Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



terça-feira, maio 30, 2006  

22. FESTRÓIA:

Está quase.
Está quase a começar o Festróia - Festival Internacional de Cinema de Setúbal. É já na próxima segunda-feira, dia 2 de Junho. E o Royale With Cheese vai estar novamente presente.
Este ano, o Festróia prepara-se para bater todos os recordes: o de número de filmes exibidos e o de número de países diferentes representados. Além disso, a edição deste ano conta com algumas novidades, como as extensões que vai ter no Monumental, em Lisboa, e no Fórum Fernando Lopes da Graça, em Almada.
O Festróia homenageia ainda, este ano, o super-realizador indiano Satvajit Ray e o melhor actor português de sempre a fazer de espanhol Joaquim de Almeida. Além disso, o Royale With Cheese destaca a secção Westerns De Leste, que vai tentar acompanhar na íntegra. Podem conferir a programação aqui. E mais informações aqui. Ou ainda aqui.
Está quase quase.

Posted by: dermot @ 9:29 da manhã
|  




segunda-feira, maio 29, 2006  

V DE VINGANÇA:

Título: V For Vendetta
Realizador: James McTeigue
Ano: 2005


Alan Moore é o Maradona da banda-desenhada. E a graphic novel V For Vendetta é a sua obra prima, a sua Mão de Deus. No entanto, quando surgiu a notícia que iria ser finalmente adaptada ao cinema, temeu-se o pior. Por duas razões: a primeira, porque apesar das obras de Alan Moore apelarem bastante ao grande ecrã, ainda estava para surgir a primeira adaptação cinematográfica minimamente interessante; e a segunda, porque o nome avançado para a realização era o dos manos Wachowski (que acabaram por delegar o cargo ao tarefeiro James McTeigue, o que não faz ninguém acreditar que eles não tiveram dedo na realização).

No século XVII, o inglês Guy Fawkes tentou explodir o Parlamento Inglês como forma de protesto contra o estado das coisas. A sua tentativa saiu frustrada e o dia 5 de Novembro transformou-se em feriado nacional. Agora, séculos depois num futuro fictício, um homem revolucionário ergue-se contra a sua Inglaterra fascista e totalitária do chanceler Adam Sutler (John Hurt). Usa uma máscara de Guy Fawkes, tem a eloquência de Cyrano de Bergerac, um excelente gosto artístico e uma ideais activistas que podem confundir-se com o terrorismo à primeira vista. No entanto, o seu plano de explodir com o Parlamento inglês tem apenas o objectivo de sacudir a consciência colectiva dos ingleses. E apesar da sociedade futurista, nunca o tema foi tão actual como agora.

Esse homem apelida-se simplesmente de V (Hugo Weaving). E um encontro fortuito numa noite, após o recolher obrigatório, com Evey Hammond (Natalie Portman), vai introduzir na sua vida novos valores.

Os fãs da banda-desenhada temeram o pior, mas a adaptação para o grande ecrã, apesar de pouco fiél ao original, é bastante positiva. Com um argumento equilibrado e bastante coerente (apesar de um último quarto de hora em fast forward), V De Vingança ultrapassa o seu próprio estilo de filme de acção, graças aos diálogos inteligentes e pertinentes.

Ao contrário de Matrix, os irmãos Wachowski resistem à tentação do CGI, dispensando efeitos especiais extravagentes e sequências de acção mirabolantes. Existem batalhas com uma edição rápida à boa maneira contemporânea, estilo teledisco, mas a realização é depurada e, mais importante ainda, ponderada. Tudo é filmado com uma beleza poética e um porte bastante magistral, em tons soturnos como se de um film noir se tratasse. Neste aspecto, a fotografia é genial, em que V se movimenta geralmente nas sombras, em contraste com a luminosidade da bela Evey. É memorável a sitação em que V ataca Sinéad Cusack, colocando-se em contra-luz ao contrário da sua opositora, sentada na lumonisidade do seu quarto.

Se a banda-sonora é superior, delicioso é o momento final, em que os créditos são acompanhados ao som de Street Fighting Man, a canção mais adequada possível ao filme. Depois há o desempenho de Hugo Weaving, que cria uma personagem fantástica sem nunca mostrar a cara (e que maneja facas como ninguém) e a frágil-mas-ao-mesmo-tempo-dura Natalie Portman, com o momento dramático decisivo em que rapa o cabelo. Dispensável era a história lésbica em flashback de uma antiga prisioneira.

V De Vingança é, para já, o action flick do ano; numa altura em que o estilo abraça cada vez mais a componente deixe-o-seu-cérebro-à-porta, dá gosto ver aparecer um filme como este. V De Vingança tem tudo para se tornar um clássico, muito mais do que Matrix tinha (só não tem a inovação nos efeitos especiais). E pela primeira vez, Alan Moore tem uma adaptação ao cinema positiva (mesmo que ele diga que não). Faltou um bocadinho assim para a obra-prima; logo, um Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 6:48 da tarde
|  




quinta-feira, maio 25, 2006  

KIDS - MIÚDOS:

Título: Kids
Realizador: Larry Clark
Ano: 1995


Acho que nunca o disse aqui antes: não gosto do Larry Clark! É bem capaz de ser o único realizador do mundo de quem não consigo achar nada de interessante (confesso que nunca vi o Bully). Os seus filmes são fúteis, superficiais e, na maior parte do tempo, irrelevantes. Larry Clark encontrou uma fórmula em 1995, com o chocante e polémico Kids - Miúdos, e depois limitou-se a repeti-la, preocupando-se apenas em aumentar a capacidade de choque.

Larry Clark vive obcecado com a juventude, enquanto idade hedonista de todas as dúvidas e contradoções, imagem de marca da rebeldia e do caos humano. Ou seja, vive obcecado com a juventude da geração de 90, aquela que deu origem à actual geração-MTV.

Kids - Miúdos é o retrato visual dessa juventude, como uma memória descritiva ou um uma espécie de documentário que dissesse aos pais veja lá o que o seu filho anda a fazer enquanto está na rua. Kids - Miúdos é, então, uma colagem de esteriótipos juvenis e episódios quanto mais chocantes melhor, que surgem sem motivo aparente. Apenas porque a juventude é assim. É que o filme, propriamente dito, tem uns meros 30 minutos, a saber: existem dois jovens gandins, Telly (Leo Fitzpatrick) e Casper (Justin Pierce), cuja vida se limita a drogas, álcool, sexo, rixas de rua sem motivo aparente, roubo e desfloramento de virgens. Depois, existe o equivalente feminino deste grupo, deonde se destaca Jeannie (Chloë Sevigny).

O cerne da questão não podia ser mais cliché: como a mostrar que a vida é injusta e que tanto recompensa os pecadores como castiga os bonzinhos, Larry Clark atira com uma doença mortal - a SIDA - para cima da personagem menos merecedora de tal: Chloë Sevigny. E depois? Depois, é o tal encadeamento de episódios gratuitos, que nem tenta um final pseudo-intelectual.

Assim, sem truques cinematográficos, desvios narrativos ou situações muito imaginativas, Kids - Miúdos é um álbum de fotografias, que viriam a ser mais explícitas e com menos sentido nos filmes seguintes (alguém mencionou Ken Park - Quem És Tu?). Além disso, essa fórmula deu origem a um flagelo de imitações e spin-offs posteriores, como o terrível Treze - Inocência Perdida. Vale então pela descoberta de Chloë Sevigny e Justin Pierce e pela prova de que os anos 90 não tiveram mesmo nada de jeito. E aqueles que um dia ficaram ofendidos quando apelidaram essa geração de rasca, se calhar também o vão ficar com este Happy Meal.

Posted by: dermot @ 2:32 da tarde
|  




quarta-feira, maio 24, 2006  

STACY - ATTACK OF THE SCHOOLGIRL ZOMBIES:

Título: Stacy
Realizador: Naoyuki Tomomatsu
Ano: 2001


Já todos sabemos que os japoneses são doidos, mas quem diria que viria do Japão o mais inovador filme de zombies dos últimos anos? Mesmo para quem está habituado a coisas estranhas vindas do outro lado do Mundo, ficará surpreendido com este Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies, provavelmente o primeiro filme de zombies do mundo sobre o... amor!

Apesar da fraca (para não inexpressiva) tradição do cinema oriental nos zombies flick, Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies é uma abordagem de mestre à temática, cruzando-a com o fetiche japonês das colegiais. Depois de tudo junto no caldeirão, o realizador Naoyuki Tomomatsu distorceu tudo à boa maneira oriental, transformando mortes, desmembramentos e canibalismo em puro amor!

No início do século XXI, as adolescentes com idades compreendidas entre os 15 e os 17 anos começaram a morrer inexplicavelmente, após experimentarem uma fase de histérica felicidade a que apelidaram de Síndrome de Felicidade Pré-Morte. Mas mais estranho que isso, só o facto de depois de mortas as adolescentes ressuscitarem sob a forma decadente de zombies. Claro que a palavra zombie nunca é mencionada no filme, na boa tradição da temática: aqui, essas jovens são apelidades de Stacys, por alguma razão desconhecida. Assim, foram criadas equipes governamentais para re-matar as Stacys e convencionou-se que estas deveriam ser cortadas em 168 pedaços, de forma a não causarem mais problemas.

Como o bom filme de zombies que é, Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies não descura a sua crítica social e a sua vertente parodial, que aqui se reflecte nos seus melhores momentos em duas referências deliciosas: a Romero - Unidade Especial de Re-matar, que rouba o nome ao pai dos filmes de zombies; e a divertidíssima Blues Campbell Right Hand 2, uma serra-eléctrica portátil remeniscente de Exército Das Trevas, que temos a possibilidade de ver anunciada num delicioso anúncio de TV Shop.

Mas Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies não se limita a abordagem ocidental do zombie flick e faz a sua própria abordagem. Como numa versão-zombie de Suicide Club, Naoyuki Tomomatsu transforma toda aquela matança na expressão mais bela do amor, dando significado à morte: é que se as Stacys vão ser re-mortas, então que seja pela pessoa que mais amam. E assim, a sua fome não é por carne humana, mas sim por carinho e calor humano.

Ao contrário do que seria de pensar, devido ao baixo-orçamento e à aparência de série B, Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies consegue criar ambiências diferentes, consoante as histórias que conta, numa sequência narrativa nem sempre linear. Também os efeitos-especiais amadores (cabeças de borracha e afins) conseguem ser bastante eficazes.

Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies é uma pérola saída do sítio que menos esperávamos e é mesmo o melhor filme de zombies da última década, que conjuga na perfeição o festim gore com a sátira social e um argumento original e coerente. Os apreciadores do género irão deliciar-se com o McRoyal Deluxe. E Hollywood que tem a mania de estar sempre atenta aos destaques orientais para os transformar em rentáveis blockbusters não é capaz de pegar nisto. E se pegarem, um conselho: não se esqueçam nas manas Olsen para os principais papéis.

Posted by: dermot @ 3:46 da tarde
|  




terça-feira, maio 23, 2006  

MRS. HENDERSON PRESENTS:

Título: Mrs. Henderson Presents
Realizador: Stephen Frears
Ano: 2005


Apesar de ter tido duas (tímidas) nomeações aos Óscares, Mrs. Henderson Presents tem passado tão despercebido nas salas de cinema nacionais, que nem teve direito a uma tradução do título conveniente.

Livremente baseado em factos reais, o filme conta a história de Mrs. Henderson (Judi Dench), uma excêntrica burguesa da Inglaterra dos anos 40 que acaba de se tornar viúva. Como o luto pelo marido foi ultrapassado nuns curtos minutos, isolada num barco a remos no meio de um lago (porque chorar em público nunca, ou não tivesse ela uma reputação a manter), Mrs. Henderson decide arranjar um hobby para combater o tédio. Assim, decide comprar o então abandonado Teatro de Windmill e restaurá-lo. Para a direcção contrata o visionário Vivian Van Damm (Bob Hoskins) e juntos vão tornar o Windmill numa referência nacional com as suas peças com actrizes nuas, principalmente quando eclode a Segunda Guerra Mundial.

Apesar da história forte e intrincada, Mrs. Henderson Presents é um filme de actores, que vive centrada nas duas personagens de Judi Dench e Bob Hoskins. Os dois, com interpretações geniais, constroém os dois protagonistas do filme, desenvolvendo entre si uma divertida e tensa relação de amor e ódio, relegando para meras silhuetas todas as personagens secundárias, como a pobre Lady Conway (Thelma Barlow), que ganha uma dimensão caricaturial, como se fosse apenas a consciência de Mrs. henderson. Contudo, quem sofre imenso com isto é a bela (suspiro) Maureen (Kelly Reilly), a carismática líder das artistas despidas do teatro, que pede desesperadamente por mais atenção, mas que se limita a ser apenas mais um bibelot nu sobre o palco.

Com este tratamento desequilibrado, Mrs. Henderson Presents rege-se por um registo divertido, que vai entretendo com o seu exemplo de showbizz (excelente paleta de canções e de coreografias, lideradas pelo vencedor dos Ídolos versão norte-americana, Will Young), as tentativas de ultrapassar as burocracias que impediam ter actrizes nuas sobre o palco e com as querelas entre o tal par Dench/Hoskins. No entanto, a meio do filme eclode a Segunda Guerra Mundial e a partir daqui o argumento ganha notoriedade sobre as personagens.

Com um argumento frágil (assente numa ideia algo ridícula), Mrs. Henderson Presents começa a dispensar as personagens secundárias (e às vezes até as principais) à medida que vai construindo episódios aleatórios, com a intenção de cumprir todos os clichés do género, terminando até com o super-cliché discurso patriótico, como se por trás da câmara estive Jerry Bruckenheimer. Mais uma vez, quem sofre em demasia com esta intenção é Kelly Reilly, que é despachada literalmente do filme em função do tearjerker.

Mrs. Henderson Presents é o tradicional british movie flick, que entretém a custo e que vale sobretudo por dois pontos: a vertente musical e a bela Kelly Reilly sem roupas. Se mesmo assim não passa do Double Cheeseburguer, então parece-me que está tudo dito.

Posted by: dermot @ 10:10 da manhã
|  




domingo, maio 21, 2006  

CARRIE:

Título: Carrie
Realizador: Brian De Palma
Ano: 1976


Em qualquer lista qualitativa que se faça acerca das adaptações cinematográficas de obras de Stephen Kign, não há selecção que se preze que não tenha nos lugares cimeiros o clássico Carrie. E o Royale With Cheese não é excepção. E tal não se deve ao facto de Brian De Palma, realizador bastante admirado neste antro, ser o seu autor.

Tal como o nome indica, Carrie (Sissy Spacek) é o cerne do filme: uma adolescente que vive com a mãe (Piper Laurie), uma tarada religiosa que oprime a filha com os seus ideais religiosos, como no episódio em que a castiga por lhe ter aparecido o período pela primeira vez (pecado, acusou ela), logo no início. Claro que este opressão faz com que Carrie seja uma rapariga introvertida, que a torna no alvo da chacota das raparigas populares no liceu. Estão a ver aquela miúda que era gozada por todos na preparatória? Pois até essa miúda gozava com Carrie...

Empenhada em fazer Carrie acordar para a vida, a professora de educação física interpõe junto das suas colegas. Mas é Sue (Amy Irving) quém dá o passo decisivo, arranjando-lhe vida pessoal, ao convencer Tommy Ross (William Katt) a convidá-la para o baile de finalistas. Falta só referir um pequeno pormenor: Carrie tem poderes telecinéticos.

Carrie tem um estilo bastante particular. Brian De Palma consegue dividi-lo em três partes distinas: a primeira, uma intriga com uma aura de mistério; a segunda, verdadeiro filme juvenil, em que os adolescentes se preparam para o baile de finalistas; e a terceira, uma literal matança do porco, assustadora e violenta. A junção das três cria um choque estilístico, mas simultaneamente emocional. Carrie é o encontro do melhor do cinema de Argento (o gore barroco) e de Hitchcock (o suspense e a faceta feminina - não são por acaso as referências a Psico e o uso constante do clássico tema dos violinos). E como qualquer filme de terror que se preze, tem um piscar de olho simbólico, mas pertinente, à neurose cristã.

Sissy Spacek é Carrie e Carrie é o próprio filme. A sua interpretação é arrebatadora e consegue ser verdadeiramente assustadora. Aliás, Carrie é capaz de ser o filme mais assustador de sempre (correcção, Sissy Spacek coberta de sangue de porco da cabeça aos pés é a cosia mais assustadora de sempre). A memorável sequência final arrepia os cabelos e deixa pesadelos e monstros no armário durante semanas. E a responsável é sem dúvida Sissy Spacek, cujo olhar consegue ser mais assustador do que quando está totalmente coberta de sangue de porco.

Nessa tal clássica sequência final, destaque ainda para a realização de Brian De Palma, que utiliza os planos únicos para mostrar várias situações e o ecrã divido em dois, opção que explorou até à perfeição no início de Os Olhos Da Serpente. Destaque para essa e para a cena inicial, na qual Carrie toma banho e que De Palma transforma numa sequência erótica de invejar o canal Playboy.

Carrie é um clássico do cinema e para quem tiver dúvidas basta atentar a um facto: não são muitos os filmes de terror que dão origem a um musical homónimo de sucesso na Broadway. É um Le Big Mac, mas se o epílogo não fosse tão longo era uma obra-prima. Contudo, fujam da sequela como se não houvesse amanhã.

Posted by: dermot @ 12:03 da manhã
|  




sábado, maio 20, 2006  

OS MARGINAIS:

Título: The Outsiders
Realizador: Francis Ford Coppola
Ano: 1983


Quando no final dos anos 60 a era do cinema clássico de Hollywood estava em declínio, um grupo de jovens realizadores visionários tomou o seu lugar, injectando o cinema norte-americano com novas doses de originalidade, frescura e inovação, ao mesmo tempo que confessavam consumir LSD ou marijuana. A imprensa apelidou-os de Movie Brats e o cinema nunca mais foi o mesmo. Um dos nomes que se destacava nesse grupo era o de Francis Ford Coppolla.

Nos anos 80, um grupo de jovens actores desconhecidos juntou-se numa mão-cheia de filmes para "jovens adultos", como lhes chamam na América; hoje em dia, todos eles alcançaram a notoriedade e o estrelato. Na altura, a imprensa apelidou-os de Brat Pack, num trocadilho com o Rat Pack. Desse grupo de actores destacam-se nomes como o de Matt Dillon, Tom Cruise ou Diane Lane.

Em 1967, uma jovem chamada S.E. Hinton publicou o romance Os Marginais, que se tornou num dos grandes best-sellers norte-americanos, especialmente junto do público jovem, que se identificava naquele retrato juvenil tão fiél ao lema demasiado depressa para viver. Nos anos 80, uma escola escreveu uma carta a Francis Ford Coppola, pedindo-lhe que adaptasse o romance ao cinema. O realizador comoveu-se, gostou do livro e assinou Os Marginais, quiçá o mais importante filme do Brat Pack e, apesar de arrasado pela crítica da altura, um dos grandes filmes de culto da actualidade.

Os Marginais conta a história de Ponyboy Curtis (C. Thomas Howell) e dos seus amigos Greasers, os habitantes dos subúrbios pobres da cidade com os seus blusões de cabedal, calças de ganga e muita brilhantina no cabelo(como em Brilhantina, mas em versão violenta), em oposição aos meninos ricos da zona sul da cidade, os Socs, com as suas calças à peixe-peixe, os pólos de marca e os carros desportivos (como os betinhos de hoje). Quando Johnny (Ralph Macchio) acaba por matar um Soc numa rixa, os dois amigos têm de deixar a cidade, à medida que ambas as gangues entram em estado de sítio. As rixas tornam-se inevitáveis e as mortes também...

Os Marginais é um drama juvenil, com todos os ingredientes de um clássico familiar: a moral, as classes sociais, o núcleo familiar (a família Curtis é o epicentro da estória), os códigos de honra e a amizade. Apesar do livro conter uma força brutal, enclausurada em pouco mais de 150 páginas, Coppola não conseguiu fazer a transposição para o cinema com a mesma mestria com que adaptou O Padrinho. O argumento é algo frágil em certos pontos, especialmente na relação entre Ponyboy e os seus irmãos, Sodapop (Rob Lowe) e Darry (Patrick Swayze).

Contudo, Os Marginais é um filme que se insere facilmente na galeria dos clássicos e passaria anualmente na televisão norte-americana, ao lado de outros clássicos como O Feiticeiro de Oz e de E Tudo O Vento Levou, se não tivesse sido realizado por Francis Ford Coppola. Aliás, as semelhanças com este último são evidentes e não só pelas óbivas referências: pela sua faceta cremosa e tearjerker e, especialmente, pela cena do pôr-de-sol, onde o tratamento da luz é igual ao do filme de Victor Fleming.

O filme tem todos os condimentos para ser amado; o rol de estrelas no elenco, que na altura eram pouco mais do que miúdos (pode-se dizer que Coppola era o Larry Clark dos anos 80) e que agora propõem um curioso exercício: quem diria que o tímido Tom Cruise iria ser a super-estrela que é hoje, que o fenomenal Emilio Estevez iria ser apenas o outro filho de Martin Sheen e que o brutal Matt Dillon iria fazer tantos filmes falhados? Depois, há a presença fugaz mas sempre importante de Tom Waits e a banda-sonora, com o tema de Stevie Wonder e os primeiros indícios da punk music.

Existem ainda alguns mosaicos inesquecíveis e os dois melhores nomes de personagens de sempre no cinema, a par de Sailor Ripley e Lula: Ponyboy e Sodapop Curtis. Justifica-se o McRoyal Deluxe, mas aconselho primeiro livro de S.E. Hinton.

Posted by: dermot @ 3:03 da tarde
|  




sexta-feira, maio 19, 2006  

22. FESTRÓIA:

Já foi apresentada a edição deste ano do Festróia, o Festival Internacional de Cinema de Setúbal. No ano em que celebra o 22º aniversário, o Festróia prepara-se para bater o recorde de exibidos, apresentando-se a concurso filems provenientes de mais de 30 países diferentes. Relembre-se que a secção oficial do festival procura apresentar uma cinematografia de qualidade proveniente de países sem grande expres~são cinematográfica (menos de trinta filmes produzidos anualmente).

Do certame deste ano, o Royale With Cheese destaca duas secções: a homenagem ao lendário realizador indiano Satyajit Ray, de quem Akira Kurosawa disse um dia "Não ter visto os filmes de Ray, é ter vivido no mundo sem ver nunca a lua e o sol"; e a rubrica Westerns De Leste, que vai apresentar uma série de westerns realizados na Alemanha de Leste, por altura da Guerra Fria, verdadeiros panfletos de propaganda anti-americanos, em que os índios são os bons da fita. Como nos anos anteriores, o Royale With Cheese vai esforçar-se por acompanhar na íntegra o Festróia.

Para os que não puderem estar presentes no festival, podem sempre saber as novidades aqui pelo tasco ou pelo habitual blogue oficial do Festróia; para mais informações, podem ainda ler este artigo na Rua de Baixo (com uma entrevista a Mário Ventura, o presidente do festival), onde ainda vão a tempo de se habilitarem a ganhar bilhetes.

Posted by: dermot @ 12:11 da tarde
|  




quinta-feira, maio 18, 2006  

STONED, ANOS LOUCOS:

Título: Stoned
Realizador: Stephen Woolley
Ano: 2005


Rezam as crónicas que Brian Jones teve de fugir para Londres por ter engravidado todas as miúdas da sua aldeia natal. Verdade ou mentira, o que é certo é que foi em Londres que o boémio Jones conseguiu realizar o seu sonho: formar uma banda rock e tornar-se numa estrela internacional. Conheceu Mick Jagger e Keith Richards e com eles fundou os Rolling Stones, a maior banda rock do Mundo. No entanto, o carisma nato de Jagger sempre fez com que os focos da fama incidissem mais sobre si e Brian Jones nunca aceitou isso muito bem. Depois veio a pressão dos contratos, das gravações e das digressões; e por fim, vieram as drogas. Brian Jones tornou-se num farrapo humano e pouco tempo depois de ter sido dispensado dos Stones, foi encontrado morto na piscina da sua mansão.

O relatório oficial fala de "morte por infortúnio", uma vez que os níveis de estupefacientes no seu sangue eram baixos, na altura. No entanto, desde sempre houveram teorias da conspiração de que os restanets companheiros dos Stones o tinham mandado matar. O que é certo é que um certo Tom Thorogood confessou no leito da morte que tinha sido ele o responsável pela morte de Brian Jones.

Stoned, Anos Loucos é a adaptação cinematográfica dessa teoria da conspiração, em formato biopic de Brian Jones, interpreado pelo loiro Leo Gregory e realizado pelo estreante Stephen Woolley, habituado à cadeira de produtor de alguns dos mais interessantes filmes musicais da última década. Durante dez anos, Woolley pesquisou e recolheu factos sobre a vida e morte de Jones até conseguir realizar este filme. O resultado foi um trabalho de amor, mas dez anos de execução não deveriam resultar num bom filme?

Stoned, Anos Loucos começa pelo fim: pela morte de Brian Jones. Depois, recorre ao flashback e aos flashbacks dentro do flashback, abordando a vida de Jones. A sua origem é menosprezada (apenas um curto episódio, após engravidar uma moçoila de 14 anos) e a sua faceta enquanto músico reduzida a uns discos de Robert Johnson, umas referências a Jimi Hendrix e uma cena genial numa piscina vazia com um hammond (apesar de haver também por lá a sua ligação aos Masters Musicians Of Jajouka, durante a sua passagem por Marraquexe). Stoned, Anos Loucos resume-se basicamente às suas deambulações pela sua enorme mansão, flirtando com as tripes e o sexo, um pouco à semelhança do recente Últimos Dias, mas com diálogos.

Pelo meio, aparece Tom Thorogood (Paddy Considine), um empreiteiro contratado para umas obras lá em casa, mas que termina fascinado pelo estilo de vida libertino e boémio daquele rocker, envolto em mulheres bonitas e drogas e transformado na peça chave daquela história. A relação entre ambos desenvolve-se assim no entanto, numa sucessão de episódios desconexos, alguns deles pouco mais do que ridículos e alguns até inconsequentes.

O argumento é frágil e por isso inóquo. As pontas não se unem e a relação entre Brian e Tom não ganha credibilidade nem força suficiente. A personalidade de Jones também não sai muito reforçada: um fedelho desmiolado e mimado, que sucumbiu ao poder das drogas. Vício este que o músico deixa e recomeça como quem muda de camisa (lembram-se de Tentação?). Stoned, Anos Loucos vale então pelo seu retrato dos loucos anos sixties, sempre numa cinematografia saturada. Os decors, as roupas e as músicas estão lá.

Stoned, Anos Loucos tem ainda alguma validade para os fãs dos Rolling Stones, apesar destes aparecerem esteriotipados ao máximo: Mick Jagger (um parecido Luke de Woolfson) é um calculista interesseiro que não se importa muito com Brian; Keith Richards (Ben Whishaw) é o amigo de Brian que tenta não o deixar cair; e Charlie Watts (James D. White) e Bill Wyman (Yousef Altin) são apenas peças de decoração, que nem têm direito a uma fala. Mas a reconstituição dos concertos em Berilm (leia-se motins) em 64, o guarda-roupa da banda (copiado de várias sessões fotográficas dos Stones) e a filmagem de Performance está bastante interessante.

Stoned, Anos Loucos poderia ser um bom filme. Até porque se vê que Stephen Woolley percebe do assunto (como quando cruza o tema Stop Breaking Down de Robert Johnson com a versão dos White Stripes), na construção do ambiente dos sixties e na escolha da banda-sonora (genial, mesmo que as músicas dos Stones sejam interpretadas por uma banda de tributo). Por isso, não vou dizer que Brian Jones está a dar voltas na cova; deixou-se foi de dormir, tão morno é o filme. Comam o Double Cheeseburger devagarinho, para não o incomodarem...

Posted by: dermot @ 6:35 da tarde
|  




segunda-feira, maio 15, 2006  

O TIGRE E A NEVE:

Título: La Tigre E La Neve
Realizador: Roberto Benigni
Ano: 2005


Roberto Benigni começa a parecer-se com Emir Kusturica; realizou em tempos uma obra-prima à qual o Mundo se rendeu, com um estilo próprio muito peculiar. Falo obviamente de A Vida É Bela. No entanto, como no filme seguinte os seus planos saíram furados, Benigni resolveu voltar à apostar na fórmula do sucesso que tinha achado anos antes e repetiu-a com este O Tigre E A Neve. Eu sei que em equipa que se ganha não se mexe, mas o cinema não é nenhum desporto...

Com efeito, Roberto Benigni volta a realizar uma trágico-comédia em cenário de guerra. Mas se em A Vida É Bela era o Holocausto o pano de fundo, aqui é a tão actual guerra no Iraque. No mesmo estilo descontraído, Benigni aligeira o filme com o seu humor trapalhão e tenta atingir mais uma fábula épica - simbolizada pelo tigre à solta numa Roma sob um "nevão" especial, como no título.

Attilio de Giovanni (o próprio Roberto Benigni) é um poeta italiano bastante peculiar (quem conhece o estilo de Benigni percebe o que quero dizer), que vive obcecado com uma mulher, Vittoria (a sua própria esposa, Nicoletta Braschi), com a qual sonha casar diariamente, mas que só no final descobrimos qual é a verdadeira relação entre ambos (num interessante truque argumentativo, que nos mantém na feliz ignorância até perto do fim). Quando esta vai em viagem por Bagdade, para conviver com o escritor Fuad (Jean Reno), é apanhada pelo estalar do conflito armado entre os Estados Unidos e o Iraque e uma explosão atinge-a, atirando-a para a cama de um hospital, gravemente ferida. Ao saber disto, Attilio viaja para Bagdade por meios menos próprios e sempre por intermédio de técnicas pouco convencionais, consegue salvar a sua amada até que chegue ajuda anglo-saxónica.

Para quem não conhece o estilo de Benigni, passo a explicar: o italiano enquanto actor é uma espécie de versão sonorizada de Buster Keaton, uma fusão entre o humor físico deste e uma versão (ainda mais) hiper-activa de Woody Allen. Esse exagero burlesco aproxima-o vezes demais do ridículo e por isso é que é tão fácil detestá-lo como amá-lo. Curiosamente, talvez seja por isso que os momentos mais engraçados de O Tigre E A Neve são as situações onde os diálogos são parcos.

Em O Tigre E A Neve Benigni começou pelo conteúdo e só depois se preocupou pela forma. Só assim se compreende o início maravilhoso, com um casamento onírico numa catedral lindíssima, ao som do magistral Tom Waits, que assinou o tema do filme. Depois, Benigni foi criando o argumento, com voltas e reviravoltas, até conseguir o pretendido: criar uma trágico-comédia romântica no Iraque em guerra. Nesta vertente, tal como em A Vida É Bela, Benigni consegue ser subtil e, ao mesmo tempo, pertinente, criticando o absurdo da guerra do Iraque sem politiquizar o filme. Um dos momentos altos do filme é mesmo quando Benigni, ao ficar sem gasolina no meio deserto exclama "Ficar sem gasolina no Iraque é o cúmulo!".

O Tigre E A Neve ressente-se então do frágil argumento. Não é tanto o facto de ser tão pouco credível. É antes dos seus momentos descontextualizados e o final tão forçado, na tentativa de fechar o círculo argumentativo. Falo das intenções religiosas de Jean Reno, a recuperação em dois tempos de Nicoletta Braschi ou o final extemporâneo. Mas O Tigre E A Neve não deixa de ser um filme agradável de se ver. Mas atenção: se for daqueles que não simpatiza com Roberto Benigni nem um bocadinho, então este McBacon não é para si.

Posted by: dermot @ 9:34 da manhã
|  




quarta-feira, maio 10, 2006  

BREAKFAST ON PLUTO:

Título: Breakfast On Pluto
Realizador: Neil Jordan
Ano: 2005


Neil Jordan não é um realizador consensual. São muitas as vozes que se levantam para acusar os seus filmes de serem demasiado adolescentes. Eu sou dos que alinham pelo outro diapaão: Neil Jordan é um incompreendido. E Entrevista Com O Vampiro continua a ser um dos meus filmes favoritos.

Breakfast On Pluto, a mais recente obra do realizador irlandês, arrisca-se a ser mais um filme incompreendido. Curiosamente, a sua estrutura é semelhante à de Entrevista Com O Vampiro, mas em vez de um vampiro, temos Kitten (Cillian Murphy), um travesti, que em flashback nos resume a sua vida, desde o final dos anos 60 até à actualidade. No entanto, se ser travesti no interior da Irlanda já era uma tarefa complicada, a vida de Kitten é ela própria uma aventura, um apanhado de episódios hilariantes e bizarros, que poderiam muito bem figurar num director's cut de O Grande Peixe: Kitten passa pelo showbiz do ilusionismo, pela indústria do rock'n'roll quando o glam (e o psicadleismo) era rei e senhor, pelo conflito armado irlandês, pela prostituição e pelos peep shows, por tentativas de assassinato e por prisões violentas.

Breakfast On Pluto remete-nos ainda para outros dois filmes: para Transamerica, pela transformação brutal de Cillian Murphy, que tem uma interpretação magistral de saltos altos; e para Arizona Dream, pela sua vertente de sonho mal-amanhado. Kitten é um travesti andrógeno com tanto de optimista como de ingénuo, que se refugia no humor para enfrentar as situações difíceis. Breakfast On Pluto assume os contornos de uma fábula glam, cheio de lantejoulas e saltos altos, como uma espécie de Velvet Goldmine da carochinha.

Breakfast On Pluto é um filme ao contrário. Digo ao contrário porque está cheio de contradições. Por exemplo, a contradição de Cillian Murphy ser mais convincente na pele de mulher do que na sua de homem (culpa dos magnéticos olhos verdes, de certo); ou então a contradição do argumento, que apesar de ser uma tragédia infeliz digna do mais melodramático drama - um jovem abandonado pela mãe e que não pode receber o amor faterno devido ao facto do seu pai (Liam Neeson) ser padre -, nos deixa no final com um sorriso rasgado que durará ainda algumas horas.

Depois, há toda uma parafernália de recursos técnicos e pormenores absolutamente deliciosos: o uso da (genial) banda-sonora, em que o primeiro verso da canção dá sempre o mote à cena que ilustra; a fotografia colorida, com um forte trago indie; o rol de actores excepcionais e a presença de Gavin Friday e Brian Ferry; e uma faceta kitsch que possibilita a existência ridícula (mas que nós fingimos não o ser) de dois tordos narradores.

Breakfast On Pluto não é um filme excepcional, daqueles que entra nos anais da história pelo seu porte nobre. É antes uma obra que fica nos meandros das nossas recordações mais agradáveis, principalmente por ser um feelgood movie com um ritmo imparável até ao final. E qualquer filme que termine com uma citação de Oscar Wilde merece um Royale With Cheese.

Posted by: dermot @ 12:58 da tarde
|  




segunda-feira, maio 08, 2006  

AS LÁGRIMAS DO TIGRE NEGRO:

Título: Fah Talai Jone
Realizador: Wisit Sasanatieng
Ano: 2000


Falemos de westerns.
Se você pensa que já viu tudo o que havia para ver no mundo dos westerns, sejam eles westerns explicitamente homossexuais ou (atente à publicidade se faz favor) westerns alemães em que os índios são os bons da fita, que por acaso até vão passar em retrospectiva na próxima edição do Festróia, pois desengane-se. Falta-lhe ainda ver As Lágrimas Do Tigre Negro, o primeiro (e único, até à data) western tailandês.

Há quem o tome como uma paródia aos westerns, principalmente os clássicos; mas As Lágrimas Do Tigre Negro é uma homenagem! Um tributo aos clássicos de John Ford (em que as paisagens majestosas norte-americanas são substituídas por cenários majestosos pintados à mão em papel-crepe, como um technicolor avariado), uma homenagem aos western-spaghetti de Leone (no uso da banda-sonora e, principalmente, nas cenas dos duelos, com grandes planos dos olhares e das armas) e uma homenagem ao inesquecível Harmónica, em Era Uma Vez No Oeste.

Mas não nos esqueçamos que As Lágrimas Do Tigre Negro é um filme oriental. Logo, este é um western cruzado com o gore oriental, os diálogos aos gritos dos filmes de artes-marciais (existe inclusive uma referência a Bruce Lee) e com o melodrama das grandes telenovelas. Se por alguma razão houvesse alguma cena em que os cowboys desatassem a dançar e a cantar sem motivo aparente, então As Lágrimas Do Tigre Negro poderia muito bem ter saído de algum estúdio hiper-activo de Bollywood.

Posto isto, pode-se pensar que As Lágrimas Do Tigre Negro é uma obra kitsch, de grande interesse visual, mas fraquinho de conteúdo. Pois volte a desenganar-se. A primeira parte é verdade, mas a segunda não. Para além do fascínio cénico, As Lágrimas Do Tigre Negro também tem um argumento. E que argumento! O filme é uma tragédia de faca e alguidar e é a mais trágica história de amor desde Romeu E Julieta.

Dum (Chartchai Ngamsan) é mais conhecido como o Tigre Negro, o mais rápido pistoleiro à face da terra (uma fusão da rapidez de Lucky Luke com o estilo de Desperado e com a capacidade musical de Charles Bronson em Era Uma Vez No Oeste). Dum é o herói desta história, mas as ocasionalidades do detsino transformaram-no num anti-herói, um capanga ao serviço do mafioso Fai (Sombat Metanee) que executa inimigos a sangue-frio e pratica assaltos a bancos. Mas antes de ser o Tigre Negro, Dum tinha uma antiga história de amor desenvolvida com a filha do governador, a bela Rumpoey (Stella Malucchi), que agora está noiva do chefe de polícia que tenta caçar a gangue de Fai.

Esta tragédia romântica, que recua em flashback até à infância do par apaixonado e se desenvolve até à actualidade, envolve ainda honra e muita traição, desconstruindo os clichets dos westerns clássicos e, principalmente, das telenovelas venezuelanas.
Pode parecer mentira, mas existem momentos verdadeiramente intensos e cenas memoráveis, como um fantástico duelo sob um pôr-do-sol majestoso pintado em papel-crepe.

Quando por vezes duvidamos do valor do cinema e pensamos que já tudo foi feito ou inventado, aparecem-nos estes ovnis cinematográficos, vindos de onde menos se espera, como quem nos diz querem ideias novas? então tomem lá uma soap-opera-martial-arts-kitsch-western. Obra-prima deliciosa. Royale With Cheese sem dúvida alguma.

Posted by: dermot @ 12:23 da tarde
|  




quinta-feira, maio 04, 2006  

DOMINO:

Título: Domino
Realizador. Tony Scott
Ano: 2006


Tony Scott é a personificação de tudo aquilo que detestamos na Hollywood de hoje, ou não fosse ele o criador do conceito actual de blockbuster, ao realizar Top Gun - Ases Indomáveis, em 1986. No entanto, os seus filmes exercem sobre mim uma estranha e irresistível atracção à qual não consigo resistir, como uma mosca em direcção daquela luz azul fatal. É por isso que um dos meus favoritos piores filmes de sempre é A Fúria Do Último Escuteiro...

Domino é um thriller de acção livremente adaptado da vida de Domino Harvey (aqui encarnada pela bela Keira Knightley), a filha do actor Lawrence Harvey, que trocou uma vida fácil nas passarelles pela de caçadora de prémios. E as semelhanças ficam por aqui; tudo o resto é um intrincado thriller de gangster, com acção non-stop, algum humor pelo meio, tripes de mescalina (tão dispensável quanto a cena de folclore no programa do Jerry Springer) e até um strip-tease tão desnecessário quanto o de Carla Matadinho em Sorte Nula.

Domino Harvey foi uma mulher esquisista. Desde cedo trocou a sua vida fácil por outra mais excitante. Incapaz de lidar com a monotonia, Domino experimentou a carreira musical e as drogas, antes de enverdar pela profissão de caçadora de prémios, que lhe permitia viver com a adrenalina legalmente. Isto pelo menos é o que ela dizia. Se fosse só isso, não teria morrido de overdose... Mas isto sou eu que acho. Quanto a Domino, o filme, também não traz mais respostas para além destas, uma vez que o action flick substitui a intenção biopic.

Domino é outro exercício de estilo de Tony Scott. Houve quem defendesse que Homem Em Fúria, o último filme a sério do realizador, era apenas um invólucro de estilo sem conteúdo (quando na verdade é apenas um óptimo filme com um final mau demais para ser verdade); afinal, essa descrição é a de Domino. Cheio de truqes estilísticos, filtros esverdeados, rewinds, slow motions e uma montagem vertiginosa, como um teledisco epiléptico, Domino perde-se completamente em tanto fogo-de-artífico. A embalagem é tão cheia de floreados que abafa totalmente o contéudo.

O resultado é um filme confuso e com um argumento bastante frágil. E com um esqueleto tão fraco, a pele pesadíssima faz-nos temer que ele se quebre a qualquer momento. Por exemplo, até as partes que resultam passam despercebidas (como no comic relief que poderia sr engraçadíssimo em qualquer buddy movie, com o elenco do Beverly Hills 90210 a fazerem deles próprios). Em Domino, o gosto de Tony Scott só resulta na banda-sonora que até conta com os Eagles Of Death Metal.

Domino vale então por alguns elementos que sobrevivem isolados: o desfile de estrelas do elenco, com o sempre genial rei-dos-vilões-chunga Mickey Rourke; a instituição viva que é Cristopher Walken, que rouba para si todas as cenas em que entra, no papel do director de um canal de televisão; e o cameo de Tom Waits, dispensável é certo, mas que nem por isso deixa de ser genial, que surge como um oráculo divino ao som de Jesus Gonna Be Here. Acho que isto justifica o Double Cheeseburguer, certo?

Posted by: dermot @ 4:27 da tarde
|  




quarta-feira, maio 03, 2006  

VANITAS:

Título: Vanitas
Realizador: Paulo Rocha
Ano: 2004


Eu sou daqueles que ainda acredita no cinema português. Acredito piamente que ele ainda se vai fazer. No entanto, ao que parece, este só se faz alternadamente. É que depois de um ano como 2005, recheado de filmes que nos fizeram acreditar que algo poderia estar a mudar no reino, 2006 ainda não trouxe nenhum motivo de interesse, com excepção de Coisa Ruim. E se depois de Lavado Em Lágrimas pensávamos que não poderia piorar...

Vanitas é um filme cheio de ideias. Se formos à página oficial do filme e lermos a sinopse até ficamos asssustados com tanta ideia, todas potenciais de um óptimo romance. No entanto, ao vermos o filme ficamos com a sensação de que não vimos o mesmo a que a sinopse se refere.

Mila (Joana Bárcia) é uma perturbada jovem de famílias pobres adoptada por uma estilista do alto jet-set nacional, a arrogante Nela (Isabel Ruth), com quem estabelece uma estranha ligação. Este elo não é bem visto pelo padrasto da jovem Mila, mas vai ganhar diferentes contornos quando Alfredo (Filipe Cochofel) se intromete na vida das duas mulheres. Mas com a doença da estilista Nela, é Mila quem ascende ao seu lugar.

Comecemos pelo conteúdo: Vanitas é um filme sobre a vaidade das vaidades, tudo é vaidade. Recuperando o folclore da pintura do século XVI que materializou na tela essa fogueira das vaidades, Vanitas é um ensaio sobre a perdição do homem perante esta vã intenção. Vive-se então um ambiente como que se Klaus Nomi tivesse sido o intérprete de O Corvo, com grande carga teatral e diálogos poéticos. Há depois uma ligação telúrica entre um triângulo amoroso, que remete para a própria ligação familiar de Lavado Em Lágrimas e até uma passagem de testemunho impiedosa do negócio de família, à semelhança de O Padrinho, mas que dura uns breves cinco minutos.

Vamos agora à forma: se Vanitas pudesse resumir-se a uma palavra, esta seria amador. O que é estranho, tendo em conta que o realizador é Paulo Rocha, o homem que se estreou no cinema com Verdes Anos. Vanitas é como a professora do Charlie Brown a falar: monocórdica e monótona, sempre muito bababa bababa bababa. Depois, a narrativa argumentativa é totalmente inóqua, onde nao há um único motivo de ressalva; existem personagens cuja relevância no argumento se desvanece no ar; e até existem actores verdadeiramente sofríveis. Como no pior pesadelo português.

De referir ainda que, na tentativa de focar o binómio classe social/burguesia, Paulo Rocha ainda cria um paralelismo entre um desfilme de moda da alta socialite portuense e as festas do S. João, que em suporte digital, se torna no momento mais ridículo do cinema nacional da última década. Haverá algo mais embaraçoso do que filmagens dos grupos folclóricos, vestidos com aqueles trajes lindíssimos e a berrarem cantilenas indecifráveis, enquanto olham directamente para a câmara?

Não duvido na boa vontade dos intervenientes. Acredito na boa vontade de Paulo Rocha, cuja debilidade física é conhecida e até quero acreditar na boa vontade do ICAM, talvez a quererem atribuir ao realizador com este subsídio um reconhecimento pela sua carreira. Mas nem que eu fosse a Madre Teresa de Calcutá e tivesse um super-poder que me permitisse absorver toda a boa vontade da Índia, eu conseguiria ir além do Pão Com Manteiga.

Posted by: dermot @ 1:51 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014