Royale With Cheese

 Royale With Cheese

 
 



segunda-feira, agosto 30, 2004  

OLDBOY:

Título: Oldboy
Realizador: Chan-wook Park
Ano: 2003


A maioria da opinião geral é que o cinema oriental não passa de filmes de artes marciais de qualidade duvidosa, limitados a uma fiél falange de admiradores. Os factos é que Oldboy é um filme oriental, não é de artes marciais e de qualidade duvidosa, não tem absolutamente nada.
Realizado pelo promissor coreano Chan-wook Park, o qual promete ser um nome a decorar num futuro próximo, Oldboy foi o vencedor do prémio Grand Prix na última edição de Cannes. E depois de assistir a este filme, apenas uma das duas possibilidades é possível: ou Fahrenheit 9/11 é uma soberba peça de cinema; ou então, a decisão de Tarantino e o restante juri não foi mais que uma decisão política.

Oh Dae-su (Min-sik Choi) é um vulgar cidadão que certa noite é atirado para um minúsculo apartamento, de porta trancada e com uma fotografia de uma paisagem a subsituir a janela. E durante quinze anos (!) a sua única companhia vai ser a televisão.
Sem saber quem e o porquê do seu cárcere naquela prisão improvisada, Oh Dae-Su tem tempo para enlouquecer, amadurecer e fortalecer, enraizando nas veias todo o conceito da palavra vingança.

Na história recente do cinema, quando falamos de vingança, falamos de Kill Bill - uma e outra coisa são a mesma, confundem--se. Oldboy também é um filme de acção, sobre vingança; e é sem dúvida, um filme que Tarantino gostaria de ter realizado. Mas enquanto que Kill Bill obedece ao pranto de "a vingança é um prato que se serve frio", Oldboy reza mais, não tanto pelo "a vingança é melhor servida a quente e acompanhada com um martelo de orelhas" como escreveu um colega, mas principalmente pela passagem bíblica de "olho por olho, dente por dente".
Porque Oldboy é isso mesmo! Apesar de os adjectivos de cruzarem, há uma enorme discrepância no significado das palavras. Porque se Kill Bill é um jornada épica, Oldboy é uma jornada bíblica.

Mas não se pense que obedece aos parâmetros tradicionais, com jactos de sangue e muitas mortes. Antes pelo contrário. Chan-wook Park é um dos mais interessantes realizadores da actualidade - é sem dúvida o filho que Kubrick teria de Tarantino, se isso fosse possível - e neste Oldboy filmou uma história urbana como só os orientais conseguem fazer, através de inovadores planos de perfil, que nos fazem parecer que estamos a ler a original banda-desenhada manga em que o filme se baseia , e através de maravilhosas cenas, quais fotografias instantâneas de aparência a obra de arte expressionista. É certo que por vezes podem haver fios soltos do enredo; mas quem é que quer saber disso depois de assisitirmos a um homem a socar com as próprias mãos, mais de uma dezena de indivíduos?

Oldboy é uma peça de culto automática. Um filme que constantemente nos atinge, ora na cara, ora no estomâgo, mas que só nos faz voltar a erguer, cada vez mais rápido, na avidez de devorar cada momento. Um filme intenso, fazendo lembrar a sensação de assistir a Irreversível, mas sem dramatismos visuais e sonoros físicos. Aliás, uma das armas de Park, é conjugar as cenas mais violentas com música clássica, tranformando-as assim em poesia, tal como Kubrick em Laranja Mecânica.

É sem dúvida, um filme obrigatório, que mal acaba, pede para ser visto outra vez. E outra vez. E ainda outra vez. E Chan-wook Park vai ser uma referência próxima na sétima arte.
E como não poderia deixar de ser, um Royale With Cheese. E porque não dois?

Posted by: dermot @ 11:21 da tarde
|  




sábado, agosto 28, 2004  

ROGER E EU:

Título: Roger & Me
Realizador: Michael Moore
Ano: 1989


Antes de andar nas bocas do mundo, Michael Moore estreara-se no grande ecrã com o seu primeiro documentário, formato no qual se especializou. Com efeito, Roger E Eu, apesar de datado com uma década de diferença da sua obra-prima, Bowling For Columbine, apresenta já todas as características que se tornaram a sua imagem de marca.

Roger E Eu é um documentário sobre a cidade americana de Flint. Berço da multinacional General Motors, Flint cresceu e desenvolveu-se à volta da fábrica e do seu crescimento próspero. No entanto, quando na década de 80, Roger Smith - o patrão da GM - decidiu fechar onze das suas fábricas (sendo a de Flint uma delas), para as reabrir no México onde a mão-de-obra era mais barata, 30 000 pessoas foram colocadas no desemprego, nunca mais recuperando a cidade de tamanha depressão, sendo hoje quase uma cidade fantasma.
Moore, natural de Flint, sentiu-se injustiçado com a atitude de Roger Smith e partiu numa perseguição ao magnata, na tentativa de o trazer até à cidade.

Michael Moore não odeia a América, como alguns apregoam. Talvez o seu problema seja mesmo ser demasiado patriótico, o que o faz apontar o dedo às injustiças, não se limitando a colocar o dedo na ferias, mas pressionando-o com força.
Roger E Eu é em tudo semelhante ao carácter geral dos recentes Bowling For Columbine e Fahrenheit 9/11: agradável de se assisitir, divertido e interessante. Desta vez o tema não era algo tão grandioso como a campanha contra as armas na América ou, principalmente, como a campanha anti-Bush, o que tornou complicado realizar o documentário com registo de longa-metragem. No entanto, Moore resolveu a situação da melhor maneira, preenchendo os vazios com imagens de arquivo (com as quais já se especializou em manipular) e com oportunas histórias paralelas, de miséria e más decisões - Moore aponta o dedo aos caçadores por diversão e faz uma abordagem ao "consumo" de armas no país, por exmeplo.

É certo que Moore não é um documentarista isento; manipula factos e entrevistas. No entanto, o seu descaramento e a sua tentativa de expor sempre os aspectos mais ridículos de personalidades públicas, transformam-se em pérolas, enquanto que a sua imparcialidade ajuda a transformar o seu ponto de vista no mais correcto; ou pelo menos, no mais humanitário.

Michael Moore é um homem do povo e de causas humanas, o que lhe granjeia uma admiração imediata. É certo que não é o mais correcto documentarista, mas é um soberbo opinador. Roger E Eu não é a sua melhor obra documental, mas é um exclente aperitivo antes de Fahrenheit 9/11. E onde está escrito aperitivo deve-se ler McBacon.

Posted by: dermot @ 7:04 da tarde
|  




quarta-feira, agosto 25, 2004  

SWIMMING POOL:

Título: Swimming Pool
Realizador: François Ozon
Ano: 2003


Depois de ter realizado em 8 Mulheres um clássico filme policial, dentro dos parâmetros criminais regulares, mas de uma forma original, colorida e musical, François Ozon volta a pegar na temática criminal, desta vez recorrendo ainda mais às premissas de uma Agatha Christie, mas jogando-as de forma recambulesca, dando azo a toda a sua imaginação. Quase como se Miss Marple fosse a escolhida para resolver o mistério de Twin Peaks.

De facto, a influência de David Lynch é notória neste Swimming Pool. Apesar de ser menos visível, Ozon é no entanto mais alternativo e menos perspicaz que Lynch, na construção da sua trama, fundindo realidade e sonho, tapando todas as pistas que revelam o caminho seguido.

Sarah Morton (Charlotte Rampling) é uma escritora inglesa, criadora de uma série de policiais de grande sucesso, à semelhamça de Agatha Christie. Enfrentando uma crise existencial de meia-idade, Sarah Morton decide seguir o conselho do seu editor, John Bosload (Charles Dance), e vai passar umas férias à casa deste, numa vila em França.
O retiro espiritual parece resultar para Sarah Morton, que no entanto vê a tranquilidade quebrada, com a chegada da filha de Bosload, Julie (Ludivine Sagnier). Ambas vão embarcar numa relação de amor/ódio, uma cumplicidade suspeita, que poderá significar mais que isso.

De facto, a relação de ambas é o ponto fulcral do filme, mas que nunca vemos resolvida de forma explícita. Swimming Pool é uma enorme metamorfose, uma simbiose existencial de uma mulher de meia-idade, que tem na jovem Julie, o seu ponto de equilíbrio da mulher que nunca foi, assente na rebeldia, imoralidade e liberdade. Esta simbiose entre o conservadorismo e o liberalismo, a rebeldia da juventude em contraste com o integralismo da meia-idade, é a justificação para o desenrolar do filme. E toda esta simbiose tem o epicentro no ponto central que é a piscina, símbolo da fusão deste dois mundos, enquanto local infinito, mas limitador de águas revoltas.

Ozon permite-se filmar sentimentos profundos com cenas simples, sendo Swimming Pool um filme fabuloso na área da fotografia. De facto, os simples planos, curtos e fixos, da piscina, dos reflexos e dos espelhos, são deliciosos e um dos pontos fortes do filme; isto ao contrário da banda-sonora, que por vezes (demais até) escorrega na humidade, aparecendo de forma despropositada. Ozon é ainda exímio em filmar a sensualidade e a eroticidade de Sagnier; apesar de Ozon exagerar por vezes, Sagnier brilha como um diamante em bruto, nas cenas de nudez.

Swimming Pool é um filme complicado de descrever. É um filme de simbioses e de metamorfoses. A metamorfose de Charlotte Rampling, ultrapassando a meia-idade (a modos de Kevin Spacey em Beleza Americana) e a sua simbiose com Ludivine Sagnier. Uma simbiose mascarada de crime, homicídio, suspense e mistério - e uma sequência fantástica, que faz lembrar sem dúvida David Lynch, com morte, alucinação e personagens estranhas.

No entanto, a minha simbiose com o filme nunca foi perfeita. Porque se em Lynch, os seus puzzles mesmo que não os consigamos resolver, acabam por ser agradáveis jornadas de introspecção, neste Swimming Pool, o puzzle quando não resolvido, afigura-se apenas e isso mesmo - um puzzle! Talvez por isso, tenha ficado pelo McChicken.

Posted by: dermot @ 6:39 da tarde
|  


 

CURIOSIDADES:

O grande trunfo de Shrek 2 é o constante rol de simbolismo a clássicos do cinema que o filme utiliza nas mais variadas situações de comédia. Ficam aqui alguns dos exemplos:

- O gigantesco Homem De Gengibre que acompanha Shrek no assalto ao castelo do reino Bué Bué Longe é uma referência ao Stay-Puft Marshmallow Man, de Caça Fantasmas.
- O nome do gigante é Mongo, uma referência directa a Balbúrdia No Oeste, em que o gigante tem o mesmo nome.
- As últimas palavras de Mongo são "Be Good", referência a E.T. - O Extraterrestre.
- A personagem de Antonio Banderas, o Gato Das Botas, é quase como uma referência à personagem do mesmo Banderas em A Máscara De Zorro.
- No início, durante a sequência da lua-de-mel, a cena em que Fiona limpa a lama da cara de Shrek, que está pendurado de cabeça para baixo, antes de o beijar, é uma alusão a Homem-Aranha.
- Durante a mesma sequência, assistimos a uma cena em que a aliança voa pelos ares antes de se enfiar no dedo de Fiona, podendo-se ler um dístico no anel. Paródia clara a Senhor Dos Anéis - A Irmandade Do Anel.
- Ainda nesta sequência, a romântica cena do beijo na praia entre Shrek e Fiona, é uma referência a A Um Passo Da Eternidade.
- Durante a batalha entre o Gato das Botas e Shrek, quando o primeiro irrompe pela camisola do segundo, é uma referência directa a Alien.
- Durante a cena do jantar entre o Burro, Shrek, Fiona e os pais desta, o rei diz as seguintes palavras "Not that there's anything wrong with that" - sem dúvida, alusão à série televisiva, Seinfeld.
- Ainda nesta cena, quando os personagens embarcam num caótico diálogo que culmina com a troca de nomes uns dos outros, com o Burro a repetir o seu próprio nome, é uma alusão a The Rocky Horror Picture Show.
- O gesto do Gato das Botas ao retirar o chapéu segundos antes da porta se fechar atrás de si, não é mais que uma alusão a Indiana Jones E O Templo Maldito.
- O mesmo Gato Das Botas diz a certa altura que vai ao Kit-Kat Klub, o mesmo clube que Cabaret
- Uma das mais claras alusões, é quando Pinóquio embarca na jornada de salvação de Shrek, Gato das Botas e o Burro - Missão Impossível.
- A grande cena final em que o Burro e o Gato das Botas cantam, este último tem uma cena em que se senta e puxa um cordel, que despeja um balde de água sobre si. O mesmo acontece em Flashdance.
- No culminar da história de amor, o Gato das Botas exclama "They'll never make me cry!", uma citação de Jane Fonda em Cat Ballou.
- Menos directa é a citação de Shrek, ao dizer "We are definitely not at the swamp anymore", à semelhança da citação de Dorothy "Toto, I've a feeling we're not in Kansas anymore", em O Feiticeiro De Oz.
- Quando a Fada Madrinha mostra todos os seus dotes vocais, o seu vestido não é mais que uma cópia da provocadora fatiota de Jessica Rabbit, em Quem Tramou Roger Rabbit?.
- Essa mesma cena é uma referência a Os Fabulosos Irmãos Baker.
- Também menos directa é a referência a Matrix Reloaded, quando Shrek é libertado das correntes na prisão e cai no chão na mesma posição de Neo, após o seu primeiro "voo".
- Por fim, quando Shrek grita o nome de Fiona, preso na torre do castelo, ao vê-la com o Príncipe Encantado, é uma referência a A Primeira Noite De Um Homem.

Posted by: dermot @ 12:02 da manhã
|  




terça-feira, agosto 24, 2004  

SHREK 2:

Título: Shrek 2
Realizador: Andrew Adamson, Kelly Asbury
Ano: 2004


Depois do sucesso estrondoso de Shrek, a Dreamworks viu-se na obrigação de partir para uma sequela e quiçá, para uma triologia, de uma das já mais famosas personagens do grande ecrã, na área da animação. Com efeito, Shrek culminou o grande sucesso da animação computurizada, em detrimento da animação tradicional, popularizada durante décadas pela Disney. Shrek foi assim como que o ponto de charneira na animação cinematográfica.

As expectativas eram grandes para este segundo episódio e não foram defraudadas. É certo que as continuações, principalmente quando o seu antecessor é um filme com o sucesso que teve Shrek, sofrem sempre do síndrome de sequela, mas os realizadores tiveram noção da importância do ogre verde e não vacilaram, construindo assim um estável segundo episódio - Shrek 2.

Assim, Shrek 2, depois da história de amor sob os contornos de fábula de Shrek ter terminado com o habitual "e foram felizes para sempre", seguiu a mesma fórmula rumo ao sucesso: amadureceu, procurando caminhos fora da tradição animada, tentando transformar as personagens num conteúdo mais adulto, em que Shrek vai conhecer os sogros, os reis do reino Bué Bué Longe. No entanto, nunca despe as roupas de fábula, mascarada de história de amor, como a tradição impera. E Shrek 2 tranforma-se assim num divertido filme de família, capaz de agradar a miúdos e graúdos.
É certo que lhe faltam os gags memoráveis que fizeram os pontos altos de Shrek; no entanto, as sequências divertidas não deixam de existir. Mas o grande trunfo deste segundo episódio não são os gags, mas sim os inúmeros simbolismos, fazendo referência a uma panóplia enorme e variada de clássicos de Hollywwod, que vão desde Alien até a O Senhor Dos Anéis, passando até pelo The Rocky Horror Picture Show. Isto para não falar da adaptação de enormes pontos de referência como o Starbucks, ou na tranformação do reino Bué Bué Longe numa enorme Bevery Hills, versão sonho americano realizado.
Mike Myers, Cameron Diaz, Julie Andrews, Eddie Murphy e Antonio Banderas estão soberbos nas interpretações vocais (com destaque para a nova personagem deste último, o Gato Das Botas, que promete fazer as delícias do próximo episódio) e Shrek 2 tem ainda a vantagem sobre o seu antecessor de ter uma melhor banda-sonora - os Counting Crows soam melhor e mais apropriados que o cover dos Smashmouth.

Shrek 2 não perdeu a graça; manteve-se fiél, construiu uma divertida história, sempre segundo a mesma fórmula. Não deslumbra como o primeiro (que teve a vantagem de ter o efeito-surpresa), mas consagra a animação computorizada como o futuro da animação no cinema. E Shrek ganha assim o seu lugar de destaque entre as figuras clássicas da animação na sétima arte.

Shrek 2 tem a sua primeira vitória ao não sucumbir perante o síndorme de sequela. Depois tem a sua segunda vitória ao não desiludir. Mas também não deslumbra. Mas é um filme extremamente agradável, uma bela hora e meia de diversão para toda a família, que faz esperar pelo terceiro com boas expectativas.
Um justo McRoyal Deluxe para o ogre verde mais famoso dos últimos tempos.

Posted by: dermot @ 2:23 da tarde
|  




segunda-feira, agosto 23, 2004  

CAFÉ E CIGARROS:

Título: Coffe And Cigarettes
Realizador: Jim Jarmusch
Ano: 2003


À partida, o conceito deste Café E Cigarros agradava-me bastante: várias pequenas histórias, acerca das mais rebuscadas e variadas conversas de café, entre duas pessoas, enquanto bebiam café e fumavam cigarros. Tenho que confessar que era uma ideia que me assaltava há já algum tempo e que me parecia uma bela ideia. E parecia o mesmo ao Jim Jarmusch. Por isso fui para a sala de cinema com o Royale With Cheese na mão. Um erro enorme!

De facto, o conceito do filme é esse mesmo. Dois interlocutores, sentados à mesa de um café qualquer, conversando sobre tudo e sobre nada, tendo como denominador comum o café e os cigarros. Jarmusch, para contornar este conceito que funcionaria muito melhor em livro, dado o seu carácter niilista, convidou todos os seus amigos para interpretarem as mini-histórias, preenchendo assim um elenco de luxo, com fabulosos actores, desde Bill Murray até Steve Buscemi, e fabulosos músicos, como os White Stripes ou Iggy Pop.
Jarmusch, como seria de esperar, virou então a sua atenção para os diálogos, apostando tudo neste exercício niilosta, filmando o filme a preto e branco, em isoladas mesas de café. No entanto, foi aqui que tudo se desmoronou.

Com efeito, desenrolam-se as mais variadas histórias, independentemente uma das outras, apenas com um denominador comum de conversa - o café e os cigarros - fazendo lembrar a experiência conjunta de Quatro Quartos. No entanto, para quem estava à espera de sequências de diálogos à maneira de Tarantino, desengane-se. É que todas as histórias são pequenos fragmentos de conversas sobre nada, em que nada se diz. Se era uma tentativa de ser engraçado, Jarmusch falhou completamente; se era um tentativa de retratar o quotidiano do café nas horas vagas, então Jarmusch deve repensar a vida que leva; se era a tentativa de vermos celebridades famosas a falar acerca dos mais rotineiros assuntos, então espero nunca vir a ser famoso; e se era a tentativa de falar sobre nada, falando sobre tudo, então o realizador conseguiu da pior maneira.
É que em mais de uma dezena de minúsculos diálogos, apenas uma - aquela em que Steve Coogan e Alfred Molina conversam - é que tem minimamente algum interesse. E mesmo assim, esticam ao máximo a piada com que jogam. Depois há um interessante exercício de representação de Cate Blanchett, conversando consigo própria, mas nada mais que isso. Um Bill Murray que dá um ar da sua graça, numa história sem graça nenhuma. E uma discussão entre Iggy Pop e Tom Waits que se torna minimamente interessante devido à carreira musical de ambos.

Café E Cigarros era uma ideia agradável, extremamente convidativa, que Jim Jarmusch acabou por destruir. Como alguém descreveu, o filme faz lembrar o sonho que todos nós temos de fazer uns riscos numa folha em branco, expo-la num museu de arte contemporânea e receber milhões a troco daquilo; ou seja, Jarmusch juntou todos os seus amigos, fê-los dizerem algo para a câmara e ganhou milhões com aquilo. O caso não é assim tão extremo; mas chegando ao fim, a primeira conclusão que tiramos é que, de facto, Jarmusch tens uns amigos muito interessantes. E só depois, após longo exercício mental, é que começamos por descobrir alguns (poucos) pontos minimamentes interessantes do filme.

E o Royale With Cheese que levei para o cinema, foi directamente para o balde do lixo, sem uma única dentada. E foi substituído por um lamentável Cheeseburguer.

Posted by: dermot @ 10:10 da manhã
|  




domingo, agosto 15, 2004  

PESADELO EM ELM STREET:

Título: A Nightmare On Elm Street
Realizador: Wes Craven
Ano: 1984


Wes Craven foi o grande responsável pela criação dos teen slasher movies. De facto, o realizador foi o criador de uma fórmula de sucesso, que posteriormente foi copiada até à exaustão, quer por outros realizador, com títulos como Sei O Que Fizeste O Verão Passado e Terror No Dia De São Valentim, ou por si próprio, com a sua triologia, Gritos.

Wes Craven reinventou os filmes de terror para as últimas décadas do século passado, apostando tudo no impacto visual, com autênticos banhos de sangue, e nos constantes e inesperados ataques-surpresa, em detrimento de uma boa história. E estranhamente, resultou.
Sucintamente, a fórmula consiste em pegar num grupo de adolescentes, com todos os problemas que a adolescência norte-americana contemporânea comporta, eleger um assassino em série, demente e psicótico, e dar-lhe um motivo, por mais pequeno que seja, para exterminar o grupo de jovens, um a um, das mais variadas e bizarras formas, à boa maneira de Massacre No Texas.

A criação assassina de Wes Craven em pesadelo, foi o já lendário Fred Krueger (Robert Englund), o demente assassino, que à semelhança de Jason Voorhees, vai perseguir os jovens Nancy (Heather Langenkamp), Tina (Amanda Wyss), Rod (Jsu Garcia) e Glen (Johnny Depp), durante os seus sonhos, como vingança pela sua morte às mãos dos pais dos jovens.

Heather Langenkamp é a figura central do filme, que apesar das tentativas de ser um argumento maduro, é pulvilhado por diálogos surreais e péssimos momentos. Além disso, Heather Langenkamp consegue mostrar logo nos primeiros minutos porque é que a sua carreira nunca teve mais nenhum degrau significativo. Pior, só Ronee Blakley, no papel da sua mãe, cuja sua representação é sinónimo do que um pé-de-cabra faz.
Pelo meio deste elenco, surgem dois nomes: o de John Saxon e o do jovem Johnny Depp, que fazia a sua estreia no cinema e que hoje é uma já emergente lenda do cinema.

Por entre todas as falhas argumentativas e as incoerências cénicas, destaca-se no entanto a imaginação retorcida de Wes Craven. Com efeito, os sonhos ao longo do filme são verdadeiras peças de surrealismo, aterradoras, misteriosas e imaginativas. No entanto, com o passar do tempo, também a imaginação de Craven vai perdendo fulgor, tal como a tentativa de apostar na claustrofobia, que é sempre cheia de falhas. Tal acontece também com as cenas das mortes; enquanto que a primeira é um terrífico momento de terror explícito, as seguintes começam a perder vigor, culminando com a cena da morte de Depp, que se torna até ridícula, só tendo comparação com uma matança do porco.
Freddy Krueger é um assassino onírico aterrador, que tem estilo, mas não tem o charme de Jason Voorhees. Por isso, a sequência final, em que Craven parece misturar um mau episódio de Sexta-Feira 13 com Sozinho Em Casa, acaba por tornar-se um suplício, mas em compensação, divertida.

Pesadelo Em Elm Street é um fraquinho Happy Meal. No entanto, há que dar mérito a Wes Craven por ter sido o criador dos teen slasher movies e principalmente, o criador da personagem de Freddy Krueger. Há ainda que saber lhe dar o devido reconhecimento por ter salvo e transformado no que é hoje a New Line Cinema e sobretudo, por ter dado a oportunidade de debutar a uma estrela, de seu nome Johnny Depp. Por tudo isto e ainda pelos (muito) poucos, mas óptimos momentos oníricos e de terror visual, o Happy Meal acaba por se transformar num positivo Double Cheeseburger.

Posted by: dermot @ 12:08 da tarde
|  




quinta-feira, agosto 12, 2004  

A MÚMIA:

Título: The Mummy
Realizador: Karl Freund
Ano: 1932


A Universal prestou-se desde o início a especializar-e como uma autêntica fábrica de horrores. Revisitando monstros clássicos como Drácula ou Frankenstein, rapidamente desenvolveu o culto pelos filmes de monstros.
Paralelamente, nascia outro confronto, mais particular, entre os actores Bela Lugosi e Boris Karloff. Enquanto o primeiro se destacava pelo seu charme, pelo estilo, pela agilidade e pelo famoso contorcer de mãos do seu Drácula, o segundo marcava pontos pelo seu carácter forte, o seu rosto vincado e o seu quase inumanismo de Frankenstein.
Por isso, não foi de estranhar que tenha sido Karloff o escolhido para encarnar A Múmia, no papel de Imhotep.

Aproveitando o recente auge de popularidade do antigo Egipto e a curiosidade que a descoberta do túmulo de Tutankhamon tinha levantado, a Universal decidiu adoptar para a figura de uma múmia, o argumento do seu próximo filme.
Assim, Boris Karloff é Imhotep, um arquitecto do antigo Egipto que é mumificado vivo, acusado de sacrilégio, depois de tentar trazer de volta ao mundo dos vivos, a sua amada, a princesa Anckesen-Amon (Zita Johann). Quando a sua múmia é desenterrada por uma expedição inglesa e o seu corpo trazido à vida acidentalmente, pelo lendário manuscrito de Osiris, Imhotep vai tentar fazer o mesmo com a alma da sua amada, encerrada no corpo mortal de Helen Grosvenor.

A Múmia foi um inovador filme de monstros, porque apostou como motivação, um amor secular proibido. Ou seja, foi como pegar no amor proibido de Romeu E Julieta, adapta-lo à intemporalidade de Os Visitantes Da Idade Média e transforma-lo no clássico caso de amor de A Bela E O Monstro.
Karloff parece ter nascido para o papel. O seu rosto vincado e a sua personalidade fria, aliado a uma representação quase estática e a uma das melhores caraccterizações da história de Hollywood, asseguram-lhe um lugar na galeria do fantástico. E depois a acompanha-lo está a bela Zita Johann, o complemento amoroso da história. No entanto, não tanto como um adereço sensual, como em O Monstro Da Lagoa Negra, mas mais na onda de Fay Wray em King Kong; ou seja, o seu papel não se resume à presença física. No entanto, a sua especialização em teatro, traduz-se por vezes num overacting desnecessário.

Como pontos negativos, A Múmia é um desastre em certos momentos de edição, com cortes de continuidade de cenas e em algumas colagens posteriores. Negativo é também o uso (ou melhor, o "não uso") da banda-sonora: o resultado são longos momentos de silêncio contrangedor.
No entanto, o balanço final é extremamente positivo. A mistura do romance e do filme de monstros resulta plenamente, o argumento é maduro e dos mais coerentes do género, os cenários são dos mais realistas historicamente e Boris Karloff justifica completamente o cognome de, O Sinistro.
Um McRoyal Deluxe para saborear e ainda comer sobremesa.

Posted by: dermot @ 12:56 da tarde
|  




terça-feira, agosto 10, 2004  

TOP 5:

Há batalhas que ficam para sempre vincadas na memória dos cinéfilos, quer seja pelos efeitos espectaculares, pela destreza no manusear das mais variadas armas ou pela habilidade de movimentos. O que é certo é que as lutas corpo a corpo, onde vale tudo para levar a melhot, acabam por ser sempre épicas e verdadeiramente memoráveis. Por isso, hoje, aqui fica o TOP 5 DAS MELHORES BATALHAS CORPO A CORPO:

5º Lugar - Wung Fei-Hung vs John - Jackie Chan tem aqui toda a sua habilidade e destreza corporal elevada ao expoente máximo numa técnica marcial muito própria; The Legend Of The Drunken Master 2, 1994
4º Lugar - Ash vs Própria Mão - porque os filmes de acção também podem ser divertidos; A Morte Chega De Madrugada, 1987
3º Lugar - La Motta vs Robinson - Rocky Balboa imortalizou o boxe no cinema. Mas DeNiro fe-lo melhor!; Toiro Enraivecido, 1980
2º Lugar - Nada vs Frank - a verdadeira batalha de rua (9 minutos inetrruptos, onde vale tudo, até arrancar ohos); Eles Vivem, 1988
1º Lugar - Billy Lo vs Hakim - o verdadeiro desafio entre David e Golias (e o inesquecível fato amarelo!); Jogo Da Morte, 1978

Posted by: dermot @ 3:04 da tarde
|  




domingo, agosto 08, 2004  

O MONSTRO DA LAGOA NEGRA:

Título: Creature From The Black Lagoon
Realizador: Jack Arnold
Ano: 1954


A meio da década passada, a Universal apostou nos filmes de monstros, que teve o seu auge nos anos seguintes. Apesar do grande número de filmes do género, a grande maioria era de qualidade duvidosa, o que não impediu que uma grande fatia deles se tornassem em filmes de culto.
O Monstro Da Lagoa Negra foi a primeira grande pérola da Universal. Filmado em 3D, uma técnica inovadora na altura, foi o primeiro filme subaquático filmado sob esse formato e rapidamente bateu redordes de bilheteira, tornando-se num clássico intemporal, ainda hoje bastante agradável.

O que é certo é que O Monstro Da Lagoa Negra foi a génese para todos os seus seguidores no campo dos filmes de monstros. Sem a denomindada Criatura, decerto que hoje não assistiríamos a certos Alien ou a um certo Predador, apenas para citar duas personagens actualmente em voga.

Carl Maia (Antonio Moreno) é um arqueólogo que descobre nas margens do rio Amazonas, um estranho fóssil de um estranha criatura marinha. Depois de levar a peça a estudo por parte de especialistas, é organizada uma expedição para resgatar o resto do esqueleto perdido. Partem assim dois especialistas, David Reed (Richard Carlson) e Mark Williams (Richard Denning), acompanhados pela bela Kay (Julie Adams).
A expedição vai acabar por fixar-se na Lagoa Negra, um local assombrado pelas lendas de estranhas criaturas, que se vão provar ter alguma ponta verídica. Com efeito, o local não é mais que o habitat natural de um estranha criatura anfíbia, um elo perdido entre as criaturas marítimas e terrestres.

Jack Arnold realizou esta primeira experiência com uma estranha criatura e conseguiu nunca cair na tentação do exagero e das tarefas megalómanas, como por exemplo, as outras duas sequelas de qualidade duvidosa - A Vingança Da Criatura e A Criatura Anda Entre Nós.
O Monstro Da Lagoa Negra é um filme extremamente realista, onde as poucas falhas identificadas são facilmente justificadas pela ingenuidade da época. Jack Arnold soube tirar partido da magnífica caracterização do montro, que é um dos mais realistas exemplares da altura, magnificamente encarnado por um exímio mergulhador. A fotografia é maravilhosa, o que transoforma O Monstro Da Lagoa Negra em um dos mais belos filmes subaquáticos - o que dizer da cena em que a criatura se apaixona pela forma elegante de Julie Adams (envergando um arrojado e sensual fato-de-banho branco), em que ambos nadam numa cumplicidade íntima, no cenário cristalino das águas brasileiras do rio Amazonas. A cena inicial de Tubarão é quase plágio autêntico a esta sequência.
Com efeito, Tubarão é talvez um dos melhores exemplos da influência de O Monstro Da Lagoa Negra no cinema posterior do género; tal como no filme de Spielberg, também aqui Jack Arnold aposta na banda-sonora, não só para abrilhantar as magníficas sequências subaquáticas silenciosas, mas principalmente para introduzir a figura da criatura com o fabuloso tema dedicado ao monstro, que toca sempre ele aparece, à semelhança do que acontecia com o tubarão - um dos temas clássicos do cinema de suspense.

O Monstro Da Lagoa Negra é mais uma das pérolas da ficção-científica, mais propriamente dos filmes de monstros. Uma pérola de culto, intemporalmente admirada e repetidamente imitada. Uma influência quase inconsciente do cinema contemporâneo que adivinha um remake para um futuro não muito distante.
É sem dúvida um dos mais belos filmes filmados debaixo de água, com uma fotografia maravilhosa.
UM McBacon, para desfrutar cada pedaço e ainda pedir sobremesa.

Posted by: dermot @ 1:59 da tarde
|  




sexta-feira, agosto 06, 2004  

O DIA EM QUE A TERRA PAROU:

Título: The Day That Earth Stood Still
Realizador: Robert Wise
Ano: 1951


Na década de 50, o cinema assumia-se como uma arte inovadora, um autêntico fabricante de sonhos, que arrastava multidões, ansiosas de saciar os seus mais antigos sonhos, desde o de navegar junto ao mais terrível pirata, até ao de resistir ferozmente a um ataque de outro planeta.
Com o passar dos anos, o cinema evoluiu e as técnicas cada vez mais avançadas, tornaram esses sonhos cada vez mais reais e menos distantes. O que o cinema ganhou em realismo com este progresso, perdeu no efeito surpresa e no efeito de choque.
Por isso, há meio século atrás, a ficação-científica era um popular desafio cinematográfico e em 1951 foi estreado O Dia Em Que A Terra Parou, um dos maiores filmes de sempre na área. Com efeito, O Dia Em Que A Terra Parou teve todos aqueles pózinhos mágicos destinados aos predestinados, capaz de resistir ao tempo, tornando-se num filme de culto, que ao lado de outro clássico da ficção científica, Metropolis, veio a influenciar dezenas e dezenas de outros filmes, desde Marte Ataca! até Relatório Minoritário.

O Dia Em Que A Terra Parou é um filme acerca de uma anunciada invasão alienígena. Uma visita não hostil, que serviria de aviso, mas que se tal não fosse escutado, iria desencadear na obliteração total do planeta - um pouco à semelhança da natureza da invasão de Plan 9 From Outer Space. Robert Wise aposta nesta fórmula muito usada, mas foi talvez quem a soube usar melhor, manipulando o frágil e moldável espírito humano, para anunciar um inevitáve armagedão, sem nunca embarcar em tarefas megalómanas.
Tal como Carpenter em Eles Vivem, este O Dia Em Que A Terra Parou é uma crónica anunciada da futura destruição da Terra por parte da acção inconsciente humana, trazida ao de cima por uma entidade alienígena, visto ser uma atitude mais mediática.

Com efeito, Klaatu (Michael Rennie) é um ser de outro planeta que chega à Terra, acompanhado pelo impiedoso robot metálico Gort, com uma mensagem para o povo terráqueo. Klaatu, qual arauto da destruição, trazia o aviso ao povo da Terra que parassem com a conquista espacial e o uso inadvertido de energia atómica e outros afins, de forma a impedir a destruição de outros mundos. Se o povo terrestre insistisse em não dar ouvidos a tal conselho, Gort encarregaria-se de aniquilar toda a vida do planeta.
O que Klaatu não poderia entender era a especifidade do espírito humano, que desde o primeiro minuto o vão perseguir, fazendo-o mergulhar numa jornada exploratória.

O Dia Em Que A Terra Parou é um filme fantástico. Além de ter dois actores em excelente forma (Michael Rennie e Helen Benson), Wise realizou uma história verdadeiramente notável, acerca da natureza humana e de todos os nossos defeitos e virtudes, conscientes e inconscientes.
É ainda um exemplo na área da ficção-científica, com efeitos-especiais fabulosos - Gort ganhou o seu espaço no lugar cimeiro do pódio dedicado às grandes criações artificiais cinematigráficas, tal como a frase "Klaatu barada nikto", citada vezes sem conta pelos fanáticos e usada, por exemplo, em filmes como Exército Das Trevas.

Como aspecto negativo, apenas um a apontar. No entanto, é um aspecto mais opinativo - é o facto de Kaatlum e Gork assumirem um carácter superior em demasia. Um ser alienígena tão superior, que até detinha o conhecimento da vida e da morte (ainda que limitado). Faz lembrar o Super-Homem, quando voa em direcção oposta ao sentido de translação da Terra, recuando no tempo. Super demais até para um Super-Homem!.

O Dia Em Que A Terra Parou é um clássico do cinema. Não só da ficação-científica, mas para todos os cinéfilos. Um McRoyal Deluxe, que por vezes sabe a um Le Big Mac. E por vezes, um Le Big Mac que sabe a um McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 3:23 da tarde
|  




quarta-feira, agosto 04, 2004  

ELES VIVEM:

Título: They Live
Realizador: John Carpenter
Ano: 1988


John Carpenter é um realizador experiente no campo do fantástico, que arrasta atrás de si uma grande falange de admiradores, que tornam alguns dos seus filmes em peças de culto. É um especialista na ficção científica e no derramamento de sangue. Eles Vivem é uma das suas obras que obedece a todos estes parâmetros.
Contando com o lutador de luta-livre, Roddy Piper, no papel principal, Carpenter realizou um dos seus filmes de maior sucesso no final da década de 80, com um orçamento baixo, o que transformava os seus filmes em pequenas pérolas com ar de cinema de segunda categoria.

Roddy Piper é assim um produto do american way of life, profundo credor do sonho americano, acabado de chegar a Nova Iorque, terra das promessas, há espera da sua vez de vingar na vida.
O destino vai fazer ir parar-lhe às mãos uns óculos escuros muito especiais - com eles, podiam-se detectar e identificar os alienígenas que invadiam o nosso planeta, numa anunciada invasão extraterrestre.
Roddy Piper vai então encarregar-se do extermínio dessa raça do outro espaço. É matar para não ser morto!

Carpenter realiza assim um banho de sangue (em que é especialista), assente nos alicerces do clássico filme de extraterrestres. Uma invasão alienígena, decidida a dominar o povo terráqueo através da submissão e das palavras subliminares, à boa maneira do utópico 1984. Roddy Piper, apesar de não ser um exímio actor, consegue-se safar razoavelmente no principal papel, ao contrário de alguns colegas de profissão que tentam enverdar pelo mesmo caminho, como o caso de Hulk Hogan ou The Rock.
Eles Vivem é um retrato da América degradada, dos subúrbios citadinos e dos ghetos urbanos e nisto, Roddy Piper é exímio. E a banda-sonora não podia ser mais perfeita, ao som da solitária harmónica, batendo o pé ao ritmo dos blues - haverá algo mais americano?

Os efeitos-especiais não são famosos (os extraterrestres usam mesmo, como intercomunicadores, os detectores que já tínhamos visto em Caça-Fantasmas), mas Carpenter sabe aproveita-los bastante bem: os seres do outro espaço são bizarras, mas credíveis caveiras ambulantes, de olhos e boca deformados, vistos sob o olhar revelador dos óculos escuros especiais. Ambiente este que nos é revelado sob um simples efeito de preto e branco, o que nos trasnporta para um saudoso episódio de Quinta Dimensão.

Claro que Carpenter, fiél a si mesmo, acaba por exagerar em certos pormenores. Mas Eles Vivem é um dos seus melhores trabalhos, nao só a nível argumentativo, como a nível dos conteúdos. Roddy Piper é uma força da natureza brutamontes, mas com sentido de humor apurado e certeiro (à boa maneira de um qualquer John McClane); os banhos de sangue andam sempre no limite entre o exagerado e o razoável; e a famosa cena clássica de nove minutos, de uma verdadeira batalha de rua, entre Piper e Keith David é memorável.

Eles Vivem é um clássico da ficção científica recente, com o toque pessoal de Carpenter, que se traduz num saboroso McRoyal Deluxe. No entanto, há que conhecer o trabalho do realizador, ser um admirador do género e não esperar coerência total destes noventa minutos de filme.

Posted by: dermot @ 6:46 da tarde
|  




terça-feira, agosto 03, 2004  

LADY SNOWBLOOD:

Título: Shurayukihime
Realizador: Toshiya Fujita
Ano: 1973


De todos os filmes que influenciaram Tarantino na realização de Kill Bill, este Lady Snowblood é sem dúvida, a mais directa e importante influência.
Lady Snowblood, filme oriental de artes marciais da década de 70, é um filme que dá total sentido a todas as letras da expressão "a vingança é um prato que ser serve frio".

Com efeito, o filme conta a história de Yuki Kashima (Meiko Kaji), uma criança vinda ao Mundo com o intuito de vingar a violação da mãe e o assassinato do pai e do irmão, por parte de quatro indivíduos de más intenções.
Sujeita a um treino intenso por parte de um reverendo (Kô Nishimura), Yuki transforma-se numa máquina vingadora sedenta pelo sangue dos três homens e da mulher que lançaram a sua família na perdição, que só vai parar quando todos estiverem mortos.

Lady Snowblood é assim um filme sobre vingança. Tal como em Kill Bill, temos uma mulher em busca da honra perdida, numa empresa épica contra os malfeitores que lhe destruíram a vida. No entanto, enquanto que Tarantino serve um prato cheio de vingaça, condimentado com amor e maternidade, aqui, Toshiya Fujita, limita-se a servir apenas uma longa travessa atafulhada de vingança.
Com todos os condimentos dos filmes orientais de artes marciais, também este decorre no Japão feudal, com bastantes artes marciais, ética oriental e muito, muito sangue, à boa maneira gore de um Ichi, The Killer, por exemplo.

Lady Snowblood tem aspectos positivos e negativos. Começamos pelos primeiros. É um filme sobre vingança e como tal, está perfeito. Uma jornada épica de uma mulher nascida com o coração pejado de fúria e vingança contra os que assassinaram a sua família. Toshiya Fujita aposta no contraste do preto e brano, onde de um lado temos o lado sombrio do Japão feudal corrupto e tirano, em oposição à alvura exterior da pureza de Yuki. Este contraste vai traduzir-se em algumas belas imagens e em outras não tão belas. Tal acontece também na realização, em que o carácter inovador de Fujita ganha pontos com algumas cenas memoráveis, mas também tem algumas menos conseguidas.
A empresa épica de Yuki, apesar de subir de intensidade à medida que os inimigos vão sendo eliminados, até à catarse final, acabam por não ter a grandeza de Kill Bill. Isto acontece porque todo o filme é abordado de uma maneira muito natural, ao contrário dos filmes orientais de artes marciais, onde as rebuscadas batalhas, quais bailados, são substituídas pela emoção e pelo sentimentos. No entanto, aparecem momentos magníficos, como a cena da morte de Akemi Negishi.
Quanto à própria Yuki (Meiko Kaji), é impossível não estabelecer comparações com Uma Thurman, a própria Noiva. Meiko Kaji é mais bonita e até canta (Tarantino "roubou" mesmo a canção "Flower Of Carnage" para o seu filme), representa tão bem como Uma (ou melhor), mas perde na arte de lutar; com efeito, é um dos pontos negativos do filme. Meiko Kaji não tem a destreza e a beleza de movimentos que maravilham o olhar que estamos habituados a ver no cinema oriental e que Uma Thurman consegue encarnar minimamente.

Nos aspectos negativos, Lady Snowblood acaba por ter mais do que devia. São inúmeros os buracos argumentativos, alguns mesmo chegam a ser cavernosos. E depois há os clichets a inevitável história de amor, que já estamos cansados de assistir (o que no entanto não impede de se revelar numa óptima cena).

O filme ganha sobretudo no caráter vingativo e na beleza visual de algumas cenas, que trasnformam a vingança, a morte e a violência em poesia, abrilhantada pelos jorros de sangue - de facto, acabamos por simpatizar e por ficar do lado de uma mulher que não é tão melhor moralmente como os assassinos que persegue. No entanto, não é complementada pelo espaço argumentativo como deveria ter sido.
Por isto o McBacon que recebe acaba por ser encarado quase como que generoso - infelizmente. Mas o que não o impede de se tornar um filme obrigatório.

Posted by: dermot @ 11:44 da tarde
|  




segunda-feira, agosto 02, 2004  

SINAIS:

Título: Signs
Realizador: M. Night Shyamalan
Ano: 2002


M. Night Shyamalan é um dos mais interessantes e excitantes realizadores da actualidade, estatuto que ganhou principalmente após a obra-prima O Sexto Sentido.
Especialista no sobrenatural, Shyamalan é ainda exímio a tratar a especifidade humana e este Sinais, foi mais um filme que abordou ambas as temáticas.

Mel Gibson é um reverendo retirado da actividade, devido à perca da crença religiosa, depois de acontecimentos passados. Vivendo numa pequena vila em Pennsylvania, com o seu irmão mais novo Merril (Joaquin Phoenix) e os seus dois filhos, Bo (Abigail Breslin) e Morgan (Rory Culkin), a família vê-se a braços com o aparecimento de estranhos sinais feitos nos seus campos de milho. Posteriormente, vêem-se a revelar indícios extraterrestre, orientações geográficas para uma anunciada invasão alienígena.

Apesar de Shyamalan ser um mestre do sobrenatural e apesar deste filme tratar da temática extraterrestre, Sinais não é um filme sobre a ameaça alienígina; é primeiramente, um filme sobre a perene condição humana, sobre a existência de Deus e sobre a não-existência de Deus, sobre a fé e a crença, sobre a sorte e o destino. É uma introspeção intensa pessoal, no exorcismo de fantasmas e no confronto de crenças pessoais em resultado com os desígnios do destino. E Shyamalan traça toda esta história com uma invasão extraterrestre - o armagedão como motivo de toda a redenção pessoal.
É por isso que o final parece deslocado do filme. Bombardeado por inúmeras críticas negativas, o final parece um pouco deslocado ou exagerado dentro do filme; no entanto, isto apenas acontece se o filme for tomado como um filme de ficção científica; o que não o é.

Claro que talvez toda a sequência final não tenha sido o melhor resultado. No entanto, a intenção principal foi conseguida. Shyamalan volta a abordar ambos os temas favoritos, que já tinha tratado nas suas duas anteriores experiências, mas desta vez concentrando-se na condição humana.
No entanto, o realizador indiano está para o paranormal, como Hitchcock está para o suspense; e por isso, Sinais é um filme fabuloso também neste aspecto. Visualmente estimulante e forte psicologicamente, Shyamalan trata de uma invasão e pilhagem alienígena duma maneira deveras natural, fora do artificialismo patriótico de O Dia Da Independência, conjugando um A Guerra Dos Mundos com um Encontros Imediatos Do 3º Grau. O suspense (são notórias as influências de Hitchcock e de filmes como Os Pássaros), o realismo e a a maneira especial do realizador filmar, numa atmosfera rural em tons amarelados dos campos de milho, tornam este Sinais num exclente prosseguimento da carreira do realziador, depois de O Sexto Sentido e O Protegido.
E depois há ainda a magnífica banda-sonora de James Newton Howard (responsável por clássicos como Encontros Imediatos Do 3º Grau e Psycho), que complementa o filme num resultado intenso de terror psicológico.

Sinais é um magnífico filme. É um filme de extraterrestres que não é sobre extraterrestres. Sob esta face do prima, o final que tantas críticas pode suscitar ganha outro sentido - se tomarmos Sinais como um puro filme de ficção científica, então aí tudo seria muito incoerente; se chovesse, por exemplo, não teria havido invasão alienígena. No entanto, não é um bom final, não tem a força que tem o twist de O Sexto Sentido, por exemplo.
Por isso, o filme não chega ao Le Big Mac que devia merecer. E fica-se pelo McRoyal Deluxe.

Posted by: dermot @ 7:07 da tarde
|  





COTAÇÃO:
10 - Royale With Cheese
9 - Le Big Mac
8 - McRoyal Deluxe
7 - McBacon
6 - McChicken
5 - Double Cheeseburger
4 - Cheeseburger
3 - Caixinha de 500 paus (Happy Meal)
2 - Hamburga de Choco
1 - Pão com Manteiga

TAKE:
Take - cinema magazine | take.com.pt


ARE YOU TALKING TO ME:
DUELO AO SOL
CLARENCE HAD A LITTLE LAMB
GONN1000
BITAITES
ANTESTREIA
CINEBLOG
CINEMA NOTEBOOK
CONTRA CAMPO
ZONA NEGRA
O MELHOR BLOG DO UNIVERSO
A CAUSA DAS COISAS
O MEU PIU PIU
AMARCORD
LAURO ANTÓNIO APRESENTA
SARICES ARTÍSTICAS
A RAZÃO TEM SEMPRE CLIENTE
MIL E UM FILMES
AS IMAGENS PRIMEIRO
A DUPLA PERSONALIDADE
TRASH CINEMA TRASH
SUNSET BOULEVARD
CINEMA XUNGA


ARE YOU TALKIN' TO ME?
cinephilus@mail.pt


CRÍTICAS:
- A Armadilha
- A Arte De Pensar Negativamente
- A Árvore Da Vida
- A Balada de Jack And Rose
- A Bela E O Paparazzo
- A Boda
- À Boleia Pela Galáxia
- A Cabana Do Medo
- A Cela
- A Canção De Lisboa
- A Cara Que Mereces
- A Casa Dos 1000 Cadáveres
- A Casa Maldita
- A Cidade Dos Malditos
- A Ciência Dos Sonhos
- A Comunidade
- A Cor Do Dinheiro
- A Costa Dos Murmúrios
- A Criança
- A Dália Negra
- A Dama De Honor
- A Descida
- A Duquesa
- À Dúzia É Mais Barato
- A Encruzilhada
- A Estrada
- A Estranha Em Mim
- A Frieza Da Luz
- A Fúria Do Dragão
- A História De Uma Abelha
- A Honra Da Família
- A Janela (Maryalva Mix)
- A Lagoa Azul
- A Lenda Da Floresta
- A Liga Dos Cavalheiros Extraordinários
- A Lista De Schindler
- A Lojinha Dos Horrores
- A Mais Louca Odisseia No Espaço
- A Maldição Da Flor Dourada
- A Mansão
- A Maravilhosa Aventura De Charlie
- A Marcha Dos Pinguins
- A Máscara
- A Máscara De Cristal
- A Menina Jagoda No Supermercado
- A Minha Bela Lavandaria
- A Minha Vida Sem Mim
- A Morte Do Senhor Lazarescu
- A Mosca
- A Mulher Do Astronauta
- A Mulher Que Viveu Duas Vezes
- A Múmia
- A Noiva Cadáver
- A Noiva Estava De Luto
- A Origem
- A Outra Margem
- A Paixão De Cristo
- A Pele Onde Eu Vivo
- A Pequena Loja Dos Horrores
- A Prairie Home Companion - Bastidores Da Rádio
- A Presa
- À Procura Da Terra Do Nunca
- A Promessa
- À Prova De Morte
- A Rainha
- A Rai­nha Africana
- A Raiz Do Medo
- A Rapariga Santa
- A Rede Social
- A Religiosa Portuguesa
- A Ressaca
- A Residencial Espanhola
- A Sangue Frio
- A Secretária
- A Semente Do Diabo
- A Senhora Da Água
- A Severa
- A Sombra Do Caçador
- A Sombra Do Samurai
- A Tempestade No Meu Coração
- A Tempo E Horas
- A Torre Do Inferno
- A Turma
- A Última Famel
- A Última Tentação De Cristo
- A Valsa Com Bashir
- A Verdadeira História De Jack, O Estripador
- A Viagem De Chihiro
- A Viagem De Iszka
- A Vida De Brian
- A Vida É Um Jogo
- A Vida É Um Milagre
- A Vida Em Directo
- A Vida Secreta Das Palavras
- A Vila
- A Vítima Do Medo
- A Vizinha Do Lado
- A Volta Ao Mundo Em 80 Dias
- Aberto Até De Madrugada
- Abraços Desfeitos
- Acção Total
- Aconteceu No Oeste
- Across The Universe
- Actividade Paranormal
- Acusado
- Adam Renascido
- Admitido
- Adriana
- Aelita
- Ágora
- Água Aos Elefantes
- Air Guitar Nation
- Albert, O Gordo
- Aldeia Da Roupa Branca
- Alice
- Alice In Acidland
- Alice No País Das Maravilhas
- Alien - O Oitavo Passageiro
- Aliens - O Reencontro Final
- Alien - A Desforra
- Alien - O Regresso
- Alien Vs. Predador
- Alien Autopsy
- Alma Em Paz
- Almoço De 15 De Agosto
- Alphaville
- Alta Fidelidade
- Alta Golpada
- Alta Tensão
- Alucinação
- Amália
- Amarcord
- American Movie
- American Splendor
- Amor À Queima-Roupa
- Amor De Verão
- Amor E Corridas
- Amor E Vacas
- Amor Em Las Vegas
- Amor Ou Consequência
- And Soon The Darkness
- Angel-A
- Animal
- Annie Hall
- Anónimo
- Antes Do Anoitecer
- Antes Que O Diabo Saiba Que Morreste
- Anticristo
- Anvil! The True Story of Anvil
- Anytinhig Else - A Vida E Tudo Mais
- Appaloosa
- Apocalypto
- Aquele Querido Mês De Agosto
- Aracnofobia
- Aragami
- Arizona Dream
- Armin
- Arséne Lupin - O Ladrão Sedutor
- As Asas Do Desejo
- As Aventuras De Jack Burton Nas Garras Do Mandarim
- As Aventuras De Tintim - O Segredo Do Licorne
- As Aventuras Do Príncipe Achmed
- As Bandeiras Dos Nossos Pais
- As Bonecas Russas
- As Canções De Amor
- As Crónicas De Narnia - O Leão, A Feiticeira E O Guarda-Roupa
- As Diabólicas
- As Ervas Daninhas
- As Invasões Bárbaras
- As Lágrimas Do Tigre Negro
- As Leis Da Atracção
- As Noites Loucas Do Dr. Jerryll
- As Penas Do Desejo
- As Tartarugas Também Voam
- As Vidas Dos Outros
- Aberto Até De Madrugada
- Assalto À Esquadra 13 (1976)
- Assalto À Esquadra 13 (2005)
- Assalto Ao Santa Maria
- Assassinos Natos
- Ata-me
- Até Ao Inferno
- Até Ao Limite Do Terror
- Atraídos Pelo Crime
- Através Da Noite
- Attack Of The 50 Foot Woman
- Aurora
- Austrália
- Autocarro 174
- Avatar
- Aviva, Meu Amor
- Aztec Rex
- Azul Metálico

- Babel
- Backbeat, Geração Inquieta
- Balas E Bolinhos - O Regresso
- Balbúrdia No Oeste
- Bando À Parte
- Baraka
- Barbarella
- Barreira Invisí­vel
- Batman
- Batman Regressa
- Batman - O Início
- Be Cool
- Beijing Bastards
- Belleville Rendez-Vouz
- Bem-vindo À Zombieland
- Bem-vindo Ao Norte
- Berlin 36
- Birth - O Mistério
- Biutiful
- Black Sheep
- Black Snake Moan - A Redenção
- Blade Runner - Perigo Iminente
- Blueberry
- Boa Noite E Boa Sorte
- Bobby Darin - O Amor É Eterno
- Body Rice
- Bombom
- Bom Dia Noite
- Bom Dia Vietnam
- Bonnie E Clyde
- Boogie Nights
- Borat
- Brasil - O Outro Lado Do Sonho
- Breakfast On Pluto
- Brincadeiras Perigosas (2007)
- Brisa De Mudança
- Bronson
- Bruce, O Todo-poderoso
- Bruiser - O Rosto Da Vingança
- Bruno
- Buffalo 66
- Bubba Ho-Tep
- Bullit
- Bunker Palace Hotel
- Buried
- Busca Implacável
- Bz, Viagem Alucinante

- Cadillac Records
- Cães Danados
- Cães De Palha
- Café E Cigarros
- Call Girl
- Camino
- Capitão Alatriste
- Capitão América - O Primeiro Vingador
- Capote
- Carrie
- Cartas Ao Padre Jacob
- Cartas De Iwo Jima
- Casa De Loucos
- Casablanca
- Casino Royale
- Catwoman
- Cavalo De Guerra
- Cemitério Vivo
- Censurado
- Centurion
- Charlie E A Fábrica De Chocolate
- Che - Guerrilha
- Che - O Argentino
- Chemical Wedding
- Chéri
- Chinatown
- Chocolate
- Choke - Asfixia
- Chovem Almôndegas
- Christine - O Carro Assassino
- Cidade Fria
- Cinco Dias, Cinco Noites
- Cinema Paraíso
- Cinerama
- Cisne Negro
- Clube De Combate
- Coco Avant Chanel
- Coisa Ruim
- Cold Mountain
- Cold Weather
- Colete De Forças
- Colisão
- Com Outra? Nem Morta!
- Comboios Rigorosamente Vigiados
- Comer Orar Amar
- Complexo - Universo Paralelo
- Conan, O Bárbaro
- Contrato
- Control
- Controle
- Coração De Cavaleiro
- Coração De Gelo
- Coração Selvagem
- Corações De Aço
- Coragem De Mãe: Confrontando O Autismo
- Corre Lola Corre
- Correio De Risco
- Correio De Risco 3
- Corrida Contra O Futuro
- Corrupção
- Cozinhando A História
- Crank - Veneno No Sangue
- Crank - Alta Voltagem
- Cremaster
- Crime Ferpeito
- Crippled Masters
- Cristóvão Colombo - O Enigma
- Crónica Dos Bons Malandros
- Crueldade Intolerável
- Cubo
- Culture Boy
- Cypher
- Cyrano de Bergerac (1950)

- Daisy Town
- Dallas
- Danny The Dog - Força Destruidora
- Daqui P'ra Frente
- Dark City - Cidade Misteriosa
- De Cabeça Para Baixo
- De Homem Para Homem
- De Olhos Abertos
- De Olhos Bem Fechados
- De Sepultura Em Sepultura
- De Tanto Bater O Meu Coração Parou
- De-Lovely
- Delhi Belly
- Dead Snow
- Death Race 2000
- Deixa-me Entrar
- Delicatessen
- Demolidor - O Homem Sem Medo
- Dentro Da Garganta Funda
- Depois Do Casamento
- Destruir Depois De Ler
- Diamante De Sangue
- Diário Dos Mortos
- Diários De Che Guevara
- Dias De Futebol
- Dick E Jane - Ladrões Sem Jeito
- Dictado
- Die Hard 4.0 - Viver Ou Morrer
- Die You Zombie Bastards!
- Dogma
- Domino
- Don Juan DeMarco
- Donnie Brasco
- Doom - Sobrevivência
- Doomsday - Juízo Final
- Dorian Gray
- Dot.Com
- Dr. Estranhoamor
- Drácula 2001
- Drácula De Bram Stoker
- Drive - Risco Duplo
- Dreamgirls
- Duas Mulheres

- É Na Terra Não É Na Lua
- Easy A
- Easy Rider
- Eduardo Mãos De Tesoura
- Efeito Borboleta
- El Mariachi
- El Topo
- Ela Odeia-me
- Eles
- Eles Vivem
- Elvis
- Em Bruges
- Em Busca Da Felicidade
- Em Carne Viva
- Em Liberdade
- Em Nome De Caim
- Em Nome De Deus
- Em Paris
- Em Privado
- Embargo
- Encarnação Do Demónio
- Encontros Em Nova Iorque
- Encrenca Dupla
- Encurralada
- Ensaio Sobre A Cegueira
- Enterrado Na Areia
- Entre Os Dedos
- Entrevista
- Equilibrium
- Era Uma Vez No México
- Eraserhead - No Céu Tudo É Perfeito
- Escola De Criminosos
- Escolha Mortal
- Esporas De Aço
- Estado De Guerra
- Estamos Vivos
- Este É O Meu Lugar
- Este País Não É Para Velhos
- Estômago
- Estrada Perdida
- Estranhos
- Estrellita
- Eu Amo-te Phillip Morris
- Eu, Peter Sellers
- Eu Sou A Lenda
- Eu Sou Evadido
- Eu, Tu E Todos Os Que Conhecemos
- Everything Must Go
- Evil Dead - A Noite Dos Mortos-Vivos
- Evil Dead 2 - A Morte Chega De Madrugada
- Evil Dead 3 - O Exército Das Trevas
- Ex-Drummer
- Exterminador Implacável 1
- Exterminador Implacável 2 - O Dia Do Julgamento Final
- Exterminador Implacável 3 - Ascensão Das Máquinas
- Exterminador Implacável 4 - A Salvação

- Factory Girl - Quando Edie Conheceu Warhol
- Factotum
- Fados
- Fahrenheit 9/11
- Falso Alarme
- Fando E Lis
- Fantasmas De Marte
- Fargo
- Faster, Pussycat! Kill! Kill!
- Fausto 5.0
- Favores Em Cadeia
- Felicidade
- Feliz Natal
- Férias No Harém
- Festival Rocky De Terror
- Ficheiros Secretos: Quero Acreditar
- Fim De Ano Em Split
- Fim-De-Semana Alucinante
- Final Cut - A Última Memória
- Fish Tank
- Florbela
- Flores Partidas
- Fome
- Footloose - A Música Está Do Teu Lado
- Força Delta
- Forrest Gump
- Freddy Vs. Jason
- Frenético
- Frida
- Frost/Nixon
- Fruto Proibido
- Fuga De Los Angeles
- Fuga Para A Vitória
- Fur - Um Retrato Imaginário De Diane Arbus
- Fúria Cega
- Fúria De Viver
- Fúria Silenciosa

- Gabrielle
- Gainsbourg - Vida Heróica
- Gang Dos Tubarões
- Gangs de Nova Iorque
- Garden State
- Génova
- GI Joe - O Ataque Dos Cobra
- Godzilla
- Goodbye Lenine!
- Gosford Park
- Gothika
- Gran Torino
- Grande Mundo Do Som
- Gremlins
- Grizzly Man
- Gru - O Maldisposto
- Guerra Dos Mundos (2005)
- Guerra Dos Mundos (1953)

- Há Lodo No Cais
- Hairspray
- Half Nelson - Encurralados
- Hard Candy
- Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto
- Harold E Maude
- Harry Brown
- Haverá Sangue
- Hawai Azul
- He-Man - Mestres Do Universo
- Head On - A Esposa Turca
- Heartbreak Hotel
- Hell Ride
- Hellboy
- Hellboy 2: O Exército Dourado
- Helter Skelter - O Caso De Sharon Tate
- Henry E June
- Hereafter - Outra Vida
- Hiena
- História De Duas Irmãs
- História De Um Fotógrafo
- Hobo With A Shotgunbr> - Hollywood Ending
- Homem Aranha
- Homem Aranha 2
- Homem Aranha 3
- Homem De Ferro
- Homem Demolidor
- Homem Em Fúria
- Homens De Negro
- Homens De Negro 2
- Homens Que Matam Cabras Só Com O Olhar
- Hostel
- Hostel 2
- Hot Fuzz - Esquadrão De Província
- Howl - Grito
- Hugo

- I Am Sam - A Força Do Amor
- I Spit On Your Grave
- I'll See You In My Dreams
- Iluminados Pelo Fogo
- I'm Still Here
- I Wanna Hold Your Hand
- Imitação Da Vida
- Imortal
- In Search Of A Midnight Kiss
- Indiana Jones E O Reino Da Caveira De Cristal
- Indomável
- Infiltrado
- Inimigos Públicos
- INLAND EMPIRE
- Inquietos
- Insidioso
- Insónia
- Intervenção Divina
- Intriga Internacional
- Invictus
- Irmão, Onde Estás?
- It
- It Might Get Loud
- Italian Spiderman

- Jack Ketchum's The Girl Next Door
- Jackass 2
- Jackass 3D
- Jackie Brown
- Jacuzzi - O Desastre Do Tempo
- James Bond - Agente Secreto
- James Bond - Casino Royale
- James Bond - Quantum Of Solace
- Janela Indiscreta (1954)
- Janela Indiscreta (1998)
- Janela Secreta
- JCVD
- Joga Como Beckham
- John Rambo
- Jonestown - The Life And Death Of Peoples Temple
- Jovens Rebeldes - A Verdadeira História
- Julgamento
- Julie E Julia
- Juno
- Juventude Em Marcha
- Juventude Tardia

- Kalifórnia
- Kandahar
- Karate Kid
- Katyn
- Kenny
- Kick Ass - O Novo Super-herói
- Kids - Miúdos
- Kill Bill vol.2
- King Kong (2005)
- Kiss Kiss Bang Bang
- Kiss Me
- Klimt
- Kopps
- Kung-Fu-Zão
- Kung Pow - Punhos Loucos

- La Jetée
- La Vie En Rose
- Ladrões
- Lady Snowblood
- Laranja Mecânica
- Last Days - Os Últimos Dias
- Lavado Em Lágrimas
- Lemmy
- Léon, O Profissional
- Lichter
- Lindas Encrencas As Garotas
- Lobos
- Longe Da Terra Queimada
- Lost In Translation - O Amor É Um Lugar Estranho
- Lua De Mel, Lua De Fel
- Lucifer Rising
- Lucky Luke
- Lucky Number Slevin - Há Dias De Azar

- M - Matou!
- Má Educação
- Machete
- Madrigal
- Maldito United
- Mamma Mia
- Manhattan
- Manô
- Mamonas Pra Sempre
- Mar Adentro
- Maria E As Outras
- Marie Antoinette
- Marjoe
- Marte Ataca!
- Matança De Natal
- Match Point
- Matou A Família E Foi Ao Cinem
- McQuade, O Lobo Solitário
- Meia-Noite Em Paris
- Meio Metro De Pedra
- Melancolia
- Melinda E Melinda
- Menina
- Mephisto
- Metrópolis
- Meu Nome É Bruce
- Miami Vice
- Milhões
- Milk
- Millenium 1. Os Homens Que Odeiam As Mulheres
- Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos
- Minha Mãe
- Minha Terra
- Misery - Capí­tulo Final
- Missão A Marte
- Missão Impossí­vel 3
- Missão Impossível - Missão Fantasma
- Missão Solar
- Mistérios De Lisboa
- Momentos Agradáveis
- Moneyball - Jogada De Risco
- Monsters - Zona Interdita
- Monstro
- Monty Phyton E O Cálice Sagradi
- Morte Cerebral
- Morte De Um Presidente
- Movimentos Perpétuos
- Mr. E Mrs. Smith
- Mrs. Henderson Presents
- Muito Bem, Obrigado
- Mulholland Drive
- Mundo Fantasma
- Mundos Separados
- Munique
- Murderball - Espírito De Combate
- Murish
- Mutilados
- Mysterious Skin

- Na Cama
- Nacho Libre
- Não Estou Aí
- Napoleon Dynamite
- Nas Costas Do Diabo
- Nas Nuvens
- Needle
- Nico: À Margem Da Lei
- Ninguém Sabe
- Nixon
- No Limite Do Amor
- No Vale De Elah
- Noite De Agosto
- Noite Escura
- Noivos Sangrentos
- Nome De Código: Cloverfield
- Northfork
- Nosferatu, O Vampiro
- Nothing
- Nova Iorque 1997
- Nove Raínhas
- Nunca Digas Sim

- O Acontecimento
- O Agente Da Broadway
- O Lugar Do Morto
- O Americano
- O Amor Acontece
- O Anjo Exterminador
- O Anti-Pai Natal
- O Artista
- O Assassínio De Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford
- O Assassí­nio De Richard Nixon
- O Batedor
- O Bom Alemão
- O Bom, O Mau E O Vilão
- O Cabo Do Medo
- O Caminho De São Diego
- O Cão, O General E Os Pássaros
- O Capacete Dourado
- O Castelo Andante
- O Castor
- O Cavaleiro Das Trevas
- O China
- O Cobrador
- O Código Da Vinci
- O Comboio Dos Mortos
- O Comboio Mistério
- O Condenado
- O Couraçado Potemkin
- O Cowboy Da Meia-Noite
- O Crepúsculo Dos Deuses
- O Dedo De Deus
- O Delator!
- O Demónio
- O Despertar Da Besta
- O Despertar Da Mente
- O Deus Da Carnificina
- O Deus Elefante
- O Dia Em Que A Terra Parou (1951)
- O Dia Em Que A Terra Parou (2008)
- O Dia Da Besta
- O Discurso Do Rei
- O Enigma Do Espaço
- O Estranho Caso De Benjamin Button
- O Estranho Mundo De Jack
- O Evangelho Segundo São Mateus
- O Exorcista
- O Fatalista
- O Feiticeiro De Oz
- O Feitiço Do Tempo
- O Fiél Jardineiro
- O Gabinete Das Figuras De Cera
- O Gabinete Do Dr. Caligari
- O Gato Das Botas
- O Génio Do Mal (1976)
- O Grande Peixe
- O Grande Ditador
- O Guerreiro
- O Homem Duplo
- O Homem Que Copiava
- O Homem Que Sabia Demasiado
- O Homem Que Veio Do Futuro
- O Idealista
- O Jogo
- O Júri
- O Imperador Da Califórnia
- O Inquilino
- O Justiceiro Da Noite
- O Labirinto Do Fauno
- O Laço Branco
- O Lado Selvagem
- O Lago Perfeito
- O Leopardo
- O Livro Negro
- O Lobo Do Mar
- O Macaco De Ferro
- O Maquinista
- O Marinheiro De Água Doce
- O Menino De Ouro
- O Meu Tio
- O Milagre De Berna
- O Milagre Segundo Salomé
- O Mistério Galindez
- O Monstro Da Lagoa Negra
- O Mundo A Seus Pés
- O Nevoeiro (1980)
- O Ofício De Matar
- O Olho
- O Orfanato
- O Paciente Inglês
- O Padrinho - Parte I
- O Padrinho - Parte II
- O Padrinho - Parte III
- O Panda Do Kung Fu
- O Panda Do Kung Fu 2
- O Pesadelo De Darwin
- O Pistoleiro Do Diabo
- O Planeta Selvagem
- O Pó Dos Tempos
- O Portador Da Espada
- O Presidiário
- O Prisioneiro Do Rock
- O Protegido
- O Próximo A Abater
- O Quinto Elemento
- O Quinto Império
- O Regresso
- O Rei Dos Gazeteiros
- O Reino Proibido
- O Ritual
- O Ritual Dos Sádicos
- O Sabor Do Amor
- O Sargento Da Força Um
- O Segredo A Brokeback Mountain
- O Segredo De Um Cuscuz
- O Segredo Dos Punhais Voadores
- O Selvagem
- O Sentido Da Vida
- O Sétimo Selo
- O Sítio Das Coisas Selvagens
- O Sonho Comanda A Vida
- O Sonho De Cassandra
- O Sorriso De Mona Lisa
- O Tempo Do Lobo
- O Tesouro Da Sierra Madre
- O Tigre E A Neve
- O Tio Boonmee Que Se Lembra Das Suas Vidas Anteriores
- O Triunfo Da Vontade
- O Turista
- O Último Airbender
- O Último Grande Herói
- O Último Rei Da Escócia
- O Último Tango Em Paris
- O Último Voo Do Flamingo
- O Vingador Tóxico
- O Wrestler
- Ocean's Eleven - Façam As Vossas Apostas
- Odete
- Oldboy - Velho Amigo
- Olho Mágico
- Oliver Twist
- Ônibus 174
- Orca
- Órfã
- Os Amantes Regulares
- Os Amigos De Alex
- Os Bons E Os Maus
- Os Caça-Fantasmas
- Os Cavaleiros Do Asfalto
- Os Chapéus De Chuva De Cherburgo
- Os Cinco Venenos
- Os Clãs Da Intriga
- Os Condenados De Shawshank
- Os Descendentes
- Os Edukadores
- Os Famosos E Os Duendes Da Morte
- Os Filhos Do Homem
- Os Friedmans
- Os Guardiões Da Noite
- Os Homens Preferem As Loiras
- Os Imortais
- Os Inadaptados
- Os Índios Apache
- Os Invisíveis
- Os Irmãos Grimm
- Os Limites Do Controlo
- Os Marginais
- Os Mercenários
- Os Miúdos Estão Bem
- Os Novos Dez Mandamentos
- Os Olhos Da Serpente
- Os Olhos Sem Rosto
- Os Onze De Oceano
- Os Optimistas
- Os Pássaros
- Os Produtores (2005)
- Os Psico-Detectives
- Os Rapazes Da Noite
- Os Rapazes Não Choram
- Os Renegados Do Diabo
- Os Rutles - All You Need Is Cash
- Os Selvagens Da Noite
- Os Simpsons - O Filme
- Os Sonhadores
- Os Sorrisos Do Destino
- Os Super-Heróis
- Os Supeitos Do Costume
- Os Três Enterros De Um Homem
-Os Visistantes Da Idade Média
- Os 300 Espartanos

- Pagafantas
- Palpitações
- Papillon
- Para Onde O Vento Sopra
- Parada De Monstros
- Paraíso, Inferno... Terra
- Paranoid Park
- Paris Je T'Aime
- Party Monster
- Pecados Íntimos
- Pele
- Pequenas Mentiras Entre Amigos
- Performance
- Perigo Na Noite
- Perto Demais
- Pesadelo Em Elm Street
- Pink Floyd The Wall
- Piranha 3D
- Piratas Das Caraíbas - O Mistério do Pérola Negra
- Piratas Das Caraí­bas - O Cofre Do Homem Morto
- Piratas Das Caraíbas - Nos Confins Do Mundo
- Planeta Dos Macacos
- Planeta Dos Macacos: A Origem
- Planeta Terror
- Plano 9 Dos Vampiros Zombies
- Polaróides Urbanas
- Polí­cia Sem Lei (1992)
- Polícia Sem Lei (2009)
- Poltergeist, O Fenómeno
- Ponto De Mira
- Por Favor Rebobine
- Por Favor Não Me Morda O Pescoço
- Porcos & Selvagens
- Posto Fronteiriço
- Precious
- Predadores
- Presente De Morte
- Preto E Branco
- Primer
- Príncipe Da Pérsia - As Areias Do Tempo
- Procurado
- Profissão: Repórter
- Promessas Proibidas
- Proposta Indecente
- Proteger
- Psico
- Psicopata Americano
- Pulp Fiction
- Pulsação Zero
- Punch-Drunk Love - Embriagado De Amor
- Purana Mandir
- Purple Rain

- Quando Viste O Teu Pai Pela Última Vez
- Quarentena
- Quarteto Fantástico (1994)
- Quarteto Fantástico (2005)
- Quase Famosos
- Quatro Noites Com Anna
- Que Lugar Maravilhoso
- Que Se Mueran Los Feos
- Queijo E Marmelada
- Quem Quer Ser Bilionário
- Querida Famí­lia
- Querida Wendy

- R
- Rapariga Com Brinco De Pérola
- Rare Exports
- Ratatui
- Ratos Assassinos
- Ray
- [Rec]
- [REC]2
- Red Eye
- Relatório Kinsey
- Relatório Minoritário
- Religulous - Que O Céu Nos Ajude
- Relíquia Macabra
- Renascimento
- Resident Evil: Apocalypse
- Rio
- Rio Bravo
- Rock De Fogo
- Rock, Rock, Rock
- Rocknrolla - A Quadrilha
- Rocky Balboa
- Roger E Eu
- Roma
- Romance E Cigarros
- Roxanne
- RRRrrrr!!!
- Rubber - Pneu
- Ruídos Do Além
- Ruivas, Loiras E Morenas
- Rumo À Liberdade
- Ruptura Explosiva

- Sacanas Sem Lei
- Sala De Pânico
- Salazar - A Vida Privada
- Salto Mortal
- Samsara
- Sangue Do Meu Sangue
- Sangue Por Sangue
- Santa Sangre
- Sapatos Pretos
- Save The Green Planet!
- Saw - Enigma Mortal
- Saw II - A Experiência Do Medo
- Saw 3D - O Capítulo Final
- Scoop
- Scott Pilgrim Contra O Mundo
- Seconds Apart
- Seis Indomáveis Patifes
- Sem Ela
- Sem Limites
- Sem Rumo
- Sem Tempo
- Semi-Pro
- Ser E Ter
- Sereia
- Serpentes A Bordo
- Sete Anos No Tibete
- Sete Vidas
- Sexo E A Cidade
- Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band
- Shaolin Daredevils
- Shaolin Soccer - O Ás Da Bola
- Shaolin Vs. Evil Dead
- Shattered Glass - Verdade Ou Mentira
- Sherlock Holmes
- Sherlock Holmes - Jogo De Sombras
- Shining
- Shoot 'Em Up - Atirar A Matar
- Shortbus
- Shrek 2
- Shrek O Terceiro
- Shrek Para Sempre
- Sicko
- Sid And Nancy
- Sideways
- Simpatyhy For Mr. Vengeance
- Sin City - Cidade Do Pecado
- Sinais
- Sinais De Fogo
- Sinais Do Futuro
- Sinais Vermelhos
- Singularidades De Uma Rapariga Loira
- Sky Captain E O Mundo De Amanhã
- Slither - Os Invasores
- Soldados Da Fortuna
- Soldados Do Universo
- Sombras Da Escuridão
- Somewhere - Algures
- Sonho De Uma Noite De Inverno
- Sonny
- Sophie Scholl - Os Últimos Dias
- Soro Maléfico
- Sorte Nula
- Soul Kitchen
- Spartacus
- Spartan - O Rapto
- Splice
- Stacy - Attack Of The Schoolgirl Zombies
- Star Wars - A Ameaça Fantasma
- Star Wars - A Vingança Dos Sith
- Star Wars - O Ataque Dos Clones
- Stardust - O Mistério Da Estrela Cadente
- Stone - Ninguém É Inocente
- Stoned, Anos Loucos
- Submarino
- Super
- Super Baldas
- Super-Homem
- Super-Homem: O Regresso
- Super 8
- Superstar
- Suspeita
- Suspiria
- Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro De Fleet Street
- Swimming Pool
- Sword Of Vengeance
- Sympathy For The Devil

- Taking Woodstock
- Tarnation
- Tarzan, O Homem Macaco (1981)
- Taxidermia
- Team America - Polí­cia Mundial
- Tebas
- Tecumseh
- Teeth
- Tempestade Tropical
- Tennessee
- Terra De Cegos
- Terminal De Aeroporto
- Terra Dos Mortos
- Terror Em Setembro
- Terror Na Auto-estrada
- Terror Nas Montanhas
- Tetro
- The Bloodstained Butterfly
- The Brown Bunny
- The Darjeeling Limited
- The Departed: Entre Inimigos
- The Devil And Daniel Johnston - Loucuras De Um Génio
- The Devil's Double
- The First Great Train Robbery
- The Fountain - O Último Capítulo
- The Grudge - A Maldição
- The Host - A Criatura
- The Impossible Kid
- The King Of Kong
- The Langoliers - Meia-Noite E Um
- The Last House On The Left
- The Machine Girl
- The Man From Earth
- The Marine
- The Million Dollar Hotel - O Hotel
- The Mindscape Of Alan Moore
- The Mist - Nevoeiro Misterioso
- The Others - Os Outros
- The Prestige - O Terceiro Passo
- The 50 Worst Movies Ever Made
- The Way
- The Woman
- Thirst - Este É O Meu Sangue
- This Is It
- This Is Spinal Tap
- Thor
- Thriller - A Cruel Picture
- THX 1138
- Tirar Vidas
- Titanic 2
- Tony
- Tournée - Em Digressão
- Toy Story 3
- Tragam-me A Cabeça De Alfredo Garcia
- Transamerica
- Tron
- Tron: O Legado
- Tropa De Elite
- Tropa De Elite 2 - O Inimigo Agora É Outro
- Tsotsi
- Tubarão
- Tubarão 2
- Tubarão 3
- Tubarão IV - A Vingança
- Tucker E Dale Contra O Mal
- Tudo Ficará Bem
- Tudo Pode Dar Certo
- Twisted - Homicídios Ocultos

- Ultra Secreto
- Um Amor De Perdição
- Um Azar Do Caraças
- Um Bater De Corações
- Um Belo Par... De Patins
- Um Cão Andaluz
- Um Dia A Casa Vai Abaixo
- Um Dia De Raiva
- Um Homem Singular
- Um Longo Domingo De Noivado
- Um Lugar Para Viver
- Um Padrasto Para Esquecer
- Um Profeta
- Um Tiro No Escuro
- Um Trabalho Em Itália
- Uma Aventura Na Casa Assombrada
- Uma Boa Mulher
- Uma Canção De Amor
- Uma Espécie De Cavalheiro
- Uma Famí­lia À Beira De Um Ataque De Nervos
- Uma História De Violência
- Uma Pequena Vingança
- Uma Rapariga Com Sorte
- Uma Segunda Juventude
- Uma Segunda Vida
- Undefeatable
- Unseen Evil 2 - Alien 3000
- Up - Altamente

- V De Vingança
- Vai E Vive
- Vais Conhecer O Homem Dos Teus Sonhos
- Valhalla Rising - Destino De Sangue
- Valquíria
- Vampiros de John Carpenter
- Van Helsing
- Vanilla Sky
- Vanitas
- Vasilhame
- Veio Do Outro Mundo
- Veludo Azul
- Velvet Goldmine
- Vencidos Pela Lei
- Vendendo A Pele
- Veneno Cura
- Vera Drake
- Versus - A Ressurreição
- Vestida Para Matar
- Vice
- Vício - Quando Nada É Suficiente
- Vicky Cristina Barcelona
- Vidas Sombrias
- Vigilância
- Vingança Redentora
- Virgem Aos 40 Anos
- Vitus
- Viúva Rica Solteira Não Fica
- Viver A Sua Vida
- Voando Sobre Um Ninho De Cucos
- Voltando Para Casa
- Voltar
- Vontade Indómita
- Voo 93

- Walk Hard - A História De Dewey Cox
- Walk The Line
- WALL-E
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Wassup Rockers - Desafios De Rua
- Watchmen - Os Guardiões
- Welcome To The Rileys
- White Irish Drunkers
- Wild Zero
- Win Win
- Wolf Creek
- Wristcutters: A Love Story

- X-Men
- X-Men 2
- X-Men 3 - O Confronto Final
- X-Men: O Início
- X-Men Origens: Wolverine

- Zack E Miri Fazem Um Porno
- Zardoz
- Zatoichi
- Zombies Party - Uma Noite... De Morte
- Zombies Strippers
- Zozo

- 007 - Agente Secreto
- 007 - Casino Royale
- 007 - Quantum Of Solace
- 10 Coisas Que Odeio Em Ti
- 100 Volta
- 10.000 AC
- 12 Homens Em Fúria
- 12 Macacos
- 12:08 A Este De Bucareste
- 1984
- 2LDK
- 24 Hour Party People
- 28 Dias Depois
- 20,13 - Purgatório
- 2012
- 300
- 4 Copas
- 48
- 50/50
- 6=0 Homeostética
- 8 1/2
- 9 Canções
- 98 Octanas


ENTREVISTAS:
- Fernando Fragata
- Festróia - Mário Ventura
- Filipe Melo
- Good N Evil
- IMAGO - Sérgio Felizardo
- José Barahona
- Nuno Markl
- Paulo Furtado
- Rodrigo Areias
- Sara David Lopes
- Solveig Nordlund
- Fernando Alle


TOPES:
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2011
- Top 5 dos Piores Filmes de 2011
- Top 10 dos Melhores Filmes de 2010
- Top 5 dos Piores Filmes de 2010
- Top 5 dos filmes de Leslie Nielsen
- Top 10 Dos Filmes Low Cost
- Top 5 das Melhores Cenas de Dança
- Top 8 dos Melhores Filmes de 2009
- Top 5 dos Piores Filmes de 2009
- Top 5 dos Filmes Que Tenho Vergonha De Dizer Que Gosto
- Top 5 das Melhores Músicas de Ennio Morricone
- Top 5 dos filmes com Patrick Swayze
- Top 5 dos Telediscos do Michael Jackson
- Top 5 dos Filmes com David Carradine
- Top 5 dos Filmes com Lutadores de Luta-Livre
- Top 10 Os Melhores Filmes de 2008
- Top 5 Os Piores Filmes de 2008
- Top 5 dos Piores Filmes de Natal
- Top 5 das Coisas que não Esperávamos Ver no Cinema
- Top 5 dos Melhores Filmes de Paul Newman
- Top 5 Personagens Com Palas Nos Olhos
- Top 10 Melhores Cartazes De Cinema
- Top 5 dos Filmes de Chuck Norris
- Top 5 dos Filmes de Patrick Swayze
- Top 10 Os Melhores/Piores Vestidos dos Oscares
- Top 5 As Mortes de Crianças Mais Gratuitas
- Top 10 Os Melhores de 2007
- Top 5 Os Piores de 2007
- Top 7 Adaptações ao Cinema de Livros de Stephen King
- Top 5 Filmes Pela Paz
- Top 5 Os Melhores Beijos
- Top 5 Grandes Arquitectos
- Top 10 Filmes Que Mudaram A Minha Vida
- Top 5 Mulheres de Cabeça Rapada
- Top 5 As Cenas Mais Excitantes
- Top 10 Os Melhores de 2006
- Top 5 Os Piores de 2006
- Top 3 Filmes de Robert Altman
- Top 5 Os Vilões do Cinema
- Top 5 Filmes Com Mick Jagger
- Top 5 Filmes Com Steve Buscemi
- Top 5 Dos Cães no Cinema
- Top 5 Dos Filmes do Indie06
- Top 5 Dos Filmes do Fantas06
- Top 5 dos Presidentes
- Top 10 Os Melhores de 2005
- Top 5 Os Piores de 2005
- Top 5 Filmes com Pat Morita
- Top 10 Os Melhores Filmes Independentes
- Top 5 Os Piores Filmes da Saga Bond
- Top 5 Filmes com Dolph Lundgren
- Top 5 Adaptações de BD Para Cinema
- Top 10 Cenas Mais Assustadoras de Sempre
- Top 5 Vencedores do Óscar
- Top 5 Bond Girls
- Top 5 Filmes Sobre Doenças
- Top 5 Filmes de Natal
- Top 5 Melhores Batalhas Corpo-A-Corpo
- Top 10 Melhores Canções do Cinema
- Top 10 Melhores Filmes de Sempre
- Top 5 Melhores Momentos Musicais
- Top 5 Grandes Duelos do Cinema
- Top 10 Maiores Personagens do Cinema
- Top 5 Piores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 10 Melhores Momentos da Ficção Cientí­fica
- Top 5 Filmes Religiosos


BAÚ DO TRASH:
- Needle
- Que Se Mueran Los Feos
- Easy A
- Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme
- Saw 3D - O Capítulo Final
- And Soon The Darkness
- Os Imortais
- Purana Mandir
- Pagafantas
- The Bloodstained Butterfly
- Cisne Negro


ROYALE WITH CHEESE APRESENTA:
- A Tasca Da Cultura
- A Causa Das Coisas - parte I
- A Causa Das Coisas - parte II
- A Momentary Lapse Of Reason


FILMES A VER ANTES DE MORRER:
- #1 As Lágrimas Do Tigre Negro
- #2 Alucarda
- #3 Time Enough At Last
- #4 Armageddon
- #5 The Favour, The Watch And The Very Big Fish
- #6 Italian Spiderman
- #7 The Soldier And Death


UMA CURTA POR DIA NÃO SABE O BEM QUE LHE FAZIA:
- 1# Rabbit, de Run Wrake
- 2# Aligato, de Maka Sidibé
- 3# The Cat Concerto, de Joseph Barbera & William Hanna
- 4# A Curva, de David Rebordão
- 5# Batman: Dead End, de Sandy Callora
- 6# O Código Tarantino, de Selton Mello
- 7# Malus, de António Aleixo & Crosswalk, de Telmo Martins
- 8# Three Blind Mice, de George Dunning
- 9# Bedhead, de Robert Rodriguez
- 10# Key To Reserva, de Martin Scorcese
- 11# Bambi Meets Godzilla, de Marv Newland
- 12# The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon, de Richard Gale
- 13# Stolz Der Nation, de Eli Roth
- 14# Papá Wrestling, de Fernando Alle
- 15# Glas, de Bert Haanstra
- 16# Fotoromanza, de Michelangelo Antonioni
- 17# Quem É Ricardo?, de José Barahona
- 17# Terra Incognita, de Peter Volkart


AS MELHORES PIORES CENAS DE SEMPRE:
- A Pior Luta
- A Cena Mais Metida A Martelo
- O Ataque Animal Mais Brutal
- A Perseguição Mais Alucinante
- O Duelo Mais Improvável


CLUBE DE CINEMA DE SETÚBAL:
- Janeiro
- Fevereiro
- Março
- Abril
- Maio
- Setembro
- Novembro


FESTIVAIS:
- 20º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9
- 21º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 22º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 23º Festróia
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10
- 24º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 26º Festróia
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- 12º Caminhos Do Cinema Português
Dia 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
- Imago 2006
Dia 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

;

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



BLOCKBUSTERS:

04/01/2004 - 05/01/2004

05/01/2004 - 06/01/2004

06/01/2004 - 07/01/2004

07/01/2004 - 08/01/2004

08/01/2004 - 09/01/2004

09/01/2004 - 10/01/2004

10/01/2004 - 11/01/2004

11/01/2004 - 12/01/2004

12/01/2004 - 01/01/2005

01/01/2005 - 02/01/2005

02/01/2005 - 03/01/2005

03/01/2005 - 04/01/2005

04/01/2005 - 05/01/2005

05/01/2005 - 06/01/2005

06/01/2005 - 07/01/2005

07/01/2005 - 08/01/2005

08/01/2005 - 09/01/2005

09/01/2005 - 10/01/2005

10/01/2005 - 11/01/2005

11/01/2005 - 12/01/2005

12/01/2005 - 01/01/2006

01/01/2006 - 02/01/2006

02/01/2006 - 03/01/2006

03/01/2006 - 04/01/2006

04/01/2006 - 05/01/2006

05/01/2006 - 06/01/2006

06/01/2006 - 07/01/2006

07/01/2006 - 08/01/2006

08/01/2006 - 09/01/2006

09/01/2006 - 10/01/2006

10/01/2006 - 11/01/2006

11/01/2006 - 12/01/2006

12/01/2006 - 01/01/2007

01/01/2007 - 02/01/2007

02/01/2007 - 03/01/2007

03/01/2007 - 04/01/2007

04/01/2007 - 05/01/2007

05/01/2007 - 06/01/2007

06/01/2007 - 07/01/2007

07/01/2007 - 08/01/2007

08/01/2007 - 09/01/2007

09/01/2007 - 10/01/2007

10/01/2007 - 11/01/2007

11/01/2007 - 12/01/2007

12/01/2007 - 01/01/2008

01/01/2008 - 02/01/2008

02/01/2008 - 03/01/2008

03/01/2008 - 04/01/2008

04/01/2008 - 05/01/2008

05/01/2008 - 06/01/2008

06/01/2008 - 07/01/2008

07/01/2008 - 08/01/2008

08/01/2008 - 09/01/2008

09/01/2008 - 10/01/2008

10/01/2008 - 11/01/2008

11/01/2008 - 12/01/2008

12/01/2008 - 01/01/2009

01/01/2009 - 02/01/2009

02/01/2009 - 03/01/2009

03/01/2009 - 04/01/2009

04/01/2009 - 05/01/2009

05/01/2009 - 06/01/2009

06/01/2009 - 07/01/2009

07/01/2009 - 08/01/2009

08/01/2009 - 09/01/2009

09/01/2009 - 10/01/2009

10/01/2009 - 11/01/2009

11/01/2009 - 12/01/2009

12/01/2009 - 01/01/2010

01/01/2010 - 02/01/2010

02/01/2010 - 03/01/2010

03/01/2010 - 04/01/2010

04/01/2010 - 05/01/2010

05/01/2010 - 06/01/2010

06/01/2010 - 07/01/2010

07/01/2010 - 08/01/2010

08/01/2010 - 09/01/2010

09/01/2010 - 10/01/2010

10/01/2010 - 11/01/2010

11/01/2010 - 12/01/2010

12/01/2010 - 01/01/2011

01/01/2011 - 02/01/2011

02/01/2011 - 03/01/2011

03/01/2011 - 04/01/2011

04/01/2011 - 05/01/2011

05/01/2011 - 06/01/2011

06/01/2011 - 07/01/2011

07/01/2011 - 08/01/2011

08/01/2011 - 09/01/2011

09/01/2011 - 10/01/2011

10/01/2011 - 11/01/2011

11/01/2011 - 12/01/2011

12/01/2011 - 01/01/2012

01/01/2012 - 02/01/2012

02/01/2012 - 03/01/2012

03/01/2012 - 04/01/2012

04/01/2012 - 05/01/2012

05/01/2012 - 06/01/2012

06/01/2012 - 07/01/2012

07/01/2012 - 08/01/2012

08/01/2012 - 09/01/2012

09/01/2012 - 10/01/2012

10/01/2012 - 11/01/2012

11/01/2012 - 12/01/2012

12/01/2012 - 01/01/2013

01/01/2013 - 02/01/2013

02/01/2013 - 03/01/2013

03/01/2013 - 04/01/2013

04/01/2013 - 05/01/2013

05/01/2013 - 06/01/2013

06/01/2013 - 07/01/2013

07/01/2013 - 08/01/2013

08/01/2013 - 09/01/2013

09/01/2013 - 10/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

10/01/2013 - 11/01/2013

11/01/2013 - 12/01/2013

12/01/2013 - 01/01/2014

01/01/2014 - 02/01/2014

02/01/2014 - 03/01/2014

03/01/2014 - 04/01/2014

04/01/2014 - 05/01/2014

05/01/2014 - 06/01/2014

06/01/2014 - 07/01/2014

07/01/2014 - 08/01/2014

08/01/2014 - 09/01/2014