Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



domingo, abril 30, 2006  

FILMES A VER ANTES DE MORRER #3:

Título: Time Enough At Last
Nota: Episódio 8, da primeira série da Quinta Dimensão
Realizador: John Brahm
Ano: 1959
Porquê:
- Porque tem o treinador do Rocky quando era novo
- Porque é cinema fantástico de alta qualidade em pouco menos de meia-hora
- Porque o final é um dos 10 momentos mais memoráveis da ficção-científica
- Pela possibilidade de ouvir o genérico mais uma vez


Posted by: dermot @ 11:27 da manhã
|  




quinta-feira, abril 27, 2006  

A ÚLTIMA TENTAÇÃO DE CRISTO:

Título: Last Temptation Of Christ
Realizador: Martin Scorcese
Ano: 1988


Já passou praticamente uma semana da Páscoa e quase que já estamos recuperados da habitual overdose televisiva de filmes religiosos, agora com A Paixão De Cristo à cabeça. Por isso, é a altura ideal para recuperar o melhor filme religoso de sempre (atenção, deve-se ler o melhor filme religioso sério de sempre): o controverso A Última Tentação De Cristo. É certo que é uma obra ficcional, mas não deixa de ser o melhor filme religioso de sempre.

A figura de Jesus, enquanto filho de Deus, sempre foi representado em tudo o que é filme como o homem perfeito, uma personagem unidimensional sem expressão emocional digna de registo. Por isso, quando Martin Scorcese realizou um filme em que toma a condição humana de Jesus como base da maior história do Mundo, caiu o carmo e a trindade por todo o Mundo. E ainda hoje o filme continua banido no Chile.

Jesus é então um homem atormentado: numa mão tem a voz de Deus a toldar-lhe o destino, enquanto Messias e salvador dos Homens; contudo, na outra mão tem o problema existencial do Homem. E se essa ambiguidade terrena já nos traz tantos problemas, imaginem o que fez à cabeça de Jesus...

Jesus (interpretado de forma superior pelo inegualável e carismático William Dafoe) não queria assumir esse papel. Durante muito tempo tentou fazer com que Deus, o seu pai, o odiasse e lhe retirasse o fardo dos ombros. Era por isso que construia cruzes para os romanos. Mas Deus mostrou-lhe que o amava e Jesus percebeu que teria de espalhar a sua palavra. Facilmente criou uma falange de seguidores rumo a Jerusalém. Mas Jesus era uma espécie de hippie, que apregoava o amor como arma. E aquela treta de dar a outra face a quem lhe batesse dava-lhe uma imagem de mole. Alertado por Judas (grande Harvey Keitel) e mais uma vez atormentado pelos problemas existenciais, Jesus troca o amor pelo machado e decide baptizar com fogo todos os impuros.

Com as pupilas dilatadas e com a batida rock de Peter Gabriel como pano de fundo, Jesus e os apóstolos dirigem-se para Jerusalém para queimar o templo. Ao entrarem na cidade, a população segue-os em histeria, como uma banda rock. Agora percebemos porque John Lennon disse certa vez "somos [ndr: os Beatles] mais famosos que Jesus Cristo".

Mas como sabemos Deus fê-lo ver pelos olhos da razão e, sem querer adiantar muito da história, todos sabemos que ele acaba pregado a dois pedaços de pau pelos romanos. O culpado é Judas, mas tal como vem escrito no Evangelho não oficial, este apenas agiu a mando do próprio Messias. Jesus vai ter então a prova de fogo: conseguirá ele resistir à prova de fogo, à última tentação, aquela que lhe prometia uma vida normal? Se sucumbir, sucumbe toda a esperança do Homem. Se resistir, acontecerá a ressurreição e Jesus Cristo virá para nos salvar.

A Última Tentação De Cristo é um ensaio filosófico excepcional sobre a figura de Jesus Cristo enquanto Homem. Pela única vez no cinema é-lhe atribuída uma personalidade humana, o que é muito mais chocante do que as cenas de nu frontal ou a relação com Maria Madalena.

Junta-se Martin Scorcese, Harvey Keitel e William Dafoe e não queriam que se tivesse uma obra-prima nas mãos? Depois ainda há a banda-sonora superior de Peter Gabriel e até David Bowie no papel de Pôncio Pilatos. O que é preciso mais para um Royale With Cheese? O único senão: os judeus falarem inglês com sotaque americano e os romanos com sotaque britânico. Pormenores mesquinhos, apenas...

Posted by: dermot @ 9:50 da tarde
|  




terça-feira, abril 25, 2006  

A JANELA (MARYALVA MIX):

Título: A Janela (Maryalva Mix)
Realizador: Edgar Pêra
Ano: 2001


Já anteriormente aqui escrevi algumas críticas a certos filmes que, no final, me escusei a classificá-los. Tal deveu-se ao facto de estes serem mais do que um simples filme (como no caso do ciclo Cremaster), ou por serem obras experimentais que não seguem o conceito normalizado do cinema (como aconteceu com Tarnation). Pois esta prosa vai ser mais um desses casos. O filme em causa é A Janela (Maryalva Mix) e no final apenas vai receber um parecer favorável ou um parecer negativo, assim uma espécie de thumbs up/thumbs dow.

Edgar Pêra é o maior! Woorkaholic e hiperactivo, autor de dezenas de filmes (na sua maioria curtas ou médias metragens), símbolo máximo do experimentalismo português e, mesmo assim, um desconhecido para a grande maioria do público nacional. Em 2001, talvez por ingenuidade ou talvez por desconhecimento de causa, o ICAM decidiu atribuir-lhe um dos seus tão almejados subsídios para realizar um filme. O resultado foi A Janela (Maryalva Mix), o mais fresco e original filme português de sempre, mas que fez com que o ICAM nunca mais lhe pusesse dinheiro nas mãos.

A Janela (Maryalva Mix) é o típico filme de Edgar Pêra, que usa o seu universo próprio (o Y do título é uma das suas assinaturas) para desconstruir todo e qualquer conceito básico dos manuais de cinema. A Janela (Matyalva Mix) não é um filme com a linha argumentativa distorcida ou fragmentada. Digamos que é estilhaçada e enxertada: há o ecrã dividido em dois, três ou quatro partes, constantemente; existem vozes de trás para frente; cenas em fast forward e em rewind; imagem real misturada com animação; e mais um sem número de artifícios. Isto só para falar dos normais.

De uma maneira elementar, pode-se descrever A Janela (Maryalva Mix) como uma comédia à portuguesa, na tradição bairrista lisboeta, acerca de António, o Zezé Camarinha do bairro da Bica, o último marialva português. A sua figura vai ser representada aos olhos das suas seis mulheres (todas elas interpretadas por Lúcia Sigalho), em que cada uma o vê pelos seus olhos. Vão existir então seis Antónios, interpretados por Nuno Melo, Manuel João Vieira, João Didellet, José Wallensteins, Miguel Borges e Nuno Bizarro.

A Janela (Maryalva Mix) não é um filme acessível de imediato, mas após adaptar-nos ao universo de Edgar Pêra torna-se hilariante. Primeiro, pelas interpretações (Lúcia Sigalho é perfeita em todos os bonecos que faz - a espanhola, a preta, a beata... -, Manuel João Vieira é genial a fazer de marialva - ou melhor, a fazer de si próprio - e Nuno Melo nasceu para um papel tão castiço quanto este); e segundo, pelos diálogos, verdadeiramente divertidos e a maior parte do tempo improvisados.

Temos então uma espécie de fusão entre o universo animado nórdico que Vasco Granja apresentava, o fado, o bairrismo lisboeta, a tradição nacional, o LSD e muita esquizofrenia. O resultado é uma caldeirada deliciosa, que muitas vezes limita o espectador aos simples actos de ver e ouvir.

Edgar Pêra é mesmo o maior e para aqueles que ainda duvidam é porque ainda não viram este A Janela (Maryalva Mix). Se é válido? Decididamente. Só é pena é que não funcione no estrangeiro, porque poderia fazer um brilharete nos festivais lá fora, se eles conhecessem a faceta cheesy da nossa cultura - aquela de cuspir para o chão e coçar os tomates.

Posted by: dermot @ 5:40 da tarde
|  




segunda-feira, abril 24, 2006  

HOSTEL:

Título: Hostel
Realizador: Eli Roth
Ano: 2005


Quem vai ver um filme como Hostel, sabe ao que vai - existe uma campanha promocional bastante considerável que inclui uma colecção memorável de posters; é realizado pelo realizador do esquisito A Cabana Do Medo, Eli Roth; e é apoiado pelo Sr. Doentio em pessoa, Quentin Tarantino. Por isso, quem vai ver um filme como Hostel com o cérebro ligado, à espera de algo mais para além de perversão doentia e entretenimento, vai ficar deveras desiludido. É como aquelas pessoas que dizem que não gostaram do King Kong porque tinha muitos monstros. Aquilo é um filme com um macaco gigante, estavam à espera do quê?

Eli Roth é um realizador com uma mente distorcida. Mostrou-o no anterior A Cabana Do Medo e mostrou-o agora aqui. Hostel é um puro exemplo de diversão, um festim gore idealizado certamente enquanto Roth e Tarantino estavam num bar à noite, a emborcar cerveja e a fumar ganzas. Foi filmado três vezes mais depressa de que um filme normal e teve direito a premiere internacional. Quem pode, pode.

Paxton (Jay Hernandez), Josh (Derek Richardson) e Oli (Eythor Gudjonsson): três amigos num inter-rail pela Europa fora. E apesar de Josh ainda defender timidamente que quer ver uns museus, o que eles realmente procuram é simples: white pussy, black pussy, Spanish pussy, yellow pussy, hot pussy, cold pussy, wet pussy, tight pussy, big pussy, bloody pussy, fat pussy, hairy pussy, smelly pussy, velvet pussy, silk pussy, Naugahyde pussy, snappin' pussy, horse pussy, dog pussy, chicken pussy, fake pussy!

Amesterdão parece a cidade ideal para eles, com toda a droga e a libertinagem feminina, mas quando um desconhecido lhes mostra que na Eslovénia é que existem mulheres a rodos, desesperadas por americanos, os três amigos prestam-se a partir. Claro que depois o sonho transformam-se em pesadelo e aquela pensão eslovena não é mais do que um chamariz para uma empresa de "caçadas de elite".

O início de Hostel é então um eurotrip juvenil, uma espécie de A Residencial Espanhola versão soft-core, com sexo, muito sexo, drogas e discotecas com hits dos anos 80 da Checoslováquia. Depois, quando pensamos que o argumento já não pode se tornar mais oco, eis que começa a diversão a sério. O argumento começa a ficar distorcido e inicia-se o festim gore. Há perversão, cenas cruéis, berbequins a furar pele, maçaricos a queimar olhos e tortura, muita tortura.

Não se compreende muito bem a fixação de Eli Roth pelo happy ending. No entanto, o filme tem uma aura tão negra, que até se aceita. Não se aceita é que haja tanto tempo de eurotrip desnecessário. É que se é para ser um filme doentio, que seja doentio à brava! Mesmo assim, Hostel é um excelente momento de diversão. Que todo o cinema de terror fosse assim e o Mundo cinematográfico era um sítio melhor. Guardem o McBacon para depois do filme; não convém verem-no de barrga cheia.

Posted by: dermot @ 11:07 da manhã
|  




domingo, abril 23, 2006  

UMA HISTÓRIA DE VIOLÊNCIA:

Título: A History Of Violence
Realizador: David Cronenberg
Ano: 2005


Os Stall são a família mais banal do interior da América: o marido, Tom (Viggo Mortensen), usa a camisa dentro das calças e o telemóvel preso no cinto, dentro de uma capinha plástica; a mulher, Edie (Maria Bello), é uma advogada que trata dos casos mais complicados do lugarejo onde vivem, como a posse de um trator mal vendido; o filho, Jack (Ashton Holmes), tem que aturar os parolos da escola, sempre a implicarem consigo; e a pequena Sarah (Heidi Hayes), bem... é apenas a filha mais nova. Os Stall podiam viver aparenteente o sonho americano. Se Tom não fosse uma máquina de matar!

Uma História De Violência, adaptada da graphic novel homónima, parece ser à partida o mais incaracterístico filme de Cronenberg. Pura ilusão; é apenas o mais acessível. Estão lá as principais marcas de Cronenberg: a ilusão do eu, ou seja, o eu noutro corpo sob situações bizarras, temática explorada na perfeição pelo realizador em clássicos como A Mosca ou Zona De Perigo.

Os Stall são então uma família normal, na América tradicional das sitcoms de sábado à tarde. No entanto, quando mata dois bandidos que tentavam assaltar-lhe o café, Tom torna-se capa de jornais, notícia de abertura dos telejornais e herói local. É então que aparece um grupo de mafiosos, liderado pelo desfigurado Carl Fogarty (Ed Harris), que dizem que ele é outra pessoa: uma tal Joey Cusack, assassino de Filadélfia. Será verdade? Ou o seu jeito para matar pessoas é só uma terrível coincidência?

Uma História De Violência é um thriller que ultrapassa o próprio estilo. Paralelamente à estória de Tom, que procura resolver um passado esquecido e enterrado (e é aqui que entra a magistral intrpretação de William Hurt), desenvolve-se uma outra história de violência, esta dentro do próprio núcleo familiar. Como se a violência fosse um gene transmissível (no caso do filho Jack), ou algo primitivo. Cronenberg ilustra esta violência num gore tão realista que se torna assustador.

O filme não segue uma convencional linha argumentativa. Os personagens vão morrendo à medida que a triga avança; apesar de serem personagens secundárias fortíssimas, as suas participações são fugazes, mas essenciais no desenvolvimento da intriga. É aqui que o trabalho notável dos actores se faz notar: Viggo Mortensen está soberbo (um dos melhores actores da sua geração), Maria Bello (bastante) surpreendente e o tal magistral William Hurt. E convém não esquecer Ed Harris.

Uma História De Violência é o melhor filme de Cronenberg dos últimos anos. Além disto, tem ainda uma cena que ficará certamente nos anais da história do cinema. Não, não é a bela Maria Bello vestida de colegial; é uma violenta/arrebatadora cena de sexo nas escadas (houve quem lhe chamasse violação consentida). E digo mais: ver este filme sem qualquer referência ao que se vai, é uma daquelas experiências ímpar. Um Le Big Mac.

Posted by: dermot @ 9:58 da manhã
|  




segunda-feira, abril 17, 2006  

TSOTSI:

Título: Tsotsi
Realizador: Gavin Hood
Ano: 2005


Depois de arrecadar vários prémios divididos por outros tantos festivais espalhados pelo Mundo, o filme sul-africano Tsotsi venceu o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro. No entanto, a concorrência directa de filmes como Feliz Natal não lhe dão o mérito suficiente que merecia...

Tsotsi (Presley Chweneyagae) é um deliquente dos guetos da África do Sul, líder de uma gangue que se dedica a assaltar, roubar e a matar. Tsotsi é um sacana impiedoso, uma espécie de Alex de Large dos tempos modernos ou um Ichi, The Killer à escala humana. Mas ao contrário da personagem carniceira de Takeshi Miike, Tsotsi é impiedoso porque está morto por dentro. Uma infância dura que não gosta sequer de recordar - e Boston (Mothusi Magano) prova-o na pele quando o confronta com o seu passado - deixaram-no seco, sem uma pinga de dignidade. Mas já diz o povo, as crianças são as coisas mais belas do Mundo, e um bebé vai entrar na sua vida e restituir-lhe um pouco de humanidade.

Pode parecer brincadeira, mas Tsotsi é uma espécie de Cidade De Deus meets Três Homens E Um Bebé (mas sem a parte comédia). De Fernando Meirelles absorve o retrato do gueto, substituindo a favela brasileira pelo bairro de lata sul-africano, mantendo a cinematografia e os filtros de cor saturada; e do segundo, retira a relação homem-insensível/bebé, em que o segundo amolece o coração do primeiro. Para fundir os dois, Gavin Hood utiliza a banda-sonora com os ritmos negros do dancehall e do regggaeton, que colocam o filme sempre a um ritmo frenético.
Com efeito, a primeira impressão é mesmo Cidade De Deus, mas Tsotsi é mais sobre a perda e a recuperação de humanidade.

Tsotsi tem ainda o condão de, apesar de violento, nunca ser gratuito, um erro onde poderia cair rapidamente. O realismo do argumento e a forma maioritariamente sugerida de como são filmadas as cenas mais fortes, fazem com que sequências como a de um cão paralítico se tornem fáceis de assistir. Chocante só mesmo o que o bebé passa, com fraldas de jornal ou formigas na cara... Tudo manipulado digitalmente, não se assustem.

Com uma linha argumentativa em crescendo, Tsotsi é um drama humano que explode na catarse final. No entanto, todo aquele sofrimento pedia uma tragédia à moda antiga, como os gregos faziam tão bem. Por isso é que é um McBacon.

Posted by: dermot @ 11:46 da tarde
|  




domingo, abril 16, 2006  

CAPOTE:

Título: Capote
Realizador: Bennett Miller
Ano: 2005


Truman Capote já era, antes do best-seller A Sangue Frio, um escritor famoso, respeitado e bastante solicitado, sobretudo graças ao romance - e posteriormente adaptado ao grande ecrã - Boneca De Luxo. Aliás, a sua personalidade extrovertida e a sua aparência singular transformaram-no numa estrela da socialite e tornaram-no famoso por ser famoso. Claro que o seu ego monstruoso também ajudou.

Depois, Truman Capote interessou-se por uma notícia no jornal: dois homens haviam sido condenados à morte por terem massacrado uma família numa localidade perdida do Kansas. Cinco anos de dedicação (leia-se obsessão) resultaram num livro que deu origem a um novo género literário: o romance não-ficcional ou romance documental, que, como o próprio nome indica, consiste em contar uma história real como se fosse um romance. A Sangue Frio é hoje uma referência literária e já deu origem a vários telefilmes, mini-séries e um bastante respeitosa adaptação cinematográfica, de título homónimo (aqui).

Capote é a história destes cinco anos da labuta que Truman Capote empreendeu nesse livro e que o esgotaram completamente (Capote não iria terminar mais nenhuma obra e iria afundar-se no álcool). E porque raio é que isto deveria dar um bom filme? Por várias razões, começando logo pelo próprio escritor. Este era uma personagem única: homossexual, uma voz enfemininada, gordinho e baixinho, altamente bajulador, dono de um ego gigante, manipulador, mentiroso e interesseiro. Truman Capote manipulava tudo e todos, mentia a seu bel-prazer apenas tendo em conta os seus interesses. Egoísta e ambicioso, Capote manipulou a justiça e os dois condenados com os quais estabeleceu uma relação de amizade durante esse período de tempo.

É este o segundo ponto que tinha possibilidades de transformar esta história num bom filme: Capote fomentou uma estranha relação com os criminosos, especialmente Perry Smith. Truman Capote identificava-se com aquele descendente de índio - é como se tivéssemos vivido na mesma casa, mas um dia eu saí pela porta da frente e ele pela de trás, diz o escritor às tantas, num dos diálogos fulcrais do filme -, mas não conseguiu evitar manipula-lo tendo em conta os seus interesses. Capote manipulava a natureza humana magistralmente e Perry Smith acabou por ser mais um peão no seu enorme tabuleiro de xadrez. Era uma relação de amor, que só poderia existir traindo-a.

Apesar de uma vida ligada aos (bons) filmes, mas como produtor, este é o primeiro filme de Bennett Miller enquanto realizador. Capote é aquele tipo de filmes, certinho e competente, mas que é totalmente arrastado por um actor. Neste caso, Philip Seymour Hoffman. Não é um mau filme, mas sem a interpretação grandiosa do actor (que valeu merecidamente um Óscar), que se metamorfoseou na pele do escritor, Capote era apenas simpático.

Realmente, é a melhor descrição que encontro para o filme: simpático (leia-se McChicken). Mas depois acrescenta-se Philip Seymour Hoffman; ou seja, uma fatia de queijo, cebola, e pickle e ficamos com o McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 9:11 da tarde
|  




sábado, abril 15, 2006  

TOP 5:

Estava eu a almoçar onte, no Dia do Senhor, quando tive a triste ideia de ver o que se passava nos canais generalistas da nossa televisão. Para minha surpresa, estava a dar pela primeira vez este mês o clássico da televisão portuguesa Beethoven. Claro que rápido como um raio me ocorreu a ideia deste TOP 5 DE CÃES NO CINEMA:

5º Lugar - Lassie e Rintintin - esta é uma posição obrigatória; mais do que dois cães no cinema, são uma verdadeira instituição. São eles os percursores de todos os outros canídeos actores
4º Lugar - Beethoven e K9, Agente Canino - são estes os principais responsáveis pelo flagelo que são os filmes com cães em Portugal; por ano, passam nos diferentes canais generalistas várias vezes por mês, de forma alternada. É possível que haja um código secreto, eu é que ainda não o descobri
3º Lugar - A Máscara - existem cães no cinema que têm como objectivo o comic relief; este é um dos raros casos em que isso funciona
2º Lugar - Amigos E Detectives - antes de ser um dos actores mais bem pagos do Mundo, Tom Hanks fazia estas comédias de família e filmes mais ligeiros
1º Lugar - Cujo - este primeiro lugar é indiscutível; contudo, a razão principal para a minha escolha é só uma: Cujo é o único cão capaz de esfrangalhar todos os outros anteriores num piscar de olhos

Posted by: dermot @ 2:09 da tarde
|  




terça-feira, abril 11, 2006  

TRANSAMERICA:

Título: Transamerica
Realizador: Duncan Tucker
Ano: 2005


Quando se fala de transexuais no cinema fala-se automaticamente em Dustin Hoffman (e a sua Dorothy Michaels em Tootsie) e em Robin Williams (e a sua senhora Doubtfire, em Papá Para Sempre). No entanto, a partir de agora o nome de Felicity Huffman vai passar a estar também relacionado, graças a este Transamerica. E com bónus, porque Felicity Huffman é a primeira mulher a fazer de homem a fazer de mulher!

Transamerica é uma comédia delicodoce, aparentemente ligeira, mas que no fundo é bastante intensa e profunda. Bree Osbourne (Felicity Huffman) é uma mulher que nasceu homem; ou seja, em termos leigos, é um transexual. No entanto, após várias operações plásticas e análises psiquiátricas, Bree está pronta para a cirurgia definitiva, aquela que a vai transformar numa mulher a cem por cento. Contudo, uma semana antes do dia fatídico, Bree vai receber uma notícia escaldante: a que tem um filho. A sua psiquiatra apenas admite assinar os papéis se ela resolver essa nova situação na sua vida e assim, Bree vai viajar até Nova Iorque onde vai embarcar numa road trip com Body (Kevin Zegers), o seu filho.

Transamerica é o road movie típico (com alcatrão e música country com fartura), com um ar familiar; é uma daquelas viagens de uma semana que, no entanto, parecem ter demorado anos a completar, tal é a volta que a vida dá nesse cuto espaço de tempo. Funcionando como uma enorme metáfora, Duncan Tucker utiliza a viagem como o reflexo da própria vida de Bree, focando um ponto fulcral: esta esconde do seu filho a sua verdadeira identidade, tal como esconde o seu verdadeiro sexo no dia-a-dia. Ao tomar consciência disto, Bree vai reconsiderar a sua posição na vida: será aquela outra decisão que não conseguirá tomar como tem acontecido em toda a sua vida?

Ora trágica, ora divertida, Transamerica é uma história pincelada a comédia e drama, num encadeamento de peripécias que tanto fazem soltar uma gargalhada sincera como uma lágrima comovente. Mascarado de filme familiar, Transamerica é antes um filme moral e é, sobretudo, uma magistral interpretação de Felicity Huffman, que consegue realmente convencer que é um homem.

Transamerica esteve nomeado aos Óscares e percebe-se porquê. È que, para além disso, é o filme que pela primeira vez conseguiu pôr a Dolly Parton a soar bem . E de que maneira! - não entendo como o Óscar Para Melhor Tema deste ano foi parar a um grupo de hip-hop, bastante fraquinho por sinal - Um McRoyal Deluxe e uma vénia ao senhor que teve essa ideia.

Posted by: dermot @ 4:54 da tarde
|  




segunda-feira, abril 10, 2006  

MCQUADE, O LOBO SOLITÁRIO:

Título: Lone Wolf McQuade
Realizador: Steve Carver
Ano: 1983


Toda a gente sabe que o Chuck Norris é o maior. É um facto incontestável que Norris nunca perdeu uma luta, é temível e impiedoso. Todos sabemos que o Papão quando se vai deitar, primeiro verifica se o Chuck Norris não está debaixo da cama. E é sabido que o Chuck Norris é a razão pela qual o Wally está sempre escondido. O que poucos sabem é que o mito iniciou-se com McQuade, O Lobo Solitário, o primeiro filme em que Chuck Norris deixou crescer a barba.

McQuade, O Lobo Solitário é o meu favorito pior filme de sempre. Lembro-me perfeitamente de o ter visto umas boas dezenas de vezes durante a minha infância; e sempre que o via adorava-o cada vez mais. Depois cresci, vi-o outra vez e continuei a adora-lo, mas pelas razões diferentes.

Foi também este filme que deu origem à lendária série Walker, O Ranger Do Texas. Só que McQuade, O Lobo Solitário é uma espécie de Walker, O Ranger Do Texas versão spaghetti western. Chuck Norris celebrizou a personagem do ranger (o mais temível cargo ao serviço da lei), com várias camadas de pó em cima e uma faceta impiedosa e sem misericórdia dos malfeitores. Depois, o facto de a trama se passar em El Paso, Texas, ajuda em muito a essa faceta de western spaghetti: existem planos de desertos e desfiladeiros intermináveis e existem revólveres à cintura e muitos cowboys. E depois há uma banda-sonora soberba, reminiscente de O Bom, O Mau E O Vilão.

Chuck Norris constrói um dos melhores action heroes de sempre: é certo que não deixa de ser Chuck Norris, porco, feio e mau, mas é ainda um cowboy carniceiro, que despacha os inimigos tanto com golpes de artes marciais, como com uzis e caçadeiras de canos serrados. Depois, tem um Dodge quitado e um lobo de estimação. How cool is that?

Há ainda o argumento ridículo, que envolve traficantes de armas internacionais, relacionamentos amorosos que só são credíveis na cabeça do argumentista e que só servem para incluir cenas românticas em câmara lenta, um anão maligno que controla o submundo do crime, um parceiro negro caído do nada apenas para dizer que existe um parceiro negro e outras pérolas de série B. Que podemos querer mais? É que ainda por cima há David Carridine, no papel de vilão, e que termina o filme num combate mano-a-mano com Chuck Norris. Um filme de sonho!

McQuade, O Lobo Solitário tem ainda um par de cenas inesquecíveis, para além desse épico confronto: Chuck Norris a ser enterrado vivo, no interior do seu jipe e um cena final em que Chuck Norris se desvia das saraivadas de uma metralhadora, qual Matrix. Se as coreografias de acção fossem tão boas como no início, seria o action flick perfeito. É que se o filme só tivesse quinze minutos era o melhor Royale With Cheese de sempre.

Mesmo assim, McQuade, O Lobo Solitário é o melhor filme de Chuck Norris. E quem sabe do que eu estou a falar sabe bem o que isso significa. E percebe o valor deste McBacon.

Posted by: dermot @ 11:57 da manhã
|  




domingo, abril 09, 2006  

O ÚLTIMO TANGO EM PARIS:

Título: Ultimo Tango A Parigi
Realizador: Bernanrdo Bertolucci
Ano: 1972


Em 1972, O Último Tango Em Paris provocou verdadeiras romarias às salas de cinema por todo o Mundo (Portugal incluído), devido à sua faceta erótica (que lhe valeu o banimento em vários países, apesar de ser pouco ou nada explícito), o corpo desnudado da bela Maria Schneider e à nova definição que dava à manteiga. Apelidado por uns como mero eurotrash e aclamado por outros como uma obra-prima, a verdade é que O Último Tango Em Paris é um poucochinho dos dois.

Paul (um Marlon Brando na meia-idade, acabado de ser reabilitado com O Padrinho) é um americano em Paris que conhece, fortuitamente, a jovem Jeanne (Maria Schneider). Ambos vão desenvolver uma relacionamento amoroso fogoso e sexualmente intenso - que inclui sodomia (daí a tal necessidade da manteiga), toques rectais e simples sexo selvagem, puro e duro -, que utilizam como escape às suas vidas. O primeiro enfrenta um luto complicado e a segunda uma relação amorosa não muito fácil. Por isso, aquele apartamento onde se encontram é como que uma porta para outra dimensão, onde os nomes são deixados no tapete de entrada e tudo o que sobra são os simples impulsos animais.

O Último Tango Em Paris é um melodrama sexual com uma carga política implícita, ou não fosse Bertolucci o seu realizador, um filme que pede que se fale com ele, que necessita de se abrir num exorcismo para que se entenda. No entanto, mais do que um exercício de indulgência do próprio Bertolucci, O Último Tango Em Paris é um filme de autor experimental e é aí que as coisas não funcionam muito bem.

É certo que sempre me disse menos do que devia, mas O Último Tango Em Paris tem certas dificuldades técnicas difíceis de encaixar. E não falo do seu baixo orçamento. Falo da banda-sonora demasiado hostil do genial Gato Barbieri (mas que a de Astor Piazolla certamente teria sido mais acertada) e do duvidoso gosto artístico que o realizador italiano coloca nos planos e na montagem nervosa.

Tem pinta de eurotrash, mas O Último Tango Em Paris é um filme-redenção, consideravelmente intenso, que ganha a cada vistoria. Depois, é sempre um prazer ver Marlon Brando em qualquer que seja a situação (mesmo na de galã de meia-idade), assim como é um regalo para os olhos a jovem Maria Schneider. Só por isso é que me vou decidir pelo McBacon; é que antes de começar esta prosa, tinha-me decidido por menos.

Posted by: dermot @ 9:20 da tarde
|  


 

LUA DE MEL, LUA DE FEL:

Título: Bitter Moon
Realizador: Roman Polanski
Ano: 1992


Lua De Mel, Lua De Fel é, geralmente, encarado como mera uma comédia negra; contudo, mais do que uma farsa, Lua De Mel, Lua De Fel é o filme mais intenso de Polanski desde a triologia dos apartamentos, uma manipulação perversa da condição humana como só ele sabe fazer. É uma espécie de fusão entre De Olhos Bem Fechados e Misery - Capítulo Final.

Nigel (Hugh Grant) e Fiona (Kristin Scott Thomas) são um casal em segunda lua-de-mel, a bordo dum cruzeiro com rumo à Índia. Por entre os monótonos jogos de cartas e os serões fastidiosos, ambos vão travar conhecimento com Oscar (Peter Coyote) e a sua esposa Mimi (Emmanuelle Seigner); o primeiro é um inválido de meia-idade, com aura de quem foi em tempos um bon vivant (uma espécie de Serge Gainsbourg inválido, a quem nem faltam os Gitanes), condição que os cabelos grisalhos e a cadeira de rodas arruinaram. A segunda, bastante mais nova que o marido, é uma voluptosa jovem, daquelas que rouba o fôlego aos homens.

Este misterioso casal vai envolver Nigel e Fiona num perverso e misterioso jogo com resultados impresíveis. No entanto, antes que isso aconteça, Nigel terá de ouvir a história que Oscar tem para contar: a história da sua vida, que daria um romance intitulado A Ascenção E O Declínio Sexual Da Relação Entre Oscar E Mimi.

Lua De Mel, Lua De Fel são dois filmes num só: o relato da vida de Oscar e Mimi, em versão flashback com direito a narrador e tudo, uma arrepiante história sobre obsessão sexual e pessoal (lembram-se de Nove Semanas E Meia? E de Boxing Helena? Então juntem os dois), que passa rapidamente do libidinoso e promíscuo para o cruél e trágico; e a condição ingrata a que Nigel e Fiona vão ser colocados, em que a história funciona como uma revelação para a sua vida sexual insonsa a pedir desesperadamente por uma aventura.

É sempre agradável ver Hugh Grant a representar a sério, em vez do piloto automático das comédias românticas. Peter Coyote tem ainda uma desenvolta interpretação na pele do eloquente boémio Oscar (a alguns passos da perfeição, contudo) e Kristin Scott Thomas consegue ser a única personagem a despertar comiseração. Mas é Emmanuelle Seigner que se destaca, pelo pior e pelo melhor; pelo pior porque não é, realmente, uma boa actriz. Além disso, tem ainda um sotaque horroroso. Pelo melhor porque é, literalmente, uma das melhores femme fatales do cinema.

Lua De Mel, Lua De Fel é um filme intenso e, sobretudo cruél, que se desenvolve por vários registos: pelo erotismo libidinoso, que despertam fetiches intermináveis (e tem uma inesquecível cena sexual que envolve leite e uma agradável capacidade de sugação feminina); humor negro apurado; suspense hitchcockiano com forte pendor feminino; e uma manipulação trágica da condição humana até à catarse final - o típico filme de Polanski.

Lua De Mel, Lua De Fel tem ainda a melhor cena de atropelamento de sempre e a pior banda-sonora de sempre (ou não fosse uma fusão entre Vangelis e uma jukebox dos anos 80, onde até há Lionel Rithcie). É ainda um apetitoso (e obrigatório) McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 11:14 da manhã
|  




sábado, abril 08, 2006  

HENRY E JUNE:

Título: Henry & June
Realizador: Philip Kaufman
Ano: 1990


Quando era pequeno o meu sonho era ser astronauta. Quer dizer, o que eu queria ser mesmo era escritor, mas se o primeira era difícil, este era mesmo impossível. Escritor é a melhor profissão do mundo; uma vida de boémia, passada nos cafés, a escrever, apenas com o dinheiro suficiente para um whisky no bolso... Realmente, ser astronauta é algo muito mais realista.

Henry E June é Philip Kaufman, novamente, a pregar o seu gosto pela boa literatura. E antes de ter romanceado a vida do controverso Marquês de Sade (em As Penas Do Desejo), Kaufman já o tinha feito com Henry Miller, outro escritor muito à frente do seu tempo, com uma importante obra dentro universo erótico. Henry E June é a adaptação romanceada da vida de Henry Miller enquanto escrevia o seu debutante e controverso Trópico De Câncer.

Anaïs Nin (a nossa Maria de Medeiros, que volta a ter oportunidade de dizer uma fala em português - se a merda fosse valiosa, os pobres não teriam cu, o melhor ditado de sempre) é uma escritora da alta sociedade francesa, presa na modorra do seu quotidiano. Por isso, quando conhece Henry Miller (Fred Ward), um norte-americano boémio, divertido e controverso aspirante a escritor, Anaïs liberta-se e alarga os seus horizontes. A esposa de Henry, June (Uma Thurman), vai estabelecer a ponte entre ambos, transformando aquela relação num género de ménage à trois obsessiva, em que os horizontes sexuais são, claramente, alargados.

Henry E June é um filme com uma forte dose arty e uma pesada carga poética. O retrato de Miller acaba por ser uma surpresa para aqueles que esperavam um homem com uma libertina relação com o sexo feminino e uma mente explícita; afinal, Miller é mais um homem homem, ou seja, um homem daqueles de bigode farfalhudo, que coçam os tomates e cospem para o chão, num símbolo de virilidade e machismo. Apesar da relação obsessiva deste para com June e a faceta misteriosa desta, o filme centra-se, no entanto, na frágil Anaïs, a quem a experiência da vida é tudo.

Se uma década depois ao olharmos sobre o ombro para Henry E June encaramos com naturalidade o rol de estrelas no elenco, na altura Philip Kaufman teve a arte e o engenho de descobrir e lançar alguns dos mais fantásticos actores dessa geração: Uma Thurman era ainda uma jovem promissora quando teve aqui uma interpretação bombástica, na dramática e trágica June Miller, que lhe valeu a unânimidade da crítica internacional e, mais importante ainda, o papel de Mia Wallace em Pulp Ficiton; Maria de Medeiros, que apesar de não ser hoje uma super-estrela, convenceu muito boa gente que ainda duvidavam do seu valor; e Kevin Spacey, apesar do papel secundaríssimo, está fantástico, roubando para si todas as pequenas cenas em que entra. Fred Ward é que já merecia outro filme de jeito...

Henry E June tem, contudo, um claro problema de ritmo. De início, as cenas tendem a acontecer isoladas, vivendo como momentos separados, arruinando a linearidade da história; há momentos em que demoramos a entender se é um flasback, uma prolepse, uma analepse ou um simples encadeamento de cenas. Para o fim isso melhora, mas Henry E June não consegue nunca arrancar para uma exibição fluída. Tem os seus momentos altos, mas a sua extensão também não ajuda. É como o avião que por demasiado carregado não consegue levantar voo da pista.

Henry E June vale por três coisas: a direcção de actores, a vida de Henry Miller e a faceta erótica do filme, com níveis de testerona elevadíssimos, ou não tivesse Uma Thurman envolvida com Maria de Medeiros mais do que uma vez. Mas não, não é mais do que o McChicken.

Posted by: dermot @ 11:03 da manhã
|  




quarta-feira, abril 05, 2006  

VAI E VIVE:

Título: Va, Vis Et Deviens
Realizador: Radu Mihaileanu
Ano: 2005


Logo para começar, Vai E Vive é um título lindíssimo, com uma excelente carga poética; meio caminho andado para nos levar com gosto à sala de cinema. Para já, Vai E Vive leva o prémio para melhor título cinematográfico do ano.

Na década de 80 uma operação secreta da Mossad à revelia da União Soviética, mas com o consentimento dos Estados Unidos, deslocou 12 mil judeus etíopes para o Sudão, para depois os levar para a terra prometida dos seus antepassados, Jerusalém. Vai E Vive inicia-se neste ponto, após uma reconstituição narrada destes factos, através de fotografias reais. Schlomo (interpretado pelo petiz Moshe Agazai, o adolescente Moshe Abebe e o adulto Sirak M. Sabahat) é um jovem sudanês que a mãe, desesperada, infiltra nos deslocados da diáspora para o tirar da fome e miséria de um dos países mais pobres do mundo.
A chegada de Schlomo vai então ser um duplo choque: um cultural, de um jovem que troca a vida africana pela civilização ocidental e um outro religioso, de um jovem que se tem de converter a uma religião completamente nova, de forma a não ser descoberto.

Vai E Vive é no geral, um ensaio sobre o caldeirão religioso que é Jerusalém, focando o caso particular dos negros judeus; e é em particular, a odisseia dramática de Schlomo, um jovem deslocado da sua terra, que pode cumprir a promessa que fez à sua mãe antes de partir - a de ir e viver -, mas que no íntimo nunca poderá mudar.

Vai E Vive é um épico gigante, um drama na verdadeira acepção da palavra, que acompanha a vida de Schlomo desde a infância até à fase adulta. É há partida um objectivo ambicioso, mas que Radu Mihaileanu executa de forma superior, num cinema muito semelhante ao do realista indiano Abbas Kiarostami, sempre com um timing perfeito, desenvolendo as diferentes fases da vida de Schlomo no ritmo certo, quer seja em sequências evolutivas, qur seja em simples e curtas montages musicais.

O filme é ainda uma acutilante metáfora socio-religiosa, que coloca em causa a ambiguidade da religião, sintetizada numa memorável cena no Muro das Lamentações (se Israel é a terra prometida, porque tem um muro enorme repleto de votos?) e um pertinente monólogo sobre a possível cor de Adão (não branco nem preto, mas sim vermelho, como o barro de que foi feito).

Com uma intenção tão ambiciosa claro que Vai E Vive tem as suas falhas, mas que não ultrapassam aquele limite aceitável a um filme desta dimensão: uma música-chave mal escolhida de tão azeiteira que é ou algumas cenas trágicas de faca e alguidar, talvez demasiado extrapoladas.

Para terminar, de referir ainda que Vai E Vive tem também a sequência musical mais sensual do ano cinematográfico. Lembram-se de Uma Thurman e John Travolta em Pulp Fiction? Multipliquem agora a sua carga libidinosa por dez!
E as semelhanças com o filme de Tarantino estende-se ainda até ao Royal With Cheese.

Posted by: dermot @ 11:38 da manhã
|  




segunda-feira, abril 03, 2006  

AS PENAS DO DESEJO:

Título: Quills
Realizador: Philip Kaufman
Ano: 2000


O Marquês de Sade foi um homem muito à frente do seu tempo. Aliás, até mesmo hoje ainda continua a ser muitas vezes incompreendido. Na França religiosa do século XVIII, Sade foi o primeiro a mostrar ao Homem, através da sua pena eloquente, a ilusão irrisória da sua condição humana, a ambiguidade da religião e as virtudes do erotismo. No entanto, não foram estes temas que chocaram o Mundo. Foi sobretudo a maneira como os contava: em tramas pérfidas, lascivas e pronográficas. Claro que o fruto proibido é sempre o mais apetecido e mesmo que tenha passado a vida em cárceres, as prosas do Marquês de Sade foram sempre procuradas por um público estimulado.

As Penas Do Desejo é uma ficção adaptada livremente da vida do Marquês, que narra os seus últimos dias. É certo que este viveu décadas confinado no asilo de Charenton, que dirigia peças teatrais com os doidos como actores, que havia um abade Coulmier e até uma Madeleine. No entanto, tudo o resto é inventado e romanceado, com objectivos dramáticos. No entanto, a maneira realista e contextualizada de como é feita é de louvar.

Philip Kaufman, um apreciador de boa literatura (não nos esqueçamos que foi ele quem levou A Insustentável Leveza Do Ser ou a vida de Henry Miller ao grande ecrã), juntou um grande elenco, dinheiro americano, inglês e alemão e realizou um portentoso filme centrado na figura do Marquês de Sade, fazendo uma interpretação magistral da sua obra - um prefácio perfeito para quem queira iniciar-se na leitura do homem que originou a palavra sadismo.

Geoffrey Rush é um actor fantástico, muitas vezes subvalorizado, que tem aqui o papel da sua vida, na pele do eloquente Marquês de Sade. Aliás, As Penas Do Desejo é uma espécie de versão perversa de Cyrano De Bergerac. Kate Winslet passeia classe na sua personagem virginal, provando que o tearjerker gigante de Titanic foi apenas um percalço. Quanto a Joaquin Phoenix, com quem não simpatizo muito, já começo a entende-lo melhor e aqui tem os seus momentos. E depois ainda há Michael Caine...

As Penas Do Desejo narra o último terço da vida do Marquês (Geoffrey Rush), encarcerado no asilo de Charenton, onde abusava da boa-vontade do abade Coulmier (Joaquin Phoenix) e seduzia a bela Madeleine (Kate Winslet) para passar os seus pergaminhos para o exterior. Napoleão, cansado de tanta conspurcação, decide silenciá-lo; mas aconselhado a não o transformar em mártir, decide antes enviar o médico Royer-Collard (Michael Caine) para lhe aplicar um tratamento de choque. Mas a pena do Marquês é mais forte de que a espada de Napoleão e no final este vai provar que a razão da maldade dos homens não é a sua prosa, mas antes a condição humana deste. Como fez na sua escrita.

As Penas Do Desejo é um filme soberbo, sobretudo para quem conhece ou quer conhecer a obra do Marquês de Sade - é o reflexo cinematográfico da verdadeira essência da sua obra literária. Com um elenco de estrelas, prestações notáveis e uma realização com mão de mestre, é estranho como é um filme tão caído no esquecimento. Tão estranho como o facto de quase me ter esquecido de referir o ridículo que é, mais uma vez, ser um filme francês falado em inglês. Nada que interfira com o Royale With Cheese. No final, o epílogo parece estender-se mais do que devia. Mas não mais do que isso...

Posted by: dermot @ 12:08 da tarde
|  




domingo, abril 02, 2006  

ROYALE WITH CHEESE:

Dois anos! O Royale With Cheese faz hoje dois anos.
Parece que foi ontem que arrancou este antro cinéfilo, depois de uma ideia nascida no café e posta em prática por mim e pelo Vitrugo. Depois foi crescendo, começou a gatinhar, depois aprendeu a andar e até já diz as suas primeiras palavras. Apareceram as primeiras rubricas, blogues convidados e já várias personalidades do mundo do cinema estiveram a jantar connosco num restaurante de fast-food. Desde o seu início que o Royale With Cheese tem vindo a acompanhar o Festróia, esteve presente no Fantas deste ano e até participou no Caminhos do ano Passado (onde ajudou a escolher o Grande Prémio de Imprensa). Depois arranjámos um logótipo (graças aos dotes do Vitrugo). E o número de visistas tem vindo a aumentar, quase que já chegámos aos dois dígitos...
E o futuro? O futuro é o que nós fizermos dele. Para já, é radioso. Vai continuar a ser como até aqui foi, como uma brincadeira. E quando deixar de me divertir com ele, aí sim, será colocada uma pedra sobre o assunto.

Posted by: dermot @ 11:18 da manhã
|  


 

ALIEN VS PREDADOR:

Título: Alien Vs. Predator
Realizador: Paul W. S. Anderson
Ano: 2004


Paul W.S. Anderson é o pior realizador de sempre! E não me venham dizer que não, que o Uwe Boll é pior, ou o Ed Wood... O Paul W.S. Anderson é o pior realizador de sempre, ponto. É que nunca ninguém conseguiu arruinar de uma só vez duas instituições cinematográficas, como o Alien e o Predador. Para não falar do Resident Evil...

O Paul Anderson é como uma criança pequena à qual dão um brinquedo novo. Esta, entusiasmada, perde-se em fogo-de-artifício desmesurado e CGI em catadupa. E quando raspamos com a unha esta casca artificial, chegamos à conclusão que não há nada por baixo. Alien Vs. Predador é assim.

O crossover entre o Alien e o Predador é uma ideia com vários anos, mas que nunca saiu do papel (e do computador). Se pensarmos bem até é uma ideia gira, que faz algum sentido: Alien e Predador são os dois maiores monstros do cinema contemporâneo. Mas nunca ninguém tinha tido coragem para adaptar a história ao cinema. Até aparecer Paul W. S. Anderson...

O argumento é simples: Charles Bishop Weyland (Lance Henriksen) - o único elo de ligação com a quadriologia Alien, para além do monstro -, magnata fundador da Weyland/Yutani, descobre enterrada na Antártida uma pirâmide misteriosa. Com o seu poder infinito, convoca a melhor equipa de expedição que o dinheiro pode comprar e parte à descoberta daquele artefacto valioso. Afinal, aquela pirâmide que se reconfigura como o Cubo, não é mais do que um safari onde uns certos guerreiros vão caçar uns certos alienígenas, como ritual. Atenção, como em qualquer filme de zombies, aqui também os monstros nunca são chamados pelos nomes: os Predadores são os caçadores e os Aliens são as serpentes.

Tal como em Alien - O Oitavo Passageiro, voltamos a ter um herói colectivo. No entanto, Paul Anderson nem se dá ao trabalho de o apresentar, para além das personagens principais que vão sobreviver: a bela aventureira Lex (Sanaa Lathan) e o italiano charmoso Sebastian (Raoul Bova). Todos os outros são carne para canhão, que são despachados nos primeiros instantes, pois o que realmente interessa são os Aliens e os Predadores, ou não fosse o título do filme Alien Vs. Predador. Mas ao contrário de uma guerra (ou de uma caçada), o que temos são pequenas escaramuças, onde o CGI é rei e senhor e deonde os Predadores saem sempre a perder.

Na tentativa que tudo tenha lógica, Alien Vs. Predador enche-se de explicações banais e ridículas, para além de ter um historiador de 30 anos que sabe na ponta da língua toda a história azteca, mais, inca, egípcia e cambodjana e todas as línguas mortas do Mundo. Depois, há o mais importante: os Predadores saem claramente mal vistos do franchising. São sempre derrotados e fica a sensação de que sem aquela arma de fogo ao ombro não passavam de caçadores banais. No final até há uma tag team com um humano, em que este é que o salva por duas vezes. Depois, os Aliens são sempre desengonçados e pouco objectivos, longe dos alienígenas letais que conhecíamos. Tudo isto numa linguagem para maiores de 13 anos, o que significa que não há gore, sangue e coisas dessas.

Os pontos altos de Alien Vs. Predador resumem-se então a este curto parágrafo: o face to face entre Alien e Predador (que toda a gente já viu na capa do DVD), uma vez que o face to face entre Alien e humanos é vulgarizado; e o final em aberto, que antevê o próximo embuste (leia-se continuação), mas que realmente é giro e nas mãos certas pode dar alguma coisa interessante. Até lá, o Happy Meal já é comida a mais. Mas tenho fé que o Paul Anderson se engasgue com o brinquedo.

PS - para os interessados em recuperar as aventuras da Tenente Ripley, aqui fica o link para a quadriologia

Posted by: dermot @ 10:31 da manhã
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014