (o tal optimismo dos westerns clássicos, sempre com espaço para o amor), acaba por ser uma opcção duvidosa (para não dizer falhada), uma vez que o drama pessoal dessa ex-amante de um batoteiro assassinado não convence (ao contrário do problema de alcoolismo de Dean Martin).

Rio Bravo não é só um clássico dos westerns; é, simultaneamente, o melhor western da lenda John Wayne e de Howard Hawks. E como se não bastasse, ainda há possiblidade de assistir a um momento musical de Dean Martin e Ricky Nelson (também naquela altura se tentavam essas manobras de marketing). Digo-vos uma coisa: se Ricky Nelson tivesse cantado, como estava previsto, o tema que Johnny Cash compôs, eu agora não escreveria aqui McBacon.

Posted by: dermot @ 6:13 da tarde
|  




segunda-feira, junho 19, 2006  

OS PRODUTORES:

Título: The Producers
Realizador: Susan Stroman
Ano: 2005


Em 1968, Mel Brooks conseguia a improvável tarefa de se estrear na realização com um êxito automático intitulado Os Produtores. A probabilidade de conseguir fazer um clássico à primeira não é muita, mas o (ex)rei da comédia consegui-o. Anos depois, a Brodway aproveitou o potencial do filme e adaptou-o aos palcos, transformando Os Produtores num musical. A probabilidade de vir a ter sucesso não era muito alta, mas os americanos são doidos e a adaptação resultou, transformando-se numa das peças com mais sucesso de todo o sempre. Agora, em 2005, a encenadora da peça, Susan Stroman, e o realizador do filme original, Mel Brooks, decidiram unir esforços para adaptar a peça de teatro ao cinema. Novamente. Um remake do remake do remake. Qual era a probabilidade de isto dar certo? Praticamente nenhuma, mas também a probabilidade de sermos atingidos por um raio é de uma num milhão e há um homem no Guiness que já foi atingido sete vezes!.

Que necessidade tinha o Mundo de um remake de Os Produtores, versão comédia-musical? Nenhuma. Não foi essa a ideia de Susan Stroman, que ainda por cima se limitou a levar o elenco principal da peça de teatro para o cinema, com excepção da protagonista, substituída por Uma Thurman. Para mim foi justificação suficiente para uma ida ao cinema.

Os Produtores é assim a versão musical para cinema do original de mesmo nome de 1968. A história é a mesma: o produtor da Broadway caído na desgraça Max Bialystock (Nathan Lane) une-se ao contabilista neurótico Leo Bloom (Matthew Broderick) para praticarem um esquema infalível: produzir o pior espectáculo de sempre, uma vez que um buraco no sistema permitia-lhes ganhar mais dinheiro com um fracasso do que com um sucesso. Produzem então Primavera Para Hitler, um musical-gay sobre o Terceiro Reich que, obviamente, vai contra todas as previsões e transforma-se num sucesso.

Os Produtores vive então dos seus actores. Uma vez que as suas prestações em palco são exemplares, não havia necessidade de duvidar de Nathan Lake e Matthew Broderick, apesar do segundo continuar encarcerado no aspecto juvenil de tenho-18-anos-e-vou-fazer-gazeta-à-escola-fingindo-estar-doente (O Rei Dos Gazeteiros, anyone?). Mesmo assim, Matthew Broderick perde-se às vezes nas poses teatrais. As personagens são divertidas caricaturas que abusam muitas vezes do overacting para aproveitarem os gags e transformarem-nos em cenas hilariantes, num tipo de humor que faz lembrar Jerry Lewis.

Se os gags mantêm-se praticamente fiéis à versão de 1968, o upgrade dá-se em relação às músicas. Mantém-se o humor nas letras divertidas e pertinentes e constroem-se coreografias fantásticas. O filme tem, no entanto, um senão: a sua extensão de duas hroas, decididamente tempo de mais para tanta cantilena sempre que termina um diálogo.

Referência final ainda a outras duas novidades nesta adaptação: a presença de Uma Thurman, no papel da sensual Ulla, que marca presença com o seu glamour e o seu físico, melhor que nunca. Além disso, ainda dança como nunca a viram dançar antes. Só por isso vale a pena... Depois há ainda Will Ferrell em versão neo-nazi-gay, o melhor actor a sair do SNL nos últimos tempos e tão desaproveitado ultimamente nos filmes que tem feito e a presença fugaz do hilariante Richard Kind.

Se gosta de musicais, então vale a pena o McBacon e a passagem pela sala de cinema para ver Os Produtores, filme adaptado da peça de teatro que adapta um filme sobre uma peça de teatro. Se pelo contrário é daqueles que não percebe porque é que todos têm que desatar a dançar nos momentos-chave do filme então fuja como o vento de Os Produtores e fique-se pelo original. A sério.

Posted by: dermot @ 6:01 da tarde
|  




sexta-feira, junho 16, 2006  

ÓBITO:

Morreu hoje de madrugada, em Lisboa, Mário Ventura Henriques. O pai do Festróia contava com 70 anos e, para além de cinéfilo, era também jornalista e escritor, com uma obra deonde se destaca "Vida E Morte Dos Santiagos", que lhe valeu alguns importantes prémios.
O Royale With Cheese está de luto.

Posted by: dermot @ 1:40 da tarde
|  




quarta-feira, junho 14, 2006  

ESCOLHA MORTAL:

Título: The Proposition
Realizador: John Hillcoat
Ano: 2005


Escolha Mortal (mais uma imaginativa tradução na boa tradição portuguesa de tentar compactar toda a história do filme no próprio título) fez desde logo correr muita tinta, sobretudo nos blogues, muito antes de ter começado a ser filmado. Tudo porque o senhor que assinou o argumento (tal como a banda-sonora) é o mui amado Nick Cave. Tal facto é uma óptima publicidade, digamos de passagem, mas assim como pode ser um óptimo cartão de visita, também pode ser o seu próprio enterro. Porque as expectativas são uma coisa tramada.

O western anda moribundo. De vez em quando aparecem títulos pontuais que o fazem recordar com saudade (Imperdoável é capaz de ter sido o último a sério) ou outros que o colocam em novos cenários (viram como consegui não fazer nenhuma piada com O Segredo De Brokeback Mountain?). E depois, excepcionalmente, aparecem filmes como Escolha Mortal, que sem ser um western, o revisista e redefine.

Em princípio, Escolha Mortal tem tudo para ser um western clássico, apesar dos desfiladeiros norte-americanos serem substituídos pelas planícies australianas. Existe uma nova civilização que tenta impôr o progresso numa terra árida, numa imposição do Homem sobre a Natureza - a luta dos brancos contra os aborígenes, que não têm o direito de travar o progresso. O mito do nascimento da nação, tão presente nos westerns e ironizado pelo desdenho a Darwin e à sua Teoria das Espécies num diálogo com Guy Pearce. No entanto, logo de início vemos que algo não está bem, quando por entre uma música celestial, passam umas fotografias antigas de cadáveres violentados e de campas.

Escolha Mortal começa então a meio. O pano abre e é como se fôssemos numa carruagem a alta velocidade; ficamos logo sem fôlego.
Arthur (Danny Huston), Charlie (Guy Pearce) e Mike (Richard Wilson) Burns, três irmãos (uns mais que outros ) sanguinários procurados por esventrarem a família Hopkins. O capitão Stanley (Ray Winstone) é o destacado para os apanhar e num misto de obsessão e vingança, faz uma proposta a Charlie: se matar o seu irmão Arthur, ele e Mike são absolvidos. Se não o fizer, o benjamim será enforcado em nove dias.

Pode não parecer pela sinopse, mas Proposta Mortal é mais do que uma caça ao homem e um drama pessoal: é uma história sobre a família. Atenção, não confundir com história familiar, antes filme sobre a família: o núcleo familiar e o valor desta. A dos irmãos Burns e a do capitão Stanley.

Apesar do rótulo de western, John Hillcoat troca os planos majestosos das pradarias infinitas por planos simbólicos e poéticos. Escolha Mortal tem uma certa aura de poema, talvez ajudada pela banda-sonora mística e os diálogos de Nick Cave. Escolha Mortal é filmada como um requiem.

Existem remeniscências da sujidade do western spaghetti (há muito pó, demasiado pó, tanto que quando acaba o filme estamos ainda a cuspir poeira suficiente para fazermos um carregamento de tijolos de burro) e há Sam Peckinpah a espreitar em cada esquina, apesar da violência não ser tanto gráfica, mas antes sugerida. As influências de Peckinpah reportam-se áquele degredo do espaço e à secura das personagens.

Hoje colocaram-me uma questão curiosa que era quais os cinco filmes que gostaria de ter feito. Escolha Mortal é, sem dúvida nenhuma, um deles. Quem me dera fazer um filme tão sujo e seboso e, simultaneamente, tão belo. Só mudava uma coisa: trocava Richard Wilson por outro actor menos bem parecido. E até deixava o canastrão do Guy Pearce. Acho que não é preciso dizer que é um Royale With Cheese, pois não?

Posted by: dermot @ 10:25 da tarde
|  




segunda-feira, junho 12, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 10

E para terminar, nada como combater a ressaca cinematográfica com mais um indianerfilme.

Westerns De Leste - OS ÍNDIOS APACHE:

Título: Apachen
Realizador: Gottfried Kolditz
Ano: 1973


Não há duas sem três: no último dia de Festróia lá fui eu completar a tríade dos Westerns de Leste, com Os Índios Apache. E agora sim, agora estamos a falar de um filme a sério.

Os Apache eram das tribos mais ferozes dos índios, ou não tivesse o exército norte-americano baptizado com o seu nome os seus helicópteros de guerra. Na altura, o preço que o governo pagava pelos seus escalpes eram os mais elevados do mercado.

Em Os Índios Apache, estes vivem em paz com os mexicanos que exploram uma profícua mina de cobre. No entanto, como bons gananciosos e corruptos que são, os americanos querem garantir a exploração daqueles jazigos só para eles, ou não fosse este um filme anti-americano. Assim, vão tentar enganar e criar a discórdia junto dos mexicanos.

No entanto, o pior está para acontecer. O tirano Johnson (Milan Beli) vai armar uma armadilha aos índios apache: atrai-os para o interior da villa mexicana e depois de fechar as portas, fuzila-os a sangue-frio. Lembram-se de O Padrinho 3? É mais ou menos a mesma coisa. O que Johnson não esperava é que de entre os seis apaches que conseguiram escapar estivesse o guerreiro Ulzana (Gojko Mitic), que como sabemos é o índio mais rijo de todos, ou não tivesse sido ele a estrela de todos os westerns de leste.

Ulzana vai então jurar vingança a todos os que mataram os seus. E aí sim, entramos num filme a sério. Seis índios, com os seus métodos de combate silenciosos e o arco e flecha a tiracolo vão despachar um exército de caubóis norte-americanos de forma simples e directa. Claro que existem danos colaterais, mas os apaches não querem saber: é branco e respira? Então mata-se! How cool is that?

Os Índios Apache volta a ser perfeito em questão de guarda-roupa, cenários e reconstituição histórica. Não tem os episódios amadores flagrantes de alguns dos outros filmes e é o que se aproxima mais dos westerns spaghettis. Além disso, o tema principal da banda-sonora é genial, longe de parecer as músicas daqueles peruanos que costumam estar a tocar ali na baixa.

Os Índios Apache é dos três filmes opinados aqui no Royale With Cheese aquele que merece destaque. Eu sabia que à terceira era de vez. Mas atenção que este McRoyal Deluxe é em comparação com os outros indianerfilme e não com os outros westerns em geral.

Posted by: dermot @ 11:13 da manhã
|  




domingo, junho 11, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 9
Cerimónia de Entrega dos Prémios


Vamos começar pelo que interessa: Que Lugar Maravilhoso foi o grande vencedor da noite. Não sei se o júri oficial foi influenciado pela opinião do Royale With Cheese, mas o que é certo é que o meu palpite foi em cheio. E o que é certo é que foi inteiramente justo. O filme checo amealhou ainda mais dois prémios (o de Melhor Realizador e o Prémio CICAE).
A outra referência que tenho a fazer é ao filme A Boda, do qual também falei aqui e que foi, de todos os que vi no festival, o mais fraquinho. Contudo, arrecadou o Prémio do Público. Conclusão: acho que me deixei de dormir no filme sem dar por nada.
Quanto aos restantes prémios, que podem conferir no site principal, resta mencionar Sandip Ray, que recebeu em nome do pai, o Golfinho de Ouro de tributo à carreira de Satyajit Ray, um dos maiores vultos de sempre do cinema mundial.
Por fim, a noite era ainda de homenagem a Joaquim De Almeida, o mais internacional dos actores portugueses, que recebeu (com toda a justiça, atenção) um Golfinho de Ouro pela sua carreira e a Medalha de Mérito Cultural da cidade. No ar ficou um ponto pertinente: esta foi a primeira homenagem do actor em Portugal, um país que costuma arranjar desculpas para justificar o mérito dos outros (é certo que Joaquim de Almeida é o melhor-actor-de-sempre-a-fazer-de-espanhol e depois? pelo menos é o melhor).
Depois, a primeira ante-estreia do festival. Quanto a Satyajit Ray, há mais aqui.

Ante Estreia - A VIDA SECRETA DAS PALAVRAS:

Título: Vida Secreta De Las Palabras
Realizador: Isabel Coixet
Ano: 2005


Visualise esta cena de A Vida Secreta Das Palavras: duas velhotas numa viagem de autocarro a dialogarem, enquanto assistem ao DVD de Força Destruidora:
"O Van Damme tem mais músculos que o Vin Diesel, mas é pior actor."
"Não acho. O Vin Diesel é, sem dúvida, melhor actor, mas em questão de músculos são mais ou menos a mesma coisa".

Como é possível não gostar deste filme? Só se tivesse uma banda-sonora de música disco italiana, representações ao nivel de Jean-Claude Van Damme e/ou um argumento pretensioso. Por isso, é impossível desgostar de A Vida Secreta Das Palavras que é o oposto de tudo isto.
Bem, estou a exagerar, mas é que achei que ficava sopimpa iniciar assim esta prosa.

A Vida Secreta Das Palavras é a história de Hannah (Sarah Polley), uma mulher solitária, obsessivo-compulsiva e quase surda, que tenta matar o tempo antes que o tempo a mate assim. Quando o patrão quase a obriga a tirar férias, após quatro anos de trabalho interrupto, Hannah vai fazer de enfermeira para o local mais solitário do mundo: uma plataforma petrolífera em desactivação, onde vivem meia-dúzia de indivíduos solitários como ela.

Hanna vai desenvolver uma relação cúmplice com o seu paciente Josef (Tim Robbins), um trabalhador que sofreu um acidente e que perdeu temporariamente a visão. Os dois criam uma espécie de compromisso, em que Hanna é os seus olhos e Josef os seus ouvidos.

A Vida Secreta Das Palavras é um drama sensorial, de vazios e silêncios. A espanhola Isabel Coixet já provou saber fazer filmes tocantes, sem serem pretensiosos, lamechas ou piegas (alguém mencionou A Minha Vida Sem Ti?). Contudo, em A Vida Secreta Das Palavras há algo que não bate certo, começando pela personagem de Hanna.

Esta é demasiado espartalhona para o boneco que lhe pintam de início. E o desenvolvimento da sua personagem não é de todo coerente. Pena são mesmo as personagens secundárias, que tinham potencial para muito mais, desaparecerem às tantas do filme com um estalar de dedos.

No entanto, A Vida Secreta Das Palavras é o filme mais comovente dos últimos tempos. Em Kill Bill Vol. 2, David Carradine diz às tantas, a Uma Thurman: "O teu lado é o mais solitário de todos, mas não me sentaria noutro sítio". Esta frase cola a este filme como a Super Cola 3 colava cientistas ao tecto. As cenas da plataforma petrolífera deserta são de uma melancolia brutal, que dá um nó estômago e não deixa o McBacon descer.



Homenagem a Satyajit Ray - O Deus Elefante

Posted by: dermot @ 12:45 da manhã
|  




sexta-feira, junho 09, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 8

O festival aproxima-se do fim, mas nem por isso parece abrandar. O público também não parece na disposição de desistir e continua a encher as salas, principalmente nas sessões da noie. O sétimo dia foi assim.

Secção Oficial - O CHINA:


Título: Kinamand
Realizador: Henrik Ruben Genz
Ano: 2005


Keld (Bjarne Henriksen) é um homem de meia-idade, aborrecido como o raio. E o pior é que não faz nada para o mudar. Por isso, com apenas cinco minutos de filme já a mulher, Rie (Charlotte Fich), o deixou. Agora, para além de ser um aborrecido, Keld ganhou uma depressão.

A sua rotina maçadora ganha então uma nova tarefa: o jantar no restaurante chinês bem em frente à sua casa. E noite após noite, depois de travar conhecimento com o proprietário Feng (Lin Ku Wu), este vai propôr-lhe um casamento de conveniência com a sua irmã mais nova, de forma a enganar os serviços de emigração. E que jeito lhe dava o dinheiro...

O China é uma divertida comédia romântica, mas muito mais profunda do que pode parecer à primeira vista. O amor flroesce pelas frestas de onde menos se espera e é esta a mensagem do filme: apesar da improbabilidade da relação e do difícil choque de culturas, o romance entre o dinamarquês Keld e a bela chinesa Ling (Vivian Wu, que enche a câmara), vai desenvolver-se.

Se o amor é a pedra basilar, o choque de culturas é o rastilho que faz despoletar os momentos mais importantes da trama. E apesar de não ser 100% fiél aos costumes chineses, O China cria um excelente contraste entre a cultura ocidental e a oriental, com claras remeniscências de Disponível Para Amar, influências essas que se extendem à banda-sonora, a fotografia (apesar do cartaz fazer lembrar Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho, outra das suas referências) temática: o amor mais sentimental e menos carnal.

O China é uma comédia que consegue ser divertida com a mesma força que consegue ser comovente, graças a um argumento e a interpretações sólidas que não se perde em artifícios desnecessários. E para terminar, o menu 8 se faz favor, o McRoyal Deluxe com amêndoas.



Secção Oficial - De Cabeça Para Baixo

Posted by: dermot @ 11:54 da tarde
|  


 

22. FESTRÓIA:

DIA 7

O cinema português rege-se tantas vezes por formatos pré-definidos, que já nos contentamos bastante quando aparecem propostas diferentes do costume, mesmo que os resultados práticos acabem por não ser os mais desejados. Foi o que aconteceu com Manô, Odete, Coisa Ruim e Alice, quatro filmes fora do que se costuma fazer em Portugal e todos em exibição no Festróia. Ontem foi o dia de Manô. Quanto à competição oficial, podem ler aqui.

Cinema Português Do Ano - MANÔ:

Título: Manô
Realizador: George Felner
Ano: 2005


Manô é uma personagem do cinema mudo português a preto e branco dos anos 20 (fictícia, claro está), criada e interpretada por George Felner. Depois de a testar em formato de curta-metragem, chegou a altura de arriscar a longa-metragem.

Adelaide de Sousa é Mariana, uma fotógrafa desempregada comprometida com o psiquiatra Marco, ou melhor, Diogo Infante. Uma vida ordinária que vai sofrer uma reviravolta quando Mariana, ao fotografar a demolição de um antigo cinema, encontra perdida por entre as bobines destruídas, Manô, uma personagem a preto e branco, muda e com grão.

Manô havia sido uma criação de Mário Cecílio, um realizador dos anos 20 esquecido pelo tempo e que voltou ao presente em carne e celulóide, para deixar a sua marca. E uma vez que é mudo e, como tal, não pode explicar isso, Adelaide de Sousa conseguiu descobri-lo num fantástico momento de clarividência, ao observar um cão a fazer xixi(!).

A qualidade técnica de Manô é notável. Como em Quem Tramou Roger Rabbit?, por exemplo, é misturada dois tipos de imagens: a humana e a de Manô, um diapositivo a preto e branco e cheio de grão, que até é afectado pela electricidade estática dos telemóveis. E o mais incrível de tudo é que está extremamente bem feito. Nem parece um filme português, diga-se.

Manô é um tibuto ao cinema e uma obra de amor do realizador George Felner. Uma ideia gira, apesar de não muito original, com uma personagem divertida criada pelo próprio Felner, numa fusão entre Charlie Chaplin e Jacques Tati. No entanto, há um problema em Manô: o argumento, que é pouco mais do que zero.

Sem muita imaginação, com situações que acontecem descontextualizadas e aleatoriamente, sem consequências para no desenrolar do filme, o argumento é pouco mais do que uma série de gags burlescos protagonizados pelo inadaptado Manô. A extensão exagerada do filme só vem provar que existem demasiadas cenas que não deviam ter saído da sala de montagem.

Apesar de isto, Manô é um bom pedaço de cinema, mostrando que também é possível fazer filmes de qualidade em Portugal longe dos modelos formatados. E é sempre óptimo poder rever o saudoso Canto e Castro.
Uma ideia curiosa, sem os resultados práticos desejados. Um McChicken.



Secção Oficial - Vitus

Posted by: dermot @ 11:57 da manhã
|  




quinta-feira, junho 08, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 6

E ao sexto dia foi exibido um filme chamado Minha Terra, uma primeira obra em estreia absoluta fora dos Estados Unidos natal, que deixou o público completamente rendido. Se aquela foi a primeira obra de Ali Selim, então deixem-me fazer uma nota mental com o seu nome para não o perder nunca de vista. No entanto, isto são linhas para ler aqui.
Quanto ao resto...

Secção Oficial - ILUMINADOS PELO FOGO:

Título: Iluminados Por El Fuego
Realizador: Tristán Bauer
Ano: 2005


A guerra é uma coisa tramada, que deixa marcas profundas naqueles que nelas estiveram envolvidos. Pior do que as mazelas físicas dos civis atingidos, só mesmo os distúrbios psicológicos dos envolvidos (com excepção dos americanos, que se transformam na maior parte das vezes em super-soldados. John Rambo, anyone?). E nós temos em Portugal a memória do Ultramar que não nos deixa esquecer. E os americanos têm o Vietname, que é o Ultramar deles. E os argentinos têm a guerra das Maldivas, que é Vietname deles.

Iluminados Pelo Fogo revisita a Guerra das Maldivas, um marco pesado na história da Argentina, que mandou milhares de jovens mal equipados e pouco preparados para uma matança às mãos dos ingleses, que até armas nucleares tinham.

O filme inicia-se no presente: Vargas, um ex-combatente, tenta suicidar-se com um cocktail de drogas, afectado pelas marcas psicológicas da guerra. Tal episódio é apenas o pretexto para que o seu antigo colega, Esteban (Gastón Pauls), recorde a traumática experiência, através de vários flashbacks.

Iluminados Pelo Fogo retrata vários episódios da vida daqueles dois soldados - mais Ramon (César Albarracín), falecido em combate -, num sítio onde a vida humana não valia mais do que a terra revolvida do chão. Nem sequer aos olhos dos próprios oficiais que, por incompetência e arrogância, os humilharam, espancaram e trataram abaixo de cão.

Iluminados Pelo Fogo vai buscar a lama e a sujidade de Spielberg em O Resgate Do Soldado Ryan, algum lirismo de Mallick em Barreira Invisível, mas sobretudo o colocar o dedo na ferida de Oliver Stone, em Platoon - Os Bravos Do Pelotão; nota-se que a Guerra das Maldivas continua a ser uma espinha na garganta dos argentinos. O realizador Tristán Bauer utiliza estas referências e filma o confronto bélico de forma crua e visceral, mas de forma algo atabalhoada, em que a câmara treme de mais e filma de menos.

Com Gastón Pauls em grande forma, Iluminados Pelo Fogo tem um último quarto de hora psicologicamente duro, algo que não é comum a todo o filme. É pena. No entanto, a audácia com que é realizado torna-o num dos favoritos ao galardão máximo do Festróia. Daqui leva o McBacon.




Secção Oficial - A BODA:

Título: Die Bluthochzeit
Realizador: Dominique Deruddere
Ano: 2005


Se antes de entrarmos na sala lermos a sinopse do filme, ficamos com a sensação de que já o vimos. Várias vezes, até. Passo a citar: "um casamento atribulado com muitos gritos, sangue, lágrimas e muita, muita diversão". De facto, é uma descrição que assenta que nem uma luva a grande número de filmes que passam ao domingo à tarde na televisão.

Com efeito, A Boda não pretende enganar ninguém e o que promete é o que tem para oferecer. Um casamento, apenas as famílias dos noivos e alguns convidados e o hotel onde vão servir o copo de água. Depois há passados obscuros, questões familiares por resolver e perigosos interesses imobiliários. Contudo, a supresa é a mudança de template: com efeito, A Boda segue um caminho diferente do esperado, com tiros, sangue e um hotel sitiado(!).

Contudo, antes que A Boda se pudesse tornar numa versão familiar da carnificna de Rio Bravo, tudo volta à rotina de domingo à tarde: previsibilidade e muita pouca graça. Mas pior do que as situações forçadas, é o facto de estas serem levadas tão a sério, com demasiados violinos na banda-sonora.

Confesso que não consigo perceber se A Boda é um filme a brincar para ser levado a sério, ou se é um filme sério para ser levado a brincar. O que é certo é que não teve tomates para se assumir e ser diferente e tornar-se interessante. Assim, é apenas um modesto Double Cheeseburger.



Primeiras Obras - Minha Terra

Posted by: dermot @ 12:57 da tarde
|  




quarta-feira, junho 07, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 5

É este um dos grandes trunfos do Festróia: dar-nos a possibilidade de descobrir cinematografias que muito dificilmente teríamos acesso de outra forma. E foi isso que aconteceu com o albanês Olho Mágico. Foi ainda neste quinto dia de festival que o Royale With Cheese escolheu o seu favorito ao grande prémmio. Mas isto já é assunto para ler aqui.

Secção Oficial - OLHO MÁGICO:

Título: Magic Eye
Realizador: Kujtim Çashku
Ano 2004


Olho Mágico foi, muito provavelmente, o primeiro filme albanês que tive oportunidade de ver (pelo menos, assim de repente, não me lembro de mais nenhum). E devo confessar que a primeira impressão não foi a melhor - uma péssima qualidade de imagem que tornava as cenas nocturnas em verdadeiras manchas de breu (pareciam as minhas filmagens caseiras com a handycam). Enfim... nada que não nos habituassemos ao fim de dez minutos.

Aliás, Olho Mágico é sobre isso mesmo. Não sobre handycams, mas sim sobre o poder das imagens. Petro (Bujar Lako) é um ex-prisioneiro de guerra (encarcerado vinte anos por causa de um beijo, haverá algo mais trágico-romântico?), com um fascínio pelo vídeo e tamanhas parecenças físicas com El Topo, numa Albânia mergulhada na guerra civil.

Certo dia, Petro filma acidentalmente uma cena de guerra que a televisão local manipula num sensacionalismo foleiro, vendendo-o às estações estrangeiras. Petro vai então repôr a verdade, mas pelo caminho enfrenta a forte contestação de Berti (Alban Ukaj), o responsável por essa reportagem, e a sua namorada Viola (Arta Dobroshi), que teima em aparecer várias vezes sem roupa, para delícia dos nossos olhos.

Metáfora sobre o poder da televisão, Olho Mágico ilustra o novo conceito de guerra televisiva, alertando-nos para o facto de as imagens poderem ser manipuladas e especuladas, fabricando a guerra que querem que nós vejamos. Aliás, apesar do cenário de guerra ser na Albânia, o local poderia muito bem ser outro. Kujtim Çashku apenas constrói a moldura, o retrato somos nós que o tiramos.

O filme apresenta ainda uma interessante identidade voyeurística, através das imagens cândidas da televisão e das fotografias que Petro vai tirando, representando o carácter cada vez mais omnipresente da televisão. Aliás, Olho Mágico é o telejornal das 8 à escala cinemagráfica.

Olho Mágico tem ainda dois pormenores que valem este parágrafo inteiro: o diálogo inicial em que comparam a Albânia a Portugal, porque toda a gente anda vestida de preto e branco e as casas estão destruídas (no final, devia ter ido tirar satisfações junto do realizador) e um violoncelista que passa o filme a tocar no topo de um telhado de uma casa destruída.

O filme não termina sem ainda uma interessante metáfora ao próprio país, provando que num país pequeno e com dificuldades como a Albânia, também é possível fazer cinema, basta vontade e empenho, tal como aquela população que no final improvisa uma sala de cinema bem no meio da rua, trazendo cadeiras de casa e estendo uma tela numa fachada de um prémio. Uma excelente surpresa de onde pouco se esperava. Quanto custará na Albânia um McBacon?



Primeiras Obras - Em Privado
Secção Oficial - Que Lugar Maravilhoso

Posted by: dermot @ 11:59 da manhã
|  




terça-feira, junho 06, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 4

E ao quarto dia de efstival, o público continua a responder à chamada, compondo a sala com uma moldura humana de respeito, o que tem agradado bastante aos realizadores presentes. Ontem, foi a vez do polaco Feliks Falk apresentar O Cobrador, em competição pelo galardão mais desejado do Festróia. De manhã, houve ainda o segundo capítulo dos Westerns de Leste, com Tecumseh. Mas sobre isto, pode ler aqui.

Secção Oficial - O COBRADOR:

Título: Komornik
Realizador: Feliks Falk
Ano: 2005


Ao quarto dia de competição, o Festróia voltou a apresentar mais um representante europeu ao Óscar: O Cobrador foi o filme polaco escolhido para tentar a sorte junto dos membros da Academia.

Lucek (Andrzej Chyra) é o cobrador de quem fala o título, um profissional sofisticado e sem escrúpulos morais, que cobra tudo e todos por igual, não perdoando sequer o próprio pai. Essa eficácia mortífera tornam-o no cobrador com mais sucesso do ramo, mas também lhe granjeia um número infinito de inimigos, inclusive dentro da própria empresa.

O filme intitula-se O Cobrador, mas poderia muito bem chamar-se A Ascensão E Queda De Lucek. Filmado nervosamente com a câmara ao ombro, um ritmo frenético e uma banda-sonora a preceito, o realizador apresenta de forma perfeita o frenesim da vida de Lucek, num ambiente urbano subjugado pelo trabalho, sem espaço para a vida familiar (com excepção da smulheres dos outros com quem Lucek anda envolvido).

Contudo, tudo o que sobe também desce, principalmente num mundo-cão em que tanto dinheiro e interesses são movimentados. E quanto maior a altura, pior a queda. E depois de metade do filme a subir até ao topo, Lucek vai tombar em queda livre, sem uma rede (leia-se amigos) para o amparar.

Com um argumento extraordinariamente sólido e equilibrado, Feliks Falk filma a queda de Lucek de forma desamparada e quase trágica, tirando-lhe completamente o tapete debaixo dos pés. E mesmo que este tenha uma epifania junto de uma imagem da Virgem, já será demasiado tarde, envolto na antiga história de Pedro e o Lobo - tanto gritou, que agora ninguém acredita em si.

O Cobrador tem sido um papa-prémios pelos festivais que passou. Não digo que será o favorito à vitória no Festróia, até porque ainda falta exibir muita coisa, mas pelo menos o McBacon já ninguém o tira.



Westerns De Leste - Tecumseh

Posted by: dermot @ 7:52 da manhã
|  




segunda-feira, junho 05, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 3
E ao terceiro dia, falou-se de morte. Primeiro, o esloveno Jan Cvitkovic apresentou De Sepultura Em Sepultura, em competição na Secção Oficial. E depois, seguiu-se Odete, a sensação portuguesa no Festival de Cannes do ano passado. Em comum tiveram a temática da morte, vista sobre o prisma da perda, da dor e do sofrimento. Para ler mais sobre Odete, basta irem aqui.

Secção Oficial - DE SEPULTURA EM SEPULTURA:

Título: Odgrobadogroba
Realizador: Jan Cvitkovic
Ano: 2005


Pode parecer um lugar-comum começar esta prosa por referir o nome de Emir Kusturica, mas o que é certo é que todos os elementos do seu cinema de autor estão presentes neste De Sepultura Em Sepultura, ou não fosse o realizador de Era Uma Vez Um País o maior realizador jugoslavo.

Imagine o template de um filme de Kusturica: o núcleo familiar disfuncional, situações bizarras e personagens secundárias caricatas. Agora, insira-lhe o universo de Woody Allen: o humor negro, os diálogos burlescos, a presença da morte. O resultado é De Sepultura Em Sepultura, a história de Pero (Gregor Bakovic), um orador fúnebre, a sua família disfuncional (o pai que se quer suicidar constantemente, a irmã casada com um canalha e um sobrinho na idade dos porquês) e os seus amigos (um vizinho obcecado pelo carro, uma vizinha muda e uma sadomasoquista com um pai tirano).

Apesar dos tons de comédia negra, De Sepultura Em Sepultura é um filme sobre a morte. É que o escritório de Pero é o próprio cemitério e quer ele queira quer não, a morte está sempre presente, mesmo que ele pense cada vez menos nela. E os seus discursos, apesar de tão patetas quanto as verdades de La Palisse, acabam por ser premonições do que aí vem: todos querem ir para o céu, mas ninguém quer morrer, diz ele às tantas.

À medida que o filme avança, a morte começa a acenar tragicamente aqueles que mais longe pareciam dela, em oposição aos que já tinham desistido de viver, que ganham um novo fôlego. E à medida que o manto negro da morte está cada vez mais presente, os planos começam a ganhar uma dimensão infinita, como se quisessem durar para sempre.

Não me parece que o Golfinho de Ouro passe por aqui. Ele é mais Double Cheeseburgers.



Cinema Português Do Ano - Odete

Posted by: dermot @ 12:40 da tarde
|  




domingo, junho 04, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 2

Ao segundo dia, o público voltou a responder em massa, depois da lotação esgotada do último dia. No entanto, o destaque deste dia ia todo para o arranque da secção dos westerns de leste. Quanto ao resto, também pode ser lido aqui.

Westerns de Leste - O BATEDOR:

Título: Der Scout
Realizador: Dshamjangijn Buntar & Conrad Petzold
Ano: 1983


Você já ouviu falar dos westerns clássicos de John Ford. Você já ouviu falar dos westerns spaghetti de Sergio Leone. E agora, estes são os westerns de leste, que o Festróia apresenta pela primeira vez em Portugal.

E que são estes westerns de leste? Como o próprio nome indica são uma ramificação do western, realizados na Alemanha de Leste por altura da Guerra Fria e utilizados como propaganda anti-americana. Ou seja, apesar dos elementos característicos (as roupas, os cavalos, os revólveres, as pradarias...), aqui a equação norte-americana é desconstruída e os índios passam a ser os bons da fita, longe dos vilões colectivos dos westerns clássicos.

O Batedor é um desses doze filmes, que tanto tinham um carácter político, como pedagógico. Como curiosidade, de referir que é o único baseado em factos verídicos. Em contra-partida, todos eles contam com Gojko Mitic no papel de protagonista, um jugoslavo carismático com porte de atleta, que faz lembrar o "Tarzan" Johnny Weissmuller.

Gojko Mitic é o chefe-índio Pena Branca, cuja tribo continua a ser escorraçada pelos malvados americanos. Quando decidem partir para o Canadá, de forma a fugirem às reservas, as tropas americanas roubam-lhes os cavalos. Como os Nez Percéz são uma tribo pacífica, o recurso às armas está fora de questão. Pena Branca vai então recorrer da sua astúcia, infiltrando-se no batalhão americano como batedor, semeando a discórdia no grupo, até conseguir escapar com os cavalos.

O Batedor é um filme de aventuras cujas ambições não vão muito mais além (para lá daquelas razões que já enunciei em cima) do que limitar o espectador ao entretenimento de ver e ouvir. Verdadeiramente ingénuo e por vezes até pateta, O Batedor consegue, contudo, resolver a situação sonora (uma banda-sonora competente) e gráfica (bonitas pradarias e desfiladeiros verdejantes), apesar das perucas-da-loja-dos-chineses da maioria dos índios. O problema são alguns buracos no argumento, em que pessoas alvejadas voltam a aparecer inexplicavelmente, ou situações pouco explícitas.

Tal como o Double Cheeseburguer vale pela hamburga, O Batedor vale pela curiosidade e aventura.



Secção Oficial - NA CAMA:

Título: En La Cama
Realizador: Matías Bize
Ano: 2005


Matías Bize, o realizador chileno de Na Cama, subiu a palco antes da projecção do filme para deixar algumas palavras. E em poucas linhas, colocou a fasquia bem lá em cima, apresentando um projecto ambicioso: dois actores, um local, uma situação.

Conhecemos então os dois protagonistas logo no início do filme, estão eles a terem sexo num motel. Mais tarde, ficamos a saber que ele, Bruno (Gonzalo Valenzuela), e ela, Daniela (Blanca Lewin), se conheceram naquela noite numa festa e que acabaram juntos, naquela cama. Ao início, nada sabem um do outro, nem sequer os nomes. Contudo, com o avançar da noite, as conversas nos intervalos das quecas vai faze-los conhecerem-se como ninguém.

Imaginem Antes Do Anoitecer, mas limitem-no ao espaço fisíco de um quarto de motel. Assim é Na Cama, um filme que se faz dos actores, mas sobetudo dos diálogos. E há os de todas as espécies, desde os mais sérios sobre relações, Deus e religião, até aos mais triviais, de desenhos animados dos anos 80 a cinema.

Mas o realizador parece não acreditar no seu próprio argumento e sente a necessidade de o ilustrar com todos os truques estilísticos que conhece. Assim, os diálogos acabam por tornar-se num catálogo de técnicas cinematográficas: há as mais experimentais, há as mais convencionais, há planos de câmara ao ombro, zooms rápidos e até um piscar de olhos à nouvelle vague.

Este encontro entre Café E Cigarros e 9 Canções é um filme algo desequilibrado. E o Double Cheeseburger é, inclusive, mais olhos que barriga.



Secção Oficial Não Competitiva - Zozo
O Homem E A Natureza - Vendendo A Pele

Posted by: dermot @ 10:07 da manhã
|  




sábado, junho 03, 2006  

22. FESTRÓIA:

DIA 1

Este ano não houve dia 0 no Festróia. Quero dizer que este ano o certame abriu directamente com a Secção Oficial, com o filme norueguês Factotum, do realizador Bent Hamer, que tem ainda outro filme seu em exibição no certame.
No entanto, a abertura oficial ficou a cargo do clássico do cinema mudo noruguês Terje Vigen, de 1917, que foi acompanhado ao piano pelo maestro noruguês Ketil Bjornstad, nuam performance maravilhosa, que transformou aquele momento num dos momentos mais altos da história do Festróia.
Para saberem mais sobre este Terje Vigen ou mesmo sobre Querida Wendy (englobado na secção Panorama, exibido na útlima sessão da noite), podem ler mais aqui.

Secção oficial - FACTOTUM:

Título: Factotum
Realizador: Bent Hamer
Ano: 2005


Apesar de ter nascido na Alemanha, Charles Bukowski transformou-se num dos mais conceituados e representativos poetas norte-americanos, tal foi a influência dos Estados Unidos (e de Los Angeles em particular) na sua obra. Com um estilo muito particular, controverso e sem papas na língua, Bukowski é ainda hoje um dos autores mais citados e influentes do Mundo.

Factotum é uma palavra que define uma pessoa com muitos trabalhos e ocupações. Ou seja, é uma palavra que assenta que nem uma luva a Henry Chinaski, alter-ego de Bukowski: um gordo e desmazelado escritor, com igual prazer pelo álcóol como pelas mulheres e pelo jogo, que colecciona empregos menores (e igual número de despedimentos) de forma a sustentar a vida que, no fundo, todos nós queríamos (eu pelo menos queria): a de boémio. Chinaski é uma espécie de encontro entre o Marlon Brando de O Último Tango Em Paris e o Mickey Rourke de Nove Semanas E Meia.

Matt Dillon é Henry Chinaski e, consequentemente, Charles Bukowski. Factotum é uma adaptação livre do romance homónimo, mas igualmente um apanhado das obras do escritor, que recupera alguns excertos interessantes (como o belíssimo poema final). É pouco mais do que um encadeamento de episódios mais ou menos relevantes, alguns aleatórios, outros divertidos, ligados por um Chinaski narrador, mas quase nunca com alma. E um filme sobre Bukowski sem alma, sem aquela atmosfera característica, pode-se dizer que é um filme falhado.

Uma das principais causas desse aparente falhanço é o próprio Matt Dillon. Não é que este seja mau actor ou que tenha uma interpretação má. Antes pelo contrário, a sua prestação é irrepreensível e ele próprio já provou ter estaleca para um reguila daqueles (lembram-se de Os Marginais?). No entanto, Dillon é bem-parecido demais para encarnar Chinaski, aquele que é o degredo humano encarnado.

Apesar de ser um filme norueguês, com capital noruguês e um realizador norueguês, Factotum é um filme com uma atmosfera claramente americana. Não só por causa dos actores, mas principalmente pelo universo urbano-bucólico de Bukowski e de Edward Hopper, representado por planos infinitos de fachadas de fábricas em tijoleira escarlates ou interiores de cafetarias semi-desertas.

Factotum é um apanhado geral da vida e obra de Charles Bukowski, que deambula pelos episódios quase como um fantasma, sem ganhar dimensão e a alma que se ganha ao ler uma obra do escritor. E depois, o filme acaba a meio... O Golfinho de Ouro não passará por este McChicken, certamente.



Celebração do Cinema Nortuguês - Terje Vigen
Panorama - Querida Wendy

Posted by: dermot @ 1:03 da tarde
|  




sexta-feira, junho 02, 2006  

22. FESTRÓIA:

É hoje que começa a 22ª edição do Festróia, com o arranque a ficar a cargo do clássico mudo norueguês Terje Vigen, que será musicado ao vivo pelo pianista norueguês Ketil Bjornstad, iniciativa englobada na rubrica Celebração do Cinema Norueguês. Logo de seguida, passará ainda Factotum, inserido na Competição Oficial.
Pelo terceiro ano consecutivo, o Royale With Cheese vai estar em cima do acontecimento, este ano numa colaboração a meias com o blogue oficial do certame. Para já, pode ficar a saber quem será o primeiro convidado de honra.



Posted by: dermot @ 11:57 da manhã
|  




quinta-feira, junho 01, 2006  

O CÓDIGO DA VINCI:

Título: The Da Vinci Code
Realizador: Ron Howard
Ano: 2006


Li O Código Da Vinci quando este chegou a Portugal, curioso pela história e pela celeuma que começava a levantar nos Estados Unidos. Não era nenhum prodígio da literatura, mas era um policial bastante cativante e com uma história interessante. Depois veio a mediatização extrema e o meu corpo, tal como reage com impaciência a tudo o que liberta boas vibrações, também liberta uma fúria incontrolável a tudo o que é demasiado. E O Código Da Vinci era já demasiado. Por isso abstrai-me de tudo o que fosse conversa, artigo ou debate sobre a polémica. Até ontem, o dia em que fui ao cinema ver a tão falada adaptação cinematográfica.

Quando inaugurei este antro cinéfilo há um par de anos atrás, com uma prosa opinativa sobre A Paixão De Cristo, fi-lo sem me envolver nas polémicas que o filme levantou. Queria lá eu saber se os judeus tinham o nariz adunco e se eram todos malvados. O mesmo se passa com O Código Da Vinci; este texto será apenas uma opinião sobre O Código Da Vinci enquanto tal. Porque ele não é mais do que isso: um filme! O que interessa que diga que Jesus Cristo foi casado? Ficção, anyone?

Já todos sabemos a história de O Código Da Vinci: uma conspiração imensa, do tamanho da própria História, para esconder a verdade sobre a mais bela História alguma vez contada. Esta busca vai dividir-se em três jornadas paralelas, numa sucessão de enigmas e perseguições, versão Indiana Jones meets Sherlock Holmes: a do historiados Robert Langdon (Tom Hanks) e Sophie Neveu (Audrey Tautou), em busca da verdade empírica; a do bispo Aringarosa (Alfred Molina) e do seu lacaio albino Silas (Paul Bettany), na tentativa de destruir o segredo; e a do Inspector Fache (Jean Reno) e da Polícia Francesa, mas esta por motivos diferentes.

O Código Da Vinci tinha um argumento cheio de valências interessantes, que poderiam resultar num Indiana Jones contemporâneo bastante giro. No entanto, a adaptação tinha dois problemas fulcrais: manter a fidelidade ao livro, de forma a agradar aos fãs; e Ron Howard, o realizador mais aborrecido do Mundo! Tão aborrecido que chamou para protagonistas Tom Hanks e Audrey Tatou, que apesar de belíssimos actores vivem tão colados aos papéis anteriores que pouco tiveram para mostrar aqui. Destaca-se por isso Paul Bettany, talvez o menos conhecido do rol de actores, mas o que tem a interpretação mais genial.

Não é que Ron Howard seja um mau realizador; é é conservador e pouco imaginativo. Os seus filmes são sempre muitos certinhos, com tudo no sítio: a banda-sonora certa, os actores conceituados... E em O Código Da Vinci, apesar duma perseguição automóvel de deixar qualquer um tonto, tal é a rapidez da montagem, e de um ou outro pormenor (o acidente de viação da pequena Sophie ou o ataque brutal de Silas a uma freira), o filme começa a tornar-se monótono à medida que o ritmo dos puzzles começa a decair.

O Código Da Vinci é, no entanto, uma excelente adaptação. Os elementos principais do livro estão lá: as personagens, as frases-chave, os momentos fulcrais, as ideias charneira, o ritmo non-stop. Contudo, isto não significa que seja um bom filme; entretém, mas não empolga por si próprio. E depois, claro, é difícil criar suspense a um público que já sabe como tudo vai acontecer.

Continuo convencido que este material nas mãos de alguém mais imaginativo ganharia outra relevância. O McChicken é por isso. Se vocês comprarem aquela versão ilustrada do livro, nem fica muito longe do filme. E depois, que raio se passava com aqueles flashbacks históricos? Pareciam os restos de O Reino Dos Céus...

Posted by: dermot @ 11:47 da manhã
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014