Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



quinta-feira, setembro 30, 2004  

O REGRESSO:

Título: Vozvrashcheniye
Realizador: Andrei Zvyagintsev
Ano: 2003


Vencedor entre outros, do Leão de Ouro, no festival de Vezena do ano transacto, O Regresso foi um dos filmes russos mais badalados de sempre, pelas melhores e pelas piores razões.
Pelas melhores, porque foi um dos filmes nacionais com mais êxito de sempre; e pelas piores, porque meses após a conclusão das filmagens, Vladimir Garin, um dos actores principais, morreu afogado no lago onde foi filmado grande parte do filme, facto que permaneceu escondido da opinião pública durante meses, de modo a não influenciar o júri italiano.

O Regresso é a história de dois irmãos, Andrey (Vladimir Garin) e Ivan (Ivan Dobronravov), que vêm regressar a casa o pai (Konstantin Lavronenko) que nunca tinham conhecido. Este vai leva-los numa viagem de dois dias, que afinal vai resultar numa jornada inesquecível: alegria, tensão e tragédia, são alguns dos pratos fortes da viagem.

Filmado com um baixo orçamento por Andrei Zvyagintsev, O Regresso é um filme quase minimalista, filmado segundo os cânones descritos nos manuais de cinema. Se os planos são preparados rigorosamente, como se cada um fosse o último, o que torna cada cena memorável, com o carácter lúdico de uma pintura realista, o grande trunfo do filme é o tratamento das personagens.
Os três actores excedem-se, mas o protagonismo não pode deixar de ir por inteiro para o jovem não-profissional Vladimir Garin, que depois de uma interpretação memorável, acabou por falecer meses depois, de forma trágica.

O Regresso insere-se nos filmes realistas e tem como grande objectivo tratar o relacionamento das personages. Para isso, Andrei Zvyagintsev não tem pejo de deixar pontas do argumento pendentes se tal não afectar o desenrolar dos acontecimentos.
Apesar de ter, talvez, alguns casos concluídos de modo algo fútil, a representação dos actores e a fotografia conseguem superar essa lacuna.
O Regresso caminha constantemente pelo fio da navalha, entre o realismo intenso e a monotonia e tem o condão de nunca cair.

Filme realista de laivos minimalista, é uma realização ainda com uma forte pendente cristã, um simbolismo que apesar de algo disssimulado, acaba por transmitir uma aura especial - e que cena fantástica, em que Konstantin Lavronenko, o pai, dorme na cama, recriando o quadro do pintor renascentista, Andrea Mantegna, O Cristo Caído.

Um filme intenso, em que chega a permitir apalpar a tensão que trasborda de cada cena.
É sem dúvida, um filme que Vicent Gallo adoraria realizar e um filme que Manoel de Oliveira poderia filmar. E mesmo que o resultado final fosse algo fracassado, o filme mereceria sempre o visionamento, quer fosse pela prestação do jovem Vladimir Garin, quer fosse pela sequência de fotografias que antecede os créditos finais.
Um exercício cinematográico bastante interessante, sob a forma de um McBacon.

Posted by: dermot @ 10:45 da manhã
|  




quarta-feira, setembro 29, 2004  

A VILA:

Título: The Village
Realizador: M. Noght Shyamalan
Ano: 2004


Apesar da sua curta filmografia, M. Night Shyamalan é já uma das certezas do cinema actual e um dos mais interessantes realizadores em actividade. Apelidado de "O Feiticeiro", vêm nele o sucessor de Hitchcock e o novo mestre do terror.
Este epíteto acaba, no entanto, por estigmatiza-lo; depois da sua estreia com a sua ainda obra-prima paranormal O Sexto Sentido, Shyamalan amadureceu e evoluiu, sendo os seus dois últimos filmes - Sinais e A Vila - dois registos mais clássicos e humanistas. No entanto, quase toda a gente continua a ir assistir os seus filmes querendo ver uma obra de terror. Claro que a decepção leva-os a rotular os filmes como desilusão. Mas se Shyamalan nunca filmou um filme de terror, porque teimam em esperar um?

A Vila é o retrato de uma aldeia isolada num vale no centro de um bosque, parada no tempo no final do século XIX. Por sua vez, o bosque é habitado por estranhas criaturas, cujas tréguas levam-nos a co-existir segundo determinadas normas. Até que Lucius Hunt (Joaquin Phoenix) parece querer quebrar as regras...

Seguindo o registo da sua última obra, Sinais, Shyamalan volta a presentear-nos com um filme sob contornos clássicos, humanistas e deveras realista. Apesar de tratar o fantástico pela segunda pessoa, Shyamalan usa-o apenas como pretexto para abordar as causas humanas. Se em Sinais eram os extraterrestres o pretexto para um filme sobre a fé humana, aqui são as criaturas o pretexto para um filme sobre o amor.
É talvez o maior filme sobre o amor dos últimos tempos. Não o amor enquanto romance, como O Despertar Da Mente, mas o amor enquanto causa suprema - porque como refere William Hurt a certa altura no filme, é o amor que faz girar o Mundo. E em A Vila é o amor que rege todo o filme; o amor por uma pessoas perdida, o amor ao próximo, o amor por uma pessoa querida...


M. Night Shyamalan volta a justificar porque vêm nele o sucessor de Alfred Hitchcock. Se em Sinais o justificava com o uso superior do suspense, em A Vila, puxa para si o famoso macguffin de Hitchcock. O filme é um puzzle disperso que se vai encaixando com o decorrer dos minutos.
Dono de um baralho imenso de influências e referências, Shyalaman joga com as cartas de King Kong - a povoação sitiada - de O Projecto De Blair Witch - a exploração pela floresta - e com o terror psicológico de Polanski. E depois volta a baralhar e a dar novas cartas.
É ainda dono de um estilo próprio que lhe granjeou sucesso; mestre na fotografia, Shyamalan é exímio nos twists divididos ao longo do filme, que levam a constantes viragens bruscas na narrativa.

Um aparte ainda para o fantástico leque de actores. Se Shyamalan tem a melhor participação até à data e se Joaquin Phoenix - apesar de não ser grande apreciador das suas faculdades representativas - cumpre na perfeição o seu papel, o destaque vai todo para a jovem Bryce Dallas Howard.
Bryce Dallas Howard brilha com toda a força e é uma das dávidas do filme, prometendo um futuro risonho. Também Sigourney Weaver reaparece em bom estilo, quiçá o seu melhor desempenho desde Alien.

O resultado é então, um filme intenso, assustador por vezes, comovente por outras. Acaba por não ser tão bom quanto o seu antecessor Sinais, mas não deixa de ser um exclente passo na carreira do realizador indiano.
É um McBacon, cuja reputação de Shyamalan permite trasformar em um McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 11:52 da manhã
|  




segunda-feira, setembro 27, 2004  

PARA ONDE O VENTO SOPRA:

Título: Any Way The Wind Blows
Realizador: Tom Barman
Ano: 2003


O cartaz promocional é bem explícito ao publicitar bem por baixo do nome de Tom Barman, o seu lugar como vocalista da banda dEUS. Necessário ou não, o que é certo é que resultou; gerou-se um razoável hype à volta do filme e até a afluência à sala de cinema aumentou ligeiramente. A questão coloca-se: seria necessário enfatizar o nome Tom Barman? Obviamente que não, uma vez que o filme por si só, tem toda a força para criar todo um hype e uma legião de fiéis admiradores. Por outro lado, não deixa de ser positivo, visto permitir uma maior expansão mediática.
Uma coisa é certa - Para Onde O Vento Sopra é um filme que tem de figurar na lista dos melhores do ano transacto!

Tem sido mencionado o Magnolia vezes sem conta quando se fala de Para Onde O Vento Sopra; ao assistirmos ao filme, é sem dúvida uma referência que nos assalta em primeiro lugar. Mas incrivelmente, quando tentamos estabelecer os porquês desta comparação, vimos que tal é impossível.
Tom Barman quis realizar um filme. Pura e simplesmente, porque quis. E conseguiu! Sem pretensões artísticas, de ego inflado, ou objectivos megalómanos de conquistar a indústria cinematográfica. Ou então esconde-os muito bem. Para Onde O Vento Sopra é isso mesmo: um filme, etéreo e fluído, como uma brisa, ligeira demais para incomodar, mas forte o suficiente para não passar despercebida.

Durante o filme é dito algo que, de uma maneira geral, define todo o conceito de Para Onde O Vento Sopra. É dito às tantas por uma personagem, que a coisa que gosto mais do que observar pessoas, é observar pessoas observando outras pessoas. Ou seja, durante aqueles momentos do filme, somos transformados em simples observadores de algumas personagens escolhidas quase que aleatoriamente.
Para Onde O Vento Sopra é um filme cosmopolita, não fosse ele passado em Antuérpia, numa sexta-feira qualquer. E apesar de não ser Amesterdão, não deixa também de ser sinónimo de cocaína, erva, festas, sexo, álcool e música. Como se isto interessasse alguma coisa para o filme; quer dizer, importa, tanto como o trabalho, a família, enfim, a vida. Para Onde O Vento Sopra é um filme sobre a vida, sobre o dia-a-dia. Vidas aleatórias, bizarras e caricatas, mas que podiam perfeitamente ser a minha ou a vossa.

Tom Barman filma assim um mosaico de histórias, quais fios dispersos ao sabor do vento, que se entrelaçam, desatam e enrolam-se, sem nunca darem um nó completo. É um mosaico demasiado belo, de paisagens arquitectónicas, uma disposição bastante interessante, pincelado de diálogos inteligentes e soberbos - de arte, dos anos 80, de Warhol, de música, de Bowie, de tudo e de nada - e adornada com uma banda sonora perfeita.
Se se por vezes vemos a Manhattan (leia-se Antuérpia) de Woody Allen ou parecemos observar Jacques Tati a passear pelos passeios de Paris, o facto é que a maioria das vezes estamos a ver o estilo de Tom Barman. Esse mesmo que fala com a câmara ou interrompe a música como se fosse a coisa mais natural do mundo. E depois há a banda sonora: magistral, não fosse ele vocalista dos dEUS. É quase uma fusão entre a cadência de uma banda-sonora de Tarantino e a imortalidade de uma de banda-sonora de Morricone.
E depois, o imprevisto - alguém falou em Brilhantina, versão música electrónica?
E o filme termina e os fios do argumento continuam a soprar para onde quer que o vento sopre; e a nossa vida continua. Não é a vida assim?

Para Onde O Vento Sopra tem, sem sombra de dúvida, um das melhores sequências de créditos (tanto iniciais como finais) dos últimos tempos! E tem ainda o Homem do Vento (Sam Louwyck), personagem fantástica, predestinado...
É sem dúvida um filme notável, cheio de belos momentos de cinema. Cento e vinte e sete minutos demasiado leves, que passam a correr. Como o vento. E como a vida.
Um Le Big Mac com todas as letras. E maiúsculas!

Posted by: dermot @ 11:57 da tarde
|  




terça-feira, setembro 21, 2004  

O GUERREIRO:

Título: The Warrior
Realizador: Asif Kapadia
Ano: 2001


Pelos títulos que nos passam ligeriamente despercebidos por entre as semanais estreias americanas, por vezes passam-nos ao lado pequenas pérolas do cinema estrangeiro, que graças a uma época de maior abertura cultural, começam a chegar até nós com mais frequência. Depois da estreia do filme tailandês Ong-Bak - O Guerreiro, eis mais uma pérola de nome homónimo - O Guerreiro - que, apesar de ser uma produção inglesa, acaba por ser visto como um filme indiano, uma vez que Asif Kapadia, o realizador inglês que faz aqui a sua estreia, tem origem indiana e todo o filme é rodado em plena Índia.

É certo que o título e a ilustração do poster promocional, levam o espectador a introduzir-se na sala de cinema com uma ideia pré-defenida do filme. Ou seja, todo o folclore que nos é dado a conhecer previamente, parece traduzir-se num filme de samurais no Japão feudal. O resultado? Nada mais errado. Com efeito, O Guerreiro desenrola-se na Índia, num retrato perfeito do país rural, tão credível como se de um noticário se tratasse. Com efeito, é um dos mais realistas filmes históricos dos últimos tempos.
Por um lado, faz-nos lembrar o que Kurosawa faz em Ran, ao adaptar uma história ocidental ao tradicionalismo cultural oriental; é que aqui, Kapadia rearranja uma história tradicional oriental ao imaginário indiano.
Noutro aspecto, o filme acaba por nos transportar para outro imaginário, este não muito distante: o de A Paixão De Cristo. Não só pelas semelhanças socio-culturais, mas também pelos imperativos argumentativos.

O Guerreiro (Irfan Khan), o qual dá o nome ao filme, é um homem com um coração nobre, mas com sangue escrito na cara. Chefe do exército pessoal de um senhor feudal, este guerreiro sem nome (apenas nos é apresentado assim), encarrega-se de executar os banhos de sangue e os castigos a mando do seu senhor. No entanto, cansado da brutalidade e da violência de tal encargo, o Guerreiro decide abandonar a espada e faz a promessa de nunca mais derramar sangue, partindo para um exílio nas montanhas geladas dos Himalaias.
Quem não vai perdoar tal ousadia é o seu antigo senhor, que vai empreender uma caça ao homem, a qual vai ter consequências terríveis.

Voltando ao imaginário de A Paixão De Cristo; como disse, não é só a semelhança visual que nos transporta para a história de Cristo. As semelhanças continuam na personagem deste guerreiro, sob o qual é empreendida uma perseguição sem tréguas. No entanto, as semelhanças entre ambos os filmes acaba por conhecer perspectivas antagónicas, quando se cruzam. Porque se em A Paixão De Cristo, Mel Gibson realiza um filme visual de enorme impacto sentimental, apostando no sangue e na violência em detrimento dos diálogos, em O Guerreiro, Asif Kamadia filma sob a antítese dessa fórmula. Também usa a banda sonora, a câmara lenta e os planos arrastados, mas esconde toda a violência - o sangue nunca nos é mostrado directamente e as cenas de violência ou são relampejantes ou acabam por nos escapar pelo canto do olho. E o que é certo, é que este uso da não violência acaba por ter um impacto mais forte que A Paixão De Cristo de Mel Gibson.

Ainda nas influências cinematográficas, Asif Kapadia respira neste filme dois ambientes muito distintos. Se numa mão tem todo o legado de Sergio Leone, em que uma imagem vale mais do que mil palavras - e todo aquele cenário pictórico do deserto e da areia - na outra mão carrega a influência directa de Gus Van Sant - o sobrialismo dos planos, como que se tratassem de fotografias em movimento, a imagem tratada sob a condição de etérea. Por vezes, parece que Gus Van Sant acabou com o experimentalismo de Gerry e decidiu filmar algo sob aquele conceito.
O resultado desta fusão - o deserto de Leone e o deserto de Van Sant - é extremamente positivo e muito forte, o que começa já por prometer maiores voos a este realizador.

O Guerreiro acaba por perder força no argumento. Apesar de ser uma história tradicional, que se rege pela honra e a ética oriental vestida com novas roupagens, de uma fábula de destinos, encontros e desencontros, acaba por ter a sua maior pecha no tratamento das relações directas das personagens. É que depois de o filme ser abordado de forma soberba no que diz questão à percepção psicológica dos factos, a abordagem directa entre personagens acaba por ser frouxa. E a própria história de Biswas (Aino Annuddin), sergue paralelamente como que desencaixada, antes de se ir unir à principal. No entanto, ambos os actores principais estão em desempenhos formidáveis.

O Guerreiro é um filme bastante agradável. E apesar de ser um McChicken, de certeza que o espectador vai perceber todas as capacidades calóricas de um McBacon.

Posted by: dermot @ 10:40 da tarde
|  




quarta-feira, setembro 15, 2004  

SPARTAN - O RAPTO:

Título: Spartan
Realizador: David Mamet
Ano: 2004


David Mamet é um realizador de acção; sabe-o e põe-o em prática.
Numa altura que o cinema de acção carece de uma falta de qualidade generalizada, devido ao mainstreem que as limitadoras regras pré-definidas da indústria de Hollywood impõem, David Mamet é a excepção, sendo um realizador/argumentista de qualidade, com alguns dos mais interessantes filmes de acção/policiais dos últimos tempos.

Em Spartan - O Rapto, Val Kilmer é a personagem principal - Scott - um agente especial, uma autêntica máquina de guerra implacável, mas justo, que faz lembrar um John Rambo, um Steve McQueen e um Shaft, tudo ao mesmo tempo. Destacado para uma missão de alta importância, o ranger Scott vai tentar resgatar uma figura bem conhecida da praça pública, antes que o seu rapto seja de conhecimento geral.

Mamet realiza uma história de acção, um thriller emocionante e duro, de forma directa e sem rodeios. Os primeiros vinte minutos são prova disso - não há desenvolvimento de personagens para além daquilo que necessitamos saber, não há jogos de cintura e rodriguinhos desnecessários. Seguimos uma pista, que vamos conhecendo ao longo que a missão decorre e nem mesmo o objectivo final desta nos é revelado. É quase como se tivessemos a viver as emoções em tempo real, transmitidas em directo por qualquer câmara de televisão cândida. Aliás, Mamet tem esse objectivo televisivo bastantes vezes.
Spartan é um thriller conciso e real, onde os heróis morrem mesmo sob fogo inoportuno, os atiradores furtivos acertam mesmo e a violência é um meio para chegar ao destino de forma mais rápida. E se a meio caminho sofre uma cambalhota, que vai desencadear em sucessivos twists, Mamet acaba por cair na tentação de colocar o pés em falsos.
Se em Ronin, o realizador conseguiu escrever um thriller de acção, em que a premissa principal era essa, nunca se preocupando em revelar quem eram aqueles homens, ou sequer o que procuravam, em Spartan - O Rapto, Mamet não consegue resistir em colocar os pontos nos is, justificando o que não precisava de ser justificado, o que corta a força do filme.
E essa tentação acaba por resvalar em decisões piores; se alguns twists acabam por ser demasiado óbvios, então os ares romancesos finais eram totalmente escusados.

Quanto a Val Kilmer, no papel principal, acaba por ser uma das desilusões. Se já o vimos em papéis mais versáteis, onde teve desempenhos positivos - The Doors ou até mesmo, em O Santo -aqui, no papel de um agente implacável, Kilmer apresenta-se em baixo de forma, com momentos de quase suplício representativo, não convencendo no papel de Steve McQueen, versão máquina de guerra. O que é estranho depois da sua boa prestação do mais que recente, Os Crimes De Wonderland.

Spartan - O Rapto é um competente thriller de acção de um realizador que deve ser seguido com interesse, numa época em que escasseam os bons filmes do género - um estilo próprio de realizar, acção credível, a realidade dura e crua e diálogos à boa maneira de Tarantino.
O resultado final é claramente positivo, apesar de colocar os pés no mainstreem em certas alturas. Fica com um McBacon, como resultado final.

Posted by: dermot @ 11:09 da manhã
|  




domingo, setembro 12, 2004  

OS CONDENADOS DE SHAWSHANK:

Título: The Shawshank Redemption
Realizador: Frank Darabont
Ano: 1994


Quando se fala de Stephen King e das adaptações das suas obras para o cinema, normalmente conseguem-se referir inúmeros nomes. No entanto, Os Condenados De Shawshank costuma passar despercebido. Talvez por Stephen King ser o mestre do terror, talvez por ter sido um filme que não passou pelo carrossel de promoção de Hollywood, o que é certo é que Os Condenados De Shawshank é quiçá, a melhor adaptação cinematográfica de uma obra do escritor norte-americano. E curiosamente, juntamente com À Espera De Um Milagre, também realizado por Frank Darabont, é uma história que nada deve ao terror e ao suspense.

Tim Robbins é Andy Dufresne, um banqueiro que é condenado a dupla prisão perpétua pelo assassinato da sua esposa e do seu amante, crimes dos quais se encontra inocente. Fechado na prisão de Shawshank, Dufresne vai tardar a adaptar-se aquela nova realidade, mas quando consegue perceber o que quatro paredes conseguem fazer a um homem, Dufresne vai conseguir subir na escala hierárquica prisional, graças à sua perspicácia, inteligência e à amizade com Red Redding (Morgan Freeman).

Um dos segredos do sucesso de Stephen King são as suas personagens; apesar de serem, normalmente, histórias de terror, King constrói as suas personagens de forma soberba, capazes de crescer de forma credível, o que se adapta na perfeição no cinema. Talvez por isso, Stephen King é o escritor da actualidade com mais livros adaptados ao grande ecrã.
Em Os Condenados De Shawshank esse é um dos grandes trunfos; a cumplicidade entre Andy e Red, a vida destes num microcosmo complexo e desumano, a "instintucionalização" dos prisioneiros, enquanto homens.
Porque ao contrário do que pode parecer, Os Condenados De Shawshank não é um filme sobre prisioneiros e guardas, sobre a corrupção insitucional, sobre inocência ou culpa. Tem mais de desumanização do ser humano, como os soldados em Nascido Para Matar de Kubrick, do que de corrupção, como em Uma Questão De Honra, por exemplo. É um filme acerca da condição humana enquanto ser humano livre, da sua confinação a quatro paredes e ao que isso pode fazer; é um grito de liberdade, que tem o seu expoente máximo na cena clássica de Tim Robbins, na sua redenção à chuva. E depois, tudo isto vem numa agradável caixinha muito bem embrulhada numa história engenhosa e perspicaz, num twist final divertido e em muita comoção e sentimentalismo.
Talvez por isso, apesar de ser um filme carregado de clichés e personagens-tipo, é ao mesmo tempo um filme especial. Podemos estar a ser confrontados com clichés e mais clichés e no entanto, tudo aquilo nos vai parecer novo, como que feito pela primeira vez.

Os Condenados De Shawshank foi um filme que passou algo despercebido, mas que gradualmente está a tornar-se um clássico.
Não venceu nenhum Óscar, apesar das sete nomeações, mas aqui recebe nota máxima, um Royale With Cheese. Talvez não o merecesse; mas já houve quem merecesse menos e o arrecadasse.

Posted by: dermot @ 3:01 da tarde
|  




sexta-feira, setembro 10, 2004  

TERMINAL DE AEROPORTO:

Título: The Terminal
Realizador: Steven Spielberg
Ano: 2004


Steven Spielberg parece ter voltado às raízes, abandonando as megas produções, como A Lista De Schindler ou Amistad (em que nem sempre eram condizentes do seu real valor, embarcando por moralismos exagerados), para se dedicar aquilo em que é especialista - humildes pérolas cinematográficas, com entretimento garantido e muitas doses de compaixão, solidariedade, humanismo e mais uma mão cheia de nobres sentimentos.
Depois do genial Apanha-me Se Puderes, Spielberg volta à carga com mais um grande filme de fait-divers - Terminal De Aeroporto.

Tom Hanks encarna o papel de Viktor Navorski, um turista do leste europeu que ao chegar aos Estados Unidos vê o impossível acontecer - Krakhovia, o seu país, acabara de implodir num golpe de estado e consequente guerra, deixando de ser reconhecido legalmente. Logo, o seu passaporte deixa de ser válido. Como a deportação não era possível e a entrada na América também não, Viktor Navorski passa a ser aquilo a que chama de "uma falha no sistema": um cidadão sem país, vivendo no limbo existencial traduzido no aeroporto de Nova Iorque.
O que pode então fazer um homem sozinho num aeroporto, com um coração do tamanho de uma montanha e doses inesgotáveis de compaixão para dar e com um ligeiro conhecimento de bricolage? A resposta é: muita coisa!

Tom Hanks volta a ter um filme centrado em si, depois de O Náufrago, mas desta vez não está sozinho. Há sua volta ergue-se o aeroporto de Nova Iorque, um mundo fechado dentro de outro mundo, que lhe dá a liberdade de improvisar e crescer como personagem, começando como um simples turista de leste que não sabia falar inglês, para terminar como o próprio aeroporto em si.
Se por um lado, Spielberg afasta de todo a ideia de um atentado ou insegurança, que poderia estar relacionado com o aeroporto, com uma comédia em tons de drama assumida, por outro lado ironiza todo os Estados Unidos, com aquela enorme metáfora, tal como Sofia Coppola fez em Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho, mas de forma muito mais subtil.
E se já todos sabiamos que Tom Hanks é um grande actor e está em grande forma, também Catherina Zeta-Jones (Amelia Warren) encanta sempre que aparece, naquele estilo trapalhão e ingénuo, o complemento feminino de Viktor Navorski.

Steven Spielberg é unânimamente o Senhor Cinema da actualidade. E fazendo juz a esse título que ostenta, as influências de todos os Senhores Cinemas do passado estão lá. Se as referências a Capra são impossíveis de não nomear, desta vez também o são as de Jacques Tati - com a cena que promete tornar-se clássica de Hanks a fugir à câmara de vigilância (o que não teria feito o francês com um cenário com aquelas potencialidades) e as referências ao universo burlesco de Keaton e Chaplin. Hanks é mesmo uma junção destas duas influências, adoptando mesmo o trampwalk de Charlot e a representação física de Buster Keaton.

Spielberg volta a surpreender em Terminal De Aeroporto. E se no final acaba por deixar o filme resvalar um pouco, devido às exageradas tentativas de lágrima, por outro lado tem um ponto fortíssimo que é o de atirar para plano secundário o amor, como acção motivadora da acção. Porque também o jazz é uma coisa bela! Porque tal como diria David Murray, when I die I don't wanna go to heaven! I wanna go to jazz!

Um McRoyal Deluxe, versão dieta - sem batatas fritas, bebida, mas com muitos molhos.

Posted by: dermot @ 8:14 da tarde
|  




quinta-feira, setembro 09, 2004  

A CELA:

Título: The Cell
Realizador: Tarsem Singh
Ano: 2000


A Cela apresentou-se ao grande público, com uma série de factores que se poderiam tornar preconceitusoso - era um filme apoiado pela MTV, realizado por um dos mais requisitados realizadores de telediscos da música norte-americana, mas sem nenhuma experiência no cinema e tinha no papel principal, a estrela pop e actriz de qualidade inferior, Jennifer Lopez. Se por um lado estes factores atraem um determinado público; por outro lado repelem outra fatia ainda maior de público.
O segredo está em esquecer-nos destes pormenores e assistir ao filme, imparcialmente. Porque nenhuma destas premissas é condicionante de uma boa realização.

Tarsem Singh estreou-se assim no cinema, realizando um thriller apoiado no binómio assassino em série/psicóloga, um pouco à semelhança de O Silêncio Dos Inocentes, mas com contornos futuristas, de um trabalho onírico de ficção científica.
Jennifer Lopez é Catherine Deane, psicóloga de uma instituição experimental, em que através de um técnica inovadora, tenta resgatar uma jovem criança do coma em que se encontra, devido a um caso raro de esquizofrenia. Para isso, Catherine Deane entra na mente da criança e tenta convence-lo a sair do estado catatónico. No entanto, a tarefa não é fácil.
Paralelamente, Vince Vaughn é o agente do FBI Peter Novak, que comanda uma autêntica caça ao homem, a um serial killer desumano, que rapta e afoga antes de esventrar, jovens raparigas para as transformar em bonecas. Este homem é Rudolph Stargher (Vincent D'Onofrio) e quando o capturam, este entra em coma.
Apostando na semelhança dos casos, Novak e o FBI depositam as suas esperanças em Catherine Deane para entrar na mente do assassino, através da nova técnica de fusão de mentes, para descobrir o paradeiro da última vítima de Stargher, ainda aprisionada. Mas uma mente de um assassino perturbado é completamente diferente da de uma criança imberbe; e os perigos vão ser muitos.

A Cela tem dois pontos de análise. Por um lado, é um filme banal, a roçar o medíocre, assente numa fórmula já muito vista anteriormente - um polícia com problemas pessoais, tem o trabalho como exorcismo de problemas passados. Do outro lado, uma jovem psicóloga recheada de dons naturais para o que faz, também procura transformar o mundo em algo melhor, algo que consegue inevitavelmente no final, não uma vez, mas duas, quase como uma santa descida do reino dos anjos. Por fim, estes dois personagens terminam numa relação amorosa sem motivo aparente, mas deveras convincente.
No entanto, por outro lado, A Cela é um filme visualmente arrebatador. Com uma fotografia brutal, Singh mostra todo o seu talento em filmar telediscos, pondo-os em prática em todos os segundos de filme. Se durante as sequências dos mundos oníricos, isso parece mais ao menos fácil, Singh consegue o mesmo efeito no mundo real, através de uma filmagem arquitectural fabulosa, não da forma que Jacques Tati o fazia, apenas de um modo visual, contemplador.

Quanto às representações fantasistas, são completamente arrebatadoras. Se de um lado, Singh consegue filmar cenários de paz absoluta, de santos e anjos, flores a desabrochar e balões coloridos, por outro lado consegue filmar mundos completamente antagonósticos, chocantes e pertubantes, dos nossos maiores pesadelos. A Cela parece um último esforço de Buñuel e Dali, neste novo século; é como se Lewis Carroll pedisse a Giger para ilustrar o seu mundo de Alice No País Das Maravilhas.
Tarsem Singh filma algumas das mais espectaculares cenas do cinema, em termos visuais - um simbolismo forte, muito non-sense surrealista, influências de telediscos como Heart Shaped Box, dos Nirvana, ou Losing My Religion, dos REM, e referências ao tradicionalismo cristão, com sudários, redentores, messias e anjos.
Se em Pesadelo Em Elm Street, Wes Craven moldava o mundo dos sonhos de forma assustadora, em A Cela, este tópico é levado ao etxremo.

Se como filme, A Cela é algo fraquinho, como um Cheeseburger, enquanto experiência visual é avassalador - os adjectivos chegam mesmo a faltar para exprimir esta experiência, que só pode significar um Royale With Cheese.
Por isso, fazendo a média, o filme é salvo por um McRoyal Deluxe. Mas com um aviso, de que pode ser enganador...

Posted by: dermot @ 10:31 da manhã
|  




terça-feira, setembro 07, 2004  

SER E TER:

Título: Etre Et Avoir
Realizador: Nicolas Philibert
Ano: 2002


Ser E Ter é uma experiência documental diferente das que Michael Moore nos habituou recentemente - é um documentário de cariz registativo, um observador imparcial e invisível, que colhe e documenta os factos, para os explanar depois sucintamente. Por isso, quando a certa altura, a câmara abandona a sua postura passiva e passa a encarnar uma postura activa, ao entrevistar a personagem fulcral, sentimo-nos algo estranhos, como se aquela cena estivesse ali por engano, deslocada do seu espaço natural.

Com efeito, Georges Lopez é a personagem central deste singelo documentário algo minimalista, acerca da sua vida de professor, na pequena aldeia rural francesa de Auvergne. Lopez é o único docente para os pouco mais de duas dezenas de alunos da aldeia, de variadas faixas etárias, mas a sua dedicação permite-lhe desdobrar-se na educação das crianças.

Os primeiros minutos do documentário não são, no entanto, um bom prenúncio - longos minutos de paisagens rurais, bucólicas e nada românticas, em fotografias perfeitas de um qualquer filme de Manoel de Oliveira. Afinal, aqueles planos apenas servem para nos apresentar Auvergne como um paradeiro rural estagnado no tempo, em que o quotidiano parece ainda mais monótono do que realmente é.
Ser E Ter é o captar de simples situações no dia-a-dia de escola das crianças, desde o Inverno até ao Verão, que nos faz rir, chorar e, sobretudo, relembrar que as crianças são o melhor que há no Mundo.

É um documentário impregnado de nostalgia, que Nicolas Philibert tem o cuidado de filmar em escala reduzida. É uma pérola singela de humanitarismo, uma mão cheia de vida, solidariedade e paternalismo. É um filme tão leve, que nem damos conta de estar a chorar e a sorrir juntamente com as crianças, com as quezílias, os problemas e as brincadeiras.
É como se estivessemos a comer algo tão leve, tão leve, que ao chegarmos ao fim e ao descobrirmos que se tratava de um McRoyal Deluxe, não acreditaríamos.

Posted by: dermot @ 11:44 da tarde
|  




sábado, setembro 04, 2004  

ESTRADA PERDIDA:

Título: Lost Highway
Realizador: David Lynch
Ano: 1997


David Lynch é um realizador pouco ou nada convencional. Um artista em detrimento do realizador; um artista de génio semelhante a Andy Warhol ou, noutro aspecto menos presunçoso, a Vincent Gallo. Além de criar um filme, uma história, Lynch cria um mundo, uma pintura global de instintos.
Por isto, nem sempre os seus filmes fazem sentido total, mesmo quando terminam. Estrada Perdida é um destes casos, em que nem sempre tudo tem que fazer sentido.

Estrada Perdida é a história de um assassino esquizofrénico, Fred Madison (Bill Pullman), saxofonista, que vive uma relação tensa com a mulher, Renée (Patricia Arquette). Começam a receber por correio cassetes de vídeo incrivelmente perturbadoras com imagens deles a dormirem ou com o rosto de Fred olhando a câmara com uma expressão grotescamente horrorizada. Fred acaba por matar a sua mulher, suspeitando que ela o engana e é preso. Na prisão, transforma-se fisicamente num outro homem...
Esta é a sinopse que vem no DVD do filme; no entanto, é apenas a sinopse possível. Porque Estrada Perdida não se limita a isto.

Para David Lynch não existem conceitos temporais ou delimitadores, onde o onírico cruza-se com a realidade. As personagens também não são limitadoramente definidas, alterando-se constantemente, em que alterar não implica necessariamente, mudar de actor.
Por isso, Estrada Perdida não é um filme fácil de seguir. Mas é uma experiência perturbadora. Se numa primeira parte, Lynch consegue isto com uma filmagem minimalista, de planos monocromáticos, ou maioritariamente, pincelados a negro, vermelho e azul, numa segunda, puxa de todos os recursos de uma banda-sonora explosiva, onde até Marylin Manson faz sentido - referência obrigatória para a cena onde Alice (Patricia Arquette) conhece Mr. Eddy (Robert Loggia), ao som do tradicional I Put A Spell On You, que ganha um sentido totalmente diferente cantado por Marylin Manson.
Se ao princípio nos sentimos incomodados com as imagens de um peepshow grotescamente íntimo, de tão niilista que parece real, no final somos arrombados pela explosão de acontecimentos, o cruzamento de personagens, de acontecimentos, experiências e sentimentos.

Estrada Perdida tem todas as linhas de força dos outros sucessos de Lynch. Apanha o soturnismo de Mulholland Dr., mas sem o carácter cénico; volta a focar o cruel mapa sexual de Veludo Azul; puxa pelos assassinatos e mutilações arrepiantes de Twin Peaks; e até tem um casal rebelde em busca da liberdade amorosa, num romantismo de alcatrão e deserto, como em Coração Selvagem.
Como todos eles, também este é uma experiência cinematográfica sensorial. Não tanto como o choque perturbador de Irreversível, por exemplo, mas sim pelo desequilíbrio emocional e sensorial. Arrepiante, tal como a personagem misteriosa de Robert Blake, à boa maneira da Morte bergmaniana.

Estrada Perdida pede obrigatoriamente para ser visto no cinema, num grande ecrã, às escuras e com o som muito alto. E rapidamente transforma-se numa visão aterradora, realmente perturbadora e paralisante.
Nesta primeira experiência vai-se revelar num Royale With Cheese.
Depois vai pedir para ser visto outra vez. Essa primeira impressão desaparece, para dar lugar a um racionalismo, que tenta funcionar atordoado, ficando-se pelo Le Big Mac.
No entanto, deve ser a primeira impressão a contar.

Posted by: dermot @ 8:59 da tarde
|  




quinta-feira, setembro 02, 2004  

12 MACACOS:

Título: Twelve Monkeys
Realizador: Terry Gillian
Ano: 1995


Apesar da fama que os Monty Phyton's lhe granjearam, Terry Gillian ainda não consegue ser reconhecido pelo seu trabalho enquanto realizador. E neste campo, há que referir que os seus registos nada têm de semelhante com os seus anteriores, com o grupo inglês de comediantes - são tão diferentes, como a noite o é do dia.
Terry Gillian é ainda, neste campo, conhecido por ser um perfecionista, dado ao pormenor e ao detalhe mais minuncioso, o que o leva a entrar constantemente em batalhas com as produtoras; longe ainda de concordar com o caminho das grandes produtoras, direccionadas para o grande público, rumando pelo caminho das grandes massas, Gillian viu este seu projecto ser interrompido várias vezes e chegou mesmo a estar em perigo a sua conclusão. No entanto, 12 Macacos foi mesmo realizado e com todas as pretensões de Gillian, sem uma única alteração. E ainda bem!

Bruce Willis encarna James Cole, um prisioneiro sobrevivente de um futuro apocalíptico, em que a raça humana se viu destruída por um vírus e relegada para uma vida no subsolo terrestre. Voluntário à força, Cole é lançado no tempo, de volta a 1996, na tentativa de descobrir pistas que levem à origem do vírus, para que no futuro (e seu presente) este possa ser estudado, de forma a ser encontrada uma cura, que impeça o armagedão.
Nessa sua jornada, Cole vai deparar-se com a inesperada aliança da psiquiatra Kathryn Railly (Madeleine Stowe) e com a figura caricata de Jeffrey Goines (Brad Pitt).

Parece complicado. E é; mas não tanto quanto parece! Terry Gillian, baseado no filme francês La Jéete, realizou uma jornada futurísta de salvação e redenção da humanidade. Pegando no conceito usado em O Extreminador Implacável 2: O Dia Do Julgamento Final, em que o retorno ao passado é a solução para impedir um futuro de perdição, reinventando a história presente, 12 Macacos é mais que isso.
Gillian criou um cenário futurista de contornos de A Cidade Das Crianças Perdidas e cruzou-o com outros cenários contemporâneos, mas de diferentes anos da década de 90; nesta conjugação de três dimensões temporais, levantou marcos comuns, dissimulados, que se vão revelando ao longo do filme, surpresa e inesperadamente, de forma magistral, contribuindo assim para uma peça complexa, mas extremamente coerente.

As personagens desenvolvem-se de maneira soberba, principalmente Willis, que tem aqui uma representação fora dos moldes comuns, fugindo a todos os seus próprios clichés. No entanto, o maior desempenho é o de Brad Pitt, que tem aqui, quiçá, o papel da sua vida (apesar de pouco lembrado), interpretando um doente do manicómio, em primeira instância, evoluindo para um extremista defensor dos direitos dos animais, com todos os sinais que o levaram ao hospício da primeira vez.
Willis e a sua personagem principal, evoluem de um estado mental oposto ao de Madeleine Stowe; se no princípio, esta tomava-o como louco, internando-o no hospital psiquiátrico, este sujeito ao mais pertubante rol de experiências, acaba por se convencer da sua insanidade, quando esta toma conta da veracidade das suas palavras. Esta insanidade é aproveitada da melhor maneira por Gillian, baralhando constantemente as três realidades temporais, recorrendo a planos inconvencionais e manietando todo o desenvolvimento cénico, deixando-nos a nós próprios com dúvidas no que vemos - se é um passado sem futuro certo, ou se é um futuro sem passado certo!

Aliás, é esta a frase-chave do filme. Uma aventura futurista manietada, saudavelmente alucinogénea, mas extremamente coerente, em que nunca perdemos o fio à meada, que é solto constantemente nas mais variadas direcções, para no final, tudo fazer sentido. A história já está feita desde o início; não é mais que um desenrolar em círculos, desvendando os caminhos obscuros. Mas quando esses caminhos nos são revelados, é como se nos fosse revelada a mais escondida e ansiada verdade.
E Gillian ainda nos preza com uns pozinhos mágicos, subliminares, da sua condição de ex-Monty Phyton, especialmente durante a sequência no manicómio, onde Brad Pitt tem oportunidade de brilhar.

Terry Gillian é um realizador bastante interessante na área do fantástico; e é um contador de histórias. E 12 Macacos é, sem dúvida, o seu maior trabalho, um filme consistente e deveras interessante.
Um McRoyal Deluxe, que só peca por tardio.

Posted by: dermot @ 6:21 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014